História Deep Cold - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~Gbizzle

Exibições 457
Palavras 1.096
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Fantasia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Aparecemos, demoramos mas aparecemos.
Leiam as notas finais por favor!
Boa leitora <3

Capítulo 6 - Tiro


Point of views — Justin Bieber.

 Mal comecei a brincar e a vadia já está se entregando a mim, eu me pergunto: cadê a dignidade dessas vadias ? 

 Nem deve ter.

 Eu estava tão cheio de desejo pra fode-la que minha ereção já começa a surgir.

— Justin? — Maldita hora que o Chaz tinha que aparecer, nem mijar mais podemos. Quebrei o beijo rapidamente — você tá demorando pra caralho. Abre aqui!

 Tampei a boca da garota para que ela não abrisse o bico, ela nem lutou, apenas ficou me encarando. 

 — To demorando por quê eu to cagando, quer me ver cagar ou reparar o quanto meu pau é maior que o teu ? — Gritei. 

 Fiz o sinal para ela ficar quieta e ela assentiu com a cabeça, tirei a mão da boca dela e me levantei e ela se levantou logo depois depois. 

 Do nada barulhos de tiros surgiram, provavelmente vinha lá de baixo. Merda, era só o que falta.

 — Entra no boxer! — mandei empurrando ela para dentro do boxer. 

 Eu não poderia correr o risco de me verem com ela. A vagabunda estava paralisada com as mãos na cabeça, garota burra os tiros são lá fora. Após ela entrar dentro do boxer, fechei a porta. 

 Eu tinha duas sugestões em mente. Primeira: Era frescura dos caras. Segunda: alguém invadiu essa merda. 

 Sai do banheiro fechando a porta atrás de mim, Charles não estava mais no corredor. O barulho dos tiram pararam por alguns segundos e logo depois voltaram, eram vários tiros não podia ser dos meninos. Tirei meu revólver da cintura e desci as escadas, vários tiros vinha lá de fora entrando pela janela e destruindo aonde acertava. Me joguei no chão pra não ser atingido como todos os outros, Megan estava caída no chão e sangrando muito. 

 — Justin me ajuda! — ela esticou a mão em minha direção enquanto segurava a barriga no local atingido pela bala.

Porra. Se eu não ajudasse ela, ela acabaria morrendo. Se eu ajudasse, eu teria uma grande chance de morrer.

— Justin... — ela gemeu de dor — me ajuda!

Me levantando de pressa do chão, corri em sua direção ouvindo vários tiros sendo disparados em minha direção a cada passo que eu dava. Levantando a minha mão que segurava a arma, comecei a apertar o gatilho aleatoriamente, e acabei acertando em um dos caras, assim que ouvi o grito dele.

— Segura e atira — entreguei a arma para ela, pegando a mesma no colo.

— Como você quer que eu atire? — ela gritou de dor.

Um tiro veio correndo em nossa direção, atingindo um vaso ao nosso lado que se espatifou na hora.

— EU DISSE PRA ATIRAR PORRA!

 

Point of views — Brooklyn Green


Eu ainda me encontrava parada dentro do bóxer. Minhas mãos tremiam descontroladamente, e meu coração estava mais acelerado do que nunca. E eu tinha apenas uma pergunta.

O que estava acontecendo?

— BROOKLYN! BROOKLYN ONDE VOCÊ ESTÁ? — a voz da minha tia surgiu no corredor me fazendo despertar.

— BROOK? — foi a vez de Tris gritar.

Arrastando apressadamente a porta de vidro do bóxer, saí correndo do banheiro vendo as duas correndo desesperadas pelo corredor. Os barulhos de tiros não paravam, apenas tendiam a aumentar cada vez mais.

Meus ouvidos estavam doendo e fazendo um " pi " irritante.

— Eu... — tentei falar mas eu não conseguia, não saía nenhum som da minha boca — eu...

Senti minhas pernas bambearem e acabei caindo no chão, minha visão estava toda embaçada e eu estava com uma sensação que eu tudo iria se apagar.

— MÃE ELA ESTÁ ALI! — Tris gritou pra minha tia. 

 •••

 Já tinha alguns segundos que eu tinha acordado, mas persistia em continuar de olhos fechados. Dava para ouvir passos bem próximos de mim e conversas. Eles falavam algo sobre invasão, falava de um cara chamado Taylor. 

 Meu coração batia acelerado lembrando do que aconteceu, meu corpo doía pela posição que eu me encontrava. Abri os olhos e fechei. Naquela sala de algum lugar (não a casa do Chaz) estava: Justin, Chaz, Tris, tia Bonnie e outros caras que eu não conhecia. Minha tia notou eu me mexer. 

 — Brook, está acordada? — ela segurou minha mão e eu abri os olhos. Imediatamente eles pararam de falar no assunto que estavam falando. 

 — Aonde eu estou ? — abri os olhos perguntei fingindo estar acordando agora, não queria que pensassem que sou uma curiosa. Me sentei naquela cama, quando olhei bem o lugar. Notei que estava em um hospital. 

 — Você está na enfermaria do hospital, vou chamar o médico para ver como você está! — tia falou saindo.

 — Vou ver como minha namorada está! — Desta vez Justin falou saindo. 

 Namorada? Ele tem namorada e me beijou. Tris olhou feio pra ele. Justin é um babaca, Tris gosta dele e ele tem namorada e por cima de beija e tenta fazer algo comigo. 

 — Brooklyn estou falando com você. — Chaz estalou os dedos fazendo-me olhar para ele. Eu estava tão desligada que nem notei que ele estava falando comigo. 

 Só queria entender o que realmente aconteceu. Tudo que lembro é que estava com Justin no banheiro e alguns flashs da Beatrice e minha tia gritando, tinha barulho de tiros também. 

 — Desculpa Chaz... — murmurei levando minha atenção a ele. 

 — Diz pro médico que você teve uma dor de cabeça e desmaiou. — assim que Chaz disse, o médico entrou na enfermaria com a minha tia. 

 Os outros caras que estavam ali saíram, e tris também. Ficou apenas eu, Chaz, o médico e minha tia. 

 — Brooklyn King Green pode me dizer o que aconteceu? — o médico perguntou. 

 — Eu.. Eu... Eu tive uma dor de cabeça e desmaiei. — olhei para o Chaz e depois pro médico. 

 — Sua vida sexual é ativa? 

 Neguei com a cabeça enquanto Chaz achava graça e minha tia quase dava uns tapas nele. 

 — Tomou algum remido? 
 

 — Também não. 

 — Passou algum tipo de medo, ansiedade ou raiva ? 

 — Ansiedade talvez... — na verdade tinha passado por um medo.

 — O que te fez ter essa ansiedade? 

 — Meu namorado mora em outro país e eu quero vê-lo logo. — eu só disse que estava com muita ansiedade por quê seria um desculpa depois para fazer minha tia me mandar de volta pro Estados Unidos. 

 — Vou passar um remédio pra sua ansiedade e aconselho não ficar com tanta ansiedade assim, por quê pode prejudicar muito sua saúde. 

 Depois que o médico saiu, Chaz também saiu da enfermaria. Calcei meus chinelos e sei logo depois da minha tia. Eu caminhava em passos lentos sentindo uma leve tontura por causa do desmaio, quando estava preste a virar o corredor. Alguém me puxou com brutalidade para dentro de um quarto. 

 Continua...


Notas Finais


Olá gente, aqui é a Roberta.
Gostaram ? Quem será que puxou a Brook em?
Esse capítulo saiu curtinho, mas prometo que o próximo vai sair maior. Eu e a giih vamos continuar assim que der!

Queríamos agradecer pelos quase 900 favoritos, e todos os comentários dos últimos capítulos. Estamos muito felizes, muito mesmo!

Liam minha nova fanfic: https://spiritfanfics.com/historia/blackspot-6475696

Beijos, até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...