História Deixa - Capítulo 20


Escrita por: ~

Postado
Categorias Austin Mahone, Demi Lovato, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Camren, Normanih
Exibições 118
Palavras 1.787
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drabs, Drama (Tragédia), Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Primeiro, desculpa pela demora a postar, estava sem not e não tinha como acessar.
Segundo, deem play na música quando for pedido.
Boa leitura!

Capítulo 20 - Melhor sorriso


Lauren: 

Sabe quando tudo parece que está em câmera lenta? Foi assim que me senti quando a Camila chegou, eu sempre gostei de ter tudo sobre controle mas essa situação estava mais do que fora de controle, e aconteceu tão do nada que não sabia nem como resolver tudo aquilo, eu acho que se alguém tivesse assistindo aquela cena deveria estar se mijando de rir, porque eu não sabia o que fazer, simplesmente tirei a Lucy do meu colo e fiquei com a boca aberta encarando a Camila. Meu cérebro simplesmente parou porque eu sabia que seria quase impossível de explicar isso pra ela sem que fique algum mau entendido. Antes que eu consiga falar algo, ou antes que uma mosca entre na minha boca que eu não conseguia fechar por mais que me esforçasse, a Camila saiu correndo e só volto a raciocinar quando estou quase perdendo ela de vista, única reação que eu tenho é ir atrás dela, pego meu capacete e saio correndo atrás dela, só a alcanço quando saímos do shopping, penso em agarrar seu braço mas isso só ia fazer ela ficar mais puta ainda, então paro na frente dela, e quando ela levanta o rosto pra me encarar percebo que ela esta vermelha e com um olhar de tanta raiva que se ela tivesse visão de calor tinha me matado, e ela se joga nos meus braços sim, ela pula em cima de mim e me abraça, o que faz com que eu derrube meu capacete e celular pra poder segurar ela. 

-Por que você fez isso comigo? Por causa do Austin não foi? Me desculpa – ela sussurrava sem sair do meu colo, ela não tinha que me pedir desculpa. 

-Mila, eu não tenho nada com ela, foi tudo um grande mau entendido, vamos conversar por favor – quando falo isso ela se solta do meu pescoço e desce do meu colo, e me encara, pego minhas coisas que estavam no chão e percebo que quebrou a viseira do capacete. 

-Desculpa – ela fala tão baixo que por um momento penso que era coisa da minha cabeça. - Eu pago pelo quebrado. 

-Está tudo bem, vem comigo? - ela acena com a cabeça e me da a mão. Sigo com ela até a minha moto,  e ela me olha sem entender. Entrego o capacete e ela coloca. 

-Desculpa, aconteceu um incidente e acabou quebrando – isso faz com que ela de uma risada – eu vou te levar num lugar. 

-Lauren, meu carro está aqui e outra se você for me sequestrar? - isso faz com que eu sorria pra ela. 

-Pode confiar em mim, e se acontecer algo com você enquanto estiver comigo a Dinah me mata. - entrego minha jaqueta e ela coloca, mas antes sente meu cheiro e eu percebo o que faz com que ela fique corada, e ela estava linda com minha jaqueta de couro, que era quase um bebe pra mim, mas tinha que concordar que ela estava mais que linda. Subo na moto, e ela sobe atrás um pouco desleixada, o que me faz lembrar que apesar do corpo de mulher que ela tinha, ela ainda era novinha, quando ela termina de se arrumar sinto que estava distante de mim, puxo ela pelas pernas que faz com que os peitos dela fiquem amassados nas minhas costas, ela ri com isso e consigo ouvir, coloco as mãos dela na minha cintura, quando arranco com a moto só falta ela quebrar minhas costelas de tanto que apertou, e quando sentia que ela estava se acostumando acelerava, só pra sentir ela me apertar mais o que me faz rir, quando estaciono na frente de onde íamos ela só falta correr pra longe da moto, o que me faz rir mais ainda. 

 

Camila: 

Senti que todos os órgãos do meu corpo fossem sair pela minha boca quando desci daquela moto do mal, minhas pernas estavam como gelatina, tiro o capacete e entrego pra ela que me encarava sorrindo, como se eu fosse algum daqueles vídeos de criança fazendo algo fofo. Quando paro pra ver onde estávamos, eu conhecia o lugar, era o prédio do meu pai, não entendia porque ela tinha me trazido ali,  ela se aproxima como se fosse me beijar ou algo do tipo mas ela vem pra pegar algo no bolso,  e tira um bolo de chaves, procura uma e abre a garagem que dia de sábado como a empresa ficava fechada não tinha nem porteiro, ela empurra a moto e some quando o portão fecha, e percebo que ainda estava com a jaqueta dela, cheirava a ela, e aquilo tinha tantos bolsos que não sabia como ela conseguia se achar, sinto o celular dela vibrando ,e não consigo conter a curiosidade e dou uma  aperto o botão pra tela acender, e vejo uma mensagem da mulher da minha vida que estava desejando um bom dia e da cachorra que reclamava que tinha acordado sem ela, antes que possa pensar em alguma merda, ela aparece na porta. 

-Desculpa a demora, não achava a chave – ela balança aquele monte de chaves, e sorri pra mim, e vê o celular na minha mão, e me estende o braço pra que entregue pra ela, quando olha pra tela sorri, pede um minuto pra poder fazer uma ligação, e por um momento paro pra refletir porque ainda estava ali, mas ela guarda o celular no bolso da calça sem fazer a ligação. 

-Bom senhorita Cabello, te convido a entrar no Cabello´s Building – por um momento eu sorrio, e aceito entrar mesmo assim.  

-Eu nunca tinha vindo aqui sem todo aquele movimento – eu nunca tinha visto aquele prédio vazio, e era incrível. 

-Bom senhorita, vamos começar o seu tour pelo prédio, como assistente do seu pai eu ganhei uma chave da empresa, mas ele me entregou a chave com um pedido de usar quando precisasse, venho aqui quando preciso pensar. Você pretende seguir a carreira do seu pai Camila? - ela me olha curiosa, aceno que não com a cabeça - imaginei que não, seu pai é apaixonado por esse prédio, e eu também, mas vou te mostrar meu lugar favorito - ela caminha até o elevador, e eu a sigo. 

 

Lauren: 

Eu precisava conversar com ela, mas também precisava que ela confiasse em mim, e o jeito que achei pra ela confiar foi mostrando algo que era especial pra mim. O tempo dentro do elevador é em silencio total, a Camila ainda estava com minha blusa, e me faz dar uma risada o quanto ela parecia pequena, e estava totalmente confortável.  

-Chegamos. 

-Mas esse é o andar do escritório do meu pai. 

-Na verdade, quase chegamos, vem comigo – nisso  seguro a mão dela, e arrasto ela pra dentro do escritório do senhor Ale, quando abro a janela ela fica com cara de o que, sem entender e quando puxo a escada de incêndio ai que ela fica sem entender nada. 

-Você confia em mim? - ela apenas concorda com a cabeça, e a puxo comigo pra fora da janela e ela se agarra em mim com medo de cair da escada, isso só faz com que eu ria, e subo e ela sempre grudada na minha mão. 

-Pode me soltar? 

-Claro, desculpe – ela fica corada e isso faz com que eu a ache mais linda ainda. 

PLAY NA MÚSICA - https://www.youtube.com/watch?v=AywW5r2yXq4

-Bom, aqui é um dos meu lugares favoritos, e agora que parei pra pensar bem no porque te trouxe aqui não sei mais o motivo real, achei que tu fosse gostar, sei que tu pode achar estranho por ser em cima de onde eu trabalho, mas essa vista é maravilhosa.

-Realmente Laur, é vista é linda. – ela estava encantada, e eu me encantava mais ainda por ela.

Camila:

Aquilo era maravilhoso, eu já tinha viajado pra muitos lugares, visto algumas coisas maravilhosas, mas não podia imaginar que tinha algo tão bonito tão próximo de mim, eu queria tanto agradecer a Lauren por ela ter me mostrado aquilo, e percebo que toda a minha raiva tinha ido embora.

-Como você descobriu isso?

-Uma vez estava com problemas em casa, e tive um ataque de ansiedade, e acabei parando aqui e de repente parou, ai sempre que preciso pensar eu venho aqui.

-Da pra ter uma visão de toda a cidade Laur, de noite deve ser lindo.

-Eu nunca vim, podemos marcar algo, se tu quiser claro. – e de repente vejo a Lauren que conheci na minha casa, pouco confiante e isso faz com que eu me sinta mais leve,

-Quando você quiser é só me chamar.

-Seu pai me falou que você não vai querer assumir a empresa, por que ?

-Eu não sei se arquitetura é pra mim.

-Quando eu decidi fazer arquitetura foi meio que aleatório, eu sempre quis deixar minha marca no mundo, pessoas vem e vão, queria deixar algo que fizesse as pessoas lembrarem de mim, e qual modo melhor do que um prédio? – ela fala sorrindo.

-você esta certa, nunca tinha visto por essa maneira- e depois disso o silencio reina, percebo que ela estava numa briga interna.

-Olha Camila, eu te devo desculpa, a Lucy foi uma coisa de uma vez e eu nã faço ideia de o que foi aquela cena no shopping, eu fui com a intenção de me encontrar com você e do nada ela apareceu.

-Eu acredito em você Laur, minha prima é bem atirada.

-Calma! Sua prima? – ela pergunta quase gritando, sem entender.

-Sim, minha prima, nem parece né – ela concorda com a cabeça enquanto olhava pro nada – bom você já se explicou, agora é minha vez, o Austin não é meu namorado, bom não mais, terminamos e ele não anda aceitando muito bem, na verdade uma coisa que ele não está fazendo é aceitar bem, aquele fdp bateu no meu carro. – e isso que eu falo faz com que ela comece a rir – qual a graça Lauren?

- Você pisca quando fala palavrão, é uma princesa mesmo.

-Eu não sou princesa Lauren.

-Sim você é, e agora está no seu castelo de 35 andares.

-Lauren para por favor.

-Tudo bem Camila. – e assim o silencio ensurdecedor volta.

-Camila, me desculpa, eu não queria só não sei o que acontece quando estou com você, tudo parece diferente, me sinto diferente.

-Eu também Lauren, também me sinto assim, nunca tive vontade de ficar com nenhuma garota e agora que você apareceu está tudo confuso, nunca me senti assim. – ela vem me abraçar e eu me encaixo perfeitamente no peito dela.

- você ainda esta com a minha jaqueta Camz.

-é que seu cheiro é bom Lolo.

-obrigada eu acho – ela sorri pra mim. – Camz

-Oi Lolo.

-Eu acho que posso gostar de você.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...