História Deliciosamente Desastrada - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Evans
Personagens Chris Evans, Personagens Originais
Tags Capitão América, Chris Evans, Romance
Exibições 51
Palavras 2.455
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá.

Boa leitura.

Capítulo 1 - Os Brincos. (Capítulo único)


Saí do banho enrolada em uma tolha, desesperada. Estava atrasada, pra variar. Christopher, com certeza me mataria essa noite.


Hoje era o dia mais importante de sua carreira, e eu estava de toalha procurando os brincos de brilhante que ele quer que eu use essa noite.


Os brincos que estão na família a anos.

Passei a tarde no salão, deixando meu cabelo e maquiagem perfeitos, o vestido longo de prata estava no cabide na porta do closet, tudo lindo e perfeito para estréia de seu mais novo trabalho, Capitão América: O Primeiro Vingador, menos a droga dos brinco de família, que resolveram sumir magicamente.

Eu pensei em ligar pro Chris, mas ele já estava tão nervoso quando saiu de casa hoje de manhã, não quero preocupa lo com meu desastre rotineiro.

- Vamos lá brinquinhos apareçam! - olho pela vigésima vez todas as gavetas da comoda, e do criado mudo, me ajoelho no tapete e olho embaixo dos móveis, mas nada!

- Céus, era uma vez Angela! - me jogo na cama.

Então me lembro.

- A última vez que estava com eles, nós fomos à um jantar beneficente...

Me lembro bem daquela noite, na verdade, só do fim. Eu, Chris e roupas voadoras.

- Mas, pra onde eles foram? - me sento na cama.

Meu adorável esposo, me atacou naquela noite, a verdade é que nem os sapatos tive tempo de tirar antes do primeiro orgasmo. Acordei no outro dia feliz da vida, e atrasada por culpa de Christopher e seu insaciável apetite sexual, não que eu reclame, longe de mim. Acho ótimo na verdade.

Me ajoelho na cama e começo a revirar os lençóis e travesseiros.

Talvez tenha perdido meus brincos durante aquela agitada noite.

Em minha busca concentrada me esqueço do mundo, e só me dou conta da posição e meus trajes, quando um mão grande acerta minha bunda. Um tapa estalado que ardeu pra caramba.

- Aí! - passo a mão no local, mas o alto e loiro ser humano, segura minha mão e beija o local do tapa.

Ele se ajoelha atrás de mim na cama e cobre meu traseiro de beijos, suas mãos grandes e forte traçam seu caminho pela minha coluna tirando a toalha de meu corpo no processo.

Sua mão esquerda viajam para meus seios, apertando e estimulando cada um deles, a mão direita escorrega sob minha cintura e viaja para minha intimidade, tocando meu clitóris delicadamente, o massageando deliciosamente. Meu quadril ganha vida e começo a rebolar em busca de mais atrito, enquanto tento gemer o mais baixo possível, afinal Carly está aqui em casa.

- Gosto de ouvir você bebê. - diz isso passando sua rala barba minha nádega esquerda. Me arrepiando toda. - Quero ouvir você Angie, você não quer gemer pra mim essa noite baby? - ele penetra dois dedos em mim enquanto seu polegar continua a me estimular mais e mais. - Geme pra mim bebê, quero ouvir minha putinha gritar enquanto goza só pra mim. - diz mordendo minha cintura. Eu amo seu jeito carinhoso, mas adora quando ele diz coisas pervertidas pra mim.

- Sua... Hum ... Irmã... Woã... Ela .... Mais...mais forte amor - imploro desistindo de fazer silêncio.

Afinal, Carly já transou na vida não é?!

- Mais forte, é? - ele me acerta outra palmada na bunda. - Você gosta quando sou bruto com você não é minha putinha, ahn? - acerta mais um.

Geralmente ele é todo cuidadoso e romântico, e eu amo isso, mas quando ele resolve ser mal, eu simplesmente fico enlouquecida.

Ele enfia mais um dedo e aumenta a velocidade das estocadas, me levando mais e mais alto.

- Chris... Ahh .... Ohm... Mais rápido... Mais... Christopher...- gemendo seu nome eu gozo.

Estou prestes a desmoronar, mas ele segura me pela cintura. Vai subindo os beijos pelas minhas costas até chegar no meu pescoço, onde ele deposita beijos e mordidas suaves. Encaixado seu membro duro e ereto entre minhas pernas, e eu volto a rebolar procurando atrito louca e sedenta por mais, acho que nunca tenho o bastante desse homem. Ele geme no meu ouvido me deixando louca de vez.

- Isso... - ele geme e suspira cada vez mais alto, me deixando na beira de outro orgasmo - Assim... Rebola pra mim bebê... Hum... Isso... Ahh ... -ele afunda o cabeça no meu pescoço e tenho outro orgasmo, enquanto ele continua duro e ofegante.

Quando me recuperei, ele ainda estava sobre mim, beijando todo meu pescoço.

- Acho que você precisa de atenção essa noite Amor... - digo derrubando o na cama, ele arqueia a sobrancelha e sorri de forma safada.

- Que tipo de atenção?

Passo minha perna por seu corpo, o montando, ele ainda está de camiseta azul e jeans, sento sobre seu membro, e rebolo desavergonhadamente, fazendo o suspirar e agarrar minha cintura me parando

- Sabe, hoje é um grande dia Amor... - digo beijando seu maxilar. - Todos vão ver o homem lindo, talentoso e incrível com quem me casei.

Me lembro como ele ficou apavorado com o convite para interpretar Steve Rogers. Medo de não dar conta.

- Espero que esteja certa. - fica tenso em baixo de mim. Suas mãos apertam firmemente minha cintura.

Beijo seus olhos, maçã do rosto, e maxilar vagarosamente. Quero mostrar a ele que não tem o que temer. Que estou e estarei sempre aqui, por ele, pra ele e com ele.

- Todos vão ver o que eu, as nossas famílias e amigos repetimos sempre, Amor. Você é incrivelmente talentoso! - beijo a ponta de seu nariz, o fazendo rir. - O meu Homem, talentoso, que eu amo mais que a vida.

Beijo o canto de seus lábios, ele sobe a mão esquerda a embrenhando no meu penteado e me beija, forte e intenso.

- Também te amo Angela - diz quando nos separamos ofegantes.

Sorrindo bobamente eu peço para que se sente, o que ele faz prontamente.

Estamos face a face agora, sua respiração batendo em meu rosto, ele corre as mãos pelo meu corpo nu.

Jogo meus braços ao redor do seu pescoço e o beijo apaixonadamente, e logo sou correspondida. Suas confusas mãos não se decidem entre apertar minha bunda ou meus peitos, o que me faz sorrir entre o beijo.

Ele se aproveita e pressiona mais minha cintura na sua, encaixando perfeitamente seu membro coberto pelo jeans na minha bocetinha mais que molhada, me fazendo gemer alto.

Tiro sua camiseta e a jogo em algum lugar do quarto, corro minhas mãos por todo seu corpo, cada dia mais definido, apertando e arranhado seu abdômen e braços até parar o cós da sua calça jeans desabotoando a, mas sem conseguir tirar, apesar do meu esforço, o que me deixa irritada. Chris nota meu afobadamento e me deita na cama de repente, voltando segundos depois sem nada.

Cobre seu corpo com meu esfregando seu pau em mim, fazendo ambos gemer.

- Preciso de você dentro de mim... - digo sem fôlego.

Ele sorri e me beija castamente.

- É tudo que eu mais quero. - confessa. - mas, quero você de quatro como quando cheguei.

Sinto meu rosto corar, me pergunto e se outra pessoa que me achesse de quatro nua na cama?!

Afasto o pensamento e me viro, ficando na posição, Christopher saí da cama e fica em pé ao minha frente, estou cara a cara com seu delicioso pau.

Beijo castamente a cabeça rosada, fazendo Chris suspirar, seguro com uma mão e começo o movimento de vai e vem, lentamente, meu loirinho joga a cabeça pra trás gemendo baixinho. Quando abrigo seu membro em minha boca segurando a base, ele geme alto, enfia a mão no meu cabelo, e começa a ir e vir, fodendo minha boquinha enquanto eu o chupo.

- Ah... Owh... Bebê você... Ah ... Mais ... - resmunga de olhos fechados, eu tiro quase todo e me concentro na cabecinha, chupo forte - Deus! Eu vou... - e volto chupar todo seu comprimento aumentando a velocidade da minha mão, deixo meus dentes rasparem em sua pele com cuidado pra nao machucar. Esse parece ser seu fim, ele goza em minha boca chamando meu nome. - Angie...

Engoli tudo e continuo a chupa lo até que esteja limpinho.

- Você ainda me mata mulher... - me beija com força.

- Só se for te prazer... - digo manhosa.

Ele sorri e volta a acariciar meu corpo, dá a volta na cama parando atrás de mim.

- Acho que eu preciso te recompensar... - diz acariciando minha cintura.

Ele abre minhas nádegas e passa a língua de um buraco à outro, me fazendo virar os olhos de prazer.

- Tão doce... - diz fazendo o mesmo caminho. - Tão deliciosamente doce e quente bebê.

Eu só sei gemer e rebolar, e quando ele enfia dois dedos em minha bocetinha sou gemido quase um grito, ele me vira de uma vez sem avisar, e se ajoelha no meio das minhas pernas. Ele beija meu clitóris e começa a brincar com ele, ora lambe e chupa, ora morde e sobra.

- Ahh... Woã... Hmm...

- Você é doce meu amor, e tão apertadinha... - diz olhando pra mim - goza pra mim, ãh? Me deixa sentir seu gostinho...

Ele mergulha de novo e eu sinto sua língua e seus dedos me fodendo maravilhosamente.

- Chris... Ahh...Mais...Hmm...Mais rápido! - peço puxando seu cabelo explodindo em outro devastador orgasmo.

Sinto seus lábios subindo pelo meu corpo delicadamente, me venerando e amando. Quando chega em minha boca me beija com cuidado e carinho, suas mãos correndo por meu corpo, enquanto as minhas lhe estão passadas por seu pescoço arranhando suavemente.

- Te amo. - sussurra no meu ouvido me fazendo sorrir e arrepiar. - Mas, quero você de quatro senhorita Angela.

- Estou exausta Christopher... - digo manhosa.

- Prometo ser rápido. - responde pressionando seu membro quente e ereto em mim.

Sorrindo ele me ajuda fica na posição, se levanta da cama e se posiciona atrás de mim.

Ele fica pincelando a minha entrada, me fazendo gemer e querer mais.

- Christopher! - repreendo frustada quando ele põe só aponta de seu pau e tira.

Ele ri deliciosamente e me acariciando volta a se esfregar em mim.

- Quero que peça... - se curva sobre mim - Que me implore pra te foder com força...

Quando ele quer ser cruel ele consegue ser um filho da mãe ordinário e arrogante. Mas, eu não sei dizer não.

- Hmm, me fode Christopher, Ahh me faz gozar de novo Amor... AAH.

Ele me penetra de uma só vez, me surpreendo. Fica parado um tempo para que eu me acostume.

- Estou tão fundo... Humm... Tão quente e apertada.... - começa a se mover e a gemer. - tão apertadinha.... Ohh hmm

Ele foi aumentando mais a velocidade.

- Hum ... Me fode Chris... Woã Ahh Isso... Ahn Assim... Oh ahn Mais .... Hum oh aah Meu Deus

Eu apertava o lençol e mordia os lábios, mas a essa altura, não era mais por respeito a Carly, tentando me conter.

Chris gemia, tinha estabelecido um ritmo bom, rápido e forte, o meu quadril seguia o mesmo ritmo.

- Rebola pra mim bebê! Ah ohm ... Isso minha putinha... Woã Ahh ... Que bucetinha gostosa...

- Ahn...Mais... Ohm... Mais rápido... Humm Chris me fode toda amor... Isso ahm... Eu vou gozar....

Ele acelerou e chegamos ao ápice juntos, caindo na cama também juntos.

- Chris? - chamei depois que nossas respirações se normalizaram.

Ele está de costas comigo sobre seu peito. Em silêncio, tão tranquilo que penso que talvez tenha adormecido.

- Hum? - resmunga acariciando meus cabelos.

- Acho que perdi os brincos da sua família. - sussurro acariciando seus cabelos do peito. - eu procurei e revirei o quarto todo e nada, pensei que tivesse perdido na cama, mas...

Ele se levanta sem dizer nada. Me deixa sentada na cama enquanto pega sua calça jeans.

- Desculpa Amor, - peço triste. Não quero que fique chateado - eu sinto muito por perde los. - coloco uma mexa do cabelo atras da orelha. Ele joga a calça pra lá e vai pra sua jaqueta que está sob a cadeira da penteadeira - Sei que são importantes pra você e eu vou acha los, eu juro, me perdoa? - me ajoelho na cama e ele finalmente me olha.

Me entrega uma pequena caixinha de jóias e lá encontro os procurados brincos que pertenceram a a sua bisavó e avó paternas e agora a mim.

- Onde...

- Aquela noite depois do jantar você os deixou sob o meu criado mudo. - deu de ombros sorrindo - na manhã seguinte saiu as pressas então percebi que algumas pedras estavam começando a se soltar, por isso levei ao joalheiro, pra restaurar e polir.

Eu o abraço pelo pescoço, feliz por não ter perdido os brincos.

- Porque não me disse?

- Esqueci, mas porque não me ligou? - segura minha cintura.

- Não queria te preocupar com meus desastres... - digo sorrindo sem jeito

Ele me aperta contra seu tórax e ri. Beija meus cabelos.

- Eu amo esse seu jeito desastrado de ser. - sorrindo ele olha nos meus olho.

Nos beijamos apaixonadamente e quando o ar falta nos separamos ofegantes.


- Vamos nos atrasar! - me lembro olhando pro relógio na cômoda.

Solto Chris tentando começar a me arrumar, mas ele não me solta.

- O que houve? - pergunto preocupada. - não quer ir ou não quer que eu não vá? - É o primeiro grande evento que vou como sua esposa e acompanhante.

Esse papel sempre era ocupado por Liza ou Carly.

Será que ele não quer por perto? Tem vergonha de mim?!

- Eu não quero ir se você não for! - me aperta em seus braços. - Você é minha, e quero que o mundo saiba o quão sortudo sou por te la ao meu lado Baby.

Ele está sorrindo para mim, dando beijos por meu ombro nu.

- Mas, então o que foi? Estamos atrasados...

- Não, não estamos. - diz sorrindo. Aponto o relógio sem entender nada. - Eu adiante os relógios da casa em uma hora, além de falar o horário da estréia com uma hora a menos pra você. - diz sorrindo.


- Você Fez O Que?! - quase grito, e ele me aperta mais em seus braços enquanto ri.

- Sabia que ia se atrasar, não é de propósito, mas sempre acontece... - da de ombros se justificando - Alem do que, eu precisava me enterrar em você antes de ficar horas no meio de um monte de estranhos. - beija de baixo da minha orelha e chupa o nódulo. Me acendendo - Ainda temos uma hora e meia antes de irmos, e eu acho que precisamos de um banho e mais sexo querida...

- Depois não quer que eu me atrase! - digo rindo quando ele me pega no colo.


- Faz parte.








Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...