História Demon Eyes - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Baekhyun, Chanyeol, Chen, Exo, Kai, Kyungsoo, Lay, Luhan, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Exibições 7
Palavras 2.459
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Hentai, Lemon, Luta, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Postei e sai correndo, mto obg.

P.S: As frases em itálico são o pensamento do Baek. Sim, ele fala com ele mesmo rsssssss

Capítulo 1 - 1


Ruas de Seul,  03h17min

 Por que diabos eu estou andando no meio da rua, a esse horário e com esse frio? Bom, o principal motivo é que eu estou a procura de algo, algo muito precioso, mas que pessoas comuns não podem enxergar, apenas quem tem os olhos de demônio.

 Olhos de demônio?O que isso? Você bebeu?

 Pelo modo que eu falei realmente aparentou isso, certo? Mas não, amigos, eu não ingeri nada que pudesse alterar meu estado mental.
 
 Mas então o que diabos seria ''olhos de demônio''?

 Olhos de demônio nada mais é do que o próprio nome diz, não que seus olhos tenham uma aparência diferente do comum, não não. O que você enxerga é diferente do comum, você enxerga coisas terríveis, basicamente você enxerga o inferno na terra.

 Certo... mas então... o que você quer tanto assim achar? E por que é tão valioso?

  O que eu quero achar... eu quero achar a única coisa que pode me livrar dessa maldição... Oh, eu acho que não me apresentei a vocês ainda, certo? Meu nome é Byun Baekhyun, tenho 24 anos e eu tenho os não tão famosos olhos de demônio desde que me entendo por gente, infelizmente.

   Continuei a andar por aquelas ruas desertas, como uma cidade tão luminosa de dia pode ser algo tão sombrio a noite? Se eu fosse uma pessoa normal, não estaria tão ruim assim, mas como não sou, cá estou eu enxergando as trevas e até os próprios demônios nessa rua que parece não ter fim e nem começo.

 Espera, você até mesmo enxerga demônios?!

 Sim, eu até mesmo enxergo demônios... e por falar em um, parece que hoje não é meu dia de sorte, já que um deles está me seguindo, não um literalmente, mas apenas uma pessoa que provavelmente que se aproveitar de mim, talvez se eu mudar de caminho ele me deixe em paz.
 
 E assim continuei a caminhar, virando a direita e colocando as mãos nos bolsos de minha jaqueta, mas mesmo assim aquela pessoa não parou de me seguir...

 - Tudo bem, o que você quer? - Virei para ele e perguntei enfim.

- Você é Byun Baekhyun, certo? Você também enxerga essas... ''coisas'', certo?

  O que está acontecendo?

- ...Quem é você? - Perguntei meio apreensivo.

- Sou Park Chanyeol, eu também tenho os olhos de demônio.

- O... o que? Você está falando sério?

 Fiquei perplexo, mesmo sabendo que não era o único com esse ''dom'', nunca pensei que poderia encontrar outra pessoa e ainda mais enquanto estava andando pela rua a essas horas.

- Sim, você está a procura do livro também, não é?

- Como você sabe? E como você me conhece? -  Acabei aumento o timbre sem querer, eu estava começando a ficar nervoso. Ele olhou para os lados e depois se aproximou de mim.

- Não vamos conversar sobre isso aqui, ''eles'' podem saber e tentar impedir que cheguemos até o livro. - Sussurrou em meu ouvido e eu o encarei.

- Como posso saber se posso confiar em você? - Perguntei me afastando um pouco.

- Como você pode saber que não pode confiar em mim? Sério, que tipo de pessoa iria te parar no meio da rua para conversar sobre isso e depois te apunhalaria pelas costas?

- Touche. - Dei-me por vencido.

  Ele deu um meio sorriso e olhou em volta novamente, fiz como ele e também olhei, haviam dois demônios que pareciam nos observar também, porém eu fingi não os ver. Essa é sempre a melhor opção.

- Você também percebeu eles, não é?

  Confirmei com a cabeça.  Ele suspirou e me olhou novamente.

- Vem, eu sei de um lugar onde eles não podem entrar e nem ouvir nada.

- Realmente existe um lugar assim?

- Sim, eu pesquisei muito para poder criar ele.

- Espera um pouco, você criou esse lugar? Como fez isso?

- Muitos símbolos e muito sal. Agora vamos.

- Como vamos chegar lá?

- Vamos pegar um táxi, o lugar fica no exterior então vai demorar um pouco.

 Suspirei novamente e o segui, será mesmo que devo confiar nele? Quer dizer, eu estou basicamente assinando minha morte se ele não for confiável.

✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹   ₪ ₪ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹    ₪ ₪ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹ ✹   

  1h de viagem, eu Byun BaekHyun, aguentei uma hora sentado em um carro com um motorista que tinha maldade demais para o meu gosto.

 Espera, o motorista era um demônio?

  Não, mas ele já havia feito muita coisa errada na vida e ainda pretende fazer mais ainda.

  E como você sabe disso?

  Porque ele não era um demônio, mas quem estava preso nele era. Mas enfim, mudando de assunto, mesmo quando descemos do táxi, tivemos que caminhar por mais 20min em uma floresta em um total breu às quatro e meia da manhã, mas pelo menos a floresta parecia estar menos infestada de demônios do que a cidade, já que eles adoram fazer as pessoas ficarem depressivas ou maldosas.

- Chanyeol, desde quando você consegue enxergar essas coisas? - Quebrei o silêncio.

- Desde os meus 14 anos, não é um historia que eu tenha prazer em contar... E você, Baekhyun?

- Acho que desde que eu me entendo por gente... você conversou com a sua família sobre isso? Ou conversou com alguém, sei lá. - Levei um susto ao pisar em um galho e quebrá-lo, fazendo com que um som alto saísse do mesmo.

- Baekhyun, vamos conversar depois, não me entenda mal, mas não quero conversar sobre isso agora. - Ele virou-se de supetão e me olhou, fazendo com que eu desse alguns passos para trás.

   E mais uma vez me dei por vencido, continuando a andar em silêncio.

- Já estamos chegando, Chanyeol? - Falei ofegante.

- Já chegamos, Baekhyun. - Ele parou em frente a uma porta que estava incrivelmente localizada no chão, nela havia um símbolo que eu não pude identificar, mas posso garantir que já o vi em algum lugar. - Vamos, pode entrar. - Abriu passagem para que eu entrasse e assim fiz, dando um pulo curto até o chão.

  Logo que ele entrou, fechou  a porta e fez o mesmo símbolo que estava desenhado na parte superior com as mãos.

 Certo, aqui está escuro e só dá para enxergar a porta por conta da luz da lua.

- Espera um pouco, vou acender uma lamparina. - Falou.

- Como? Não dá para enxergar nada aqui! - E assim que falei, ele tirou uma algo dos bolsos e acendeu nada mais nada menos do que um fósforo e foi até em direção ao objeto.

- Agora dá. - Respondeu rindo de leve e apagando o fósforo, deixando apenas a lamparina acesa. - Me segue senão você pode tropeçar em algo.

  E assim que ele falou, lá estava eu, Byun Baekhyun, atirado no chão escutando a gargalhada daquele idiota.

- Hahaha, muito engraçado, hahaha, agora me ajuda a levantar! - Falei.

- E você por acaso não consegue fazer isso sozinho?

  Bufei de raiva e levantei rapidamente.

- Idiota! - Murmurei.

- O que disse?

- Não conseguiu ouvir? Essas suas orelhas enormes são de enfeite? - Ninguém zomba de mim sem receber nada em troca.

- As minhas orelhas podem ser grandes, mas quem se parece com um anão aqui é você. - Ele respondeu e eu fiz um olhar de desentendido.

   Ele se aproximou de mim e colocou a mão rente ao topo da minha cabeça, como se estivesse medindo minha altura e ele está!

- Ora seu!

- Shh, vamos parar de discutir e vamos logo até o lugar.

- Ué, não é aqui?

- Está vendo algo de importante aqui?

- Para falar a verdade eu não estou vendo nada aqui.

- Exato. Vamos logo.

  Assenti e o segui, dessa vez tomando cuidado aonde eu pisava, até que dei de cara com suas costas, ele girou seu corpo para poder enxergar melhor o lugar, até que saiu correndo de perto de mim sem avisos.

- Chanyeol! Seu puto desgraçado, aonde você 'tá? - Me desesperei começando a caminhas as cegas pelo lugar, até que vejo a luz da lamparina novamente, e o dono dela gargalhando novamente da minha pessoa. Não aguentei de raiva e o estapeei muito, dei socos e pontapés também. - Desgraçado, filho da puta, não faz mais isso!

- Meu Deus, você tinha que ver a sua cara! Se bem que nem eu mesmo vi, mas você tinha que ouvir a sua voz desesperada! - E mais uma vez riu, como recompensa a esse ato, lhe dei um pelo chute nas partes mais baixas dele, fazendo com que ele se ajoelha-se no chão, agonizando de dor.

Agora quem está se divertindo sou eu. - Falei em tom abusado. - Anda logo e levanta, quero chegar nesse lugar logo.

- Mas nós já chegamos, seu imbecil. - Falou ainda em tom agonizante.

  Peguei a lamparina de sua mão e observei ao redor, ali estava cheio de livros e como ele mesmo disse anteriormente, havia muito sal também. Me aproximei de um dos livros e vi uma imagem de Lúcifer... o que diabos esse garoto está lendo?
  Quando menos esperei, ele pegou a lamparina novamente e sentou em um colchão que estava no chão, apontando ao seu lado para que eu sentasse ali.

- E então... por que está atrás do livro? - Perguntei assim que sentei.

- Pelo mesmo motivo que você. Quero acabar com esse inferno de uma vez. - Respondeu encostando sua cabeça na parede de barro.

- E como você me conhece? E como sabia aonde eu estava?

- Bom, eu meio que conheço a sua mãe e meio que conheço você também...

- Como assim?

- Eu era seu vizinho, Baekhyun. Eu morava na casa à frente da sua e nós brincávamos e você até mesmo me falava das coisas que via e eu sempre acreditei em você.

  Fiquei em silêncio ouvindo suas palavras calmamente, a ficha não queria cair, por que eu não me lembro disso?

- Até que você ficou uns dias sem ir a minha casa, então eu fui até a sua perguntar de você, mas sua mãe me contou que você havia se mudado de lá para ir morar com seus avós. - Suspirou. - Depois de que eu mesmo comecei a ver essas coisas, tentei lidar com isso sozinho, mas então me lembrei das coisas que você falava, então por fim, depois de anos, fui perguntar para a sua mãe onde você estava morando e ela me falou.

  Eu já conhecia o Chanyeol? Ele era meu amigo?

- Espera espera, como você me achou sendo que eu estava andando pelas ruas às três da manhã? Você me seguiu?

- É... mais ou menos isso...

-... Por que não foi falar logo comigo?

- Eu precisava que você estivesse sozinho, bom, longe das pessoas normais ao menos. - Respirou fundo e me encarou. - Você... realmente não se lembra de mim, BaekHyun?

- Eu... não tenho certeza... minhas memórias de quando eu era criança são muito confusas, Chanyeol...

  Suspirou mais uma vez e jogou sua cabeça para frente, frustrado.

- Eu entendo, Baekkie. Bom, esse não foi o motivo pelo qual viemos aqui, não é? - Levantou-se de seu lugar e foi a busca de um livro, enquanto eu continuava sentado, tentando achar em minha mente memórias de minha infância, a única coisa que me lembro é de minha mãe me levando para a casa dos meus avôs. - Certo, eu pesquisei muito sobre demônios e afins depois que comecei a ver o inferno na Terra, e o que nós estamos procurando não está na Coreia.

- Como assim não?! Então onde está?

- Ele está em Paris. Na torre Eiffel, para ser mais exato. - Falou abrindo o livro e me entregando a lamparina para que eu iluminasse as páginas. - Vê? Há um desenho da torre e um símbolo logo ao lado, apontando onde estão as coordenadas!

- As coordenadas simplesmente estão lá? Para qualquer um ver?

- Obviamente. - Falou em tom sarcástico e eu lhe dei um chute leve na perna.- Okay, agora falando sério, apenas pessoas com os olhos conseguem ver a escrita.

- Mas... como vamos chegar lá? Quer dizer, eu tenho um pouco de dinheiro, mas não sei quanto tempo nós poderemos ficar lá.

- Não se preocupe, dinheiro é o que menos importa para mim. - Falou olhando as páginas e depois olhando para mim, que estava com um olhar confuso. - Baekhyun, meus pais são ricos, dinheiro é o de menos.

  Minha boca se encontrava em um perfeito ''o''.

- Sério?

- Sim.

  Estou realmente considerando deixar ele pagar tudo para mim.

  Então você é mesquinho?

 Não, nada disso, eu apenas não quero gastar todo o meu dinheiro.

  Pf, mesquinho.

- Quer saber, eu posso pagar por mim mesmo! - Falei soltando uma risada falsa logo após.

- Mas quem disse que eu iria pagar para você? - Me olhou confuso mas logo depois se desmanchando em risadas altas.

- Tem certeza de que eu era amigo de alguém insuportável como você?

- Absoluta. Vou aproveitar essa viagem para ajudar você a relembrar sua infância.- Deu uma chacoalhada em meu cabelo.

- Por que se importa tanto com uma coisa que está no passado?

- Porque sua amizade é importante para mim, Baekhyun.

- Então por que demorou tanto para me procurar?

  Suspirou novamente.

- Eu realmente queria ter te procurado, mas meus pais me impediram disso porque eles não gostavam de você.

- Por que não?

  Quem não gosta de Byun Baekhyun?

- Digamos que você falava algumas coisas... bizarras, bom, agora eu mesmo estou vivenciando essas coisas bizarras.

- Ah... entendi. - E assim ficamos naquele silêncio desconfortável. - Bom, acho melhor comprarmos logo a passagem, não é mesmo?

- Sim, pode deixar, eu compro a sua passagem. - Respondeu levantando-se e me estendendo a mão.

- Como assim?

- Achou mesmo que eu estava falando sério? - Concordei com a cabeça. - Eu só estava brincando com você, não precisava se preocupar com o dinheiro.- E assim pegou a lamparina de minha mão e ficando a minha frente. - Acho melhor você segurar na minha camiseta para evitarmos quaisquer acidentes.

Dei um tapa em sua cabeça mas fiz o que me pediu, eu com certeza não queria cair novamente.
 
 E lá se vai mais uma noite sem dormir, ao menos aqui em baixo eu pude ter um pouco de paz que eu nunca havia tido na minha vida.


Notas Finais


Mto obg por ler :^} comente o que achou e nos vemos no próximo cap ;^}
(eu de youtuber)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...