História Deixa eu amar você - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Malhação
Tags Gune, Malhação
Visualizações 786
Palavras 765
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiiiieeeeeeeeeeeeee voltei!!!!!
Espero que gostem desse capítulo pq eu gostei muito!!

Capítulo 14 - Entender...


Guto

Fui pego de surpresa com a pergunta de Benê. Ela parecia bem brava, e nem sei como aquilo tinha chegado ao ouvido dela, até olhar e ver Lica. Esqueci que Felipe e ela não se desgrudavam. As meninas saíram e nos deixaram a sós.

- Desculpa, eu precisava conversar com alguém. – Falei, sendo sincero e me sentando ao seu lado. Ela ficou me encarando. – Não precisa ficar nervosa, não foi nada demais, só falei que nos beijamos. – Ela pareceu ir se acalmando aos poucos.

- Tudo bem. – Falou, mas sua expressão de tristeza se mantinha ali, e eu não queria vê – la daquele jeito. – Vamos tocar. – Se levantou, mas eu puxei sua mão, a qual ela tirou na mesma hora.

- Ta tudo bem mesmo? – Perguntei, e ela começou a chorar. Era muito difícil vê – la chorar e não poder abraçar, confortar.

- Eu to com uma dor aqui dentro muito grande.  – Apontou para o peito e eu não entendia. – Ta doendo muito. Eu não sei o que está acontecendo, só quero que pare de doer. – Ela andava em círculos e aquilo estava me deixando nervoso.

- Ei, calma, porque ta doendo? – Perguntei, me aproximando, e tentando faze – la parar de andar.

- Não sei. Só dói toda vez que eu lembro do nosso beijo e de quando nos abraçamos e de como eu fico quando me tocam. Eu não queria ser assim, queria pode abraçar quem eu gosto. – Falou sincera. Limpei com meu polegar suas lágrimas. – A Lica me falou que você ta confuso, mas eu sei que não é isso. – Não entendi o que ela queria dizer. – Eu sei que você nunca ficaria com uma menina como eu, doente! Foi por isso que você disse que não ia se repetir! – Ela disse. Fiquei chocado de como ela sofria por causa daquela doença.

- Eu estou confuso por outros motivos Benê, não porque você é doente. Eu não quero estragar a amizade que temos, por isso eu disse aquilo.  – Falei sério e ela me encarou. Estávamos próximos, e eu queria beija – la, precisava beija – la. 

                Fui me aproximando aos poucos, sentindo sua respiração bater em meu rosto. Não conseguia desviar meu olhar do seu, era como um imã. Uni nossos lábios com calma, só lábio com lábio. Abracei sua cintura com cuidado e a trouxe para mais perto de mim. Senti quando ela entreabriu os lábios, ansiando um beijo de verdade e sorri com isso, afinal, ela me queria. Nosso beijo se intensificou quando nossas línguas se encontraram e a mão dela veio, tímida, até o meu cabelo. A apertei mais contra mim e de sua boca saiu um gemido rouco. Começamos a sentir falta de ar e nos soltamos, porém eu não queria solta – la.

- Eu não vou te pedir desculpas por isso. – Falei e sorri, vendo – a sorrir também. – Você fica linda corada assim sabia. – Ela sorriu, ainda mais envergonhada. – Vamos tocar? – Ela assentiu e fomos para o piano. Ficamos lá por algum tempo até que Benê começou a conversar comigo.

- Você vem amanhã não vem? – Perguntou inocentemente. Assenti e ela continuou. – Vai usar qual fantasia?  - Ela dedilhava o piano.

- Acho que venho de príncipe, o que você acha? – Fiz uma pose engraçada e ela riu. Era bom ouvir um sorriso dela, após ter a visto chorando. – E você?

- Não sei ainda, não consegui pensar em nada. – Falou e voltou a olhar para o piano. – Tem outra coisa que eu queria falar com você. – Falou e eu fiquei a olhando, louco de vontade de beija – la novamente. – Eu chamei o Luca, o menino da reunião. – Meu rosto ficou tenso, e ela me olhou com um pouco de receio, mas eu sabia que não tinha o direito de brigar ou falar nada, afinal, ela podia ter amigos.

- Ah sim, ok. – Falei e tentei sorrir. – Vamos pensar na sua fantasia. – Falei e ela assentiu, animada. – Podia ir de princesa.  – Ela fez cara de que não gostou. – índia? – Negou – bruxa?

- Queria algo que combinasse comigo, mas acho que nada combina. Só se eu for com um piano na cabeça. – Comecei a rir da frustração dela. Ela sentou irritada no piano, bufando.

- Você parece um anjinho sabia. – Falei e ela pareceu adorar a ideia. Adorou tanto que me deu um selinho e depois ficou tímida. – Nossa, acho que vou falar essas coisas mais vezes. – ri e ela pareceu ignorar meu comentário.

- Vou usar fantasia de anjinho! – Falou feliz e eu fiquei rindo de como ela conseguia ser menina e mulher, e como eu gostava dessa garota.


Notas Finais


Gente, eu coloquei a Benê sofrendo pela doença, pq eu acho que ainda é uma notícia mto recente na fic e ela ficaria mal ainda.
Espero que tenham gostado!!!
Qualquer crítica, estamos aí!
Beijinhos *_*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...