História Delicate - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Jikook, Transsexualidade
Exibições 26
Palavras 1.507
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Ecchi, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura <3

Capítulo 2 - Secundo


Fanfic / Fanfiction Delicate - Capítulo 2 - Secundo

Pov. Jimin

Acordo com os sons de passarinhos do lado de fora da minha janela, junto com com algumas frestas de luz que passavam pela mesma. Levanto devagar da cama, minhas costas doem, muito mais que ontem, e meus olhos parecem queimar.

Vou cambaleando até o banheiro, chegando lá, fico me olhando no espelho. Meus olhos estão inchados e vermelhos, os meus cabelos, que antes eram compridos, agora estão curtos e mal cortados. Fico com vontade de chorar novamente, mas as lagrimas não saem, parece que não tem mais nada para chorar depois de ontem. "Que besta, ela está quase chorando por causa de um cabelo" , vocês devem estar pensando. Tenho que concordar com vocês, se eu ouvisse que alguém está chorando por causa disso, também acharia besta, mas é diferente, a única parte que me fazia parecer como ela e não ele, não existe mais.

Tiro a blusa branca - agora manchada de vermelho pelos machucados - lentamente, e me viro de costas para o espelho, torcendo o pescoço para ver como está a situação. Minhas costas estão um misto de vermelho com roxo, e em algumas partes está verde, elas estavam inchadas, e os cortes feitos, alguns já estão com a famosa "casquinha" e outros, ainda em carne viva. Decido parar de olhar aquilo, e ligo o chuveiro. Retiro minha cueca, essa é a pior parte, eu odeio ter que ver esse reflexo todos os dias, odeio ter um pênis, odeio usar cuecas, odeio ser referida como ele e não ela, odeio ter essa barriga de "tanquinho". Quero ter uma vagina, quero usar calcinhas, quero ser referida como ela e não ele, quero ter seios, menstruar, ter cólicas e me masturbar como uma garota. Eu quero ser uma menina.

Vejo que a água já está quente, e saio da frente do espelho, entrando no box. Os machucados ardem quando eu passo o sabão por eles, não consigo lavar muito bem, já que meus braços são curtos de mais, mas dá pro gasto. O sangue vai saindo das minhas costas e vai indo até o ralo, junto com a água e o sabão. 

Depois de tomar banho, vou até meu armário, tirando uma cueca e o uniforme da escola. O maldito uniforme da escola, que se constituía em uma calça preta social masculina, uma blusa branca masculina, um colete amarelo horrível masculino e uma gravata preta masculina. Junto com meus sapatos masculinos e as minhas meias masculinas. Agradeço internamente que hoje está fazendo um pouco de frio, e coloco uma touca, tapando o meu cabelo. Visto a roupa rapidamente, logo estou pronta.

                                                                                                      ...

Estamos todos sentados em volta da mesa do café, junto com um clima tenso pairado no ar. Minha mãe fica encarando o café preto como se fosse a coisa mais interessante do mundo, meu pai está lendo o jornal calmamente, como se nada tivesse acontecido. Enquanto eu fico comendo as rosquinhas que minha mãe fez.

- Eu acho que vou indo pro colégio - Digo quase sussurrando.

Nenhum levanta o olhar pra mim, apenas assentem com a cabeça. Pego minha mochila, coloco os fones de ouvido e saio de casa. Estou levando a mochila somente em um ombro, caminhando calmamente pelas ruas.  

Depois de uns quinze minutos de caminhada, chego ao portão do colégio, vendo todos os meus amigos escorados no mesmo. Hoseok e Taehyung brincam de lutinha, Namjoon e Jin falam sobre algum assunto no qual não estou interessada, Yoongi está parado, olhando para o nada. E tinha Jungkook, ah, o Jungkook. Ele está observando tudo, com um sorriso mínimo nos lábios, eu tenho uma queda - leia-se penhasco - por ele. Ele sempre é gentil comigo, e me protege dos outros hyungs quando debocham de mim. Mamãe diz que ele também gosta de mim, mas isso não é verdade, ele só é assim porque somos amigos de infância. Jungkook é hetero, ele não se apaixonaria por uma aberração como eu. Ele me vê como um menino, nunca gostaria de mim de outro modo.

Chego perto deles, e todos param o que estão fazendo para me olhar.

- O que aconteceu com você? - Jin pergunta surpreso.

- O que você quer dizer? - Respondo com outra pergunta.

- Bom, primeiro que você cortou seu cabelo, e eu sei o quanto que você ama ele, segundo que seus olhos estão inchados. - Jin me olha desconfiado. 

- Er... - Sinto meus olhos ficando marejados, merda, eu não posso chorar agora. - Eu queria mudar um pouco.

- Ok, eu vou fingir que acredito, mas como explica seus olhos estarem inchados e você estar quase chorando agora? - Jin pergunta desconfiado, enquanto os outros assistem calados.

- Jin-Hyung, acho que deu de perguntas - Diz Jungkook.

- Ok, mas você vai me falar na hora do almoço - Jin fala, quase me ameaçando.

Eu não respondo nada, não queria falar nada. Só queria ficar quieta, no meu canto. Os outros voltam a fazer o que estavam fazendo, faltava 20 minutos para o portão abrir, eu estou cansada, minhas costas doem. Resolvo sentar no chão, enquanto me apoio na parede atras de mim. Merda, porque eu não podia ser normal? A minha vida está uma merda, e é tudo minha culpa. Sou interrompida do meu conflito interno, quando vejo Jungkook sentar ao meu lado. Ele não fala nada, nem eu. Ficamos em silêncio até o sinal bater, era um silêncio bom.

                                                                                                   ...

As aulas no período da manhã acabam, e é hora do almoço. Eu estou nervosa, sabia que Jin ia me perguntar o que aconteceu. Eu  não sei que desculpa inventar. Eu também não posso falar a verdade, não é como se eu simplesmente chegasse e dissesse que na verdade eu sou uma menina presa no corpo de um menino, então meu pai me viu usando uma saia e me açoitou com um cinto.

Chego no refeitório, e me direciono para minha mesa de sempre, todos já estão sentados lá, só faltava eu. Jin me olha com uma cara de quem vai arrancar tudo de mim, e isso me deixou mais nervosa, se possível. Sento calmamente na mesa, e todos param de fazer o que estavam fazendo só para me olhar. 

- Então Jimin, acho que você nos deve uma explicação - Jin começa.

- Explicação de que? - Me faço de desentendida.

- Oras garoto, talvez do porque você chegou na escola com os cabelos cortados, olhos inchados e estava quase chorando? - Hoseok completa.

- Eu não quero falar sobre isso - Falo quase sussurrando, mas alto o suficiente para todos ouvirem.

- Então aconteceu algo? - Yoongi se intromete.

- Qual é Jimin, somos seus amigos! Fala logo! - Hoseok fala.

Eu fico quieta, não quero falar, eles não vão me entender.

- Jimin, estamos aqui para tudo, fale logo! - Foi a vez de Taehyung.

- Mas que merda! Vocês não entendem que eu não estou num bom dia e não quero falar?! Agora calem a boca! - Falo meio alterada.

Eles se entreolham, e não falam mais nada, nos deixando num silêncio constrangedor. Eu estou tremendo, meus olhos estão marejados e eu sinto que vou começar a chorar a qualquer momento. Droga, porque não podia ser mais fácil? Sou surpreendida por um abraço apertado, que fez com que as minhas costas doessem um pouco. Eu ia reclamar, mas percebi que o dono do abraço era Jungkook. O abracei mais forte.

- Calma, vai ficar tudo bem - Ele falou com a voz doce, bem perto do meu ouvido.

E como se ele tivesse apertado um botão dentro de mim, eu começo a chorar, tudo que eu havia guardado desde de manhã, estava saindo agora. O choro é alto, e eu chego a soluçar, como ontem. Ele faz carinho nas minha costas, e eu tenho certeza de que todos da mesa estavam estranhando, mas eu não ligo pra isso agora.

                                                                                                 ... 

As aulas haviam passado rápido, nenhum dos garotos falou comigo depois daquilo. Eu já estou em casa, minha mãe está assistindo televisão na sala, meu pai está trabalhando e só voltaria de noite. Mamãe ficou em silencio, assim como eu. Eu não aguento mais aquilo, preciso falar com ela. 

- Mãe? 

- Sim?

- Eu estraguei tudo?

- O que? Claro que não!

- Então porque você e papai estão brigando? 

- Querida, seu pai é assim, não é sua culpa. 

- Hoje os meninos me perguntaram o que aconteceu, e eu acabei gritando com eles - falei sussurrando - Mas depois Jungkook me abraçou, e eu acabei chorando. 

- Eu já falei que ele gosta de você.

- Ele não gosta de mim como eu gosto dele, eu sou um menino, e ele é hetero.

- Querida, não fale assim, você é uma menina linda!

- Eu não sou uma menina! Vocês tiveram um menino.

- Você é uma menina sim! Só está no corpo errado!

- Acha que eu devo contar para eles?

- Jimin, eles são seu amigos, acho que devia contar para eles

                                                                                                    

 

 

 


Notas Finais


Até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...