História Dedilhar - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekyeol, Chanbaek
Exibições 130
Palavras 1.011
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, depois de muitos séculos, voltei com algo novo *☆・゚

Ou nem tanto, já que este é um plot que eu tinha guardado há muito tempo sjkasjak

Enfim, espero que gostem, essa fanfic é inspirada em um trecho do livro "Se eu ficar" ♡ Desde já perdoe-me se houverem erros, irei arrumar depois!

Boa leitura ♡

Capítulo 1 - Toque-me, Sinta-me


Fanfic / Fanfiction Dedilhar - Capítulo 1 - Toque-me, Sinta-me

 

Éramos só eu, ele e seu violão.

Pela janela de meu quarto era possível ver o sol começando a se pôr, deixando o céu numa mescla de laranja, rosa e azul. A luz no cômodo era precária, sombras em toda parte, apenas os poucos raios de sol remanescentes o iluminavam; mesmo assim eu conseguia enxerga-lo nitidamente onde estava, sentado na cadeira de minha escrivaninha lotada de livros da faculdade.

Ele tinha seu violão cor de caramelo no colo, suas mãos passavam pelas cordas emitindo sons baixos e suaves. Meu olhar acompanha seus movimentos, suas mãos eram grandes, mas seus toques eram delicados. Ele não tocava nenhuma música específica, apenas testava a afinação do instrumento.

Eu poderia ficar o observando por horas sem fim com seu violão em mãos que nunca me cansaria. Algumas vezes ele também cantava, sua voz era grossa, um tanto rouca, era linda e melodiosa. Não apenas sua voz, tudo nele era lindo. Era um alguém cheio de talentos que me pareciam infinitos, mas entre tantas coisas das quais eu gostava nele, a maneira como ele dedilhava o violão era uma de minhas favoritas.

Ele continuava a movimentar suas mãos, agora tamborilando na madeira do instrumento. Parecia pensativo, até que se virou para mim, me fitando com seus olhos amendoados.

– O que eu deveria tocar? – Perguntou Chanyeol, falando depois de muitos minutos em silêncio.

Sabia que perguntava por querer minha sugestão, seu rosto refletia indecisão, mas não contive em responder com outra pergunta:

– Por que você não me toca?

Ele riu.

Me analisou por alguns segundos, tentando decifrar minhas intenções, que com certeza não eram nada castas. E logo entendera isso muito bem, eu realmente queria que ele me tocasse como fazia com seu violão. Com vontade.

Chanyeol largou seu violão, o encostando cuidadosamente na parede e se levantando da cadeira. Deu alguns passos em direção a cama onde eu estava sentado, não tirando os olhos de mim até se sentar ao meu lado.

– Sente saudade de meus toques? – Perguntou em um tom suave enquanto começava um carinho em minha bochecha, com um sorriso de canto em seus lábios.

– Sinto. Você passa tanto tempo com o violão, às vezes o queria ser. – Disse pegando sua mão entre as minhas e a acariciando de volta.

Eu realmente tinha uma fixação por aquelas mãos; grandes, bonitas e habilidosas. Me sentia carente de seus toques delicados e suas sensações, não conseguia negar.

– Que tal você fingir que sou seu violão...

Propus enquanto começava a me deitar na cama, colocando uma de minhas mãos por dentro da camiseta de algodão que eu vestia, deixando parte de meu abdômen à mostra para Chanyeol. Ele observava cada movimento meu, se aproximando calmamente como resposta, pousando suas mãos uma de cada lado de meu corpo. Sentia o leve aperto de seus dedos em minha carne.

Gentilmente retirou minha camiseta e voltou seus olhos ao meu tronco agora completamente exposto. Era como se admirasse tudo o que via, era um olhar apaixonado, mas  ao mesmo tempo carregado de desejo. Lentamente suas mãos começavam a entrar em contato com minha pele, seus toques eram suaves, sentia todo meu corpo reagir arrepiando-se por inteiro.

Fechei meus olhos e me restringi a apenas sentir as pontas de seus dedos percorrerem minha epiderme, formando linhas invisíveis por onde passava, vez ou outra sentindo suas unhas curtas me arranharem de leve. Nossos corpos iam se aproximando, seu baixo ventre começava a pressionar o meu em um roçar lento como seu dedilhar sobre minhas curvas, me ensandecendo.

– Meu violão é importante, mas nem se compara a você, Baekhyun. Como acha que eu me sinto o vendo pedir pelos meus toques? Você quer me deixar louco. – Disse baixo em meu ouvido, mordiscando o lóbulo de minha orelha, me arrepiando mais uma vez.

Ele estava certo, eu queria enlouquece-lo, assim como ele me enlouquecia.

Eu sabia muito bem no que aquilo iria dar.

Nunca teria pedido se não soubesse.

Queria lembra-lo do quanto era prazeroso quando nos uníamos.

Era evidente o que mais queríamos naquele momento: nossos corpos tornando-se um do outro entre os lençóis brancos de minha cama, sob a luz crepuscular.

Éramos como imãs, em constante atração. Uma vez juntos, era difícil nos separar, a excitação nos tomava rapidamente e quando percebíamos, peças e mais peças de nossas roupas iam parar no chão, deixando nossa necessidade da carne alheia à flor da pele.

Ele tinha pressa, me queria por inteiro o quanto antes, me segurando com força em seus braços grandes e fortes. E assim como ele, eu o queria me preenchendo e me provocando sensações inebriantes que eu sabia que só ele era capaz de proporcionar.

Ele me invadia, me atingindo em cheio em um ritmo acelerado, todo meu ser era arrebatado com força, friccionando meu membro teso entre nossos corpos orvalhados. Meus pelos se erriçavam, minhas unhas procuravam suas costas na ânsia de arranha-las com vontade, fazer estrago e deixar marcas. Sons sôfregos saíam involuntariamente de nossas bocas, sentia minha garganta queimar, mas era tão bom...

Chanyeol percorria minhas costas com suas mãos, me segurando mais firme do que antes. Logo eu não aguentaria mais, ele me pressionava intensamente, seus gemidos roucos perto de meu ouvido me deixavam extasiado, sentia meu corpo amolecer em seus braços.

Então eu me desfiz e em seguida ele também, preenchendo meu interior. Deitamos lado a lado, nossas respirações descontroladas e nossos cabelos grudando em nossas testas. Estávamos exaustos e suados, sentia seu hálito quente em minha bochecha, me fazendo cócegas.

– Gostou do que eu toquei pra você? – Perguntou Chanyeol ofegante, com clara dualidade em suas palavras. Gostara da brincadeira.

– Com certeza você sabe tocar como ninguém, Chanyeol. – Respondi, pois era verdade, Chanyeol me tocava com maestria.

– Agora você poderia tentar, o que acha de aprender a tocar violão? – Disse levantando sua cabeça para me encarar com um sorriso malicioso no rosto. – Quero ver suas habilidades.

Não contive o riso, não negaria seu pedido.

Aquilo ainda iria longe, eu aproveitaria meu aprendizado.

– Pois então eu irei dedilhar as cordas deste violão, com todo o prazer. 

 

 


Notas Finais


Se você já leu alguma coisa minha, deve já ter percebido que eu tenho uma leve fixação pelo Chanyeol tocando violão, mas bem leve mesmo q

Dessa vez tentei escrever algo sem me aprofundar demais na história dos personagens e acabou saindo algo curtinho, até rolou um lemon inesperado sjaksjak

De qualquer forma, espero que tenham gostado. Obrigada por ler ♡

Nos vemos por aí. (ɔ◔‿◔)ɔ ♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...