História Deixe-me entrar [VKooK] - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Jungkook, Rap Monster, V
Tags Abo, Alfa, Amor, Beta, Bts, Jungkook, Namjin, Ômega, Taehyung, Taekook, Vkook, Yooseok
Exibições 500
Palavras 747
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Suspense, Yaoi
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá, como estão?
Eu estou com sono hahhahah
Bom, boa leitura

Capítulo 4 - Eu, ele e o passado


TaeHyung ‘ s

 

Acordei sentido um ventinho frio entrar pela pequena fresta da janela do quarto. Abrir meus olhos ainda sonolento notando que o JungKook não estava na cama. Levantei lentamente sentindo meu corpo cansado, fui para meu quarto tomar um banho.

A água bateu na minha pele, me dando um relaxamento instantâneo. Fiquei parado debaixo do chuveiro pensando no ômega que agora habitava meu apartamento. Querendo ou não ainda me sentia receoso em pelo aqui comigo.

Porém, ele é um ômega sozinho.

Me questionava, se era realmente uma escolha correta.

Ouvi um leve bater na porta do banheiro.

- Tudo bem? – A voz baixa e suave, me fez encarrar o pedaço de madeira que nos separava.

- Sim, por que?

- Você está aí dentro tem mais de uma hora! – Me apressei em sair.

Desliguei o chuveiro, pegando a toalha e enrolando no meu corpo.

O ômega, olhou na minha direção com as bochechas em tom rosado, ele virou o rosto. Acabei rindo do seu jeito tímido, chega a ser fofo.

- E-e eu fiz seu café da manhã! – Falou com a cabeça baixa, rir anasalado.

- Okay... Só vou me vestir! Ou pode ficar aí e me ver nu. – Levantou sua cabeça, com os olhos arregalados, em segundos ouvi a porta bater e fiquei sozinho no quarto.

Gargalhei, me virando para o guarda-roupas.

Refez o caminho em direção a cozinha encontrando JungKook mexendo nas panelas, fazendo um cheiro delicioso flutuar no ar, ele parecia tão concentrado.

- Tinha alguma coisa? – Questionei, fazia um bom tempo que não ia ao supermercado.

- O seu vizinho deixou, comida em conservar e a comprar do mês.

- Jin? – Já disse que amo aquele ômega, pois é eu o amo.

- Sim, ele falou que daqui alguns dias retorna.

- Ah! Claro. – JungKook me serviu panquecas e com café com leite, ele preferiu um suco de morango e várias torradas.

Comemos em silêncio, ele parecia absorto ao mundo seu redor, comia lentamente. Creio eu saboreando o suco e as torradas, perdido em algum ponto de suas lembranças.

- Onde você viveu esse tempo todo? – Dei um gole no café e ele me fixou.

- Por ai! – Me deu uma resposta vaga.

- Por ai? Isso lá e resposta? – Perguntei.

- Você queria que resposta?

- Uma decente? – Questionei.

- Eu não deveria ter vindo... – Ele sussurrou, como sou um alfa pude escutar.

- Então por que veio? – Kook suspirou.

- Por que me deixou ficar?

- Por pena, dó ou que você quiser achar!

- Pena? Dó? Você é um idiota! – Senti algo me molhar, JungKook jogou o resto do suco em mim e saiu andando, me levantei indo atrás.

- O que acha que está fazendo, ômega! – Usei minha voz alfa, me olho com aqueles obres profundos.

- JÁ FAZ CINCO ANOS, CINCO E VOCÊ AINDA ME CULPA PELO ACIDENTE DA... – Apertei seu pulso, nervoso.

- Não te culpo pelo que aconteceu.... Te culpo por sua covardia... – Vi sua boca abri e fechar várias vezes, até por fim puxou seu braço do meu aperto. Foi para o quarto fechando a porta com força.

 

JungKook ‘ s

 

Me escorrei na parede e deslizei para o chão frio, as lagrimas ardiam meus olhos. Soltei o ar dos meus pulmões, seguido de um soluço alto que estremeceu meu corpo.

Um trovão rugiu no céu acinzentando do inverno, sozinho naquele quarto, me deixei levar pelo choro.

Sempre me culpei, eu era o culpado de Taehyung ser expulso de casa. Mas, também tinha minhas cicatrizes e dores, sofria com tudo aquilo.

Por ama-lo, sofro.

A única música, que escutava além dos meus soluços e lamentos, era a chuva intensa que caia.

Será que o céu chorava por mim? Ou chorava comigo?

Me encolhi num formato de concha, tentando me proteger do vazio que habitava em mim.

Por que, vim atrás dele? Talvez, por achar que ele esqueceria o passado e seguiria sua vida.

Eu deveria? O que eu deveria ter feito naquele dia?

Deitei no chão e encarei o teto pálido do meu quarto, deixando meus pensamentos divagar para lembranças dolorosas.

 

“ - MAIS QUE... PORRA VOCÊ FEZ, SEU MERDA! – Me encolhe, devido ele ter usado sua voz de alfa.

- Do que está falando?

- A filha mais velha dos Kim’s, estava no celeiro... o estado dela é crítico. ”

Fechei os olhos, deixando o sono me abraçar, ali deitado no chão. Simplesmente me deixei levar pela negritude do mundo dos sonhos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...