História Delinquente Love (Imagine: Suga e V (Taehyung) - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jin, Personagens Originais, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Briga, Bts, Bulliyng, Colégio, Delinquente, Drama, Longfanfic, Min Yoongi, Romance, Suga, Tae, Taehyung, Taetae, Você
Visualizações 580
Palavras 1.417
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Self Inserction, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Sei que devia ter postado ontem ;-;, sorry ♥ Boa leituraa

Capítulo 27 - Afinal


Fanfic / Fanfiction Delinquente Love (Imagine: Suga e V (Taehyung) - Capítulo 27 - Afinal

 

 

(...)

 

 

Ainda não tinha entrado em contato com a Lucy, e a mesma pareceu não fazer questão, ela poderia estar brava, mas eu sou orgulhosa.

Por estar entediada na parte da manhã passei a ir ver Seokjin no esconderijo de apostas, via pessoas entrando e saindo o dia todo, o mesmo esbanjava grana e não poupava seus gastos com estética, ele pode se meter em qualquer briga, mas sua face sempre estará em perfeito estado. Ele é um tanto misterioso, pois nunca fomos de conversar muito, segundo Yoongi é muito difícil que Seokjin tenha empatia por alguém, e não sei como ele conseguiu ter por mim, talvez por causa do meu namorado, mas como os outros delinquentes ele não é diferente, nos entendemos com bons socos e murros, eu sei que prometi a mim mesma não me envolver com isso, mas isso era minha recaída, eu amava lutar, brigar e me sentir superior, porque eu era muito boa no que fazia, então gostava de ter méritos em minhas lutas e ser sempre vitoriosa, coisa que sou quase sempre... Nunca ficarei por baixo de ninguém, enquanto poder lutar, lutarei, essa é minha paixão.

Depois que terminava minha seção de brigas com boas escoriações e hematomas ia ao meu serviço onde como sempre ninguém nem desconfiava, e espero que continue assim, afinal, todos temos segredos e não cabe a ninguém descobri-los.

Após voltar do meu serviço, busquei estudar em casa mesmo, afinal essa era uma de minhas paixões também, mas toda noite fui interrompida por meu namorado e suas ligações, ele estava tão carinhoso e romântico comigo que nem parecia o Yoongi que conheci, ou melhor Senhor Yoongi, não acredito que fui capaz de chama-lo assim, o que eu tinha na cabeça?

 

 

— Vai jantar (s/N)? – ouvi a voz abafada de omma

 

 

— Estou no telefone com... Lucy! Já vou...

 

 

— “Não acredito que você mentiu para sua mãe sobre isso”

 

 

— Foi necessário, ela ainda esta brava comigo – lamentei

 

 

— “Pelo?”

 

 

— P-por cortar o cabelo é isso! – dei uma desculpa rapidamente, por pouco eu não digo outra coisa

 

 

— “entendi... Virá sábado né?”

 

 

— Com certeza meu amor.

 

 

— “Tenho uma surpresa”

 

 

— Eu também!

 

 

— “Estou ansioso”

 

 

— Eu também!

 

 

Ao mesmo tempo que conversava com Suga... Não vou mentir dizer que não pensei em Tae, seu beijo... Suas palavras pervertidas... Desde segunda ele não tem ligado e nem falado comigo, por um lado é bom... Mas porque em meu sono e minha mente persiste em sonhar com seu beijo? O seu primeiro beijo... Acho que sou masoquista.

 

 

|Sexta-feira|

 

 

Peguei uma folga e aproveitei para ficar o dia todo lutando com Seokjin, depois de acabar voltei exausta em casa, mas uma exaustão que valia a pena, assim eu não tinha tempo para pensar em meus problemas ou em coisas ruins.

 

 

Ao chegar em frente de casa Lucy estava uniformizada e sentada na calçada. Franzi o cenho a encarando.

 

 

— O-oi (s/N)... Mas o que é isso em seu rosto? – ela levantou a mão para tocar minha face, mas eu bati na mesma impedindo-a.

 

 

— Nada, o que quer? – disse ríspida

 

 

— Nossa, o que esta acontecendo? – parecia incrédula

 

 

— Não responda minha pergunta com outra – cruzei os braços a fitando

 

 

— É que você  não entrou em contato e hoje acabei melhorando e resolvi vir vê-la  –   abraçou a si mesma sem graça  — Você esta estranha o que acontece?

 

 

— Nada... eu apenas preciso de paz!

 

 

Paz?... de mim? Mas o que eu fiz? – sua voz era chorosa

 

 

— Aish, só vaza daqui...  – murmurei

 

 

— Tem certeza? M-me desculpe qualquer coisa... – fungou e correu para o ponto

 

 

Não pensei em nenhum momento sequer ir atrás dela, eu estava meio que cansada daquilo tudo.

 

 

Joguei minha bolsa com minhas coisas em um canto qualquer e me joguei em minha confortável cama. Senti meu rosto ser molhado e assim que passei meu dedo percebi que uma lagrima solitária escorreu pelo mesmo... o motivo nem eu mesma sabia

 

Eu vivo tratando as pessoas que me amam da maneira errada.

 

 

***

 

Ouvi batidas em minha porta

 

 

— Entra – balbuciei enquanto passava o gloss em meus lábios

 

 

— Omma perguntou se vai jantar. – Jae encostou-se ao patente da porta

 

 

— Avise-os que vou comer fora. – disse simples pegando minha bolsa em cima da cama, ele deu de ombros e passei por ele trancando a porta do meu quarto.

 

 

Ao descer as escadas omma apareceu na porta ampla da cozinha

 

 

— Aonde a mocinha pensa que vai? – seu tom era de rispidez 

 

 

— Dar uma volta no centro – me virei a fitando

 

 

— Com quem? – cruzou os braços franzindo o cenho

 

 

— Sozinha. – revirei os olhos

 

 

— Faça isso de novo que eu pego a cinta eu dou na sua cara, tá perdendo o respeito?

 

 

— Tá desculpe senhora...

 

 

— Porque vai sair sozinha? – perguntou desconfiada

 

 

— Eu quero comprar algumas roupas novas no centro e aproveito para comer por lá, afinal venho guardando dinheiro pra isso.

 

 

— Certo... Volte logo pois você ainda esta de castigo, me ouviu?

 

 

— Claro senhora... – sai dali logo antes que vomitasse

 

 

|Centro de Daegu|

 

 

6:38 pm

 

 

Desci do ônibus e eu já sabia muito bem meu destino, eu pensei em sair um pouco sozinha e refrescar meus pensamentos incessantes com compras. Primeiro escolhi minha loja preferida e comprei algumas camisas e dois shorts jeans, depois comprei coisas para higiene intima como: shampoo, coisas para hidratação do cabelo e pele, perfume,  não era do meu feitio, mas comprei algumas maquiagens também, e depois passei em uma loja de lingeries, as minhas eram muito infantis, agora que eu estava namorando eu precisava de algo mais ousado...

 

Espera o que estou pensando?

 

Tenho certeza que minhas bochechas esquentaram. Larguei a lingerie azul fio dental no local, com certeza a atendente me olhou com estranheza... Afinal... Yoongi não era mais virgem, e ele agora era meu namorado... uma hora ou outra isso aconteceria, mas porque estou pensando nisso tão antecipadamente?

 

 

— Moça, você precisa de ajuda? – a atendente que aparentava seus vinte anos colocou-se ao meu lado.

 

 

— E-estou tentando escolher algumas, mas esta difícil... – mordi o lábio tentando esconder minha vergonha

 

 

— Você esta querendo agradar alguém? – perguntou num tom malicioso, eu poderia repreende-la por falar comigo naquela maneira, mas minha timidez me impediu

 

 

— D-de maneira alguma... Só preciso atualizar minhas peças intimas – desviei o olhar

 

 

— Tudo bem, não precisa ficar assim, venha eu te ajudo – riu breve me levando ao local onde tinham roupas intimas mais simples, mas não infantis.

 

 

Acabei por escolher quatro calcinhas de diferentes cores, e dois sutiãs.

 

 

— Seria bom você levar um conjunto desse, nunca se sabe não é mocinha? – me mostrou um conjunto rosa bebe de renda super delicado, um tanto sexy, sem extravagancias. Era minha cara

 

 

— Tudo bem, irei levar. – paguei tudo no caixa e peguei minha sacola.

 

 

Aquela sessão de compras me deixou com muita fome, acabei parando em uma pequena lanchonete, fiz meu pedido, um grande pedido, com comida até demais para uma pessoa só, após chegar comi tudo de bom grado, e assim que terminei me arrependi, pois estava bufando, paguei e me retirei.

Resolvi dar mais uma andada e observar tudo ao meu redor, até que Daegu tem sua beleza, mas é uma pena um lugar tão belo como esse suportar pessoas de tão mau-caráter.

Sentia-me sendo observada o tempo todo, aquilo começou a me incomodar. Acabei indo a uma praça pouco movimentada para comprovar sobre meu pressentimento e só tive mais certeza ao ver um grande rapaz encapuzado me espreitando.

Engoli seco e resolvi ir ao ponto pegar meu ônibus que passaria em breve, mas fui impedida quando uma grande mão me puxou, pensei em gritar, mas minha boca foi tapada.

 

 

Por favor não grite... – me puxou contra seu peito, e aquela voz nunca me deixaria me enganar.

 

 

Depois de tudo que aconteceu ainda tem a cara de pau de vir me procurar seu cretino aproveitador?! – disse indignada

 

 

— Não sou aproveitador,  todas minhas palavras ditas eram verdadeiras, porque você não acredita em mim?

 

 

— Porque você é um puta de um mentiroso, agora me solta!! – tentei me desvencilhar do seu toque mais era em vão, com raiva daquilo e vendo meu ônibus se aproximar lhe dei um tapa na cara fazendo a mesma virar. — Nunca ouse me tocar novamente cretino!

 

 

Corri  o máximo que pude até o ponto sem olha-lo, parecia que a qualquer momento meu coração iria pular para fora da boca. Aquilo me pegou de surpresa, realmente inesperado. Não se se devo acreditar nele novamente, ele é traiçoeiro e vive falando da sua vingança então não irei deixar-me levar pelo coração ou sentimentos... Afinal, agora eu tenho Yoongi como meu namorado.

 

 

(...


Notas Finais


TÃN TÃN TÃAAAAAN


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...