História Dedilhando o imenso - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Exibições 3
Palavras 345
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ficção, Poesias

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Capítulo único


“Se dizem que azul é a cor dos loucos, e o oceano vários níveis de solidão, quando ele chegou meu mar azul ficou revolto, mas as ondas que se formavam eram em busca de renovações. Como uma criança assustada e arredia, meus olhos focalizaram sua imagem, era como se fosse uma ostra: duro por fora mas que por dentro nos surpreende, tanto com o tudo como com o nada. Minhas ondas me puxaram de volta para a areia, aquela áspera cheia de resquícios marinhos que quando são pisados a dor é decodificada por desespero, ansiedade, ideais inexistentes. Pedi um voto de clemência da ostra que lamentava meu sofrimento em meio aos detritos que arranhavam minha armadura, levantei-me e fui de encontro à concha dura e fria, nesse momento, por um instante, pude ver o que tinha dentro daquele ser piedoso, e tinha tudo: sentimentos, felicidade, desejos, medos. De concha dura e fria me senti envolvida por um ser homeotérmico que fez de mim uma simulação de dedilhados que quando era pressionada, lindas melodias suaves eram reproduzidas dentro de nós dois. Ao tentar partir fui atraída como um ímã pelo batuque de sua pérola contra a concha totalmente estremecida, no entanto ao invés de ver o que tinha por dentro, seu interior me engoliu em busca do folego que nele já não existia mais, pega no susto, demorei para revidar, e logo era possível ver uma luta interna dos dois por anseio de algo, em busca de apoio físico e refúgio emocional, nessa hora era possível ouvir um solo de violão ou piano, como se ele estivesse lendo uma partitura, fez de mim uma orquestra, a qual ele tinha pleno poder de maestro sobre mim e eu apenas me segurava para não cair, apesar de estar bem segura deixei minha marca naquele concerto, entre mordidas e apertos, a música ia diminuindo sua velocidade e intensidade se acalmando e se estabilizando, o calor e as batidas frenéticas da pérola dentro da concha, já não tão dura, começaram a repousar, caso contrário se explodiria no interior dos dois.” 


Notas Finais


Tudo aqui escrito, foram sensações e sentimentos que tive, após ter sido beijada por alguém que me fez sentir especial.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...