História Demônios não entram no céu! (Imagine Jr-Got7) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Got7
Personagens Jackson, JR, Mark, Personagens Originais
Tags Céu, Demonios, Destino, Vampiro
Exibições 68
Palavras 1.831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom olá seus lindos sentiram minha falta?
Primeiro quero agradecer a todos que favoritaram e comentaram e também aqueles que leem mesmo sem se mostrarem, quando comecei não pensei que ia continuar essa estória estou muito feliz com o carinho que estou recebendo essa fic está virando meu bebezinho. Enfim as partes da musicas com a tradução retirei do site letras. Então acaso estiver erradas perdão.
--BORA LER!

Capítulo 4 - Briga comigo na minha cama!


Fanfic / Fanfiction Demônios não entram no céu! (Imagine Jr-Got7) - Capítulo 4 - Briga comigo na minha cama!

(seu nome) on...

Comecei a rir, isso não fazia sentido, como assim?

-- Está muito feliz. – disse sorrindo.

-- Não pai. Estou rindo porque não estou acreditando. – que merda, jamais irei me casar com ele.

-- Querida é real seu sonho se realizou!

-- Pai que sonho o que? Coisas que crianças de 5 anos dizem não devem ser levadas a serio e se eu não estiver enganada fui muito humilhada por ele segundo ele, não faço o seu tipo e preferiu a mostrinha do final da rua, que se case com ela agora. – lembrar-se daquele dia é constrangedor. Minha vida amorosa aos 5 já se mostrou bem incomum não?

-- Filha! São passados, os pais dele, já conversaram comigo e fizeram uma ótima oferta.

-- Você está se ouvindo? Oferta? Pai quando foi que virei mercadoria? Extra, extra (seu nome) promoção incrível é apenas por hoje não perca! Ole ole quem vai quere! – que coisa escrota olhou pra ele como se dissesse com qual quina da parede você bateu a cabeça.

-- Não é assim, você não encontrou ninguém sua idade ainda já está nos limites, nunca trouxe um namorado em casa, se você não pensa em algo amoroso que seja comercial então. – legal ele realmente surtou.

-- Mamãe disse que faz anos que você não fuma maconha, mas serio andou dando umas escapadinhas em? – aquilo o fez perder a linha, ele ainda fica desconcertado com isso na verdade ele apenas experimentou, mas não custa aumenta pra irritar.

-- Você sabe que foi só uma vez. – disse afrouxando a gravata.

-- Você sabe que não vou casar.

-- Claro que vai! – disse rindo, como se não acreditasse no que ouviu.

-- Eu não quero. – disse calma, pra ele entender e não desviei o olhar, e de inicio a uma guerra, dois teimosos vamos ver quem vai ganhar.

-- Quer sim.

-- Você não manda mais em mim, minhas escolhas não suas e nem sequer moro mais com você!

Aquilo já estava ficando ridículo e já estávamos á um tempo ali se encarando em uma batalha silenciosa. Levantei queria dar isso como encerrado logo, quero voltar e ver onde o Jr está.

-- O assunto está encerrado! Tchau pai.

-- Você pode não morar comigo, mas trabalha pra mim!

-- O que está insinuando? Vai me despedir? – que palhaçada ele deu de ombros, ia passando pela porta indignada.

-- (seu nome) em 3 dias quero a resposta, medidas serão tomadas. Da mesma forma que ele balançou os ombros eu fiz e sabia que aquilo o ia deixar furioso.

Fui pra casa desnorteada, não gostaria de perder o Jr e nem meu emprego, quem vai contratar a filha de um concorrente? Isso pronto quando sua família conspira contra você, mas será que conto pro Jr? Melhor resolver eu mesma.

Mark foi uma fase da minha vida ao qual não quero lembrar, legal e gentil com todos menos comigo. Tá ai uma personalidade burra desde criança.      

 <><><><><><><><>

Cheguei á casa exausta de pensar torcendo pro Jr estar e me abraçar e fazer um cafune e fique dizendo vai dar tudo certo, mas ele não esta sentei no sofá e assim fiquei.

Ouvi a campainha e segui em direção á porta quando abri, estava um entregador com flores e chocolate. Peguei e entrei de volta, sentando no mesmo lugar. Havia um cartão junto.

Não se zangue comigo

Não fique brava comigo

Apenas me ame como se não houvesse amanhã

Beije-me com vontade

Prenda-me a você!

Sinto como se minha vida estivesse em suas mãos

E por um momento, confesso...

Que não há outro lugar que eu queira estar se não forem os seus braços!

                                                Park Jin-Young.  

Que lindo, mas só um estante quem é Park Jin-Young? Mas essa, as flores são lindas e experimento o chocolate e confirmo que é dos bons. Estava com a boca cheia de chocolate quando Jr chega e ri do jeito que estou afinal estou parecendo àqueles roedores com as bochechas cheias. Ele veio e encostou seus lábios nos meus, mas logo os deixou. Eu teria que falar pra ele, que outro me mandou flores e chocolate.

-- Amor?

-- Hum. – disse sentando do meu lado.

-- Essas flores e o chocolate eu ganhei do tal de Park Jin alguma coisa, só não joguei fora porque o chocolate é bom e as flores bonitas. – ele gargalhou, nunca tinha o visto rir tanto.

-- É engraçado sua namorada receber essas coisas de outro.

-- É engraçado minha namorada receber de mim e acha que é de outro, esse é meu nome. – concluiu parando de rir, também abri a boca, a então é isso. O abracei dizendo obrigada.

-- Essas flores significam desculpa perdão. – foi bem no coração eu conseguiria esconder isso dele? Não seria melhor contar? Não sei. Acabei afastando dele um pouco, pensar já tinha pensado muito mais nada de algo aparecer como solução.

-- (seu nome) o que foi? – ele olhando daquele jeito estava difícil.

-- Nada. – disse comprimindo os lábios, mas um pouco irei falar.

-- Alguma coisa tem o que aconteceu?

-- Quando é você não fico lhe pressionando! Não quero falar.

Quando o olho ele está mordendo os lábios e nisso uma vontade louca invade meu intimo e me pego pensando em morder aqueles lábios. Vejo-me excitada. Sem esperar mais empurrei seu peito fazendo o deitar e ficar com meu corpo por cima do dele.

-- Para...

-- Você quer brigar comigo?

-- Um pouco... – com o dente busco seu lábio inferior e dou-lhe uma mordidinha, o fazendo fechar os olhos.

-- Então, briga comigo na minha cama! – sussurro com a boca em seu pescoço. Sinto suas mãos agarrarem a minha bunda. Erguendo-nos e nos levando pro quarto, e sou jogada com um pouco de força na cama. 

-- Só se for agora. – diz atacando meus lábios. A como senti falta desses lábios suspiro em satisfação quando aperta minha cintura com vontade, sinto que ele não quer que eu saia de perto dele e nem eu quero sair.

Sinto um beijo na bochecha e vejo-o se afastar. Olho pra ele que puxa meu corpo fazendo-me levantar e aproxima a boca da minha orelha.

-- Tira a roupa pra mim, bem devagar. – diz finalizando com um aperto na minha cintura e um beijo no pescoço. Ele senta na cama. Essa é minha deixa. Não conseguiria simplesmente tirar a roupa, segui até meu celular e coloquei uma musica.

Sorri ao começar tocar Or nah The Weeknd. 

Essa batida realmente me excita e vejo que também surge efeito nele, já que vejo o quanto está ansioso. Não quero dançar quero ser envolta da batida e ser possuída, levada ao máximo do prazer.

Começo tirando a blusa devagar como ele sugeriu. Sussurro mesmo um tanto quanto fora de ritmo com á musica, mas o que importa somos nos dois.

I wanna see you take it off

Eu quero ver você tirando a roupa 

Sem mas delongas ou vergonha alguma tiro meu sutiã os expondo-os, mostrando quão eriçados estão a procurando de seus toques, ele abre a boca a fim de passar um pouco mais de ar. Eu o afeto tanto quanto ele a mim.

Retiro a parte de baixo e mais uma vez sussurro sentindo a mim mesma ficar molhada. 

Do you like the way i flick my tongue or nah?

Você gosta do jeito que eu mexo a minha língua ou não? 

Passei a língua pelos meus lábios os deixando úmidos e aquilo pareceu o excitar mais já que passou a acariciar seu membro por cima da calça.

E com aquela batida mais que envolvente fui a passos lentos em sua direção, quando cheguei a sua frente o vi soltar todo o ar que segurava, levei minhas mãos a barra da calcinha a tirando de vagar. Ficando nua de vez.

-- Levanta! – e assim ele fez sem questionar. Fiquei na sua frente e de costas pra cama. Passei as mãos devagar pelo seu peito seguindo para as omoplatas, passando nos ombros queria ir mais rápido mais eu queria aproveitar. Aproximei como em um abraço devagar dos ombros fui descendo minhas mãos até o final de sua coluna e pegando a barra da sua camiseta a retirando e novamente passei minhas mãos pela sua pele agora nua e vendo seu corpo reagir a mim.

Segui com as mãos para o botão da calça o abrindo e descendo o zíper encostei-me a seu membro de leve e o vi gemer baixinho. Abaixei a calça dele e fui junto até retira-la de seu corpo restando apenas uma cueca com seu liquido. Retirei a cueca e com fome no olhar queria tanto abrigar aquele membro quente e pulsante na minha boca, quando estava com ele em minhas mãos. Mas uma vez sussurrei uma parte da letra. 

Can you lick the tip then throat the dick or nah?   

Você pode lamber a ponta, em seguida, usar a garganta ou não? 

E como na letra, com gosto lambi a cabecinha sem tirar os olhos dele o vendo arfar e sem esperar enfiei tudo fazendo o encostar a minha garganta, ele em resposta soltou um gemido mais alto ficando ofegante em seguida, comecei um vai e vem devagar, entrando e saindo, pegou em meus cabelos apenas os acariciando, chupei sua cabecinha senti o tremer, e mais uma vez o levei até minha garganta sua respiração estava muito rápida e olhando seu prazer essa foi a primeira vez que vi seus olhos mudando de cor.

De uma forma mais delicada que pude imaginar me levantou e com um selinho seguido de vários foi deitando comigo por baixo na cama. Levei minhas mãos ao seu cabelo ao sentir sua boca chupando meu seio com tanta vontade, arqueie mais ainda meu corpo em sua direção. Gememos com a aproximação.

Devagar foi introduzindo seu membro em mim, arranhei suas costas, joguei minha cabeça pra trás ao senti-lo por completo. Saiu e voltou com força, enlacei minhas pernas em sua cintura. Uma de suas mãos enlaçou os cabelos da minha nuca e enfiou a cabeça na curvatura do meu pescoço e a outra manteve na minha cintura firme, ele cheirava minha pele, sentia seus beijos queimando a minha pele junto as suas estocadas lentas e fortes.

Ficamos assim agarrados aproveitando um do corpo do outro, gemendo apenas pra gente ouvir, meu intimo formigou, ele estava perto, pois, deixou a lentidão pela rapidez de buscar de correr atrás do nosso prazer, movimentei meu corpo de encontro ao seu aumentando o contato, já estava revirando os olhos e gemendo seu nome loucamente, quando meu interior começou a aperta-lo e com um urro jogou sua semente em mim, mas algo inesperado veio.

O senti cravar os dentes em meu pescoço e senti o estremecer mais ainda, meu corpo se arrepiou quando parou de sugar meu sangue selou o lugar com um beijo, estava cansada e apaguei mais ainda assim o senti me aconchegar em seus braços e cai na escuridão dos meus sonhos. 


Notas Finais


E aí? Gostaram? Comentem? Sim,muito de preferencia beijos e até a próxima. S2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...