História Deeper than the sea - Capítulo 59


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Exibições 56
Palavras 3.489
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Estupro, Insinuação de sexo, Tortura
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 59 - Elas são crianças.


Fanfic / Fanfiction Deeper than the sea - Capítulo 59 - Elas são crianças.

-Quem as vai acordar?- o Lay perguntou assim que estávamos todos na sala de estar.

-Achas mesmo que é uma boa ideia?- o Chanyeol perguntou inseguro. -Elas talvez só queiram ficar em casa.-

-Chanyeol, tu não podes manter a Ava dentro do apartamento dela para sempre. Ela tem que sair e apanhar um pouco de ar puro e ver que não tem nada a temer lá fora.- o Suho o repreendeu e ele abaixou a cabeça.

-Eu posso as ir chamar.- eu me ofereci para desviar a atenção do Chan.

Ele não é o único que as quer manter protegidas no apartamento, mas esse momento é inevitável e mais vale que elas passem por ele conosco!

-Está bem.-

Eu sai do nosso apartamento e toquei à campainha. Eu pensei em tocar outra vez já que elas estavam a demorar, mas antes que eu o fizesse, a porta abriu-se revelando uma Ava cheia de sono.

-Olá, Baek.- ela disse enquanto coçava os olhos para tentar espantar o sono.

-Olá, Ava. Estavas a dormir?- eu perguntei sentindo-me mal por a ter acordado. Pelo que a Abby contou, ela estava a ter dificuldades para adormecer.

-Na verdade, não. Acordei no meio da noite e não consegui dormir outra vez.- ela bocejou. -Estava quase a dormir, mas tu tocaste a campainha.- Eu sorri num pedido de desculpa e ela convidou-me a entrar.

-As outras ainda estão a dormir?-

-Sim. Ontem dormimos um pouco tarde.- ela respondeu e acendeu a luz da sala. -Bom, o que vieste fazer cá sozinho?- ela perguntou e sentou-se no sofá.

-Os rapazes e eu reservamos uma pista de patinagem e queríamos que vocês viessem conosco.- eu expliquei.
-Isso é um convite ou tu me estás a informar que vamos patinar?-

-A informar.- eu esclarecei pronto para um possível protesto da parte dela.

-Está bem. Eu só as vou acordar e nos encontramos na entrada em meia hora.- eu arregalei levemente os olhos surpreso por ela ter concordado imediatamente.

-Hmmm…. Poderia ser eu a acordar a Abby?- eu perguntei e senti as minhas bochechas arder por causa do seu olhar penetrante.

-Por mim não há problema.-

Eu a segui e nos separamos quando ela entrou no quarto da Cass e eu no da Abby que estava mergulhado na escuridão. Eu aproximei-me da cama dela com cuidado para não ir contra algum móvel e acendi o pequeno candeeiro em cima da mesinha de cabeceira dela. Eu tive logo direito a um pequeno resmungo da Abby que escondeu a cabeça debaixo do cobertor e continuou a dormir. Eu ri levemente pela sua reação e deitei-me cuidadosamente ao seu lado. Com cuidado eu destapei a sua cabeça e admirei por alguns segundos o seu semblante calmo.

Vê-la assim dá-me a impressão que por dentro ela não está cheia de dor e tristeza!

Eu aproximei-me dela e beijei levemente os seus lábios que estavam na forma de um beicinho. Ela não abriu os olhos, mas aproximou-se mais do meu corpo para aconchegar-se nele.

Para a acordar de vez, eu comecei a beijar cada canto da cara dela tanto que ela começou a rir e correspondeu ao meu beijo quando uni os nossos lábios outra vez.

-Olá.- ela abriu os olhos e abriu um enorme sorriso que me cegou por completo.

Eu só conseguia ver o seu lindo sorriso e eu senti que o meu dia não poderia ser melhor.

-Bem que me poderias acordar todos os dias assim.-

-Vou pensar na tua proposta.- ela riu e o meu coração deu um pulo de alegria dentro do meu peito.

-A que devo a sua maravilhosa visita?- ela perguntou e abraçou-me pela cintura.

-Vim te acordar porque vamos patinar.- De um momento para o outro os seus olhos ganharam um brilho que eu não via à muito tempo e os seus lábios se curvaram num enorme sorriso.

-Patinar! Eu adoro patinar.- ela disse muito entusiasmada.

-Então é melhor te despachares.- ela literalmente voou da cama e correu até o seu armário para procurar roupa adequada.

Eu ri com a sua reação e saiu do quarto para lhe dar mais privacidade para se vestir.

***

Da entrada nós conseguíamos ver a van preta que alugamos à dois dias atrás e infelizmente os jornalistas acompanhados das nossas fãs que estavam bem eufóricas. Essa euforia nos preocupava porque pelo que eu ouvi, a Cass e a Abby foram mantidas num espaço apertado com os outros alunos.

Nós ouvimos o barulho das portas abrirem-se e entre as pessoas que saiam estavam a Ava, a Abby e a Cass. Estavam todas bem agasalhadas com luvas para aquecer as suas mãos, cachecóis grossos para proteger as suas gargantas e gorros à esconder metade dos seus cabelos.

-Vocês por acaso vão para o polo norte?- O Chen gozou com elas assim que pararam à nossa frente.

-Para quê que eu vou vestir só um casaco se vou ser arrastada de volta para o meu apartamento pelo Chanyeol e só sair de lá quando ele achar que eu estou vestida adequadamente para o inverno.- a Ava explicou o motivo de estar tão bem agasalhada e o Chanyeol concordou com ela.

-Vês como me conheces bem.- ele sorriu e a beijou.

-Ainda por cima está frio lá fora. O meu corpo não aguenta temperaturas baixas.- a Cass disse e foi abraçada pelo Sehun.

-Mas o Canadá também é o país frio.-

-E é por causa disso que ela ficava doente a cada duas semanas.- a Abby contou.

-Não fui eu que quase apanhou uma pneumonia por ter saído com um casaco de cabedal num dia de neve.- A Abby não respondeu e escondeu a sua cara no meu peito.

-Para quê essas mochilas?- a Ava apontou para as nossas mochilas.

-Nós vamos almoçar lá também.- o D.O. explicou.

-Podemos ir?- o Kai perguntou e notava-se que ele queria estar longe dos olhos atentos das fãs e das câmaras do fotografos para agarrar a mão do D.O. que lhe mostrou um sorriso pedindo um pouco de paciência da parte dele.

Eu compreendo a ânsia do Kai porque antes da Abby e eu sermos um casal, eu tentava arranjar o máximo de desculpas possíveis para a ter nos meus braços.

-Vamos de comboio?- a Abby perguntou e nós negamos com a cabeça.

-À pé?-

-Vamos de van. O ringue de patinagem fica a uma hora daqui.- o Suho respondeu e assentiram.

-Eu vou bem atrás com o D.O.-

-Quem disse?- o Chen perguntou.

-Eu. Agora mesmo. A idade está a deixar-te surdo?- o Kai perguntou para o provocar.

-Se eu fosse surdo, eu não teria ouvido os gemidos do D.O. ontem à noite.- As bochechas do Kai ganharam uma cor rosada e o D.O. decidiu reunir todo o seu sangue nas suas bochechas.

-Olha a linguagem, idiota. Nós temos uma menor entre nós.- O Chanyeol o avisou e a Abby afastou-se de mim.

-Eu tenho quase dezoito anos. Parem me tratar como se eu tivesse dez anos.- ela resmungou como uma criança e eu tive de rir.

-O que queres que nós façamos? Com essa cara de anjo ninguém pode te levar a sério.- a Ava respondeu com um sorriso e a Abby mostrou-lhe a língua. -Depois dizes que não és uma criança.-

-Baekkie! A Ava não para de implicar comigo.- ela choramingou com um beicinho bem fofo.

-Ava, a Abby tem 17 e quatro meses.- Felizmente a Abby não notou o meu sarcasmo e deu-me um beijo de agradecimento.

-Fazemos assim. Comigo à frente vai o Lay, atrás de nós vão o Sehun, a Cass e Xiumin, depois o Chen, o Chanyeol e Abby, atrás deles o Baekhyun e a Abby e por fim o Kai e D.O.- o Suho disse os nossos lugares.

-YES!- o Kai celebrou e deu mais cinco com o D.O. que estava igualmente feliz.

-Por que é que o Chen tem que estar conosco?- o Chanyeol perguntou com revolta que era obviamente fingida.

-Como assim Por que é que o Chen tem que estar conosco?!- o chen perguntou ofendido.

-Contigo não vai dar para estar à sòs com a minha namorada.- Todos começamos a rir com a resposta do Chanyeol e o Chen se refugiou no Xiumin que bateu de forma consoladora nas suas costas.

-Não sejas mão, Channie.- a Ava o repreendeu com um sorriso nos lábios e a segurar a vontade de rir. -Podes te sentar conosco, Chen.- o Chen afastou-se do Xiumin e correu para abraçar a Ava. Ele mostrou a língua ao Chanyeol que revirou os olhos na brincadeira e o afastou da Ava que riu com o comportamento ciumento dele.

-Podemos ir ou não? Ainda temos uma multidão de fofoqueiros para enfrentar.- A Cass apontou para os jornalistas que acompanhavam tudo como se estivessem a ver uma série de tão concentrados que estavam.

-Ela tem razão. Vamos logo.- O Sehun segurou a mão da Cass entrelaçando os dedos deles e tanto eu como o Chanyeol o imitamos.

Nós passamos pela porta e fomos imediatamente atacados com perguntas, mas desta vez as perguntas não eram para nós -membros da banda- mas para as meninas que nem consideravam responder já que mantinham os olhos fixos no chão.
-É verdade que vocês conheciam os vossos sequestradores?-

-Como se sentem ao saber que foram as responsáveis por 55 outros jovens terem ganhado um trauma?-

-Avalon, é verdade que deve se encontrar com os sequestradores para que os outros fossem raptados?-

-É verdade que vocês causaram muito sofrimento à muitas pessoas?
-

Só com a última pergunta, elas reagiram e da pior forma possível.
Por causa do aperto da mão da Abby, eu pensei que ela me partiria a mão e ela escondeu o seu rosto no meu peito. Eu acariciei o seu topo da sua cabeça e sussurrei doces palavras no seu ouvido.

-Concentra-te só na minha voz e ignora tudo à tua volta.- eu pedi e ela assentiu.

Já a Cass largou o Sehun e correu o mais rápido possível até a van para livrar-se de todas aquelas perguntas. A Ava simplesmente ficou parada e fixou com olhos de predador a jornalista que posou aquela pergunta como se a qualquer momento ela fosse saltar para cima dela e arrancar-lhe a cabeça. O Chanyeol passou o braço sobre os ombros dela e a obrigou a continuar a andar, mas isso não a impediu de assassinar aquela jornalista com o olhar.

Se antes eu não gostava deles, então agora eu os declarou meus inimigos eternos!

Eu só não pude jogar mais pragas neles porque a Abby precisava da minha atenção para não começar a chorar.

***

-Deixa essa canção!- a Cass quebrou o silêncio mortal que reinava dentro da van à mais de dez minutos.

-Mas essa canção é de menina.- a Ava resmungou com os olhos presos na paisagem. Eu posso apostar com todo o mundo que ela ainda está a pensar em maneiras de espancar aquela mulher.

-Eu sou uma rapariga se não percebeste.- a Cass respondeu e a Ava desviou o olhar com um pequeno sorriso.

-Não eras tu que dizias que eras um monstro?- a Abby riu levemente como se soubesse do que a Ava estava a falar o que eu tenho a certeza ela faz.

-Eu tinha nove anos, Avalon. Eu ainda era uma criança.-

-E uma pessoa que dorme com peluche é o quê?-

-Um bebé.- eu pensei que tinha sido o único a ouvir a Abby, mas o Chen começou a rir com o seu comentário.

-Estás a rir do quê?- a Cass perguntou seriamente.

-A Abby chamou-te de bebé.- a Abby bateu na cabeça dele.

-Cala-te. É mentira, Cass.- ela mostrou o seu sorriso inocente esperando que a Cass acredita-se nela o que não foi o caso já que ela mostrou o sorriso que a Ava usa várias vezes indicando que ela ia aprontar.

-Não sou eu que tem canções do Rei Leão no telemóvel!-

-Hey!- eu até pensei que a Ava fosse defender a Abby, mas eu enganei-me redondamente. -Se queres gozar com ela, usa outro filme. O Rei Leão é uma lenda. Usa filmes como o livro da selva ou Mary Poppins! Lembraste quando ela saltou da cama porque pensava que podia voar e deu com a cara no chão.- as duas começaram a rir e pouco a pouca a Abby as acompanhou.

Nós observavamos tudo em silêncio e com sorrisos nos lábios porque só viamos alegria nos seus rostos. Nem parecia que elas estavam prestes a chorar ou bater alguém à cinco minutos atrás e essa cena aquecia o meu coração.

-Xiumin, qual é o teu filme preferido da Disney?-

-Eu não sei. Eu não lembro dod filmes da Disney que eu vi.- as três abriram a boca chocadas.

-TU O QUÊ?- a Abby gritou ao meu lado.

-Disney faz parte da infância de todas as crianças. Por acaso os teus pais não gostam de ti para te impedir de ver os melhores filmes de qualquer infância?- a Ava perguntou dramaticamente e eu tive de rir com as suas reações.

-Não é para tanto.- eu disse e tive direito a um soco no meu braço.

-Por acaso enlouqueceste? Vocês não tiveram infância!- a Abby e a Ava concordaram com a Cass e só riu das suas expressões de indignação.

-Qual é o melhor filme da Disney?- o Xiumin fez o erro de fazer essa pergunta e as três começaram a discutir porque acham que o filme preferido delas era o melhor. Eu não sei como elas o conseguiram, mas o carro tornou-se numa enorme confusão porque nós decidimos participar da discussão.

-Silêncio, crianças.-

-Estás a chamar criança a quem?- Todos perguntamos ao mesmo tempo. -eu sou mais velho do que tu, Suho.- o Xiumin acrescentou.

-Se bem que quem vos vê pela primeira vez, pensa que o Suho ou Sehun é o mais velho.-

-A reação que a Ava teve quando eu vos mostrei a ela pela primeira vez foi hilariante.-

-Eu tive motivos para reagir daquela maneira. Eles eram muitos para um grupo e todos parecidos. Ainda por cima pareciam todos da nossa idade e depois tu vieste com essa de que o Xiumin -quem eu achava que era o mais novo- tinha 22 anos. Era praticamente impossível que ele, com as suas enormes bochechas e as feições delicadas, fosse o mais velho! Depois vinha o Luhan que eu pensei que era uma rapariga.-

-Deverias ter visto ela depois então? Tu nem sempre foste o seu favorito, Baekhyun.- eu olhei a Abby que tinha as bochechas rosadas.

-Então quem foi?-

-O nosso querido Kai.-

-Eu?- ele disse atrás de nós. Eu só olhava a Abby à espera de uma explicação e eu conseguia sentir o ciúme crescer dentro de mim.

-Em primeiro foste tu porque eu admirava muito a tua dança e por que também eras bonito.- eu fechei ainda mais a cara perante a revelação. -Mas depois o meu coração foi completamente conquistada pela diva dos eyeliners.- eu ignorei a parte da diva e a beijei.

-Conseguiste safar-te, Abby.- o D.O. riu e eu ignorei concentrando-me só nos lábios da Abby.

-Agora que eu me lembro, tu falaste sobre um sonho quando nós conhecemos.- o Sehun disse e a curiosidade falou mais alto.

-Não te atrevas, Avalon.- A Cass virou-se para ameaçar a Ava pelo olhar.

-Mas eu nem sequer abri a boca ainda.- ela defendeu-se antes de sorrir maliciosamente. -O que me dás em troca para manter a boca fechada?-

-Por uma vez na vida ajuda-me sem pedir algo em troca.-

-Eu tenho uma suspeita do tipo de sonho que tiveste Cass.- eu a informei.

-Eu não sabia que a minha namorada tinha uma mente tão… fértil.-

Eu nunca tinha visto a Cass tão corada e ela escondeu o rosto no peito do Xiumin que começou a rir assim como nós.

-Parem de envergonhar a Cass.- a Ava tocou o ombro dela num ato solidário.

-Dá para pararem de se beijar como se estivessem sozinhos!- Todos nos viramos com o comentário do Chen e de facto o Kai estava quase em cima do D.O.

-Não poderiam ter esperado até chegarmos para se enfiarem numa casa de banho e fazerem o que quer que vocês iriam fazer se o Chen não vos interrompesse?- o Lay perguntou e mais uma vez a sangue inteiro se reuniu nas bochechas do D.O.

***

-Serei só eu que acha que elas parecessem três crianças?- o Suho perguntou enquanto observava a Ava a perseguir a Abby e a Cass no ringue de gelo.

-Elas são crianças.- o Xiumin respondeu divertido.

-EU OUVI ISSO!- A Ava gritou e patinou até nós.

-Não querem brincar conosco?- a Abby perguntou assim que ela usou o meu corpo como travão.

-Estamos a jogar à apanhada.- a Cass explicou.

O brilho dos olhos das três me lembrava o das crianças e nós conseguíamos dizer não. À semanas que eu não as vejo tão felizes e eu quero que essa alegria dure. Elas têm direito a um momento de distração e esquecer o que aconteceu.

-Está bem.- o Xiumin falou por nós.

-O Xiumin fica a apanhar porque é o mais velho.- o Sehun disse e todos nós afastamos do Xiumin. Ele conseguiu apanhar com facilidade o D.O. que não era muito bom a patinar. Como bom namorado o Kai se deixou a apanhar por ele e patinou atrás do Chen.

Acho que era a sua vingança por o ter interrompido na van.

No meio de tanta correria o Chen acabou por cair e levou o Kai com ele. O enorme ringue de patinagem se encheu de gargalhadas.

-Sai de cima, gordo.- o Chen empurrou o Kai.

-Olha quem fala!- o Kai levantou-se e afastou-se dele já que tinha comprido a sua missão.

-Estás a sorrir assim, por quê?- eu percebi a indireta e comecei a patinar.
Ele estava quase a apanhar-me, mas eu consegui usar Suho como escudo e logo ele apanhou o Yeol que estava distraído com a Ava.

E assim foi como passamos a nossa tarde! Cheia de quedas e gargalhadas!

***

-Foi muito divertido!- o Lay comentou enquanto guardava os seus patins.

-Eu deveria ter gravado quando o Chanyeol se chocou contra o D.O!- o Chen riu.

-Eu não o vi. Já te disse.- Não valia a pena o Chanyeol se explicar, o Chen simplesmente não parava de gozar com os dois.

-Rapazes!- nós viramos e as meninas nós olhavam seriamente.

-Aconteceu alguma coisa?- o Kai perguntou.

Elas só sorriram e se curvaram.

-Obrigado por este dia maravilhoso!- as três disseram em conjunto.

-Nós sabemos que só vos temos trazido problemas, mas mesmo assim vocês se esforçaram para nós devolver o sorriso.- a Ava disse.

-Nunca conseguiremos vos recompensar do que estão fazendo por nós.- a Abby continuou.

-Nós prometemos que vamos tentar agir como antes.-

-Obrigado por terem ficado ao nosso lado, oppa!- Elas se curvaram mais uma vez e quando se endireitaram outra vez, os mesmos sorrisos que as caracterizavam estavam de volta aos seus lábios.

Era a primeira vez que elas nos chamavam de oppa e eu simplesmente não sabia o que fazer. O Xiumin foi o primeiro a reagir ao se aproximar delas e as abraçar. Nós o imitamos e demos um apertado abraço em grupo que durou pelo menos um minuto.

Quando nós separamos, a familiar atmosfera de felicidade nos rodeou e todos sorriamos.

-Te custou dizer oppa, não foi?- o Chanyeol perguntou à Ava.

-Não imaginas o quanto.- Todos rimos e pegamos nas nossas coisas para irmos embora.

***

Estávamos todos ocupados no seu canto.

O D.O. e o Kai dormiam bem abraçados assim como o Sehun e a Cass. Como a Ava estava sentada no colo do Chanyeol a dormir, o Xiumin estava ao lado do Chen à ver um vídeo qualquer enquanto o Suho e o Lay iam na frente a conversar sobre alguma coisa.

-Podes dormir comigo hoje?- eu olhei a Abby que brincava com a minha mão. -Eu tive um pesadelo ontem à noite e só voltei a dormir por que a Ava ficou comigo a noite inteira.-

Será por isso que a Ava não dormiu durante a noite?-

-Se assim o quiseres, por mim tudo bem.- eu sorri e ela entrelaçou os nossos dedos.

-Obrigado por me fazeres rir hoje.-
-Eu não fui o único responsável.- ela apertou a minha mão.

-Eu sei, mas foi muito importante para nós sentir que tínhamos alguém que quer o nosso bem.-

-Eu só cumpri a minha obrigação como namorado.- eu beijei a sua testa e aproximei-me mais dela.

-Então eu vou cumprir a minha de namorada e dar-te um milhão de beijos. - ela começou a encher a minha cara de beijos e eu ri pelo seu comportamento.

Eu a abracei para que ela parasse e aproximei a minha boca do seu ouvido que só ela ouvisse o que eu iria dizer.

-Eu te amo, Abby. Eu estarei ao teu lado nos maus e bons momentos.-


Notas Finais


Já estava na hora de um pouco de alegria. Muita tristeza não faz bem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...