História Delirious Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Demi Lovato, Justin Bieber, One Direction
Personagens Demi Lovato, Harry Styles, Justin Bieber, Niall Horan, Personagens Originais
Tags Criminal, Dangerous Love, Demi Lovato, Justin Bieber
Visualizações 206
Palavras 1.052
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Por favor, leiam as notas finais, eu imploro a vocês que leiam. LEIAM AS NOTAS FINAIS!

>>> Os personagens não me pertencem, apenas suas personalidades.
>>> Apenas críticas construtivas.
>>> Nada de plágio! Porém caso quiser se inspirar me avise antes.
>>> DL não é motiva á comentários, no entanto, são importantes.

Capítulo 1 - I love you


Fanfic / Fanfiction Delirious Love - Capítulo 1 - I love you

“Como viver? Como posso respirar? Quando você não está aqui, eu sufoco. Quero sentir o amor correr pelo meu sangue. Me diga, é agora que desisto de tudo? Por você, eu tenho que arriscar tudo. Pois já está escrito. Um milhão de pedaços de vidro. Que me assombram do passado. Enquanto as estrelas começam a se alinhar. E a luz começa a sumir. Quando toda a esperança começa a se despedaçar. Saiba que eu não sentirei medo. Se eu arriscar tudo. Você aliviaria a minha queda?” — Writing’s On The Wall, Sam Smith.

POINT OF VIEW JUSTIN BIEBER

Fazia um ano desde o ocorrido. Um ano sem Brooke, um ano sem viver. Christian conseguiu afirmar que o corpo que estava ali era ela e que estava morto. Eu não tinha mais vontade de respirar, muito menos de fazer algo. Era como se todos os dias eu estivesse em luto, ou apenas esperando por ela. 

Eu podia estar parecendo fraco, porém, eu simplesmente não conseguia acreditar. Meus amigos diziam que eu permanecia na fase da negação, mas era difícil sair dela. Um momento ela está te perdoando, desenterrando aquele amor ardente e no outro minuto ele se esvai. Ela evapora da pior maneira. Era estranho dizer que Brooke Somers havia morrido, era horrível eu ter que passar todos os dias pela porta do seu quarto e o ver perfeitamente arrumado. Só que sem ela. 

Droga! Eu tinha que parar de pensar nisso por uma única vez. Todas as manhãs, todas as tardes e todas as noites eram assim. Meus pensamentos nela, e quanto mais eu pensava, menos esquecia e menos aceitava. 

Balancei a garrafa mediana de cerveja em minha mão com as costas repousada na cadeira. Olhei o porta retrato na minha mesa, era Brooke. Seus cabelos castanhos claros compridos estavam amarrados em um coque enquanto ela sorria com o rosto sujo de tinta, foi tirado no seu aniversário. Era a primeira vez que eu a via tão feliz em três anos, e aquele momento assim como os outros estariam gravados na minha memória. Para sempre. 

— Você acha o quê? Que sou o tipo de garota ingênua que baixa a cabeça para um homem? Não Justin! Eu sou livre para fazer o que quiser. Ninguém me diz o que fazer ou deixar de fazer. Acha que vou dizer que sou sua porque minha primeira vez foi com você? Riu. — Não seja tolo! Acha que sou o tipo que quer deitar-se apenas com um homem pelo resto da vida sendo corna? Não! Sou do mundo! Homem nenhum manda em mim, quem dita ás regras sou eu. Não, não é só porque eu sinto algo por você que pode fazer o que bem entender comigo. Eu deixei de ser a Brooke burra e tola, olha para mim! Soltou-se bruscamente de mim apontando para si mesma. — Sou uma nova mulher, forte e independente. Todos me desejam e não é para mesmo, nunca mais vou deixar ser pisada por alguém novamente. 

— Você sente algo por mim? Sorri bobo fazendo-a bufar 

— EU GOSTO DE VOCÊ, ENTENDEU? EU SINTO ALGO POR VOCÊ, ALGO QUE ME FAZ SE ODIAR POR SENTIR! Gritou, me fazendo novamente aquele sorriso bobo apaixonado ressurgir. 

... 

— Para de frescura, afinal, é o nosso lugar não é?! 

— Você gostou mesmo daqui? – Perguntei, sorrindo. 


— Foi a melhor coisa que você fez, até agora. 

— Eu te amo, sempre vou te amar. Ela sorriu. 

— Você é um idiota. 

— E você uma vadia. Abriu a boca fingindo estar indignada, pegou a lata de tinta verde abrindo um sorriso vingativo. Sem pensar, jogo em cima da minha cabeça gargalhando em seguida, mas logo solta um gritou quando a abracei, sujando-a de tinta verde, sem demora tomou meus lábios em um gesto carinhoso. 

O que você fez comigo, Brooke? – Sussurrei com a voz cortante pelo choro. Olhei para cima, piscando várias vezes, impedindo as lágrimas de fugirem. Abaixei o porta retrato, fechando meus olhos com força, irritado com tudo. 

— Está sentindo isso? Assenti, segurando seu corpo quente e nu em cima do meu.— Isso é o seu efeito sobre mim. 

— Você é tudo para mim. Sorri. 

Você é tudo para mim, Brooke. 

Meu Deus! Como eu sentia saudades dela. Do seu corpo, da sua pele em contato com a minha, dos seus lábios rubros, do seu sorriso debochado e principalmente do seu olhar intenso. Brooke Somers podia ter morrido, mas mesmo assim ela continuava ferrando comigo. 

— Justin? – Batidas fracas surgiram em minha porta. Respirei fundo passando as mãos pelo rosto. 

— Entre. 

Amélia entrou em meu escritório com o seu sorriso acolhedor. Ela se sentou na poltrona na frente da minha mesa tirando algo de dentro da sua blusa, era um colar de cruz. Era o colar de Brooke. Inclinei-me para frente ajeitando-me em minha cadeira atento. 

— Brooke me deu isso uns dias antes de morrer. – Disse baixo, provavelmente cuidando o que dizia para mim. 

Todos achavam que eu estava me destruindo, evitavam falar comigo pelos meus ataques de raiva. 

— Q-Quando foi? 

— Eu não lembro bem, talvez um mês antes. Não lembro. 

— E por que me trouxe isso? 

— Ela me disse que caso não voltasse seria melhor te dar isso. – Abaixou o olhar. Amélia estendeu o colar em minha direção, porém não me movi. Então apenas colocou em cima da minha mesa antes de se levantar. Suspirei pegando a cruz de prata, atrás tinha uma marcação, o nome dela. Fiquei fitando-o por cerca de 15 minutos até ver que ele tinha um corte no meio, o puxei vendo que ele se abria. Era um pen-drive. O coloquei no meu Notebook branco, a tela ficou carregando por um tempo até um vídeo aparecer. Era Brooke. 

Seus cabelos estavam soltos e ondulados, sentada na cama do seu quarto. Eu apenas consegui ver que ela usava uma regata branca comprida. Ela olhou para baixo, suspirou fechando os olhos parecendo contar mentalmente. Até que abriu seus olhos revelando as íris castanhas intensas. Oh... Deus! 

Justin, provavelmente se esse colar foi parar em suas mãos quer dizer que eu não consegui vencer. Então... Vou te contar a verdade. Antes de tudo, eu apenas quero dizer algo que não tive chance, quer dizer, tive chances, apenas estava receosa. Eu te amo. 

Meu coração parou. Era a primeira vez que ela dizia essas três palavras. A primeira e a última vez.

 


Notas Finais


No último capítulo de Delirious Love, 57, senão me engano... Eu postei um aviso decidindo que iria excluir minhas duas histórias em andamento, Delirious Love e Abstinence, por motivos pessoais. No entanto, muitas coisas e muitas pessoas me fizeram mudar de ideia então decidi ir apagar o aviso, mas havia recebido um notificação que ambas as histórias, foram apagadas do site por que violei a regra 1.5.

REGRA: 1.5 - Para avisos, notas e agradecimentos, utilize apenas os campos "Notas do Autor" e "Notas Finais". Não os escreva na sua história ou insira-os na sinopse;

E foi por isso, tentei falar com alguns administradores do Site e tudo mais, mas mesmo assim não consegui restaurar. Quis mesmo desistir de postar, por que senti como se meu trabalho de meses, prestes a finalizar, tivesse sido jogado no lixo e desculpem-me mesmo pela demora imensa, quis corrigir os capítulos, criar novos e fazer o melhor para vocês quando voltassem. Quero agradecer a todo apoio que venho recebendo, sei que perdi diversos leitores e peço meus mais sinceros perdão por isso, eu demorei e entendo, obrigada a todos que continuaram pela História e por mim. E ah, se acharam que podiam boicotar a rainha, estavam muito enganados. É como eu digo; THE BITCH IS BACK!

Meu celular estragou, então não estou mais falando no grupo das minhas Leitoras, mas quem quiser pode enviar seu número que coloco depois que recuperar meu popular.

TRAILER (Dangerous Love): https://www.youtube.com/watch?v=DZdowMZa4fk
Twitter: @hailsystem

XOXO, Dangerous Mom.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...