História Deixe-me entrar ! - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Jihope, Namjin, Taegi, Taeseok, Taeyoonseok, Vhope, Yoonseok
Exibições 167
Palavras 2.492
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá pessoas lindas que eu amo litros, como tem passado?
Bem, sem muitas delongas vou deixa-los ler.
Hoje o capítulo está repleto de tretas e mais tretas. Então segurem o coração.
Boa leitura,

Capítulo 16 - Pequenas grandes ameaças.


Fanfic / Fanfiction Deixe-me entrar ! - Capítulo 16 - Pequenas grandes ameaças.

Ele sentia que estava fazendo a coisa mais errada que poderia fazer em sua vida. Mas ao mesmo tempo seu corpo e sua mente pediam por isso. Pediam por mais contato com aquele corpo que tremia em resposta ao beijo repentino, que de inicio era ele quem estava fazendo sozinho. Já que o Jung não estava o correspondendo. E aquilo o deixou um tanto orgulhoso do rapaz. Soube na hora que ele não seria capaz de trair Yoongi. Mas ao mesmo passo se sentiu mal, queria que o outro deixasse sua língua tomar a sua. Mas isso não demorou muito a acontecer. Tomado por uma agonia e uma estranha sensação Hoseok deixou que o outro tomasse sua boca, que brincasse com sua língua e a chupasse lentamente. Seus olhos permaneciam fechados, queriam apenas enxergar com suas dermes, que se buscavam e se conheciam, os dois sentiam suas bochechas ficarem rubras, mas amavam o contato e queriam sentir mais de toda aquela sensação proibida que se alastrava por seus seres. Seus narizes se roçavam em um carinho bobo, assim como as mãos do mais velho se emprenharam na nuca do rapaz, afagando ali e lhe dando a sensação de que ele não queria fazer ao outro nenhum mal. Os lábios antes frios pelo clima, estavam agora quentes e bem molhados, leves estalares eram soltos de leve, quando o osculo era interrompido para ser preenchido bom selares. Os lábios se chocavam com vontade e ao mesmo  tempo uma pitada de carinho. TaeHyung agora estava mais próximo do outro e de leve, sem querer assustar o moreno ele o puxou mais para si. Desviou sua atenção da boca a alheia, só para dar selares na bochecha nariz, olhos e testa do outro. O Kim não sabia o que era aquilo e nem muito menos porque estava tão desesperado para ter sua pele em contato com a do outro. Mas tudo o que conseguia fazer era acariciar aquela derme morna, logo não demorou a tomar os lábios do outro. Que agora, parecia mais solto. Nunca sentiu aquilo que estava sentindo no momento em que o mais velho lhe tomou. Era como se estivesse beijando o próprio Min, mas com uma intensidade diferente. TaeHyung parecia mais dependente dele do que ele do outro. Hoseok se atreveu a colocar os braços ao redor do pescoço do outro. Eles estavam sentados de frente um pro outro, mas não por muito tempo, já que o Kim, puxou o moreno levemente e logo o Jung estava sentado em seu colo, com uma perna de cada lado. Aprofundando ainda mais aquele beijo que insistia em não querer se findar. Nem com Jimin aquilo acontecia. Ele sentia que beija-lo era bom, mas nada que ele quisesse fazer por muito tempo, porém com Tae era diferente, a boca alheia parecia ter uma especie de doce inebriante que o deixava atraído e rendido. E o mesmo acontecia para com o mais velho, que se antes tinha sonhos de beijar Min Yoongi, agora só tinha vontade de ter Jung Hoseok tocando em si. Queria que o moreno  fosse mais atrevido, já que seu corpo estava praticamente implorando por sentir mais daquele rapaz. Um pouco de saliva escorria pelo canto da boca do mais novo, sentia um pouco de dormência nos lábios, mas estava tão bom que ele nem ao menos estava ligando pra isso. Tae poderia dizer o mesmo e um pouco mais. Chupou a língua alheia com mais vontade, ouvindo um gemido sôfrego do mais novo em sua boca. E esse por sua vez se sentia completamente desperto. Estava se sentindo um enorme traidor por isso, pensou em seu hyung imediatamente. Já que seu membro estava pedindo para ter mais contato com o do outro que estava tão desperto quanto o seu. Delicadamente ele afastou-se da boca alheia. Tae apenas resmungou e fez um bico, se sentiu tão infantil que nem sequer notou quando o outro já estava fora de seu colo. A falta que o peso daquele corpo lhe trouxe foi impactante. Nunca alguém lhe despertara tantas sensações assim ao mesmo tempo. Estava completamente seduzido pelo menor e agora conseguia compreender porque Min Yoongi estava tão desesperado em ter somente para si Jung Hoseok. Suspirou e pela primeira vez em anos sentiu vontade de chorar. Estava passando por tantas e tantas coisas ao mesmo tempo e ainda tinha mais essa sensação agora. Essa vontade de se entregar a um completo estranho que não podia lhe pertencer. Se sentiu um completo ridículo.

- Me desculpa Hoseok eu...

- Tudo bem hyung, você não me beijou sozinho. - o mais novo estava confuso e ciente do que havia feito. Não achou aquilo correto. Estava traindo Yoongi e Jimin ao mesmo tempo. Se sentiu um tanto sujo, mas ao mesmo tempo estava feliz. Estranhamente feliz. TaeHyunh o atraia de uma maneira que ele não conseguia controlar. De uma forma que não tinha explicação. E nesse momento ele teve medo. Mas juntou coragem e ergueu a cabeça e fitou aquelas orbes castanhas intensas, assim como os lábios entre abertos e avermelhados. Tentador. Pensou pela primeira vez.

- Eu não quero machucar o Yoongi hyung, sei o quanto você significa pra ele. Droga, Hoseok, me perdoa. Por favor, me perdoa. - o Kim parecia completamente perdido em seu lamento. E aquilo despertou no outro mais um sendo diferente. O de proteção. Além de que suas palavras de não querer machucar Min Yoongi o deixaram completamente encantado. Ele gostava do seu hyung assim como ele? Ele via o que as pessoas não viam em Min Yoongi. Não pode negar que aquilo o deixou feliz. Sorriu simplista e suspirou. Ato esse que chamou a atenção do outro.

- Tudo bem hyung. Eu confesso que o erro foi nosso, completamente nosso. Eu mais do que tudo no mundo não quero magoar o meu hyung. Eu o amo demais. - aquelas palavras doíam ao mesmo tempo que davam alivio ao Kim. Sentiu vontade de sair dali, mesmo sabendo que não podia. - Mas eu confesso que gostei de te beijar. E isso está me deixando completamente confuso. - o Jung se encostou na cabeceira da cama. Mantendo uma distancia do outro. Que sorriu pela afirmação. - A propósito. - suas bochechas ganharam aquele velho tom rosado. Estava tomando coragem para dizer o que queria. - Seu sorriso é lindo. É diferente e me deixa bobo ao olhar pra você;

Kim Taehyung corou, sempre se achou aquele cara frio e duro, onde só demonstrava seu amor para o cunhado, o irmão e para o Min. Porém com o elogio do outro ele se sentiu completamente bobo e uma parte sua cheia de dengos aflorou. Será que estava apaixonado? Seria apenas desejo? Um pingo de luxuria misturado a curiosidade? Ele nem ao menos sabia. Mas desde aquele dia no shopping o outro não saia de sua cabeça. Seu nome ecoava por ela e por mais que sentisse que gostava de Yoongi, o que Hoseok o fazia sentir era dez vezes maior. E isso o intrigava, isso o deixava completamente fora de orbita. Como um garoto conseguiu despertar em si algo que nem ele mesmo queria admitir que sentia? Como aqueles sentimentos foram aflorar justo ali e justo por ele? Estava perdido e sabia. Corria um enorme perigo, mas mesmo assim queria se afogar nisso. Completamente.

Parecendo um felino o mesmo engatinhou até o Jung, o surpreendendo, quando rocou seu nariz na bochecha alheia como um verdadeiro gato e aquilo o desconcertou. Ainda mais quando o rapaz puxou seu lábio inferior com os dentes, o fazendo gemer baixinho. Que intimidade era aquela? Como responder a isso? TaeHyung era como se fosse uma mistura da frieza de Yoongi, com o jeito doce demais de Jimin. Era perfeito, balanceado e o deixou louco, quando em um momento seus olhos se encontraram e outro beijo foi iniciado.

...

...

...

Yoongi andava de um lado para o outro da casa, sendo seguido por um Jimin completamente desesperado. O outro estava um verdadeiro caco. Suas vestes eram postas em seu corpo de qualquer forma. Sua voz saia falha e turva e ele sentia que podia desmaiar a qualquer momento. Já que não comia direito e nem ao menos dormia. As únicas refeições que fazia ou as únicas poucas horas em que dormia eram sobre os cuidados de Jeon JungKook, o moreno cuidava do seu hyung com esmero. Sentindo a falta do Jung assim como ele. E isso o deixava ainda mais atordoado, já que sentia que o melhor amigo do namorado, se sentia tão desesperado como ele. Já se passou um dia completo desde que o rapaz sumira, fazendo com que mais policiais fossem acionados em busca do rapaz.

- Pare de andar assim atrás de mim Park. Está me deixando tonto. - O Min bradou irritado. Desde as sete horas da manhã que o outro estava em sua porta.

- Eu estou deses...Espera, você parece calmo demais. Parece que nem liga pra isso. - os olhos avermelhado de Jimin se focaram com destreza no Min. Ele parecia ter visitou ou pensado algo que o deixou horrorizado. JungKook que estava ao seu lado, visivelmente desconcertado por estar naquela casa se surpreendeu com o que o outro disse. - Foi você não foi? Foi você quem sequestrou ele, não foi mesmo? Devolve agora o meu namorado, seu infeliz. - o rapaz estava cego por sua ira, acusando o outro com total convicção, partindo para cima do loiro que o olhava assustado. De uma forma completamente correta ele acabara por acertar. Tinha de dar um jeito de disfarçar. Seus pais o encaravam com um ar desconfiado. Aquilo não poderia ser pior. Se ele abrisse a boca, ou ao menos denunciasse algo que indiciasse a sua homossexualidade. Ele estaria perdido. E pior, levaria os Kim para o fundo do poço juntamente com ele. Tinha de pensar em alguma coisa. O sequestro estava sendo feito de modo estranho, já que ele não pensava e não queria pedir dinheiro algum e nem muito menos devolver o rapaz. Tudo parecia completamente se planejamento e só agora, sob aquelas acusações sua mente se focou em como ele foi imaturo em suas ações.

- Querido, não pode sair por ai acusando as pessoas sem motivo, meu filho não tem porque sequestrar o Jung. Alias aquele garoto fora criado como seu irmão. Tenho certeza que como irmão o Yoongi deve estar completamente preocupado com o outro, não construa teorias em sua mente, sem um sentido aparente. Isso é calúnia e você deve estar bastante cansado. - a mãe do loiro tentou remediar a situação. Sabia bem do poder que os Parks tinham. E nem queria pensar se o filho estivesse envolvido com isso, e o pior ainda seria o porque de tudo aquilo.

- Você não tem motivos para me acusar disso, eu nem ao menos tenho motivos para ter feito algo assim. - o Min vociferou mais ainda e recuou, já que o mesmo estava quase em cima dele. Só não partiu para a agressão ao outro, pois JungKook o estava segurando. Era incrível ver o outro assim, para o Jeon era como se ele estivesse defendendo o que era deles. Deles, já que sentia que só seriam completos com a presença de Hoseok ali. Decidiu que quando o moreno voltasse ele começaria duas investidas nos dois. E assim seriam felizes juntos. Já que o mesmo estava conseguindo aos poucos um pouco mais de interação com Jimin.

- Você tem mil e um motivos para fazer isso Min Yoongi. - JungKook que estava quieto até então se manifestou em um surto de coragem. Precisava defender o Park.

- Quem é você para acusar meu próprio filho em minha casa? - o patriarca da família se pronunciou. - Ainda mais sendo quem é. Ainda mais sendo essa aberração;

- Aberração? Tenho a plena certeza de que o senhor não deveria tratá-lo assim. Sendo que tem uma aberração, como dizem, sob o seu teto. Sendo tão hipócritas a ponto de permitir que esse ser estupre uma criança quando bem entende.

- O que? O que está dizendo Park Jimin? Não é porque eu respeito você e sua família que tenho que permitir que entre em minha casa a fim de criar falsas acusações sobre meu filho. Yoongi é um Min, ele não seria vitima dessa doença. Ele não...

- Sim, senhor Min. Seu filho é sim vitima dessa doença. E não comente a vitima, como o senhor diz. Ele desfruta dessa doença com unhas e dentes.

- Cala a boca Park. - Yoongi vociferou visivelmente desesperado. Se o outro dissesse coisas erradas seu plano iria por água a baixo. Não somente isso, mas como seus pais perderiam nele a fé e credibilidade, que já não possuíam. Poderia até ser expulso de casa ou pior, muito pior. Ser separado pra sempre de seu menino.

-Quer que eu cale a boca Yoongi? Então me devolva Jung Hoseok agora. Me devolva o meu namorado, o meu homem. Devolva a minha vida de volta. - o outro apontava o dedo no peito do loiro que estava mais pálido do que o normal, além de ser tomado pelo ódio que o consumia. Jimin estava passando dos limites.

- Park Jimin, mesmo com todo respeito que temos com sua família, não poderemos suportar esses insultos em nossa casa. Volte quando estiver bem das suas faculdades mentais. - a única mulher ali se pronunciou em tom áspero.

- Está me chamando de louco? - o rapaz deu um risada alta da afirmação da mulher. - Tem certeza? - pensou melhor no que foi dito e parando de rir, decidiu dizer o que estava engasgado dentro de si. - Ah, claro que tem não é mesmo? Sim, senhora, eu sou realmente louco. Louco por Jung Hoseok em cima de mim, louco por ele me lambendo e me chupando e louco demais pra ter o membro dele pulsante na minha entrada. - JungKook ria baixinho ao mesmo tempo que imaginava a cena. Como ele queria estar no meio desses dois. Seria seu maior prazer. Já Yoongi estava perplexo e completamente transtornado, queria se manter firme e não dar na cara de Jimin, ainda mais depois de ouvir o que ouvira. Uma mentira, uma enorme mentira. Já que o mesmo sabia que os dois nunca fizeram sexo. Sabia que tudo o que fora dito era para retirar sua sanidade.

- Fora da minha casa agora. Não sou obrigado a ouvir essa conversa doentia, de um pleno pervertido. Sua alma vai pro inferno rapaz. Pro inferno. - o homem se exaltou ainda mais. Dano um passo em direção ao Park.

- Assim como a do seu filho, senhor Min. Já que eu desejo Jung Hoseok tanto quanto Min Yoongi o deseja. Assim como eu quero o membro dele dentro de mim, seu filho também quer. Já que antes de mim, ele teve Jung Hoseok dentro dele por muitas e muitas noites. 


Notas Finais


Então, foi isso. O Jimin endoidou de vez.
Como o Yoongi vai sair dessa?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...