História Delusional. (Hiatus) - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Personagens Ashton Irwin, Calum Hood, Luke Hemmings, Michael Clifford
Exibições 274
Palavras 4.145
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu tenho feito uma série de Desafios no grupo de leitoras do whatsapp. Quem acerta a pergunta sobre minhas fanfics, tem direito a escolher uma fanfic para ser atualizada. Já escolheram a 3ª Temporada de A Fanfic Que Virou Best Seller. Delusional foi a segunda fanfic escolhida! :)
Eu ainda não começarei a atualizá-la com frequência, porque a votação não acabou e porque eu ainda não terminei nem TAUS e nem NR. No entanto, como os capítulos estão prontos e para ajudar vocês na decisão, eu estou fazendo os desafios.
Sim, você pode escolher mais de uma fanfic. :)

O capítulo é mais longo aqui, porque essa é uma short fic. :)
Vamos lá!

Capítulo 2 - A Iniciativa.


Fanfic / Fanfiction Delusional. (Hiatus) - Capítulo 2 - A Iniciativa.

- Os meninos da 5sos deram entrada nessa balada, conhece? – Evelyn perguntou À Alex que já conhecia o Rio. Eu olhei, atenta, enquanto verificávamos o twitter por notícias naquela noite. Não tínhamos tido sorte ao passar o dia na porta do hotel, porque nenhum deles tinha aparecido e ainda estávamos sob efeito da depressão pós show que aconteceu na noite passada.

- Vamos já. – Foi a única coisa que Alex disse, pegando a bolsa de maquiagens para nos arrumarmos no taxi. Eu usava uma saia preta simples e corri pegar os saltos, porque era a única coisa que era rápida para incrementar a aparência. Todas nós nos maquiamos rapidamente no carro e a noite só estava começando. Para a nossa sorte, fomos as últimas a serem liberadas para entrar na balada, porque os seguranças começaram a não permitir mais a entrada de fãs. Todas estavam trancadas do lado de fora, mas nós conseguimos entrar.

Rodamos a balada toda até encontrar os meninos da banda, num canto, bebendo e conversando numa mesa.

- Sejam educadas e finjam que nem ligam tanto assim. – Foi a dica mais idiota que Alex poderia dar, mas funcionou perfeitamente.

- Oi, tudo bem? – Evelyn falou, animada, encostando no ombro de Michael que virou para encará-la.

- Oi...? – Michael parou por um momento tentando reconhecer.

- As meninas do meet! – Luke foi o primeiro a lembrar e Alex comemorou.

- Sim! Nós mesmas. – Ela confirmou, rindo. – Bom ver vocês aqui, meninos.

- Legal! Bom ver vocês também. – Ashton respondeu, simpático, e eu só conseguia ficar muda. Isso era um desastre total.

- Bom, aproveitem a noite. – Alex falou, simpática.

- Obrigado. – Os meninos agradeceram, meio confusos, mas simpáticos. Talvez, eles pensassem que nós fossemos nos agarrar a eles, mas quando simplesmente nos distanciamos, isso os surpreendeu.

Durante a noite, decidimos dançar, mas tomamos cuidado de sempre estar por perto dos meninos. Eles conversaram por um tempo, mas logo levantaram da mesa, se separando. Michael sumiu na multidão e logo depois Calum também. Ashton ficou perto de uma parede, apenas observando tudo. Luke parou ao lado do amigo, bebendo sem parar. Em alguns momentos, os dois trocavam algumas palavras, riam e até arriscavam alguns passos engraçados de dança, mas nada além daquilo. Eu observei Ashton bem na hora que ele rebolou, empolgado, com a cerveja na mão, fazendo Luke dar uma gargalhada. Isso me fez rir também, só que bem na hora, o baterista me notou. Eu continuei rindo, porque não adiantava parar agora e ele sorriu para mim, voltando a ficar parado, sem jeito.

- Com licença. – Calum falou, parando ao nosso lado enquanto dançávamos na balada. Eu virei para ele, surpresa. – Para vocês. – Ele falou, gentil, entregando garrafinhas de cerveja. Uma para cada uma de nós.

- Obrigada! – Eu falei, maravilhada. Ele sorriu para nós, simpático.

- Um agrado por tudo que vocês fazem por nós. – Ele piscou e se afastou novamente.

- Calum Hood nos pagou bebidas! – Cassie declarou, empolgada demais.

- Deus do céu, preciso guardar essa garrafa. – Alex já planejava como levar a garrafinha long neck embora. – Preciso guardar de recordação.

Eu observei a garrafa, perplexa, porque no fundo comecei a me preocupar também. Eu queria levar a maldita garrafinha embora para dizer “essa é a garrafa da cerveja que Calum Hood me deu numa balada”. Coisa de fã mesmo.

- O Ash está olhando. – Cassie sussurrou para mim e eu a encarei, sem coragem para virar para o baterista.

- Mesmo?

- Sim. Ainda está olhando. Ainda está olhando. Ainda está olhando. Pronto, virou para o Luke. – Cassie descreveu, me fazendo rir. Agora eu tinha permissão para encará-lo.

- Ele não estava olhando, não. – Eu falei, sorrindo, até porque Cassie era a mais nova. Nós tínhamos conseguido uma identidade falsa para que ela entrasse naquela balada. E ela vivia constantemente sonhando que alguma de nós, por sermos mais velhas, tínhamos chances com os meninos da banda.

- Estava olhando sim. – Evelyn confirmou séria, tomando sua cerveja. Ok, na Evelyn eu acreditava.

- Eu vou pegar outra bebida. – Eu decidi, chateada. Pensei novamente em guardar a garrafa, mas eu não tinha onde deixa-la. Caminhei para o bar e pedi uma caipirinha, só porque era mais bonito mesmo de segurar. Eu tinha que parar de ser paranoica sobre a minha aparência na frente de Ashton, definitivamente. Eu voltei rapidamente para perto das meninas e notei os olhos verdes em mim, ainda do outro lado com Luke. Eu decidi não retribuir o olhar, porque estava com vergonha.

- Por favor, fica com o Ashton. – Cassie me pediu, agarrando meu braço de repente.

- Como? – Eu falei, sobressaltada.

- Amiga, você saiu e ele se esticou só para ver onde você ia. – Alex agarrou meu outro braço e eu resolvi tomar um gole grande da bebida para digerir aquilo.

- Ai, gente, parem. – Eu pedi, agoniada. – Poxa, justo eu? Tem tanta gente nessa balada. Pra que ele vai querer se envolver com uma fã?

- Você não é uma fã normal, porque você não está no pé dele agora. Você é só uma garota na balada. – Alex informou, maliciosa e eu revirei os olhos.

- Vamos dançar, por favor? – Eu pedi, querendo cortar o assunto e elas bufaram, frustradas. Nós dançamos um pouco. A noite era especial Ariana Grande, então tocavam várias músicas dela e eu sabia quase todas. Ashton continuou seguindo o mesmo padrão durante a noite. Ele sumia, às vezes, e de repente voltava com uma bebida nova ou falava com alguém. Percebi que algumas pessoas pediam fotos com os meninos e eles tiravam tranquilamente.

Já havia passado mais de uma hora e tocava Dangerous Woman. Era difícil manter o foco com a iluminação da balada e algumas bebidas no cérebro. Eu me encostei no balcão, perto do bar para observar. Eu queria Ashton, mas não tinha a mínima vontade de chegar nele de repente. Eu não queria sufocá-lo, então me mantive longe. Observei enquanto as meninas dançavam e respirei fundo.

Os olhos verdes que eu tanto desejava focalizaram em mim, do outro lado da balada. Eu o encarei e lancei um sorriso, mas logo desviei o olhar, tímida. Como você mostra que está afim de alguém se você é tímida demais para isso? De certa forma, eu acho que ele sentia o mesmo. Ele continuou me observando, enquanto tomava sua cerveja. Luke estava bebendo ao lado dele, entediado e bêbado.

Eu voltei a encará-lo e mordi o lábio, nervosa. Ele sorriu diretamente para mim e tomou mais um gole da sua bebida.

- Você tem uma chance. Não desperdice. – Alex falou, parando ao meu lado.

- Ele não ficaria comigo. – Eu disse, arredia, desviando a atenção de Ashton.

- Então, porque ele não para de olhar para cá? – Ela perguntou, rindo, e eu voltei a espiá-lo. Luke falava alguma coisa, mas os olhos verdes continuavam em mim.

- Até parece que eu ia conseguir ficar com Ashton Irwin. – Eu disse, rindo, desviando o olhar de novo.

- Ele é um cara normal, Bella. Não custa você tentar. Se ele te der um fora, é a última vez que você vai ver ele mesmo. – Ela disse, dando de ombros e eu voltei a encarar Ashton que finalmente parou de me olhar. Ele estava lindo. Os cabelos compridos caíam por todos os lados, bagunçados. A camiseta preta lisa e o mesmo jeans preto de sempre. Do seu pescoço, pendia a medalinha de prata.

- Levar um fora do ídolo deve ser dolorido. – Eu disse, pensativa, e Alex riu.

- Mais dolorido do que acordar amanhã sabendo que você nem tentou ficar com ele e nunca mais vai vê-lo? – Ela me provocou e eu revirei os olhos.

- E você? Por que não tenta ficar com o Luke?

- Ele namora. – Ela deu de ombros. – E ele não me olha como o Ashton está te olhando a noite toda. Se não, eu já estaria no colo daquele homem e não aqui conversando com você. – Isso me fez rir. Poderia ser o efeito da bebida ou da música, mas por um momento, eu acreditei que Ashton realmente estava me olhando diferente. Eu teria tirado a sorte grande?

Uma coisa era certa: Se eu acordasse no dia seguinte me lamentando por não ter tentado, seria pior. Eu atravessei a multidão, respirando fundo. Eu sentia os olhos de Alex em mim e segurei minha bebida com mais força, nervosa. Assim que me aproximei, Luke parou de falar e os dois me olharam. O que eu devia falar?

- E aí, gente, curtindo a balada? – Alex interveio, chegando atrás de mim e eu respirei aliviada. Foi por pouco que eu não fiz papel de idiota.

- Bem animada. – Luke disse, sorrindo.

- O que você está bebendo? – Ashton me perguntou, de repente.

- Quê? – Eu perguntei, sem entender. A música estava muito alta.

- O que você está bebendo? – Ele repetiu, se inclinando para mim. Seus lábios estavam perto do meu ouvido e eu sentia o hálito quente me arrepiar.

- Caipirinha. – Eu disse, sorrindo, chegando perto dele e mostrei o copo. Ele sorriu para mim e meu estomago se comprimiu imediatamente. – Quer experimentar?

- O que tem nisso? – Ele perguntou, aproximando seu rosto novamente. Eu me aproximei do ouvido dele.

- É só vodka, limão e açúcar. – Ele me olhou, desconfiado, me fazendo rir. Eu segurei o copo na sua frente, e ele não tirou da minha mão. Pelo contrário, ele segurou o copo por cima da minha mão e eu mordi o lábio. Ele tomou um pouco da bebida com o canudinho e me encarou, em dúvida. – Gostou?

- É boa! – Ele disse, sorrindo.

- Todo estrangeiro que vem para o Brasil precisa experimentar caipirinha. – Eu brinquei e ele riu.

- Parece bebida de mulher. – Ele confessou. Seu rosto estava tão perto que eu sentia sua respiração. Os olhos dele eram verdes, verdes claros. Eu já sabia isso de cor, mas ver ao vivo era diferente.

- Mas, não é! Juro! – Eu disse, rindo. – Homens também bebem.

- Por que não tem homens bebendo isso? – Ele perguntou, olhando em volta.

- É que na balada, eles preferem vodka com energético. É bom também. – Eu expliquei e ele assentiu, sorrindo para mim.

- A gente vai ali fora, o Calum quer fumar. Vamos? – Luke nos interrompeu e eu engoli em seco. Droga. Ele iria se afastar.

- Tudo bem. – Ashton assentiu e virou para mim. – Você não vem?

- Ah, pode ser. – Eu disse, sem jeito, e o segui para fora da balada, deixando o copo vazio da caipirinha em uma mesa. Para o meu alívio, Alex estava um pouco a frente com Calum, conversando do lado de fora.

- E aí, o que vocês estão achando do Brasil? – Cassie apareceu, animada, pela bebida. Nós nos posicionamos numa roda, enquanto o vento batia de leve. Não era um vento gelado, ao contrário da minha cidade. Ashton estava novamente de frente para mim, do outro lado da roda. Ao seu lado, Calum fumava o cigarro e Alex parou ao meu lado, dançando no ritmo da música que tocava lá dentro.

- Por enquanto, não vimos muita coisa, mas é tudo tão animado. – Michael falou, empolgado.

- Quanto tempo vocês vão ficar aqui? – Cassie perguntou, interessada.

- Cinco dias. – Luke respondeu. – O primeiro show foi ontem. Tínhamos hoje e vamos ter amanhã de folga. Depois mais um show e mais um dia de folga antes de irmos para São Paulo. – Ele falou com o sotaque.

- Vai, me ajuda a beber. – Evelyn parou ao meu lado, falando em português e eu arqueei as sobrancelhas, enquanto ela segurava um copo de vodka e trazia na outra mão uma latinha de energético e mais um copo vazio. Eu segurei o copo vazio, surpresa.

- Eu já bebi duas caipirinhas. – Eu a informei, ainda em português.

- Mas, me ajuda a beber essa, porque não vou dar conta sozinha. – Ela disse, risonha.

- Quantas você já bebeu, Eve? – Eu disse, rindo dela.

- Algumas. – Ela deu uma gargalhada. – E o baterista tá te olhando. Sortuda do caralho. – Eu virei o rosto para o Ashton por puro instinto e ele realmente nos olhava, curioso, provavelmente porque não entendia o que a gente falava.

- Porra, não era pra olhar agora. Disfarça. – Ela disse, alterada, segurando no meu braço. Eu ri, me divertindo, mas não conseguia desviar os olhos de Ashton e ele continuou me observando.

- Eve, ele não entende o que a gente diz.

- Uuuuh... – Ela finalmente se tocou e deu uma risada maliciosa para Ashton que imediatamente olhou para ela, arqueando as sobrancelhas, um pouco nervoso. Eu tive que rir e virei para ela.

- Amiga, chega de beber. – Eu falei, firme e ela virou para mim.

- Ele nem sabe o que a gente tá falando. E se eu falar que o Luke tá delicioso? HÁ! Ele não sabe. Posso gritar! QUE AUSTRALIANOS MARAVILHOSOS! – Todos os meninos viraram para ela, sobressaltados, e eu forcei, tirando o copo da mão da minha amiga.

- Não, chega de beber. – Eu falei, tentando não rir.

- Vou chegar no Michael e falar “me come”, será que ele entende? – Ela me perguntou, curiosa e Cassie riu atrás de mim.

- Opa, ela falou meu nome. – Michael falou, rindo. – Isso eu entendi.

- Ela estava te elogiando. – Eu disse, sorrindo, mas todos eles nos olharam desconfiados, rindo.

- Aham. – Michael falou, rindo. – Não parecia um elogio.

- Talvez um elogio pornográfico. – Eu tentei consertar, rindo. – Toma, Alex, me ajuda. – Eu passei a bebida para Alex, voltando a falar português. – Vou pegar uma água pra Eve, antes que ela resolva falar mais obscenidades. – Alex assentiu, rindo e misturou a vodka com o energético.

- Tá, mas me ajuda a beber isso. – Ela me pediu, me dando um dos copos.

- Eu quero também. – Cassie falou, empolgada.

- Você nem devia estar bebendo. – Eu a censurei, porque ela era menor de idade e estava com uma identidade falsa.

- Cara, meu palpite é que vocês estão discutindo quem vai cuidar da amiga. – Calum nos olhou, achando graça.

- Eu vou cuidar da amiga bêbada. – Eu falei, rindo.

- Porque, ela é a mais velha. Eu chamava ela de mamãe, às vezes. Não que isso tenha ligação com o Ashton ser o pai da banda. – Cassie deixou escapar, porque também já estava alterada pela bebida e eu virei para ela, fazendo uma careta. – Ops. – Ela se encolheu e eu revirei os olhos, enquanto os meninos riam.

- Eve, fica aqui. – Eu pedi e tomei um gole da minha bebida, antes de deixar na mão de Cassie sabendo que ela beberia tudo. Eu voltei para dentro da balada e atravessei a multidão até o bar, esperando a boa vontade do garçom em me atender. Isso não demorou muito, porque mulheres eram atendidas rapidamente. Eu pedi uma garrafa de água e ele me serviu rapidamente, marcando na minha comanda. Eu voltei a andar, mas optei pelo caminho perto da parede, pelos cantos, porque até eu já estava ficando tonta com a vodka. Para a minha surpresa, Ashton apareceu um pouco mais distante, na minha frente e eu o olhei, desconfiada, mas me aproximei mesmo assim.

Ele sorriu para mim de um jeito diferente e antes que eu pudesse fazer qualquer coisa, ele me empurrou contra a parede, segurando na minha cintura. Eu sorri, sentindo minha respiração pesar, enquanto ele aproximou seu rosto do meu. Eu não aguentava esperar. Antes que ele chegasse até mim, eu fui até ele, alcançando seus lábios. Ele me beijou, ávido, e eu deixei sua língua passar para explorar minha boca. A garrafinha caiu no chão e eu não me importei. Ele me pressionava com força contra a parede e eu pousei minhas mãos sobre o peito dele, me agarrando à sua camiseta e puxando ele para mim.

Naquele momento, ele não era Ashton Irwin, meu baterista favorito, ídolo que eu perseguia nas redes sociais e que eu gastei todas as minhas economias para conhecê-lo. Ele era só um homem que eu desejava. Ele perdeu sua identidade naquele momento e ganhou uma nova para mim. Eu o conhecia do jeito que sempre sonhei e mesmo assim era totalmente diferente do que eu imaginava.

Ele intercalava o beijo com selinhos para respirar, mas logo voltava a invadir minha boca, na mesma velocidade. Sua mão pressionava de leve a minha cintura, mas ele não ousava descer. Eu subi uma das mãos para a sua nuca, aprofundando o beijo. Passei a mão no seu cabelo, finalmente, e mordi seu lábio com vontade. Não sei ao certo quanto tempo passou, mas, de repente, Ashton foi forçado a se afastar. Eu estava sem fôlego e Luke o puxava pelo pulso.

- VEM, CARA, CONSEGUIMOS CAMAROTE. – Ele disse alto e eu continuei encostada na parede, sem conseguir me mover. Ashton me lançou um olhar, enquanto era arrastado para longe. Ele sorria para mim, divertido, e eu sabia que ele tinha gostado daquilo tanto quanto eu. Mas, logo, ele sumiu na multidão de novo. Eu olhei pelo chão e dei a garrafinha como perdida. Alguém devia ter chutado ela para longe. Voltei para o bar e peguei uma garrafa nova e pedi mais uma bebida, porque precisava comemorar, depois comecei a andar pelo lugar, tentando achar minhas amigas.

- ONDE VOCÊ TAVA? – Cassie gritou quando eu finalmente as encontrei.

- Nem te conto. – Eu falei, rindo, e Alex me olhou empolgada.

- EU NÃO ACREDITO. EU SABIA QUE ELE ESTAVA INDO ATRÁS DE VOCÊ! – Ela disse empolgada e eu dei uma gargalhada, abrindo a garrafinha para Eve.

- Você ficou com ele? – Cassie perguntou, sorrindo de orelha a orelha.

- Sim! Ele me encurralou no canto, literalmente. – Eu falei, sem conseguir parar de rir.

- Assim que você saiu de lá, ele saiu atrás. Eu sabia que Ashton estava indo te encontrar, menina! – Alex falou, quase gritando de empolgação.

- Nossa, valeu à pena. Zerei a vida. – Eu disse, tomando minha bebida e tentando respirar. – Ele tem pegada boa.

- Pena que agora eles subiram para o camarote. – Alex falou, frustrada.

- Foda-se. Nada vai tirar minha animação agora. – Eu declarei, satisfeita e puxei Alex para a pista de dança e as meninas me seguiram. Eu dancei, animada e rindo. Finalmente dei o último gole na minha bebida e larguei numa mesa, voltando para dançar perto das minhas amigas. Agora tocava Side To Side da Ariana Grande. Eu comecei a cantar e dançar com as meninas, empolgada. Naquele momento, a ficha ainda não tinha caído. Eu tinha beijado Ashton. E por mais feliz que eu estivesse, eu ainda não tinha processado a ideia.

Em determinado momento, eu decidi enfrentar a fila do banheiro feminino. Caminhei entre as pessoas com Cassie, mas ela me segurou no meio do caminho.

- Ashton. – Ela falou no meu ouvido e apontou, enquanto eu via o baterista saindo do banheiro, distraído e sozinho. – Pega ele de novo.

- Não... Acho que não vai dar certo. – Eu falei, rindo e ela me deu um tapa no braço.

- Ele não te encurralou? Faz o mesmo com ele agora ou eu nunca vou te perdoar por isso. – Ela exigiu, me fazendo rir mais. Eu observei enquanto ele nem notava minha presença e começou a caminhar em direção ao camarote. Eu passei pelas pessoas rapidamente, sentindo meu coração acelerar. Quando ele estava prestes a passar para o camarote, eu puxei ele pelo pulso e ele virou no automático para ver quem era. Eu sorri, maliciosa, e fiz sinal para ele vir com um dedo só. Ele sorriu e andou para mim, me beijando imediatamente, com as mãos de volta à minha cintura. Eu estava mais corajosa, então passei as mãos pelos braços dele e apertei de leve seus bíceps. Ele me puxou para mais perto, pressionando seu corpo contra o meu, dando mais um beijo idêntico ao anterior, sem me deixar respirar. Suas mãos subiram devagar pelas minhas costas e eu mordi o lábio dele novamente, mais forte e passei os braços em volta do seu pescoço. Ele me abraçou forte e colocou uma mão na minha nuca, me beijando mais ávido. Dessa vez, eu sentia o início da sua ereção na calça, o que só me encorajou a não largá-lo. Ele pressionou seu quadril contra o meu de propósito e eu sorri, satisfeita, porque eu tinha sido capaz de excitá-lo. De repente, ele interrompeu o beijo, ofegante, e sussurrou no meu ouvido:

- Sobe comigo. – Ele pediu e eu assenti. Então, ele me puxou pela mão e mostrou a pulseira dele para o segurança e logo depois fez um gesto para mim. O segurança colocou a mesma pulseirinha verde no meu pulso e então eu tinha acesso ao camarote deles. Nós subimos as escadas e Ashton não largava minha mão. Eu percebi que Luke ficava com uma garota loira e me espantei, porque ele traía a namorada. Calum bebia e dançava, curtindo sozinho. Michael flertava com uma garota e eu engoli em seco. Todos eles subiram ali para ficar com alguma garota. Será que Ashton tinha ficado com alguém enquanto eu estava lá embaixo? Não faltavam garotas naquele camarote.

- O que você está fazendo? – Ashton perguntou para Calum, achando graça e ele fez um passinho de dança engraçado.

- Estou curtindo! – Ele começou a rebolar e Ashton o empurrou.

- Que nojo, cara, sai! – Ele deu uma gargalhada típica de Ashton e eu mordi o lábio, porque as coisas começavam a ficar mais reais.

- Ah, achou ela. – Calum falou, apontando para mim, empolgado e eu franzi o cenho sem entender.

- É, achei. – Ashton falou, revirando os olhos e eu virei para ele sem entender. Ele se aproximou de mim para que eu ouvisse.

- Eu desci para te procurar.

- Eu? – Eu perguntei, pateticamente e ele assentiu.

- Cadê suas amigas? – Luke apareceu ao meu lado, me assustando.

- Estão lá embaixo.

- Traz elas aqui também. Nós liberamos para qualquer garota entrar. – E então, ele acrescentou malicioso. – Só garotas.

Eu ri forçadamente e encarei Ashton que pegava mais uma cerveja do balde com gelos que tinha numa mesa. Ele me olhou e ofereceu, mas eu fiz um sinal negativo com a cabeça.

- Então, vocês fazem muito isso? – Eu perguntei, tentando parecer despreocupada. – Pegar camarotes e convidar garotas.

- Estamos curtindo a vida. – Luke deu de ombros, rindo e eu ri também, tentando manter a pose. Ashton voltou para perto, tomando um gole da sua bebida e eu engoli em seco. Estava subitamente desconfortável. Eu conhecia o outro lado da banda. Festeiros, aproveitando a vida e pegando mulheres diferentes em cada cidade. Ashton me puxou para ele, de repente, e eu sorri involuntariamente, enquanto Calum finalmente tentava falar com uma garota e Luke já tinha se afastado.

- Você não quer? – Ele me ofereceu sua cerveja, enquanto me segurava com um de seus braços em volta da minha cintura. Eu neguei com a cabeça e ele sorriu, se aproximando. – Toma um pouquinho.

- Não. – Eu disse, rindo.

- Por que não?

- Já bebi o suficiente. – Eu ri, sem jeito e ele piscou para mim, tomando um gole da bebida.

- Legal te encontrar aqui. – Ele disse, mudando de assunto e eu sorri.

- Você nos seguiu no twitter. – Eu me arrisquei a falar, porque a bebida não me deixava pensar direito nos assuntos. – Então, eu decidi que precisava te ver de novo. Uma última vez.

- Legal. – Ele riu e me puxou para mais perto. – E aí você veio me achar aqui?

- Incomodado? – Eu perguntei, sem jeito e ele apenas balançou a cabeça negativamente, sério e aproximou seu rosto mais do meu.

- Se você não tivesse me achado, isso não teria rolado hoje. – Ele disse, direto, e eu sorri.

- Você teria achado outra. – Eu o ataquei, maliciosa, me referindo às meninas no camarote.

- Mas, eu gostei do SEU beijo. – Ele falou, sorrindo e eu arqueei as sobrancelhas, surpresa.

- Ah, é? – Eu não acreditava nele, mas pelo menos, a resposta era boa. Ele se aproximou mais e eu coloquei meus braços em volta do seu pescoço.

- É. Eu viciei. – Ele disse, direto, e me beijou. Dessa vez, foi diferente. Ele me pressionou contra a parede do camarote, onde estava mais escuro e eu sentia que com a mão livre da cerveja, ele descia devagar. Seus dedos passaram de leve pela minha coxa, mas eu estava nervosa. Parecia que ele era galinha e eu totalmente substituível por qualquer outra que estivesse ali. Eu sabia que era Ashton Irwin. Mas, eu não conseguia mais relaxar. Meu coração acelerou e eu interrompi o beijo com selinhos. Ele não notou o meu desconforto e sorriu para mim.

- Eu já volto. – Eu disse, no ouvido dele. – Vou ao banheiro. – Ele assentiu, confuso, e eu virei as costas sem me despedir.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...