História DEMON - Taehyung - [BTS] - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Bts, Demon, Evil, Faculdade, Hentai, Selfinserction, Taehyung
Visualizações 659
Palavras 1.380
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 7 - Polite


Fanfic / Fanfiction DEMON - Taehyung - [BTS] - Capítulo 7 - Polite

Finalmente sexta-feira, dia de pegar o trem e ir visitar minha família. Estava caminhando no gramado do campus à caminho do portão, uma mão segurou meu pulso e logo que ví era Jimin.

- Te assustei? - Perguntou rinsonho, neguei com a cabeça. - Ah, mesmo assim, desculpe. Eu queria saber o que vai fazer hoje?

- Vou visitar minha família.

- E quando volta?

- Está querendo saber demais, Jimin. Tenho que ir.

- Tudo bem... Desculpa.

"O que ele queria? Vindo atrás de mim, eu hein." - Pensei.

[...]

O final de semana passou voando, domingo já estava deitada na cama do apartamento que divido com Mia e Sunny. Estava olhando pro teto enquanto Mia dormia na cama ao lado e o relógio marcava mais de meia noite. Levantei para beber água e fui olhar minha barriga. Fechei os olhos e lembrei de Taehyung derrubando a xícara em mim, só que ao mesmo tempo, lembrei de seus olhares e ações naquele asilo. Estou indo os visitar uma vez por semana, vou sozinha e dou o máximo de atenção que posso.

Segunda de manhã, Taehyung não foi a aula, nem terça ou quarta. Provavelmente enchendo a cara por aí.

Só que quinta ele veio, e veio com a maior cara de sono possível. Quem olha deve pensar que ele está doente.

E novamente, estava caminhando pelo campus quando Jungkook veio me chamar.

- Anne, o que vai fazer hoje?

- Por que estão tão interessados no que faço em meu dia a dia? Estão armando outra coisa?

- Perdão... Eu só queria saber...

- Se está tão interessado, vou passar o dia em casa estudando. - Menti.

- Ok... Bom estudo então.

Continuei seguindo meu caminho até o portão, assim que passei de novo uma mão puxou meu pulso. Uma mão grande e gelada. Bufei e olhei para trás, dessa vez era Taehyung.

- Deixa eu adivinhar. Quer saber o que vou fazer hoje?

- Não. Eu já sei o que vamos fazer hoje.

- Como assim "vamos"?

- Cala a boca e vem comigo.

- Não me manda calar a boca! E eu não vou a lugar algum com você.

- Não me irrita. Anda logo.

Ele saiu me puxando pelo pulso e destrancou um carro, era um Toyota, carro de gente velha. Abriu a porta do carona para mim e esperou que eu entrasse.

- Eu não confio em você e não vou a lugar nenhum. Solta meu pulso por favor.

- Entra.

- Não.

- En-tra! - Mandou cerrando os dentes.

- Não!

- Eu já disse para não me irritar.

- E eu já disse que não vou.

- Caralho, garota chata! Entra nesse carro agora! - Gritou.

- Não vou entrar e ponto. Eu não confio em você. Agora solta meu braço ou eu vou gritar.

- Grite então. Quero ver se tem coragem.

- Quer ver? - Eu ia gritar, mas antes que conseguisse ele tapou minha boca.

- Eu te solto, sua maluca. Some da minha frente.

Saí andando para o portão e rapidamente meu ônibus passou. Coloquei meus fones e tocava Attention do Charlie Puth; meu pulso estava dolorido, nele estava a marca da mão de Kim Taehyung. Este garoto insiste em deixar marcas em mim, puta que pariu. Tanta gente no mundo, tinha que estudar logo com esse daí? Espero que ele não fique os cinco anos de faculdade aqui.

[...]

- Minha querida! Que bom que veio nos visitar. Vai me maquiar hoje?

- Claro que vou, dona Ji.

De todas as vezes que vou visitar o asilo, a senhora sem a mão é a que mais amo ver. Eu nunca conheci meus avós, ela se tornou uma avó para mim.

Estava a maquiando, ela ria contando suas histórias, até que bateram na porta.

- Pode entrar! - Ela disse sorrindo. - Mas olha só quem veio me ver. O bonitão. - Imaginei que fosse algum senhor ou enfermeiro do asilo, me virei rindo e não acreitei quando ví Taehyung na porta.

- Trouxe rosas para a senhora. Aqui. - Ele entregou um buquê completo de rosas claras para ela e deu um beijo em sua testa. - Tudo bem, Anne?

- Tudo bem... - Respondi seca. - O que está fazendo aqui?

- Vim visitar a senhora Jigong.

Levantei da cama dela e fui guardar minha necessaire na bolsa, ele se colocou no lugar que eu estava antes e ficou segurando o pulso dela.

- Desculpe não ter vindo antes, mas eu tive alguns imprevistos.

- Tudo bem, menino. Afinal, não é todo dia que sou visitada por um homem tão lindo, né. - Eles riram e eu apenas encarava aquilo num canto do quarto.

- A senhora está muito linda. Vai sair?

- Se algum dia eu sair daqui novamente, provavelmente será para o cemitério.

- Não fale assim, senhora Ji. - Me meti na conversa deles. - Se eu pudesse, levaria a senhora para o lugar que quisesse, mas eu não tenho carro...

- Não se lamente, querida. Tudo bem, mesmo.

Ficou um silêncio desconfortável por alguns minutos, Taehyung levantou, virou-se, deu alguns passos puxando os cabelos da lateral da cabeça.

- Nós... Nós vamos levá-la para passear. Este sábado vamos levar a senhora onde quiser.

- Vocês vão? Mesmo? - Ela parecia animada.

- Vamos. Não é, Anne?

- Ah, si-sim. Claro! Nós vamos.

Ela sorriu para nós e achei melhor eu ir embora. Já deu no que tinha que dar. Desci as escadas sendo seguida pelo castanho, passei pela porta e ví o senhor Hyun dormindo em sua cadeira de balanço, queria me despedir mas achei melhor deixá-lo descansar, ele nem me reconheceu quando cheguei.

- Anne, espera. Te dou carona. - De novo o garoto, mas que saco.

- Eu não preciso, pego um ônibus.

- Por favor, faço questão. - Ele sendo educado... Não vou negar que quero carona, melhor que os dois ônibus que eu teria que pegar.

- Tudo bem... Mas só dessa vez. - Suspirei e fui para o carro com ele.

Taehyung destrancou um Volvo dessa vez. Eu achava que ele tinha um Corolla da Toyota.

- Eu achei que você tinha um Corolla...

- Aquele é dos meus avós, eu tinha buscado na oficina ontem cedo e fui deixar lá.

- Ah... Por que veio aqui do nada?

- Eu já estava querendo vir os visitar, ia te trazer na saída já que tem vindo, só que você fugiu.

- Como sabe que eu tenho vindo?

- A professora agradeceu suas visitas na aula várias vezes. - Falou como se fosse óbvio.

- Verdade.

Ele ligou o rádio e estava numa estação de música clássica, ele ia dirigindo com atenção e era bom motorista. Fui reparando nele dirigindo, como eu não sei dirigir e gosto de carros, sempre faço isso quando entro em um carro.

- O que foi? - Ele perguntou calmo.

- Hum? Nada não... É que eu não sei dirigir, então fico prestando atenção.

- Ah... Gostaria de dirigir algum dia?

- Sim, muito. Por mim eu já teria licença, mas não posso pagar a auto escola e nem o carro.

- Entendi... Você mora com a namorada do Namjoon, a Mia, certo?

- Sim, a Mia. Moro com ela.

- Eu sei onde é... Eu ia perguntar o endereço, mas tem esse detalhe.

- Pois é.

Ele parou o carro na frente do prédio e destravou as portas.

- Obrigada pela carona.

- Ah, Anne...

- Sim.

- Co-como está sua barriga?

- Melhorando... Estou fazendo o que a senhora Ji tinha falado, tem melhorado mais rápido.

- Que bom... Me desculpe pelo que fiz.

- Tudo bem. Tenho que ir, boa noite.

Saí do carro e andei para dentro do prédio; assim que cheguei em casa, Sunny correu em minha direção.

- Aí hein, Anne! Chegou num carrão.

- Pois é, ganhei carona do asilo para cá... Vou descansar um pouco antes de voltar a estudar.

- Mas já é tarde, espere para jantar e depois dorme. Você já estudou muito hoje.

Ela estava certa, depois de ler tudo, resumi e ainda montei revisão. Resolvi então tomar um banho, liguei a água para ir temperando enquanto eu tirava a roupa.

Dessa vez não quis olhar a barriga no espelho, fui direto para a ducha morna. Ao me ensaboar, passei as mãos na barriga e a marca da queimadura já estava quase nivelada à pele, espero que fique pelo menos lisinha novamente.

O que passava na minha cabeça era o moreno. Ele faltou três dias seguidos, voltou cheio de olheiras, mais magro e ainda foi no asilo, prometeu levar a senhora Ji para passear e ainda me deu carona, todo educado. Que bicho mordeu ele?


Notas Finais


Taehyung sendo educado? Uau 🐯


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...