História Demangel - Capítulo 6


Escrita por: ~

Visualizações 1
Palavras 2.131
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Fantasia, Ficção, Lemon, Mistério, Sobrenatural, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


OII
VOLTEI
AMANHA TEM 2 HEIN
Vou postar 1 episódio nas sextas ou na quinta, 1 no sábado e 2 no domingo

Capítulo 6 - Thank You


 

(Hoshi on)

- Tchau Lu, tchau Baek! 

- Tchau! - responderam em uníssono. Havia acabado de terminar um trabalho chato da escola na casa do Baek com o Lu.

Cheguei em casa e perguntei ao mordomo onde ele estava.

- Cadê meu pai Luizy?

- Não está senhor. Dona Bom fez seu almoço.

- Oh, ele não está... - abaixei a cabeça - Tudo bem, vou comer. Pode se retirar se quiser Luizy. Fique à vontade.

- O senhor sabe que não tenho essa liberdade.

- Quando meu pai não está em casa você tem, ou seja, todos os dias da semana! - corri subindo as escadas e entrei rápido em meu quarto.

Meu nome é Min Soonyoung e tenho 18 anos.

Sabe, eu me sentia muito sozinho. Quer dizer, Baek e Luhan são meus melhores amigos desde a 7° série, quando mudei de escola. Eu me sentia sozinho porque sou um pouco... diferente. Eu não tenho asas. É loucura, não? E sim, eu sou um anjo, mas elas nunca nasceram e eu queria muito saber como é tê-las. Poder voar quando alcançasse os 23 anos...

Para ajudar, meu pai me odeia. Eu faço de tudo para ser o filho perfeito, mas nada muda. Sou o representante da escola, tenho as maiores notas das escolas do bairro, ajudo as empregadas e os mordomos quando posso, trabalho de secretário na empresa Park, e ainda assim ele não está nem aí. Só queria ter um pouco da sua atenção...

Minha mãe? Eu não tenho. Pelo simples fato de não saber quem é e de que meu pai nunca me conta. Toda vez que eu pergunto dela, ele me manda para meu quarto e me deixa de castigo.

- Senhor? - ouvi batidas leves na porta e sua voz doce. Era a cozinheira Bom - Não vai comer querido?

- Obrigado Bom, mas eu perdi a fome. 

- Mas foi eu que fiz... Não vai comer mesmo? - sussurrou na porta

- Tudo bem, você venceu - Levantei da cama e abri a porta. Ela estava lá com um sorriso vitorioso eu sorri também. Eu a considero como uma mãe. Ela que cozinha para mim, lava minhas roupas, me ajuda em lições, me põe pra dormir (ok essa ultima parte era desnecessária)... E é claro que não faz isso quando meu pai está, porque se não ela nunca mais me vê. Bom é uma Park, e eu quis uma Park especialmente porque essa é a minha família preferida, a maior e mais famosa entre os anjos.

Seungyoun, ou Luizy (apelido) é meu mordomo favorito, porque ele age sempre meio sério e isso é engraçado. Mas é cansativo ficar falando toda hora "Fique à vontade Luizy". Uma hora ele se solta e fica muito falante, contando piadas e vira o contrário do que mostra ser sempre.

Meu pai se chama Min Yoongi, e ele é o dono do condado, ou seja, ele é juíz, presidente, etc. Só ocupa os cargos mais importantes. Desde que eu nasci ele é distante de mim, e sua desculpa é que está em um caso muito importante de uma garota que é filha de um anjo e um demônio. Meu deus, imagina como ela deve sofrer. Mas ele está a 18 anos nessa desculpa, nem sei se essa menina existe de verdade.

- Está fria a comida? Você demorou para descer. - disse Luizy

- Não, está ótima, do jeito que eu gosto - olhei para Bom que sorria enquanto comia seu almoço junto comigo - Daqui a pouco eu vou pro condado.

- O QUE? Não faça isso Hoshi - Hoshi é um apelido carinhoso que tenho desde que nasci - Não pode ir lá de repente. Sabe disso - as vezes eu vejo realmente uma mãe dentro da Bom.

- Não é uma boa ideia senhor... erh, quer dizer... Hoshi. Seu pai vai ficar bravo com você.

- Como se ele realmente se importasse comigo - dei de ombros - não to nem aí, eu vou e acabou. Chame o motorista Luizy.

- Qual deles?

- Seungri.

- Ok - ele saiu e logo voltou com meu motorista

- Para onde quer ir Hoshi? - perguntou Seungri

- Condado do Céu.

 

[...]

 

- Wow, como isso ficou maior! - afirmei quando chegamos. Nem me lembro quando foi a última vez que vim pro condado. Lembro que vinha muito visitar meu pai quando tinha 13 anos, ou 14, não lembro. Eu gostava de ficar na secretaria com a atendente Kristal. Ela era muito gentil e me dava atenção toda vez que eu ia lá. Mas ela foi demitida pelo meu... pai... a dois anos.

Subi as escadas gigantes e cheguei até a porta da sala do meu pai que eu conhecia muito bem. Quando ia bater na porta, um segurança me impediu dizendo que "senhor Min está em uma reunião longa e importante agora, não quer que o atrapalhe ,Blá, blá, blá..."

Desci as escadas novamente e me sentei a umas cadeiras embaixo da mesma. Depois de uns 10 minutos mexendo em nada no celular, decidi explorar aquele lugar que duplicou de tamanho. Subi e desci várias vezes aquela escada, entrei e saí de várias salas até encontrar uma escada meio isolada e escondida. Como eu sou George o Curioso, desci a escada sem hesitar e quando cheguei lá embaixo deixei meu queixo cair. Haviam várias celas, e algumas delas tinham esqueletos humanos inteiros. Andei devagar, já que estava um pouco escuro. Encontrei um guarda dormindo profundamente, e eu o reconhecia de algum lugar. Acho que se chamava Taeyong, algo assim. Ele era treinador policial e já apareceu lá em casa diversas vezes com outros colegas do meu pai. Continuei andando mais silencioso ainda e encontrei uma cela com uma pessoa dentro. Era uma menina e num folheto preso na cela tinha o nome "Sany" com a data de hoje marcada. Também tinha uma cruz desenhada. Ela estava encolhida abraçada aos joelhos chorando baixo.

- Psiu! - chamei baixinho

- Quem é você? Vai me machucar também? - ela levantou a cabeça e estava com os olhos inchados, talvez de tanto chorar. "Machucar". Por que eu faria isso?

- Shii... Fale baixo, aquele ali está dormindo. Eu não vou te machucar, por que faria isso?

- Porque você é um deles, não é?

- Eles quem?

- Eles .-apontou para um quadro que tinha a imagem do condado inteiro.

- Pera, que? - ouvi um ronco do guarda e me assustei

- É. Ele me disse que eu vou morrer hoje. Ele vai me matar!

- SHIII! Quem te disse isso? - estava desconfiando de alguém já. O que não era novidade.

- Ele! - apontou para meu pai no quadro

- Ora aquele... Quer saber? Vou te tirar daqui.

- Sério?

- Claro. Não acho que mereça morrer.

- OBRIGADA! - falou um pouco alto e se levantou

- SHIIIIII! Ele não pode acordar, se não eu acabo como você!

- M-me desculpe, obrigada - cochicou.

- Como te tiro daqui?

- Com a chave. Está com ele. - apontou para Taeyong

- Ok, eu vou pegar sem acordá-lo.

- Cuidado moço!

Me aproximei lentamente de Taeyong, até conseguir ouví-lo respirar. As chaves estavam em seu cinto, e seu braço em cima dela. Ótimo. Como eu tiraria a droga da mão de cima da chave? Espera, tive uma ideia. Peguei uma palha do chão e fiz cócegas em seu rosto. Ele levantou a mão para coçar, mas foi a mão errada. ERGUE A MÃO ESQUERDA, NÃO DIREITA! Passei a palha em seu rosto de novo e ele ergueu as duas mãos, juntando-as e colocando do lado do rosto. Perfeito. Devagar, consegui retirar as chaves do cinto de Taeyong e fui rápido (e em silêncio) abrir a cela.

- Muito obrigada, não sei como agradecer! - ela saiu da cela e me abraçou

- Ahn... éhr... De nada - corei e podia ser vendido numa feira, porque tava vermelho igual tomate.

Mais um ronco alto do Taeyong e nós dois nos assustamos, fazendo ela se soltar e eu colocar minha mão em sua boca para não gritar. 

- Ufa!

- ATCHIM! - ela espirrou. Alto, e por sinal, na minha mão. Acho que falei cedo demais. Corri e nos escondemos em uma cela aberta. Taeyong acordou coçando os olhos, olhou em volta, e ao invés de ser como nos filmes (quando o guarda vai procurar o que aconteceu), ele simplesmente DORMIU DE NOVO. 

- Eca! Você espirrou na minha mão! - Limpei minha mão no chão.

- Me desculpe, mas acho que tenho alergia a palha.

- Tudo bem, tudo bem - suspirei - Tem alguma saída por trás da empresa?

- Sim. Quando me trouxeram para cá, entramos por lá - apontou para uma pequena porta do outro lado de Taeyong.

- Ok, vamos sair daqui em silêncio porque se aquele guarda acordar, viramos pasta de amendoim.

Passamos em silêncio absoluto e conseguimos sair pela portinha. Ela dava para um campo enorme e muito bonito. Tinha várias flores de várias cores e tamanhos. Quando vi, a garota já corria por lá e ria feito boba.Foi aí que me toquei: não perguntei seu nome.

- EI! - gritei para ela me ouvir - Qual o seu nome?

- Sany, e o seu?

- Soonyoung, mas pode me chamar de Hoshi - então o nome do papel na cela era o nome dela. Era um nome bonito.

- Tudo bem Hoshi! Eu te agradeço por me tirar daquele local!

- Não há de quê Sany.

(Hoshi off)

 

(Sany on)

Hoshi me ajudou muito. Nem sabia o que fazer para retribuir. Estávamos sentados perto da floresta que tinha ao lado do campo florido, e ele decide quebrar o silêncio.

- É... Sany, você vai aonde agora?

- Na verdade, não sei. - me esqueci desse detalhe. Para onde iria? - Mas quero voltar de onde vim.

- E de onde você veio?

- Vim da Terra.

- Terra? O mundo entre o céu e o inferno? Maneiro!

- Bem, na verdade eu nasci aqui. Quer que eu te conte minha história?

- Temos muito tempo ainda - disse após olhar o relógio - pode contar.

Eu lhe contei tudo.

 

[...]

 

- WOW ISSO É DEMAIS SANY! Você é metade humano e metade anjo! Mas...por que não tem asas?

Só agora que percebi que ainda estavam sumidas. Mostrei a ele o lance das asas e ele desfez o sorriso aos poucos até olhar para baixo meio triste.

- O que foi Hoshi?

- Bem, eu... não tenho asas. Não sei o por quê. Quando te vi achei que era igual a mim.

- Oh, se você quiser que eu esconda minhas asas para se sentir melhor, eu escondo.

- Eu... agradeceria.

- Tudo bem, eu escondo. - escondi as asas e ele ficou feliz novamente.

- Bem, e como você vai coltar pra Terra? Eu ouvi que chegar até lá leva um tempo.

- Eu não sei, mas preciso ver meu pai Joshua. Quero saber como ele está... Estou tão preocupada com ele...

- Se... Se você... Se você quiser ficar na minha casa da árvore até voltar para sua casa, pode ficar.

- Sério? - ele assentiu tímido, tão fofo - AAHH OBRIGADA! - pulei em cima dele, o abracei e lhe dei beijos na bochecha. Não sei por que, mas ele ficou com vergonha e vermelhinho.

- Ahn, Vou te le-levar p-pra lá - saiu debaixo de mim e puxou meu braço para dentro da floresta. Andamos um pouco e chegamos a uma construção de madeira em uma árvore. A casa era grandinha, podia ficar ali. - Vou ligar para meus mordomos e dizer que vou ficar na casa da árvore hoje, para não te deixar sozinha. Meu pai não volta para casa hoje, de sábado ele nunca volta.

- Tudo bem - sorri e depois dele ligar, me disse que todos os dias viria aqui me ver e me ajudar quando precisasse. Assenti e fomos dormir. Eu na cama e ele num saco de dormir no chão.

 

(Sany off)

 

(Yoongi on)

 

- EU NÃO ACREDITO QUE ELA FUGIU TAEYONG! - gritei

- Me desculpe senhor, acabei adormecendo, e ela escapou não sei como.

- E O QUE VAI FAZER HUH?

- Em 3 dias ela estará aqui para o senhor matá-la. Me dê apenas 3 dias, eu imploro!

- Essa será a sua única chance. Se não conseguir, vai acabar morrendo junto dela. - sai da sala e fui resolver problemas da empresa, já que de sábado eu não volto para casa.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Se eu pego aquela pirralha maldita... Não vai prestar. Ela vai sofrer, e muito.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Me aguarde Park Sany Wu. Logo você verá seus pais biológicos.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

(Yoongi off)

 


Notas Finais


BEIJO NO KOKORO <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...