História Depois da tempestade - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Abo, Chanbaek, Hunhan, Kaisoo
Exibições 473
Palavras 1.602
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Suspense, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eu fiquei muito feliz com o número de favoritos ♡
Obrigado de coração e espero que gostem desse capítulo. Já aviso que teremos fortes emoções.

Capítulo 2 - Two


    "Mas se tu me cativas, nós teremos necessidade um do outro".

   – O Pequeno Principe

  Duas semanas já havia se passado desde que Kai entrou na empresa. Ele aos poucos foi se aproximando de outros funcionários e com isso acabou percebendo a forma como D.O era tratado; em como era temido.

   Sempre que Kai perguntava para alguém o motivo as pessoas desconversavam, se calavam ou ignoravam sua pergunta. Isso estava deixando Kai angústiado. Ele queria perguntar ao próprio D.O, mas não se sentia próximo do menor para isso.
  
   Entrou na sala com um copo de café, como de costume, pois aquilo havia se transformado em rotina. Todos os dias ele passava na caféteria da esquina e comprava um café para seu chefe. Dessa vez optou por trazer um sabor diferente. Café com gotas de limão. Era um de seus favoritos e o moreno tinha a sensação de que iria agradar o paladar do chefe.

   Nessas poucas semanas D.O começou a se acostumar com a companhia do moreno. Claro que sua opinião não havia mudado da água para o vinho. Mas só porque não gostava da ideia, não significava que transformaria a estadia do moreno em um inferno.

   Aos poucos D.O foi dando serviços pequenos para Kai. Claro que Kai queria poder mostrar todo seu potencial, mas Chanyeol havia pedido que ele fosse paciente com Kyungsoo e era isso que ele faria; daria tempo para que Kyungsoo confiança nele como um bom funcionário.

   Após comprar o café, andou pelos corredores notando que alguns olhares eram direcionados para si e o por quê ele não sabia. Encarou algumas pessoas e por algum motivo elas abaixavam a cabeça. Estranhou aquela ação, mas não perguntou.

   – Kai! – Virou para trás e viu Chanyeol acenando para ele. Sorriu e andou até o mais alto.

   – O senhor deve ser o Chanyeol. – Esticou a mão e Chanyeol a apertou.

   – Sim, mas não precisa me chamar de senhor. – Kai sorriu e concordou. – Como está Kyungsoo? Ele está te tratando bem?

   – Acho que as coisas estão indo no tempo dele e da forma que ele consegue lidar. – Chanyeol não pode deixar de sorrir. O alfa a sua frente superava suas expectativas. "Quem sabe ele não conseguisse se infiltrar na proteção de Kyungsoo."

   – Sei que você não quer problemas com Kyungsoo, mas as vezes você tem que "coloca-lo contra parede". Ele é cabeça dura e quando infrentado ele não consegue pensar direito. Então... As vezes é bom força-lo. Mas não pegue pesado. – Chanyeol deu tapinhas nas costas de Kai e apontou pro elevador. – Tenho que ir agora. Foi bom conversar com você. – Kai concordou e entrou no elevador.

   Entrou na sala após bater na porta e  colocou o café que trazia consigo em cima da mesa do chefe e resolveu que era hora de começarem a se comunicarem além de "Bom dia e boa noite". O moreno se sentia nervoso, temia que o chefe não se agradasse com a curiosidade alheia. Estava a tanto tempo decidindo se perguntava ou não que nem se quer havia percebido que o chefe lhe olhava.

   – Algum problema? – Kai mordeu os lábios inferiores de nervoso. D.O lhe encarava tão intensamente que não sabia o que fazer. Optou por tirar suas dúvidas.

   – Por que as pessoas te evitam? – D.O encarou seu assistente de forma séria. Tentou manter sua postura, mas foi atingido por lembranças dolorosas. Kai viu os olhos do chefe vacilar e serem fechados. Seu peito apertou e se arrependeu de ter sido curioso.

   Kyungsoo abaixou o olhar e voltou sua atenção para o computador. Voltou a fazer o novo design de uma empresa que havia contratado seus serviços. A empresa de marketing havia sido passada pra si a um ano e desde então sempre fez de tudo para ser excelente no que fazia; desenhar.

   D.O sempre gostou de desenhar e havia herdado esse talento de seu pai. Tinha sido criado para assumir a empresa desde os nove anos. Quando atingiu os 15 muito coisa mudou. Tudo o que escutou; tudo o que sentiu, só ele sabia. Desde então fazia de tudo para ser o melhor, e não deixava ninguem lhe atingir.

   Percebeu que não tinha mais cabeça pra ficar na sala. Kai mexia no notebook, mas por vezes lhe encarava e sabia o que moreno pensava. Kyungsoo não queria mais um alfa se sentindo; zombando de si. Queria que Kai desistisse de saciar sua curiosidade porque assim seria mais facil.

   Kai lhe encarou no mesmo momento em que D.O o olhava. Se sentiu intimidado. Mas não iria desviar seu olhar. Kyungsoo viu a boca de Kai se abrir e fechar e já sabia o que viria a seguir. Eram desculpas. Antes do moreno poder pedir desculpa seu chefe pegou a carteira em cima da mesa e andou em passos apressados até a porta. Ele parou assim que á abriu.

   – Vou mandar um serviço para seu computador. Quero ele pronto até as seis. Isso deve fazer você se concentrar no trabalho e não em minha vida. – A porta foi fechada com força.

  Kai apoiou o rosto em suas mãos e fechou os olhos. Com certeza ele estaria ferrado.

   ♡

   – Chanyeol porque você contratou logo um alfa? Logo ele? Não tinha um beta ou ômega? – Chanyeol o encarou e soltou uma risada. Kyungsoo se sentiu incomodado com a reação de seu amigo.

  – Kyungsoo te conhecendo como conheço poderia arriscar dizer que ele fez algo que te incomodou. O que foi, uh? – Chanyeol o conhecia bem para saber quando o ômega estivesse irritado. D.O pegou o cardápio a sua frente e colocou em frente seu rosto evitando contato visual com seu amigo. Chany era bom em ler pessoas.

   Uma garçonete veio atender os dois. Kyungsoo fez seu pedido junto de Chanyeol. O mais alto colocou seus cotovelos em cima da mesa  e apoiou o rosto nas mãos apenas para fitar seu amigo. D.O jogou um olhar mortal para o mesmo. Odiava quando era encarado.

   Vendo que Chanyeol não se cansaria de tentar descobrir o motivo de sua irritação decidiu que falaria, mas o mínimo possivel, afinal Chanyeol não precisava saber tanto de sua vida.

   – Ele perguntou o porque de todos da empresa me evitarem, só isso. – Antes de ser respondido sua comida chegou. Chanyeol o encarou novamente. Sabia o que seu amigo fazia. Queria saber o que ele escondia. A resposta veio rápida em sua mente. Seus sentimentos. Era isso que sempre escondia ao máximo. Pelo menos os sentimentos que fizesse ele fraco.

   – Quer saber porque eu escolhi Kai para o serviço? – D.O ergueu sua cabeça e o encarou curioso. – Ele foi diferente dos outros candidatos. Assim que ele entrou para fazer a entrevista ele sorriu e se curvou. D.O você tem noção que um Alfa se curvou para outro?! – D.O ficou surpreso com tal informação. Alfas sempre foram tão orgulhosos, sempre se achando melhores que os outros.

   – E isso foi o suficiente? Ele ser educad... – Chanyeol o cortou. D.O já percebia que seu amigo estava ficando irritado. Já haviam discutido várias vezes por conta de sua desconfiança.

  – Ele pegou em minha mão e seu aperto foi na medida certa. Esperou que eu oferecesse para se sentar. Ele veio preparado e você está desperdiçando um talento. Você viu os desenhos dele? Ele fez um banner para nossa empresa apenas para mostrar ser apto para o cargo. Pare de desconfiar de todos os alfas só porque... – D.O num movimento rápido se levantou da mesa de cabeça baixa. Chanyeol se arrependeu na mesma hora de ter levantado sua voz. D.O só lhe pedia uma coisa. Nunca tocar "naquele assunto".

   – Eu tenho que voltar agora Chanyeol. Obrigado pela conversa. – D.O pegou sua carteira e saiu andando, deixando Chany sozinho e se condenando pelo o que havia falado.

   – Aish, ele nem se quer tocou na comida...

   Kyungsoo decidiu que o melhor era sair para espairecer e se acalmar. Afinal, todos decidiram lhe lembrar sobre seu passado e aquilo fazia seu coração se apertar e os ar não entrar. Era isso que as  lembranças lhe causava; dor.

   Se sentou num banquinho e ficou ali por algum tempo. Observou as crianças correndo e brincando com seus pais. Se perguntou se algum dia seria capaz de ter filhos e proporcionar felicidade a eles. Riu com seus próprio pensamento. Não, não seria. A ideia de ter filhos era zero e não mudaria de opinião. Deixaria que isso fosse para outras pessoas. Ter filhos não é só sustentar, é amar e ele não sabia como fazer isso. Nunca teve em quem se espelhar.

   As horas se passaram e ele voltou para empresa. Precisava fazer a arte final de uma propagando para uma empresa importante.

   D.O parou em frente o elevador e esperou ele descer. Aquela era um dos momentos mais agonizantes para si. Quando o elevador desceu viu seu funcionário parar ao seu lado. "Eu deve ser uma pessoa horrível. Não tenho paz por um minutos."

   A porta se abriu e os dois entraram. Seu assistente carregava dois copos de café. Então se pôs a apertar o botão para seu andar. Respirou fundo e torcia que o elevador fosse o mais rápido. Sentiu um grande incomodo e fechou os olhos. "Aquilo não poderia estar acontecendo". O elevador havia parado de funcionar. Ele tentou apertar diversos botões e então se desesperou.

  


Notas Finais


O próximo capítulo já está pronto, então talvez eu mostre ele a vocês nesse domingo, mas não é certeza.
Caso pensem que as coisas estão indo rápidos, queria dizer que quando o Kai disse que queria fazer o D.O gostar dele (cap 1) foi no sentido de confiar e não no sentido romântico.
Se quiser me seguir no twitter: @itmour
Podem falar comigo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...