História Dedos de Chocolate - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Sehun, Suho
Tags Chanbaek, Chensoo, Kaisoo, Sekai, Sulay
Exibições 458
Palavras 3.583
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HEEEEY!
Hoje é o último capítulo de DDC, e eu me esforcei bastante para que o final fosse de acordo com o contexto e com as minhas vontades desde o inicio dessa fanfic, essa é a primeira long que eu termino, mas invés de ficar enrolando vocês aqui...
BOA LEITURA!
Vejo vocês nas notas finais!

Capítulo 8 - Trufa de Chocolate com Maracujá


 

Kyungsoo empurrou Jongdae e saiu desesperado do quarto, não conseguia pensar em nada, só que queria chorar e fugir daquele lugar.

Enquanto Kyung saía exasperado da mansão, Chen esboçava um sorriso grande e Sehun estava aliviado, Jongin estava desacordado, Suho olhava aquela cena com raiva, agora havia entendido tudo, e pretendia partir pra ação.

 

- Eu disse que ia descobrir sozinho...

^

^

^

^

03 de maio de 2016

 

Era um domingo nublado.

O céu não mostrava sua cor e vivacidade, estava tudo melancólico e sombrio, algo muito errado havia acontecido.

Jongin levantava-se de uma cama, totalmente zonzo e confuso.

- Mas o que... Onde eu estou?

Quando foi olhar para o lado, viu Sehun lhe encarando fixamente enquanto estava sentado em uma cadeira perto do móvel.

- Bom dia Jonginnie...

- Sehun? Que porra você está fazendo aqui?

Foi depois da pergunta que percebeu o seu estado, estava totalmente nu e o outro estava na mesma situação.

- Nós... Fizemos o que aqui? – perguntava Jongin, receoso.

- Nós fizemos amor Nini...

- Você só pode estar de sacanagem com a minha cara... Nunca iria me render a você de novo.

- Nunca diga nunca amor, isso aconteceu, não me diga que não lembra? – perguntava Sehun, sínico- Eu e você bebemos demais, você me agarrou, me beijou, me fez seu, disse que me amava...

- Você realmente está louco Oh Sehun, eu não te amo, eu não fiz nada disso com você- dizia Kai, mais para si do que para Sehun, não conseguiria acreditar que faria uma coisa dessas, mas espera... E O KYUNGSOO? – SEHUN, E O KYUNGSOO?

- O que tem essa coruja feia?

- Ele estava aqui nessa festa?

- Não sei... Não o vi por aqui... - mentiu- Mas porque você insiste em falar desse garoto? Agora vamos pensar em nós!

- Não existe “nós” Sehun, nunca existiu. E se você acha que eu vou cair na lábia dessa história de “fizemos amor’, está muito enganado, já passei dessa fase.

Jongin se arrumou rapidamente e deixou Sehun sozinho no quarto de hóspedes.

- Mas você me ama Nini, você me ama, porque você não entende isso? Por quê? SÓ PENSA NAQUELE FILHO DA PUTA DO KYUNGSOO, JÁ ESTOU FARTO!

Sehun virou a cama, quebrou o espelho, revirou lençóis, e se pôs a chorar incontrolavelmente. Tinha que encontrar Jongdae, tinha que encontrar alguma forma de acabar com a felicidade de Jongin, assim como tinha acabado com a sua.

- Eu te amo tanto Nini...

^

^

Kyungsoo esperneava na cama, não tinha conseguido dormir, as cenas de Jongin e Sehun daquele jeito não saíam de sua cabeça.

- Eu estou começando a ficar maluco...

Kyung desistiu de dormir e foi preparar um café, pretendia comer a maior quantidade de chocolates possíveis e assistir todo o catálogo de filmes românticos no Netflix. Seus planos iriam mudar já que ouviu sua campainha ser tocada várias vezes.

- Quem deve ser a essa hora da manhã? JÁ VAI!

Quando abriu a porta bruscamente, percebeu que era apenas Jongdae com um sorriso triste nos lábios.

- Oi Kyung.

-Oi Jong. O que está fazendo aqui?

- Vim saber se está bem, depois de ontem sabe... Eu não entendi muito bem o que aconteceu, mas parece que te abalou muito.

- Sim, bastante... Não quero muito falar sobre isso, não precisava ter vindo aqui só para saber meu estado.

- Eu estava preocupado, por isso trouxe meu ombro amigo e besteiras pra a gente comer- apontou para grandes sacolas de mercado que estavam no chão.

- Você é definitivamente o melhor amigo do mundo Jongdae! – abraçou-lhe fortemente.

- É, sou sim, um ótimo “amigo”...

- Algum problema? – perguntou Kyungsoo, meio espantado com a súbita falta de ânimo de Jongdae.

- Nada não, vamos começar a sua reabilitação- falou, enquanto esbanjava seu maior sorriso.

- Vamos.

^

Depois de horas conversando e assistindo filmes, Kyungsoo se sentia melhor, mesmo furioso com Kim, já pensava na possibilidade de esquecê-lo e seguir sua vida, como se nenhuma carta havia-lhe sido entregue.

^

^

04 de maio de 2016

Tenso.

Única palavra que poderia descrever esse dia conturbado.

Jongin tentava conversar com Kyung por cartas, pessoalmente, mandando mensagens pelo celular, mas o outro não lhe respondia, esquivava todas as suas tentativas de aproximação, e isso só deixava o moreno irado.

- O que será que eu fiz?

- Vamos recapitular a situação? – perguntava Chanyeol meio pensativo.

- Quero que nos conte o que exatamente aconteceu nessa festa... – dizia Baekhyun, ainda confuso pela chateação do amigo.

Jongin contou cada detalhe (que ele lembrava), sobre a festa para seus confidentes.

- Então você não se lembra de mais nada, só do dia seguinte? – perguntava Baek.

-Sim... É como se eu tivesse dormido mais cedo... Não sei explicar...

- Isso está me deixando confuso... – afirmava Chanyeol.

- Deixe de ser lerdo Chanyeol, é claramente óbvio o que aconteceu. Jongin foi dopado.

- O QUE? – Jongin e Park gritavam em uníssono.

- Exatamente. É uma prática muito comum e perigosa, você se lembra de ter botado seu copo com líquido em cima da mesa?

- Sim...

- Acho que Sehun aproveitou essa oportunidade para botar Boa Noite Cinderela ou algo do tipo no seu drink.

- Mas porque ele faria isso?

- Não sei... TALVEZ PORQUE ELE SEJA UM MANÍACO, TOTALMENTE PIRADO POR VOCÊ?

- Mas ainda não entendo o porquê do Soo estar me ignorando, me esforcei muito na última carta que eu fiz.

- Alô? Terra para Jongin? Você deveria assistir mais C.S.I amor, ajuda muito nessas horas.

- Han... – dizia Jongin, sem entender nada.

- Aposto meu delineador da MAC que Kyungsoo viu você dois se pegando, justamente para Sehun se ver livre daquele baixinho.

- Ele não seria capaz...

- Seria sim... Seria muito capaz... Você precisa entender que essa insistência que o Sehun tem sobre você não é normal, é simplesmente obsessivo e doentio...

- Então o que eu faço agora? Estou ferrado, perdi todas as minhas chances...

- Espere... Mais cedo ou mais tarde a verdade vai cair, e vai ser da maneira que eu espero...

- Pra que todo esse mistério Baek? – perguntava Chanyeol.

- Você vai entender depois, e Jongin?

- Sim.

- Tudo vai dar certo- afagou levemente os cabelos de Kai.

- Eu espero...

^

^

06 de maio de 2016

 

Kyungsoo estava em casa, ainda meio depressivo pela situação que estava enfrentando, no sofá, estava em uma de suas maratonas de filmes românticos.

O celular começou a tocar.

- Quem quer acabar com a minha paz agora?

Era um número desconhecido, mas mesmo assim ele atendeu.

- Yŏboseyo?

- Er... Kyung?

- O que você quer Kai? – Kyungsoo mudou sua voz velozmente.

- Eu preciso te explicar o que aconteceu de verd...

- Eu não quero saber. Você nem deveria ter me ligado. Passar bem.

Desligou imediatamente o telefone.

- Por que você ainda mexe tanto comigo? Não consigo mais aguentar isso...- Kyungsoo começou a puxar seus cabelos.

^

^

07 de maio de 2016

 

O clima continuava tenso, Jongin e Kyungsoo estavam mais infelizes que nunca, e isso preocupava os amigos, principalmente Suho, esse que observava Jongdae lançando sorriso pelos corredores como se tivesse ganhado algum prêmio.

Enquanto o sorridente Jongdae andava para sua sala, foi empurrado na parede pelo seu amigo.

- O que você está fazendo Jongdae? – perguntava Suho, totalmente raivoso.

- Você continua achando que eu fiz alguma coisa?

- Isso não é óbvio? Enquanto o Soo está sofrendo, você está sorrindo, quer me dizer o motivo dessa felicidade toda?

- O que é agora? Não posso sorrir mais? Só porque meu amigo está triste, não quer dizer que eu preciso ficar depressivo com ele. É só uma fase, vai passar...

- Como é você tem tanta convicção disso? Eu achei que você o amasse...

- E eu o amo mais que tudo, por isso irei deixá-lo enfrentar isso sozinho, vou ser só o “ombro” pra ele chorar, entende? – indagou maliciosamente.

- Você mudou muito Jongdae, não acredito que acabei de ouvir isso... Eu sei que você está escondendo alguma coisa, e eu vou descobrir o mais rápido possível.

- Boa sorte com isso amiguinho, eu não tenho nada a esconder. Pode cair em cima. – afirmava com um sorriso arteiro.

Suho saiu desenfreado pelos corredores enquanto Jong continuava estático rindo escandalosamente, sua sessão de risadas só acabou com a chegada de um loiro alto.

- Qual o motivo de tanta alegria? –perguntava Sehun, confuso e tristonho.

- Está tudo dando certo pro nosso lado Sehunnie...

- Só se for pro seu lado, eu só enfrentei as consequências...

- Não se preocupe amor, Jongin vai lhe dar o valor que você merece. Uma pessoa que foi capaz até de drogá-lo para conseguir sua paixão... Que história emocionante...

- Emocionante pra quem? Só se for para Kim Jongdae, agora Kyungsoo só quer ser consolado por você...

- Sua hora vai chegar, nós vamos conseguir nossos amores... – se aproximava mais- Oh... Sehun...

Sehun e Jongdae se encaixaram em um beijo ardente e sedento, ambos tinham certeza das pessoas que amavam, mas não podiam negar a tensão sexual que pairava entre os dois, continuaram naquele enlaço deleitoso até o sinal do intervalo bater.

- Jongdae... Eu...

- Eu também não sei por que eu fiz isso, mas vamos relevar ok?

- Ok.

- Preciso ir, tchau Hunnie!- deu-lhe um beijo na testa.

- Tchau Jong... – só conseguiu se pronunciar quando o outro já havia sumido de sua vista.

^

^

Suho chegou esbaforido na sala de aula, tanto que até esqueceu-se da presença do namorado ao lado da carteira.

- Amor, o que aconteceu? Você está pálido...

- Eu acabei de testemunhar algo muito insano...

- O que?

Suho contou tudo, desde a conversa com Jongdae até a parte que se escondia no corredor ao lado sem ser percebido, e que ao ouvir a conversa com Sehun, se pôs a gravar todo o diálogo entre os dois, assim como pretendia fazer algo em relação a isso.

- Você gravou tudo?

- Tudinho, eu sabia que ele tinha algo com Sehun, mas não achei que fosse tão grave assim...

- Como ele foi capaz de dopar aquele menino... Meu deus... – dizia Lay, chocado.

- Eu não sei, só sei que precisamos resolver isso rápido.

- Mas como?

- Já sei o que eu vou fazer...

^

12:30

Suho e Lay estavam na entrada do colégio esperando a primeira parte do plano começar. Ao avistarem Baekhyun e Chanyeol, ficaram aliviados em saber que eles concordaram em se encontrar para discutir sobre o assunto.

- Bem, vamos sentar... – disse Suho apontando em direção à mesa na frente do colégio.

Todos se sentaram e olharam para Suho, totalmente curiosos com o que ele queria dizer.

- Eu sei que eu não conheço vocês- apontou para Baek e Chan- Mas isso é um problema que envolve duas pessoas do nosso meio, então não pude ficar parado observando.

- Jongin e Kyungsoo... Estou certo? – perguntava Baekhyun.

- Sim. Vocês já devem saber o que aconteceu de verdade na minha festa, então não vou perder meu tempo falando sobre isso. Precisamos encontrar alguma maneira dos dois se encontrarem e descobrirem toda a verdade... E eu acho que já sei como fazer isso.

- Como? – indagava Chanyeol.

- Simples. Nós vamos ter que nos unir para enganar 4 pessoas, então vou falar em partes o meu plano. Primeiro: Baekhyun convence Jongin a trabalhar na doceria amanhã para conversar algo muito importante com ele. Segundo: Lay vai conversar com Jongdae e levá-lo para a doceria achando que Kyungsoo está precisando de ajuda. Terceiro: Chanyeol liga para o Sehun e diz para ele que Jongin está sentindo saudades. Quarto e último: Eu vou tentar convencer Kyungsoo a aparecer na doceria.

- Mas como é que eu vou convencer esse louco a aparecer na doceria? Ele não quer ver Jongin nem pintado de ouro. – dizia Lay.

- Eu preciso tentar...

- Então você quer desmascarar os dois na doceria? – questionou Chanyeol.

- Exatamente. Essa é a única forma de fazer aqueles dois idiotas conversarem um com o outro novamente. Vocês topam?

- Sempre topei amor...

- Claro! – afirmou Chanyeol sorridente.

- Por que não né? – indagava Baekhyun.

- Se preparem, porque amanhã iremos finalmente acabar com essa história.

^

^

^

^

07 de maio de 2016

 

Estava tudo preparado. Cada um havia feito sua parte, até Suho convenceu Kyungsoo a aparecer, afirmando que aquele dia era dia de folga para Jongin (ou seja, não precisaria vê-lo) e queria comprar chocolates para o namorado.

Quando Kyungsoo entrou na doceria junto com Suho, se deparou com vários rostos conhecidos, entre eles Jongin e... Sehun.

- O que ele está fazendo aqui? – protestava Sehun.

- Soo, você está bem? – perguntou Jongdae com uma cara de espanto- Disseram-me que você não estava passando bem, então eu...

- Chega de teatro Jongdae. Eu já sei de tudo. - declarou Suho em voz alta- Jongin, eu sugiro que você feche a loja só por alguns minutos.

Jongin se esquivou, estava ainda confuso, porém seguiu as ordens do amigo de Kyungsoo e virou a placa da loja para “fechado”.

- Alguém pode me dizer o que está acontecendo aqui?- indagava Kyungsoo.

-Eu também não estou entendendo nada... –alegava Jongin.

- Vocês vão entender tudo depois dessa mensagem de voz. - Suho pegou seu celular e deu play na gravação.

(- Qual o motivo de tanta alegria?

- Está tudo dando certo pro nosso lado Sehunnie...

- Só se for pro seu lado, eu só enfrentei as consequências...

- Não se preocupe amor, Jongin vai lhe dar o valor que você merece. Uma pessoa que foi capaz até de drogá-lo para conseguir sua paixão... Que história emocionante...

- Emocionante pra quem? Só se for para Kim Jongdae, agora Kyungsoo só quer ser consolado por você...

- Sua hora vai chegar, nós vamos conseguir nossos amores...)

 

Todos da sala ficaram espantados, principalmente Kyungsoo e Jongdae.

- Mas... O que... O que é isso Jongdae? – perguntava Kyungsoo com a respiração descompassada.

- Não acredita nisso Soo, Suho está querendo me botar contra você, não deixe que ele faça isso.

- Tudo... Que eu ouvi era verdade? E VOCÊ SABIA DISSO?

- Eu posso explicar...

- NÃO PODE EXPLICAR NADA! – aparecia um Jongin raivoso- VOCÊ AJUDOU ESSE MALUCO A ME ABUSAR?

- Não acredite nisso Kyung, não acredite, isso é tudo mentira. Tudo mentira...

- Eu achava que você era meu amigo... Por que você fez isso comigo? Por quê?

Baekhyun, Chanyeol, Lay e Suho apenas observavam a cena com cautela.

- Eu te amo Kyungsoo, eu não queria te machucar, eu só...

Foi cortado por uma risada alta.

- NÃO QUERIA JONGDAE? Conta outra – Sehun entrava na conversa- Você só queria que a coruja feia ficasse abalada pra ele ir correndo nos seus braços. OH JONGDAE! MEU HÉROI JONGDAE! – continuava rindo.

- ISSO FOI CULPA SUA!

- MINHA? PRA VOCÊS FICAREM SABENDO... – apontou para o resto da turma- ELE QUE TEVE A IDEIA DE SEPARAR ELES DOIS, NÃO EU! Jongin, você precisa entender que eu fiz isso por amor...

- POR AMOR? – Kyungsoo interrompeu- POR AMOR? VOCÊ O ABUSOU POR AMOR? VOCÊ É DOENTE- desferiu um tapa no rosto do mais alto- VOCÊ É LOUCO- outro tapa- VOCÊ ME FEZ ACREDITAR QUE ELE TINHA ME TRAÍDO!- deu agora um soco forte em sua face, só foi parado por Suho, que o agarrou para que não fizesse mais besteira.

Ainda sem forças, Sehun se dispôs a falar.

- Você nunca vai entender o amor que eu sinto pelo Nini, PORQUE VOCÊ NÃO O AMA, VOCÊ NUNCA VAI AMÁ-LO COMO EU O AMO... E já que estamos em momentos de confissões... Jongdae... Conta pra gente como barramos as cartas, tentamos separá-los, bloqueando todos os meios de interlocução entre os dois...

- Eu... Er... – Jongdae travou.

- Foram vocês que cortaram nossa comunicação por dias? – perguntava Jongin, estupefato com o que estava acontecendo.

- É claro que sim! Vocês acham que se merecem? A única pessoa que Soo merece em sua vida, sou eu. Foi você quem ficou com ele enquanto ele estava doente aos 9 anos? Foi você que acompanhou ele cantando no show de talentos da oitava série? Eu estive do lado dele esse tempo todo, em todos os momentos... Ninguém vai tomar meu lugar...

- Você é igualzinho ao Sehun...  Dois doentes e psicóticos... Vocês se merecem... - Jongin cuspia as palavras com raiva- Eu não quero ver nunca mais vocês dois aqui, NUNCA MAIS, ENTENDERAM?  SAIAM DESSA DOCERIA AGORA! SAIAM!

Jongin apontava para a porta e os dois envolvidos andavam lentamente até a porta.

- Mas Nini...

- Sai daqui Sehun, você tem sorte de eu não ter chamado a polícia... - Sehun saiu cabisbaixo da loja.

- Soo, eu queria... – começou Jongdae.

- Não importa o quanto eu queira te perdoar, você mudou demais Jongdae, sai daqui, não quero te ver mais também...

- Soo...

- Saia.

Jongdae saiu morgado da doceria, assim como Sehun.

Ambos andavam com um peso muito grande nas costas.

- Eu... – começava Jongdae.

- Não adianta saber quem é o culpado de que agora, eu perdi tudo que eu queria nessa vida...

- Eu também...

Jongdae e Sehun continuaram andando, seguindo um destino incerto, em que o castigo era algo concreto entre os dois, um e outro presos ao passado de suas vidas.

^

^

Assim que os causadores dos problemas saíram do estabelecimento, todos ficaram em silêncio, ainda pensativos sobre o que havia acontecido.

- Eu... - Baekhyun se pronunciou – Eu acho melhor nós deixarmos vocês a sós.

- Concordo. – afirmava Lay.

Os dois casais foram embora do ambiente doce, e abandonaram dois corações apertados e ressentidos.

- Eu nem sei como começar... – alegava Kyungsoo.

- Não precisa dizer nada Soo, se eu estivesse no seu lugar também teria tido as mesmas conclusões...

- Mas eu nem deixei você falar! Te ignorei, te insultei, porque você não fica chateado comigo?

- Porque eu não consigo. Eu não consigo Kyungsoo. Eu já tentei, mas isso é muito mais forte...

- O que é mais forte?

- O que eu sinto por você, cada palavra Kyung, cada palavra que eu escrevi para você nesse tempo são como regras, mandamentos cravados em mim, eu me enlouqueço, sinto raiva de você, mas ao mesmo tempo esse sentimento aumenta.

- Me desculpa! Eu... Eu também não consigo me controlar mais, achava que ter feito sexo com você naquele dia fora um ato de extrema loucura, então fugi, recebi suas cartas, li todas, e cada vez sentia vontade...

- Vontade...

- De ter de novo, perto de mim, seu corpo com o meu, VOCÊ ME ENLOQUECE KIM JONGIN, eu não consigo parar de pensar em você, mesmo diante de tudo que aconteceu... Eu sou um covarde, só sei correr das situações, eu... – Jongin tocou seu dedo entre os lábios de Kyungsoo.

- Shh... Não precisa dizer mais nada, tudo que te enlouquece me enlouquece também, eu queria me controlar, contudo, eu não consigo.

- Então não se controle.

- Han?

- Eu disse... - se aproximou perto da orelha do moreno e sussurrou- Eu disse para você não se controlar. - mordeu o lóbulo esquerdo de Kim.

- Vou seguir sua ordem... Do... Kyungsoo...

Seus corpos se colaram como caramelos.

 Compartilhavam de um ósculo apaixonado e vibrante, suas línguas seguiam um ritmo acelerado e repetitivo, em que seus músculos exploravam todos os cantos de suas bocas vermelhas e mordidas.

Jongin mordiscava e maltratava todo o fino pescoço do baixinho, tendo como resposta um gemido esganiçado do seu Soo.

Seu Soo.

Esse pensamento fazia Jongin abrir um grande sorriso.

Estavam ali, aproveitando cada momento, cada sensação que seus corpos e mentes lhe proporcionavam.

- Vou ter que dar uma pausa aqui.

- Qual o problema? – perguntava Kyungsoo, assustado por Jongin ter parado com as carícias.

- Me espera...

Jongin foi até os fundos da loja e voltou com algo em mãos... Uma trufa embrulhada.

- Você me fez esperar por uma trufa Jongin, é sério isso?

- Não é só uma trufa, é a minha trufa favorita.

- Qual é o sabor?

- Chocolate com maracujá.

- Hum... Interessante...

- Já que eu acabei me viciando na sua trufa de chocolate com morango, pensei que seria legal se você também começasse a comer a minha trufa favorita também.

- Tudo bem...

Kyungsoo abocanhou a trufa rapidamente e soltou um gemido deleitoso.

 Adorava chocolate, tanto que lambeu todo o chocolate que havia sobrado nos seus dedos.

- Eu adoro quando você faz isso... – dizia Jongin.

- O que?

- Sempre que termina uma trufa, seus dedos ficam melados de chocolate, e você faz questão de lamber cada um com cuidado...

- Você prestava atenção nisso?

- Todos os dias, eu sonhava em ser um aqueles dedos de chocolate, para que você me lambesse com precisão e cautela... - falava embargado pelos pensamentos.

- Isso ainda pode acontecer... –Kyungsoo abria um sorriso de canto.

- Pode? Você vai fazer o sonho dessa criança acontecer?

Kyungsoo deu uma risada baixa.

- Sim... Com muito prazer...

 

Ambos foram para o quarto e lá fabricaram outro chocolate.

Por mais que Kyungsoo gostasse de trufa de morango, manga, caramelo, menta, kiwi, nozes, pimenta, licor, maracujá, e tantas outras... Nenhuma dessas era sua favorita.

 

Jongin era sua trufa preferida.

E ele o manteria guardado em sua embalagem eternamente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Olá gente linda!
Muito obrigada por me acompanharem nessa loucura que foi fazer essa fanfic, se lembrem que desde o inicio quis mostrar mais o amor carnal do que romântico, e também o que está por dentro desse desejo, além do meu fetiche de escrever uma fic que envolva sexo com chocolate( seria meu sonho?). Sehun é um menino conturbado assim como Jongdae, então quis muito mostrar esse lado psicótico do amor e também o lado antigo, que era expresso por cartas de declaração ou até eróticos (sintam a referência e mostrem seu melhor moonface).
Foi tanta gente comentando que eu fiquei até emocionada, agradeço muitooooo *cries in korean*.
E antes de eu sair dessas notas, vou fazer aquela velha propaganda... Comecei uma fic chanbaek nova, ainda tá no primeiro capitulo, vou postar outro ainda hoje, e espero que deem muito amor pra essa também!
Link: https://spiritfanfics.com/historia/incerto-6688844
Vejo vocês na próxima!
Byebikes


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...