História Deixe-me entrar ! - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jihope, Namjin, Taegi, Taeseok, Taeyoonseok, Vhope, Yoonseok
Exibições 163
Palavras 2.462
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olha o nosso TaeSeok de cada dia começando a aparecer, na realidade demorou litros, mas enfim. Vamos que vamos, sem deixar de lado o Yoonseok que reina em 60% nessa fick.
E quem aqui viu o beijinho que o Tae deu na cabeça do Hobi em um show? Gente, morta com isso.

Capítulo 15 - Primeiro contato


Fanfic / Fanfiction Deixe-me entrar ! - Capítulo 15 - Primeiro contato

Todos olharam a cena perplexos, o tom de espanto dos três ali presentes não era maior ali do que o sentimento de saudades que reinava no peito de Min Yoongi. Hoseok sentiu seus lábios serem selados de uma forma doce e cheia de saudades. A língua dos dois se permitiam entrelaçar, assim como o mais baixo se deixou ser trazido mais pela cintura pelo outro. Seus mãos tocavam o rosto de seu garoto com uma precisão impar. Como se quisesse entender que tudo estava no lugar. Seus fios pretos eram acariciados com um pouco de malicia e o Min nem ao menos se importava se havia ou não uma planteia ao seu redor. Suas mãos passeavam, agora pelas costas do outro, sentir seu corpo junto ao do mais novo era o seu maior prazer. Deixou um gemido baixo escapar quando sentiu seu tronco mais próximo ao de Hoseok. Se pudesse, ah se pudesse, arrancaria as roupas do seu menino e se entregaria a ele ali mesmo. Mesmo ansiando ele sabia que logo era isso que aconteceria. Tudo que ele queria era apenas sentir mais do seu garoto. Queria saber que ele era somente dele, e que ali não haveriam pessoas que o pudessem roubar. Queria que ele soubesse que seu amor era algo maior do que todas aquelas barreiras que o cercavam. Já o moreno estava feliz, animado e até esperançoso em poder ter tudo de volta. Ele sentia que seu mundo estava sendo devolvido aos poucos e que logo estaria em casa novamente junto com seu hyung. Que se entenderiam e que ele poderia saber se Park Jimin estava bem. Ele querendo ou não havia se viciado no mais velho, não com a mesma intensidade de que com Min Yoongi, mas sentia que precisava cuidar do outro. E tinha JungKook, ele se preocupava demais com seu amigo e ao mesmo tempo sabia que ele cuidaria do seu namorado até que todo esse mal entendido acabasse, porque era isso que era para o outro. Um grande mal entendido, um grande descontrole da mente de seu amado hyung. Porém ele não entendia completamente como o gelo do coração do outro funcionava. Estava em perigo constantemente mesmo achando que tudo estivesse em paz.

NamJoon e Jin não tinham coragem de interromper aquele momento. Os dois aos poucos entendiam o que Jung Hoseok era para Min Yoongi e não os culparam por estarem sem um pingo de pudor e nem queria que aquilo fosse cortado. Sabiam do peso da saudade e entendiam que quando se ama não se mede tempo ou espaço. O osculo foi interrompido e o mais velho sorriu abertamente. Era incrível como um rapaz, até dias atrás desconhecido fazia de alguém como o Yoongi uma pessoa completamente frágil. Passivo a todos os sentimentos que até outrora não eram mostrados pelo mesmo, nem conhecidos pelos Kim. TaeHyung estava estava estático. Não sabia como reagir e nem muito menos o que dizer. Sua mente estava em um conflito maior do que ele mesmo pudesse comportar. Respirou fundo ao ver que os dois haviam se separado e achou adorável o jeito como o mais novo dentre eles ruborizou. Se sentiu atraído pelo jeito doce com que ele se encolhia nos braços alheios e quis, mesmo tendo sentimentos pelo Min, provar do que o outro havia provado mais cedo. A boca de Hoseok era tão boa assim? Ele precisava saber. Precisava compreender porque alguém como seu hyung se sentia tão preso e a ponto de fazer mil loucuras. Algo de muito tentador havia nele, algo que valia a pena se aventurar. E ele decidiu que logo iria descobrir.

- NamJoon, preciso conversar com você. - Yoongi voltou rapidamente a realidade e puxou o mais alto dos Kim para o quarto. Enquanto isso os outros dois e Hoseok ficaram na sala.

- Queria perguntar umas coisas Seok, você se importa em responder? - Jin, mais curioso chamou o mais novo para o pequeno sofá. TaeHyung se sentou do outro lado, visivelmente curioso.

- Pode perguntar a vontade. - o mais novo estava corado, mas não se recusaria a responder nada.

- Você e o Yoongi-ah namoram? - a pergunta foi jogada do nada. Realmente era algo que nem ele mesmo sabia responder, pensou bem se no que dizer. Se seu hyung confiava naquelas pessoas ele também confiaria. Assim respirou fundo e em um tom baixo começou a tentar explicar o que tinham. Quem sabe, Jin por ser mais velho do que todos pudesse compreender.

 

- Entendeu tudo Nam? - Yoongi disse pela décima vez, antes de retirar da carteira algumas notas. Seriam usadas para comprar alimentos para os Kim e para o Jung. Inclusive Yoongi deu instruções para que algumas coisas especiais fossem compradas para o mais novo.

- Claro que sim hyung, pode deixar que eu vou cuidar bem do seu...Bem...seu...O que ele é mesmo seu?

- É minha vida.

Yoongi se despediu de Hoseok, mas dessa vez de forma mais casta e contida, deu um meio abraço em TaeHyung. Ele retornaria juntamente com NamJoon e Jin, eles cuidariam de pagar os traficantes e pegar os pertences de Tae, já que ele passaria essa semana junto com Hoseok, até que as coisas se acalmassem mais para não dar muito na vista aquele sequestro. Ato esse que o mais novo não entendia. Os verdadeiros problemas iriam começar a partir do momento em que Hoseok quisesse voltar para Jimin. Para ele e por ele voltava para casa com os outros, mas não quis ainda contestar as decisões de seu hyung. Pensou consigo mesmo que tudo aquilo era apenas um capricho momentâneo do seu mais velho. Esperaria que ele voltasse depois e lhe explicasse melhor tudo aquilo. De fato Yoongi viera apenas para combinar as coisas, nem ao menos matar suas saudades direito ele pode. Mas estava contente e animado por ter tempo. Pois não estavam em seus planos devolver o Jung para a sociedade. Aquele garoto era dele e somente dele. E isso ninguém o poderia tirar.  Mas por enquanto ele faria de tudo para que o mais novo pensasse que estava tudo bem.

***

- Yoongi hyung trouxe comida, vou cozinhar alguma coisa pra nós. - Taehyung dizia ainda um pouco sem jeito. Depois de tudo que vira e ouvira do outro, ainda não havia encontrado a melhor maneira para reagir. Estava sim apaixonado por Min Yoongi, mesmo que soubesse que seus sentimentos eram difíceis de serem alcançado. Ainda mais agora. Contudo não conseguia sentir raiva do outro. De uma maneira estranha ele se sentia atraído e se havia algo que ele não gostava de ter eram dúvidas. Sempre fora decidido e não era daqueles que fugia de uma situação.

- Quer ajuda? - perguntou o Jung ainda meio sem jeito. Era um rapaz até um tanto tímido, não por querer, mas por ser privado de conseguir se socializar corretamente. Seu hyung era um vigia incessável.

- Você sabe cozinhar? - o outro disse selecionando alguns ingredientes. Na casa não havia apenas um pequeno frigobar. Trazido pelo mais velho, ele já deixara várias coisas providenciadas em seu carro antes de ir até o cativeiro de seu amado. A casa só possuía energia elétrica por conta de um gerador que estava posto depois dela. Onde sua manutenção era feita uma vez a cada dois meses, já que como as visitas ao local eram escacas a energia servia para os dois meses. Contudo Yoongi tinha em mente que teria de abastecer o local mensalmente. Já que os seus planos iam mais além do que simples semanas. Aquele local era aonde o avó materno de Yoongi ia quando queria pensar um pouco se isolar. Sempre levava o neto ao local, mesmo contra gosto dos pais. Que achavam que aquilo era rustico e ultrapassado demais para um Min. Contudo o menino amava aquele local. E mesmo depois da morte do avó, fez questão de visitar a casa, não com a mesma frequência de antes, mas fazia de tudo para estar lá. Sempre teve vontade de levar Hoseok para ir junto. Mas não queria que os pais descobrissem o que ele era. Nem ao menos queria que notassem que seu amor pelo garoto que fora adotado era real. Ele era frio e não gostava que seus sentimentos fossem passados para qualquer um. Achava que seus pais não mereciam que ele lhe mostrasse seu melhor lado. E não mostraria. O que ele tinha de bom pertencia a Hoseok e agora um pouco disso pertencia aos Kim.

-Sim eu sei. Eu e minha irmã quem cozinhávamos.

- Pensei que na mansão dos Min houvesse cozinheira. - Tae riu-se e observou o outro que já estava chegando perto de si. Perto demais. Aquilo o deixava nervoso.

- E há, só que eu ajudava elas de vez enquanto. Além de que eu gosto de preparar sempre algo para mim e o hyung comermos. Cozinhar me acalma.

- Engraçado, Jin hyung diz a mesma coisa. - o Kim riu de novo, mais de nervoso do que realmente por aquilo ter alguma graça. Já que agora o Jung estava ao seu lado, lhe auxiliando a cortar alguns legumes. E ele observando o mais novo percebia o quanto ele era habilidoso. Melhor mesmo do que ele. Deu de ombros e aceitou a ajuda. Terminariam mais rápido e consequentemente comeriam logo.

- Eu achei ele muito legal. - confessou o mais novo.

- Ele é. Meu irmão teve sorte de achar alguém assim pra ele. Eu também queria alguém assim pra mim. - as palavras saíram por impulso e ele se sentiu envergonhado. Mas o outro não lhe passou insegurança e apenas esperou que ele prosseguisse. - Sabe, deve ser bom. Não sei, eu nunca namorei.

- Eu entendo.

- Você é bem disputado eim garoto? - soltou a piada esperando que ela tivesse alguma graça.

- Eu não sei porque. Não vejo nada em mim que seja assim tão especial. - completou com um sorriso que fez o outro perder seu foco. Serio mesmo que ele não sabia o que tinha? Parecia um ímã para os outros e consigo não era diferente. - hyung eu terminei, quer ajuda ai?

- Pode me chamar de Tae. - disse o outro sem jeito. Realmente o garoto era bom. - Só porque você é comportado eu deixo você terminar a minha parte. - Hoseok corou um pouco e se dispôs a fazer a parte alheia. Enquanto o mais velho se ocupava em acender o fogão a lenha. Queria qualquer coisa que expulsasse de sua mente a vontade de provar daqueles lábios cheinhos.

 

 

-Confesso que está uma delicia moço, você realmente é bom em cozinhar. - Hoseok riu. Estava contente com o elogio alheio.

- Obrigado Tae hyung.

- Vamos ver como nos ajeitaremos aqui. Só temos um quarto. Eu fico com esse sofá. - disse o mais velho meio que sentindo de longe a dor nas costas que teria. Yoongi trouxera futons para os Kim, mas o mesmo ainda não se sentia tão a vontade em dividir a ocupação com o mais novo. Já Hoseok protestou mentalmente. Ele detestava dormir sozinho. Desde sempre dormia com alguém. Fosse sua falecida irmã, sua mãe ou mesmo seu hyung. E até Jimin. Não dormia sozinho e sentia que seria um audácia pedir que o outro fizesse isso. Não sabia se o outro poderia lhe fazer esse mimo.

- Yoongi hyung não trouxe futons? - perguntou terminando seu jantar.

- Sim. Ele trouxe. - Tae ficou sem saber o que usaria como argumento caso o garoto perguntasse porque não dormia no mesmo quarto que ele. Apenas se concentrou na comida, pedindo internamente que o outro se desse por vencido em seu questionamento.

- Dorme lá então. Acho que vai fazer frio e pelo menos ali parece ser mais quentinho. - Hoseok disse em um tom tão doce.

- Você tem razão. - o outro concordou mesmo se lamentando por dentro.

Depois de comerem e lavarem os utensílios que usaram na refeição eles se encaminharam para o quarto. O mais velho providenciou uma roupa mais leve para ambos, já que o loiro quem trouxeram algumas coisas. Hoseok recebeu a sua e ali mesmo sem muitas delongas ele começou a se trocar. TaeHyung ficou parado observando o moreno que inocentemente tirava aos poucos sua roupa. Primeiro a blusa e depois a calça que usava para dar espaço a um moletom mais confortável. O corpo do outro era bastante atraente. Bem formado para um rapaz de dezesseis anos. Seu olhar não conseguia se desprender do mais novo. Era atraente, muito atraente.

- Hyung? Hyung?

- Oi. - Tae se surpreendeu com o olhar inocente do mais novo sobre si.

- Quer dormir comigo?

- Como assim? - ambos coraram com a entonação assustada do outro.

- Deixa eu te explicar, não é bem isso que está pensando, eu acho. Nossa, eu não sei como te fazer entender.  - Hoseok balançou as mãos no ar em tom de negação. - Eu só tenho uma mania feia. Me perdoe hyung, esqueça por favor. - o moreno se sentou na cama e baixou a cabeça mexendo com os dedos sem jeito. Se sentiu idiota pelo pedido. Queria se explicar, mas não sabia como.

- Pode tentar me dizer Hoseok. - TaeHyung se sentia hipnotizado por aquele jeito. O que mesmo aquele garoto tinha que o deixava assim?

- Eu tenho o costume feio de dormir com alguém. Dormia com meus pais, com meu hyung e com Jimin. Que merda eu estou dizendo. Desculpa hyung, você deve achar que eu sou uma criança mimada. Posso garantir que não sou assim. É algo que me acostumei desde criança. - Hoseok se sentiu quente de vergonha, o que ele era? Uma criança de seis anos? Tampou o rosto  com ambas as mãos evitando o contato visual com o mais velho que o olhava. Maravilhado? Sim, era bem isso que ele sentia. Se sentia completamente encantado pelo jeito do outro. E pensou consigo mesmo que aquilo era muito envolvente. Sem pensar muito ele terminou de se trocar, pondo a blusa, que era a ultima peça que faltava em seu corpo. Caminhou ate o outro e sentou-se na cama de frente para ele. Retirou de leve as mãos do outro da face que achava tão bela e atraente. Suspirou ao ver que  o outro estava um tanto envergonhado. Balançou a cabeça tentando espantar o sentimento que lhe consumia. Esperou que o outro olhasse em seus olhos. Aquele tom de castanho tão brilhante e quente, que o derretia inteiro, aqueles lábios bem formados e até um singela pinta acima do lábio. Tudo era filmado por si, tudo lhe atraia de maneira impar. Lindo.

- Hyung...- o mais novo tentou dizer, mas teve seus lábios calados por um beijo.


Notas Finais


o que acharam meus amores? Contem aqui pra Unnie.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...