História Déjà Vu Amoroso (Furry) - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Colégio, Drama, Engraçado, Fofo, Furry, Hentai, Romance, Sexo, Surf, Triste, Vampiro, Yaoi
Visualizações 37
Palavras 2.232
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishounen, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Esporte, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Fluffy, Hentai, Lemon, Luta, Magia, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Slash, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Esse cap vai dar uma beliscada no kokoro.
Boa leitura >:3

Capítulo 3 - O dia de um leão


Algumas fichas:

Nome: Lethal
Idade: 19
Espécie: Morcego
Signo: Câncer
Altura: 1,15m
Características: Míope, vampirismo, inteligente, homossexual, sentimental, sensível, vingativo, parece inocente e fofo mas só pega intimidade pra ver, otaku, personalidade ISTP (uma teoria de classificação de personalidades como signos só que mais acurada, tá na descrição o site pra saber melhor).

Nome: Marco (Nome original: Petal)
Idade: 19
Espécie: Morcego
Signo: Câncer
Altura: 1,19m
Características: Transgênero, vampirismo, social, homossexual, rancoroso, protetor, sentimental, zueiro, ciumento, criativo, piadas de tiozão, personalidade ESFP.

 

                                            P.O.V.: Leopold

 1 mês depois, 2 de março de 2017, 06:20 :

 Acordei na cama com o som do despertador, estendi meu braço e desliguei ele, me espreguicei todo e cocei meu peito peludo, estava apenas com uma cueca branca. Antes de me levantar questionei sobre as consequências de eu simplesmente ficar na cama, então depois de uns 2 minutos me levantei e fui para o banheiro do meu quarto. Fui no trono, escovei os dentes, e lavei meu rosto que antes parecia bem rabugento, voltei para meu quarto e me arrumei, coloquei uma blusa preta com uma camiseta laranja por baixo e uma calça jeans, logo voltei para o banheiro, me penteei e coloquei meus laços de cabelo, ambos de minha cor preferida, vinho, um prendendo minha juba frontal ou barba como quiserem chamar e um laço atrás. Chegando na cozinha vi minha mãe sentada na mesa, sentei a frente dela, na mesa estava um pão com manteiga em cima do prato e café com leite na minha caneca preferida que tinha estampado um bigode rosa (Markiplier), e parecia que eu tinha mesmo um bigode rosa quando eu tomava.

 [Mãe]: Dormiu bem Leo?

 Minha mãe é a leoa mais linda do mundo, e também a Virginiana mais legal, se chama Alexia e tem uns 47 anos mesmo parecendo que tem 30. Como uma leoa ela era não tinha cabelo/juba, estava usando uma blusa social branca aberta com um top rosa que mostrava um pouco do decote e uma calça preta que quase cobria os pés, e também olhos iguaizinhos aos meus. Eu tomei um gole do leite com café que estava na minha caneca e sorri para ela que também estava sorrindo.

 [Leopold]: Dormi sim mãe, e você?

 [Alexia]: Não muito por que cheguei tarde mas coisa normal. Como vai a escola nova até agora?

 [Leo]: Vai bem até, eu presto bastante atenção. Mesmo eu não entendendo várias coisas – Digo murmurando no final.

 [Alexia]: Que bom, as provas já começaram?

 [Leo]: Só na semana depois da próxima de agora.

 [Alexia]: Hm... Já tem um “crush”?

 Eu corei um pouco e ela deu uma risadinha.

 [Leo]: Ninguém ia querer ficar comigo, todo mundo tem medo até de olhar pra mim.

 Comecei a rir nervoso um pouco, minha mãe sorriu e começou a rir da mesma forma.

 [Alexia]: Heh... É só ter paciência, e continuar a agir da forma certa, não se meter em encrenca.

 [Leo]: Poxa, já faz um mês, eu fico quietinho no meu canto, sempre de boas, é chato isso.

 [Alexia]: Como eu acabei de dizer, paciência. Mas você também pode tomar a atitude de conversar com alguém, sabia?

 Após essa última frase eu fiquei meio pensativo e olhei pra ela que estava com um sorriso malandro como se estivesse me dizendo “Quero ouvir seu argumento agora leão bobo”. Eu corei um pouco e olhei pro lado.

 [Leo]: É-é que... eu sou meio tímido...

 Ela aumentou o sorriso corando um pouco como se me achasse fofo por isso, me senti bem bobo e só sorria de nervoso ficando mais vermelho de vergonha.

 [Alexia]: Você pode então ser mais sutil como só chegar perto de alguém ou dar algumas olhadas no furry as vezes só pra parecer que você tem algo pra falar com ele.

 Fiquei mais pensativo, era realmente bons conselhos então eu concordei e agradeci balançando a cabeça. Terminei de comer meu pão e tomar meu café, me levantei, dei um beijo na bochecha de minha mãe, andei até a porta onde a abri e me despedi dela enquanto fechava. Eu moro em uma casa bem legal e até que grande em uma área mais residencial. Comecei a andar até a escola que era no máximo 1Km da minha casa, não me incomodava com isso, até porque é minha caminhada diária e eu não gosto muito de malhar as pernas. Cheguei na escola com meu sorrisinho de sempre, os furries me olhavam torto, e me evitavam, sentia o desprezo em seus olhares, cada olhar parecia um soco na barriga junto com um frio, mas um frio na barriga ruim, até que distraído eu acidentalmente esbarrei em uma raposa e seus cadernos caíram.

 [Leopold]: Oh! Sinto muito.

 Eu me agachei e peguei seus cadernos e os devolvi para ela.

 [Raposa]: Ah, tá tudo be- GASP!

 Após ela olhar e notar que era eu, se espantou, desviou o olhar e passou ao meu lado sem terminar de se agradecer, suspirei meio triste mesmo já ter previsto uma reação parecida. Fui em meu armário, peguei meus cadernos e estojo e esperei o sinal bater, enquanto eu encostava em meu armário observando todos conversando, rindo e conversando enquanto me ignoram, é oque eu era naquele lugar, um nada, apertei um pouco meus cadernos e suspirei triste novamente, mas mesmo assim fingi meu sorriso que estava um pouco mais flácido. Finalmente o sinal tocou e fui direto para a sala.

 12:50 :

 Cheguei em casa, meu almoço estava pronto no micro-ondas, onde esquentei e comi na mesa, era arroz, feijão e frango, um dos meus almoços preferidos, mas mesmo assim não consegui comer direito como alguns outros dias, meu estômago revirava, eu comi só 4/5 da comida e então joguei no lixo, tomei só um pouco de refrigerante, mas não queria jogar fora pois era Pepsi, meu refrigerante preferido, então eu forcei ele descer pela garganta, peguei meu prato e copo e comecei a lava-los na pia, algo que sempre faço quando uso um prato ou copo para não ficar acumulando louça.
 Logo fui até meu quarto, fiquei só de cueca e me joguei na cama, fiquei murmurando abafado pelo travesseiro, tirei meus laços do cabelo e coloquei no criado-mudo ao lado de minha cama. Nesse dia eu ia fazer nada, não tinha academia nem treino, então eu estava sozinho em casa e totalmente livre, livre para fazer nada. Tive a ideia de ficar pelado pois eu estava sozinho mas eu não estava no clima, então eu só me virei de barriga pra cima, peguei meu celular que tinha deixado na calça, conectei os earbuds e os coloquei nos ouvidos, comecei a ouvir umas músicas melancólicas como sempre, quando estou triste eu ouço música pra me deixar mais triste ainda, uma música falando de como os furries me odeiam por eu fazer ou ter feito algo ruim com eles mesmo não vendo o meu lado profundo, e por fazer coisas ruins com eles eu acabo os deixando traumatizados e violentos... assim como eu (The Neighbourhood). “Ele é um assassino. Não chegue perto dele. Ai meu deus, acho que ele me olhou, me esconde. Tinha que ser um felino. Coitados dos pais dele” as vozes dos alunos e alunas ecoavam em minha cabeça, e então as última vozes, vindo de Lethan “SEU CRIMINOSO SEM CORAÇÃO! Não me encoste! Acéfalo!”, e então contudo isso eu cai em tristeza, abracei meu travesseiro chorando silenciosamente. Depois de um tempo me esvaziando, enxuguei meus olhos e fui me distrair, fui em meu computador ao lado da minha cama e comecei a jogar meus jogos preferidos, mas perdi a vontade bem rápido, então fui assistir séries na Netflix na TV que era em frente a minha cama.

 23:05 :

 Eu ainda estava assistindo séries, até que ouvi a porta da frente abrir, e como sempre minha mãe avisa.

 [Alexia]: Cheguei Leo!

 Eu sempre respondo “Ta”, mas eu estava destruído de cansado e tristeza, então estava sem vontade nenhuma. Então ela apareceu na porta do meu quarto e deu uma gargalhada.

 [Alexia]: Maratonando de novo?

 Ela se aproximou de mim e se sentou na beirada da cama, e observou oque estava passando na TV, estava assistindo Teen Were (que seria Teen Wolf mas eles são animais então será Teen WERE de Werewolf [lobisomem]).

 [Alexia]: Olha só que lobo lindo.

 Eu ri um pouquinho e logo parei, então ela olhou para mim e ficou com uma expressão meio preocupada ainda sorrindo um pouco.

 [Alexia]: Oque que foi?

 [Leo]: *suspiro triste* Nada, é só a escola...

 Ela se inclinou e me abraçou pelos ombros.

 [Alexia]: Que pena Leo, mas amanhã será especial, seu aniversário! Meu leãozão vai ter 20 aninhos.

 Ela apertou minhas bochechas e chacoalhou um pouquinho, eu tirei suas mãos de meu rosto e ri corado.

 [Leo]: Pelo menos lá vai vim meus amigos de verdade.

 [Alexia]: Só eles mesmo? Já sei, porque você não chama todo mundo da escola? Vai que talvez alguém queira vim.

 [Leo]: Hah, aposto muito.

 Eu disse ironicamente, virando os olhos e me deitando de lado, meu sorriso lentamente se desfez com um silêncio mas por estar de lado minha mãe não conseguia ver, mas ainda estava bem claro que eu estava triste, minha mãe suspirou e deu uns tapinhas em meu braço.

 [Alexia]: Vá tomar banho por que você tá com um cheiro de salgadinho, e logo vai dormir.

 [Leo]: Ok mãe... fecha a porta.

 Ela se levantou, saiu do quarto e fechou a porta como pedi. Fiquei deitado por um tempo, mas depois eu me levantei e fui até o banheiro que era próprio do meu quarto. Tirei minha cueca ficando nu e a coloquei no cesto de roupa suja ao lado da pia, “Acho que um banho de banheira quente pode me deixar melhor” eu pensei e então liguei a torneira quente da banheira, peguei um banquinho de madeira que ficava ao lado e esperei ela encher. Quando encheu peguei meu celular e coloquei na pia tocando música ambiental que me relaxa bastante (Aphex Twin), então eu lentamente entrei na banheira, estava bem quente e relaxante, me larguei todo na banheira me afundando deixando só da cabeça pra cima fora da água, fiquei relaxado assim por alguns minutos e parecia que meu corpo estava se dissolvendo na água de tão relaxante. Depois de um tempo peguei o shampoo e passei em minha juba a       esfregando, após espuma-lo bastante o lavei e comecei a passar o sabonete em meu corpo que era um tanto quanto massivo de músculos definidos, meio robusto e com uma trilha meio grossa de pelos secundários indo da virilha até meu peitoral, minha mãe fala pra eu me depilar, mas eu me acho gostoso assim, risos, cada um com seu gosto, e não vou falar do meu penes (Meu penes pesa 20cm), por enquanto. Quando tudo terminado eu destampei o ralo e sai da banheira ficando em cima do tapete enquanto eu me enxugava com minha toalha branca. Logo depois de me enxugar fui no espelho, penteei todo o meu corpo e por último minha juba que estava bem escrota mesmo quando penteada mas quando seca mais fica perfeita e macia como sempre. Até que o meu celular que estava tocando música vibrou, eu fui ver oque era aproveitando e pausando a música, era uma mensagem de um grupo onde tinha meus principais amigos.

 Cell on:

 [Eight]: Ei Leo num vo pode ir no niver amanhã, meu pai tá bem doente e ele quer que eu fique aqui com ele.

 [Bolt]: Falando nisso tem uma chance de que talvez eu não vá também, começou uma febre pesada aqui e não sei se amanhã vou estar bem já

 [Leo]: Ô caralho, quantos grau q ta aí?

 [Bolt]: *foto do termômetro com 39,5°C*

 [Leo]: Krl, então os dois eu entendo, mas poxa, ia ser tão legal, íamos comer pizza, ter uma festa do pijama, dormirmos tudo na mesma cama bem confortáveis. Pelo menos vc vai né uzi?

 [Uzi]: Enton Leo, foi mal mas n vai dar mesmo pra ir amanhã eu vo no casamento do meu tio amanhã, eu quero muito participar pq ele é mt legal com minha família e tbm que meus pais me matariam se eu não isse

 [Leo]: Blz então né! Qnd é meu niver todo mundo ta doente ou ocupado

 [Uzi]: Ah mas vamo faze oq né, não é culpa nossa

 [Leo]: Eu só n qro passar meu niver sozinho...

 [Bolt]: A gente manda um textão pra vc amanhã

 [Eight]: E domingo que nós vai treinar a gente te dá um abraço

 [Leo]: Obrigado gente, boa noite afinal pq já vou dormir aki

 [Os 3]: Boa noite Leo!

 Cell off:

 Começou a cair lágrimas na tela do meu celular, que estava tremendo por causa das minhas mãos, me ajoelhei e fiquei chorando compulsivamente, tentando não emitir um som para minha mãe não ouvir.

 [Leopold]: Minha vida é muito fodida...

 Abracei minhas pernas, continuando a chorar muito. “Quebrado” era a palavra pra me descrever naquela hora. Depois de quase 15 minutos eu me levantei, nem me olhei no espelho, fui ao meu quarto levando o celular cujo coloquei no meu criado-mudo e coloquei uma cueca azul marinho. Então deitei na cama colocando o cobertor até a altura de meu peito e o enrolei em mim, então fiquei na minha posição preferida, confortável fiquei quase meia-hora acordado pensando em inúmeras coisas, mas então eu cai no sono.


Notas Finais


Personalidades: https://www.16personalities.com/br
Desculpa se o cap está meio estranho, não sei porque sinto que está mas apertei o botão do Foda-se e postei.
Só posto o próximo cap quando eu terminar o desenho de ficha do Leopold.
obs: Já fiz o do Lethal mas vou postar junto com o do Leopold.
obs2: Não farei do Marco porque preguiça :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...