História Demonios do Passado - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Daniel Sharman, Megan Fox
Personagens Daniel Sharman, Megan Fox
Tags Daniel Sharman, Dylan O'brien, Ficção, Megan Fox, Netflix, Series, Teen Wolf, Tyler Posey
Exibições 8
Palavras 1.351
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi gente tudo bom? espero que gostem do capitulo grande beijo!

AH e só pra deixar mais claro: A megan fox vai ser a Christyni e o Daniel Sharman aquele lindo de Teen Wolf o Charlie.

Capítulo 2 - Choque de ralidade


Fanfic / Fanfiction Demonios do Passado - Capítulo 2 - Choque de ralidade

 - Vivo literalmente no que poderia ser chamado de "conto de fadas". Sempre tive uma vida feliz, meus pais, Mary e Liam são excelentes pessoas, casados há 25 anos, com duas filhas Ellie com 20 anos e eu Christyni com 17. Somos uma família feliz e que vive em perfeita harmonia.
Isso foi um trecho do meu diário que eu escrevi antes de saber de tudo...
                    Sábado 25 de junho de 2016:
Era um dia comum.
Já anoite sentei ao lado da janela para observar o cair da chuva, limpei o vidro embaçado com a manga da blusa e noitei as minusculas particulas de agua escorrendo sobre as pétalas das rosas, que exalavam um cheiro indescrivelmente gostoso misturado com o aroma da chuva.... lá em baixo meu pai assistia a uma série de comédia enquanto minha mãe ouvia musica no radio velho da cazinha... aquilo era tão bom: a positividade que girava em torno da minha casa e da minha família.
Após um tempo estava ouvindo música com a cabeça apoiada na parede e sentindo meus olhos pesarem, então decidi ir dormir.
Deitei-me e por um momento senti a presença de algo estranho, derrepente a porta se fecha vagarosamente, olho em volta não vejo ninguém "deve ser minha mãe fechando a porta" - pensei e então voltei a pegar no sono.

...

Abri os olhos lentamente, pois a luz ofuscava minha visão, então quando retomei a consiência olhei em volta: era um lugar estranho, parecia um restaurante retrô, pessoas vestidas com roupas que já estavam fora de moda a muito tempo. Havia um salão com inúmeras mesas, em todas as paredes haviam varias fotos dos Beatles e do Elvis Presley. Passei os olhos pelo local e por mais estranho que pareça avistei meus pais, reconheci minha mãe pela pinta ao lado do labio no canto superior esquerdo da boca. Logo, fui até eles as rugas sumiram de seus rostos e deram lugar a uma pele exuberante, seus rostos pareciam 30 anos mais jovens.
Minha mãe usava uma blusinha decotada, era bem mais magra e seus cabelos que tinham um tom de castanhos agora eram ruivos escuros, enquanto meu pai tinha o cabelo bem penteado para trás e um charuto pendendo dos labios, o que era estranho pois ele nunca fumou e minha mãe nunca em sã consciência usaria aqueles trajes vugares.
- O que vocês estão fazendo aqui?- pergunto mas eles não ouvem.
Só então percebi que estava em um universo paralelo, ninguem ali parecia me notar.
- Então - disse meu pai- vai ser ótimo fazer negócio com você!
- Com certeza!- respodeu minha mãe e piscou.
" Que tipo de negócios?" - pensei.
Meus pais se conhceram na faculdade onde ele lecionava biologia. Segundo eles minha mãe foi trabalhar lá como secretária do diretor.
"- Não resisti quando vi aquele espetáculo de mulher, com curvas tão bem desenhadas e pernas estonteantes!"- dizia ele.
" Seu pai vivia correndo atrás de mim. Não nego que ele era incrivelmete atraente, não que agora não seja... mas enfim: eu tinha namorado e assim que Edwart terminou comigo para iniciar os estudos em outro estado eu resolvi dar uma chance ao Liam e acabei me apaixonando por um cara muito bacana" - dizia ela com certo orgulho a mim e as vezes gabava- se com as amigas.
...
Paralizada, assim eu estava diante daquelas figuras que fugiam completamente da descrição que meus pais faziam de quando eram jovens.
Senti um baque tão forte no meu ombro que cai no chão.
- Ai!
- Desculpe - um garoto estende a mão para mim.
- Espere, como voê esbarrou em mim?
- estamos em outra dimensão Christyni.
- Como você sabe o meu nome?
- Venho te observando há um bom tempo.
-E você é o que? Um maniaco por acaso?
- Não. 
- O que é isso? Um sonho? Eu morri ou alguma coisa do tipo?
- Não Christyni, você está em 1985, eu te trouxe para cá.
- O que? Mas como? E PORQUE???
- Exitem verdades que não lhe foram ditas sobre a sua familia e que você deve saber.
- E quem é você?
- Charlie Crosscroway eu sou um agente divino.
- Agente divino?
- Chega de perguntas né garota?- falou perdendo a paciência.

- Preciso ir tenho hora marcada - Mary se levanta.
- Te vejo às dez da noite, hoje. - Liam sorri maliciosamente.
- Okay - estarei lá, ela sopra um beijo.

- Onde ela vai?- pergunto
- Vamos segui- la - Charlie me arrasta pelo salão.
Seguimos os passos apressados de Mary, a todo momento ela checava o relógio como se estivesse atrasada para um compromisso. Chegamos na parte mais afastada da cidade e entramos em um beco onde havia um carro de luxo estacionado, o vidro estava aberto então vi um homem mais velho dentro dele. Minha mãe entrou no carro e começou a beijar aquele senhor. O homem parou o beijo e disse:
- Aqui não, vamos para outro lugar!" - então ele deu ré e o carro desapareceu pela rua
O que era aquilo? Deveria ser um sonho, mas era tão real, aquela não era minha mãe, não poderia ser ela e muito menos aquele cara o meu pai.
Sentei em cima de um tijolo velho e por um momento tive que segurar as lágrimas.
- QUERO ACORDAR!- eu disse e começei a me beliscar, o que em geral funcionava nos sonhos, mas aquele não era um sonho qualquer.
- Não adianta, você so vai voltar quando souber de tudo.
- Tudo o que? 
- Tudo que se passou com a sua família antes da sua vinda para este mundo, tudo que eles fizeram.
- Mas porque?
- Olha eu fui enviado aqui com uma missão, que é te ajudar!
- Eu não preciso de ajuda, eu tenho uma vida ótima!- me levantei e voltei a andar
- Exatamente- ele me puxou com força e me prensou na parede - Uma farsa!
Só assim cara a cara com ele pude notar melhor suas feições: ele tinha os cabelos loiros, pele clara, o rosto meio quadrado, seus olhos tinham um tom de mel muito bonito e apesar de não sorrir notei que ele tinha covinhas. Era muito atraente
- Você é um agente divino?
- Mais específicamente: um anjo.
- Isso é mentira!
- Não, não é Christyne!- falou com um tom impassiente como se ja tentasse explicar aquilo para milhares de pessoas.
- Cadê a arpa, as asas, o aro na cabeça e as roupas brancas?- falo observando suas roupas: camiseta preta, calça jeans de lavagem escura e tênis o que era bem contraditório para um anjo.
- Ah fala sério! Voc~e acredita mesmo nessa história pra criança dormir? Nós anjos, somos guardiões? Sim, somos encarregados da justiça e também somos cruéis com quem devemos punir! Nós tentamos ficar o mais parecido com os humanos possível para que então possamos vagar pela Terra e ver tudo que se passa por aqui. Alguns anjos também são presenteados com poderes para ajudar as pessoas e esse é o meu: transportar as pessoas por meio de um sonho para o passado de sua família para mostrar a elas toda a verdade que lhe foi escondida.
- E o que meus pais fizeram? - pergunto atordoada.
- Você verá.
- Por favor me deixa acordar!- fico desesperada.
Derrepente ele me segurou com força, deixando nossos corpos tão próximos que pude sentir o seu hálito gélido... como ele poderia ser um anjo e ao mesmo tempo parcer, tão humano?
- Escuta aqui garota eu vou ser direto: se eu fracassar nessa missão, se eu errar novamente serei castigado e eu não vou correr esse risco entendeu? Então é melhor você cooperar! -disse ele com voz firme.
- Você é muito grosso para ser um anjo!- me desvencilio de seus braços.
- E você é uma humana idiota e mimada - suspira.
- Não sou idiota, mas você não compreende que isso não faz sentido?
- Não faz, mas nós precisamos um do outro! Estamos juntos nessa ou não?


Notas Finais


Obrigada por ler! Se não for pedir muito gostaria de opniãoes! bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...