História Deixe o tempo te ensinar... - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Iris, Kentin, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Rosalya
Tags Amor Doce, Castiel, Drama
Visualizações 13
Palavras 1.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Mistério, Romance e Novela

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Depois de muito tempo, aqui estou!
Desculpem a demora para postar, aconteceram alguns imprevistos, estava participando de um projeto e não estava tendo tempo para postar.

Mais voltei <3

Boa Leitura!

Capítulo 27 - Jogo.


-Não deve ser nada além de reclamações, ele disse. Até que eu estava gostando de importunar a Debrah, mas, isso já está começando a me importunar, acho que se eu continuar dando trela para tudo que ela faz e fala isso nunca vai acabar.

-Acho que já deve está começando a aula, falei.

-Porque não me faz companhia? Propôs-me. Sei que ele faz de tudo para fugir das aulas, nunca consegui uma explicação para matar tanta aula, sendo que está no colégio.

-Porque você não me faz companhia e vem assistir aula também? Propus.

-Aqui é bem mais legal do que lá, disse-me. Segundo meus cálculos a professor Faraize já deveria estar na sala de aula, era capaz de nem me deixar entrar, se eu continuar aqui.

-Estou indo, me virei e fui em direção à porta. Queria saber se ele me deixaria ir assim sem nem insistir mais um pouco. Ela apenas pegou a guitarra novamente e começou a tocar algumas notas. A melodia era incrível.

-Espere... Ele parou por alguns instantes, - Quando você for embora, venha aqui antes no porão, completou.

-Porque eu deveria passar aqui? Questionei curiosa.

-Para ter a ilustre oportunidade de ir embora com a minha ilustre companhia, disse-me.

-Nossa que grande coisa! Falei fingindo seriedade.

-É sério, eu quero falar com você, ele voltou a tocar algumas notas, eu achava engraçado o fato dele dizer algo e logo em seguida procurar fazer outra coisa, menos olhar para ver qual a minha reação.

-Tudo bem, falei sem pensar duas vezes. Nem assistir o primeiro horário, pois já tinha passado um bom tempo e não valeria nada entrar na sala. Não custava nada eu ter ficado lá no porão. Se arrependimento matasse? Com certeza não estaria viva.

-Garota olhe por onde anda! Perdida entre os meus pensamentos, acabei esbarrando na Ambre, irmã do representante, e para minha alegria ela não vai om a minha cara.

-Desculpe, não te vi, falei, mas pareceu meio que não adiantar, ela começou a fazer umas caras feias para mim e tudo começou a piorar, do nada o escândalo já estava feito.

-Como você não me viu? Gritou. Mas era verdade, de maneira alguma eu iria provoca-la, já basta a Debrah que não larga do meu pé, arrumar mais problemas não estava nos meus planos.

-Não foi isso que eu quis dizer... É só que... Sinceramente eu não te vi mesmo e não pense que foi por mal, porque não foi. Eu estava distraída.

-Você precisa de óculos garota, e eu não quis saber se foi por mal ou não, ela continuava a gritar.

-Ambre, não precisa gritar eu já pedi desculpas, você quer o que? Que eu me ajoelhe? Se for isso espere sentada, tenho mais o que fazer do que ficar aqui no meio do corredor com você fazendo escândalo, se quiser pode ir contar tudo para o Nathaniel, eu não ligo, nem se ele fosse o presidente da República.

-Olhe como você fala, ele pode muito bem te expulsar desta escola, ela falou tentando mostrar superioridade.

-Não exagere! Ele nem tem esse poder todo, o Colégio nem dele é, e eu pago para estudar aqui, garanto que a diretora não me deixaria ir embora assim tão facilmente, falei.

-Meu pai colabora isso tenho certeza que pesaria mais na hora de te expulsar, a Ambre começou a rir.

-Eu também, aliás, todo mundo que estuda aqui, me poupe da sua conversa, o Nathaniel só representa nossa classe, o que tem de mais, que grande coisa você ver nisso? Ele só é o representante porque ninguém mais quis, e você acha que isso te favorece, sinceramente que pena de você, falei.

-Espere só, ela disse.

-Tudo bem, agora eu vou embora porque meu tempo é muito precioso para perder com você, e da próxima vez não se meta no meu caminho se não quiser levar outro esbarrão e eu garanto que será proposital, até mais. Disse-lhe, acabei me irritando com ela.

A aula de química estava chata, a professora só falava isso já estava desgastando-me que não via a hora do intervalo chegar e logo a hora de ir embora, mas isso estava meio distante de acontecer, ainda faltava mais uma aula para o intervalo.

Acabei sendo acertada por uma bolinha de papel, olhei para o lado e acabei encontrando o Alexy fazendo mimicas para que eu abrisse. No papel estava escrito:

“Precisamos falar com você urgentemente no intervalo”

“Ass: Alexy e Rosa”

Olhei na direção dos dois e confirmei com a cabeça, era até bom conversar com eles, precisava saber a que custo eles foram embora e me deixaram sozinha no final do show.

O relógio parecia não andar que, quando chegou a hora do intervalo, esperei que a sala toda se esvaziasse.

-O que houve? Alexy perguntou.

-Eu que pergunto isso a vocês, porque me deixaram sozinha? Fingi estar brava.

-Porque achamos melhor te deixar lá, para você conversar com o Castiel, Rosa tentou explicar.

-Nem um “tchau”, poderia ter me avisado, e vocês fizeram muito mal, que amigos são estes, comecei a fazer drama.

-Você que não quis entrar no camarim, Rosa tentou se explicar.

-Nem inventa, vocês foram embora sem mim, falei.

-Calculamos que era melhor te deixar lá, afinal todos estavam indo embora e o Castiel sempre fica por último, Alexy disse-me.

-Alexy você nem gosta de matemática e um chiclete chamado Debrah estava lá, disse-lhes.

-Nossa nem pensamos nela, Rosa ficou pensativa.

-Mais o que aconteceu depois? Alexy perguntou-me.

-Discute um pouco com ela e o Castiel se ofereceu para me levar embora, como você tinham ido acabei aceitando, mas ele iria levar Debrah primeiro, o pneu da moto furou, ele não conseguiu me avisar e eu fui embora tarde da noite sozinha, só isso. Expliquei.

-E o Castiel veio se explicar depois? Perguntaram, estavam interessados na história, mas, só por terem me deixado não iria contar.

-Sim, mas vocês não merecem que eu fale, Disse.

-Conta! Rosa insistiu, mas o sinal tocou.

-Não posso acabou de tocar, quem sabe numa próxima, disse sorrindo.

Eles passaram a aula de geografia toda fazendo mimicas, mas eu fingia não olhar, só para deixa-los mais curiosos, como ficamos sabendo que a professora de inglês havia faltado iriamos sair mais cedo, eu só precisava avisar ao Castiel. Quando o sinal soou apenas sai rapidamente, sem que a Rosa nem o Alexy conseguissem me seguir.


Notas Finais


Até o próximo capitulo, obrigada por ão desistirem :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...