História Depois do Portal - Nova dimensão. - Capítulo 60


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Jocelyn Fairchild, Magnus Bane, Personagens Originais, Simon Lewis, Valentim Morgenstern
Tags Alec Lightwood, Clace, Clary, Clary Fray, Jace Wayland, Magnus Bane, Malec, Shadowhunters, Sizzy
Exibições 124
Palavras 1.322
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Spoilers, Tortura
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Como prometido mais um capitulo.
Queridos anjos boa leitura.

Capítulo 60 - Nem sei como te agradecer.


Fanfic / Fanfiction Depois do Portal - Nova dimensão. - Capítulo 60 - Nem sei como te agradecer.

- Magnus não merecia isso. – continuou Maryse indo abraçar Alec.

- Mãe quer ver Magnus ele está lá em cima. Você claro pode ficar aqui. – disse Alec.

Eles foram em direção ao quarto. Maryse entrou no quarto e sentou na cadeira perto da cama de Magnus. Magnus parecia sereno embora estivesse pálido, olheiras fundas e novamente com o respirador mecânico. Maryse passou a sua mão perto do rosto de Magnus mas decidiu retirar a mão antes de tocar.

- Clarissa fez um grande serviço ajudando Magnus. Ela que tem cuidado dele. Ela é uma grande Amiga.– disse Alec.

-  Que bom que ele esta cercado de gente boa por perto. Embora uma fez esse estrago todo. – Disse Maryse.

- Assim que ele melhorar levarei todos para a casa de veraneio. A mansão não é tão segura até ele for minha novamente. E as empresas também. Bendita hora que deixei de administrar as empresas do meu pai e deixei ele comandar. Mas isso vai mudar vocês já estão crescidos e me orgulho disso de poder estar com vocês e ve-los crescer. Ele  machucou pessoas que eu gosto isso não se faz. -  continuou Maryse visivelmente abalada.

- Vou descer ficar com os meninos. – disse Maryse se levantando e saindo do quarto.

Alexander então deitou perto de Magnus na cama, fez carinho em seu amado. Acabou pegando no sono.

 

Enquanto isso em alguma parte do planeta.

Robert estava em uma cobertura de luxo. Estava irritado pois seus planos tinham fracassado.

– Como conseguiram achar aquela indústria. – disse Robert

Mas ele já tinha ideias rolando em sua mente. Enquanto observava o seu notebook. Com as gravações da tortura a Magnus. Sem se quer notou que estava acariciando a tela.

Pegou o telefone do hotel e pediu algumas bebidas e voltou a sorrir.

Retornou a fazer uma ligação mas agora do seu celular particular e confidencial.

- Olá Senhor ......... soube que você é um amigo do Sr. Magnus Bane quero fazer uma oferta. Temos muito o conversar.  – disse Robert.

Robert ficou conversando com o homem pelo telefone por volta de meia hora. Quando desligou o celular.

- Eu vou ter a minha Imortalidade. E esse feiticeiro vai me dar. Quem sabe um pouco mais. – disse Robert dando gargalhada.

Quando chegou os pedidos que tinha feito.  Robert voltou com carrinho de alimentos. Voltou a sentar na cama e começou a escrever em seu computador.

 

De volta a casa de Magnus.

Ragnor e Raphael chegaram, foram cumprimentar diretamente Maryse. E conheceram Max que tinha voltado para a sala. Ele tinha ficado impressionado como a ali era aconchegante, apesar de fora parecer pequeno. Todos começaram a rir com afirmação do rapaz.

Maryse queria conhecer Catarina mas percebeu que ela deveria estar cansada. Todos perambulando entre a sala e cozinha da casa de Magnus.

Então todos ficaram conversando sobre coisas aleatórias.

 

No quarto de Magnus.

Alexander tinha acabado de acordar de seu descanso ao lado de Magnus. Alexander começou a observar o mais velho ao seu lado. Quando Magnus começou a tossir. Alexander tirou o respirador mecânico fazendo com que o mais velho pudesse respirar logo em seguida abriu os olhos lentamente.  Magnus começou a  fitar o teto, inclinando um pouco a cabeça e poder ver um homem o encarando.

- Que bom que você acordou meu amor, como você está se sentindo? – perguntou Alexander.

- E- e-eu não te conheço. Quem é você? – falou Magnus com a voz embargada e visivelmente assustado e confuso.

- Você está me assustando Magnus! – disse Alec nervoso.

- Quem é Magnus. – disse o mais velho completamente confuso.

- Me solta você esta me assustando. Eu to com medo p-porque esta me encarando assim. – Magnus estava agora gritando.

Alexander acordou assustado. Com o pequeno pesadelo que teve. Tentou respirar fundo a fim de se acalmar. Logo Alexander estava voltando ao normal. Voltou a deitar na cama ao lado de Magnus que permanecia dormindo.

Depois de um tempo acordado observando, Alexander abriu um sorriso ao ver Magnus acordando. Magnus tentou falar mais estava com dificuldade por causa do respirador, que o moreno tirou. Quando Alec tirou o respirador Magnus abriu um sorriso para Alexander. Que o fez esquecer o pesadelo.

-  Você está precisando de algo meu amor? – perguntou Alec.

- Minha bo-boca esta seca que-queria agua. – disse Magnus com a voz rouca.

Então Alexander foi até a cozinha feliz e saltitando. Max percebeu que Alexander tinha acordado e estava animado. Alexander abriu a geladeira e pegou agua. E foi em direção ao quarto com o copo na mão. Izzy interceptou no caminho.

- O que aconteceu irmão. – disse Izzy.

- Magnus acordou e me pediu agua estou levando para ele . – falou Alexander voltando para o quarto e Izzy foi em direção a sala saltitando para avisar a todos.

Alexander foi até Magnus que ainda estava deitado deixou o copo na bancada perto da mesa e o ajudou a sentar, colocou almofadas para ficar mais macia. Então entregou a agua.

Catarina chegou ao quarto e pediu para Magnus beber devagar para não poder engasgar. Assim ele fez.

- Tá sentindo algo Magnus. – disse Catarina.

- Não sei estou me sentindo estranho mais vou melhorar. – Falou Magnus devagar.

- Estranho? Como ? – perguntou Alexander pegando o copo de agua das mãos de Magnus.

- Não sei descrever. – disse Magnus olhando para as mãos que tremiam.

Todos chegaram ao quarto de Magnus fazendo com que o feiticeiro se assustasse com a quantidade de pessoas em sua casa.  

- Nossa! todos estão aqui. Maryse você esta aqui desculpa. Eu queria poder lhe receber bem na minha casa, não estando nessas condições. – disse Magnus tentando se levantar para ir até Maryse sendo impedido por Alec.

- Mas esse menino bonito eu ainda não conheço. – disse Magnus ainda estranhando por todos estarem animados em seu quarto.

- Esse meu amor é o meu irmão casula Max. – Disse Izzy fazendo Max dar um sorriso e um aceno para Magnus.

Alexander fez carinho no rosto de Magnus que o apoiou. Alexander percebeu ainda a respiração de Magnus ainda falhava e que ele estava estranho mais não disse nada.

Catarina perguntou algo sobre o acidente que ele sofreu e no que se lembrava. Magnus olhou para baixo tentando buscar pela memoria algo mas algumas lembranças confusas viam em sua mente.

- Algumas coisas confusas. Que não se encaixam creio. – disse Magnus.

- Que bom que você está melhorando. – falou Simon e logo todos concordaram.

- Viemos saber como estava depois do seu acidente. – Disse Maryse se aproximando.

- Obrigado por todos vocês virem até aqui para ver se eu estava bem. Isso me deixa bastante emocionado. – disse Magnus.

- Não há de que você é nosso amigo. – disse Clary.

- É o mínimo que podíamos fazer. – completou Jace.

- Obrigado mesmo assim. – falou Magnus esboçando um sorriso.  

- Eu gostei dele. Finalmente descobri por quem meu irmão se apaixonou. Alec tem bom gosto. – disse Max arrancando uma risada generalizada.

- Bom que você gostou do Magnus. Max então tenho também a sua aprovação. Isso conta muito. – diz Alec sorrindo.

Todos ficaram conversando no quarto de Magnus por algum tempo animadamente.

-Eu estou meio perdido. Se for tarde, caso queiram ficar aqui temos quartos disponíveis para todos. Sintam-se a vontade.  – disse Magnus.

- Oba! – disse Max olhando para a mãe logo pedindo para ficar.

- Claro que vamos ficar meu filho. – disse Maryse olhando para Max.

 

Catarina fez um gesto para Alexander, que entendeu disse que ia pegar algo para comer a Magnus e foi em direção ao corredor junto com Catarina.

- A analise da substancia que estava no estomago do Magnus, vai ficar pronta amanhã a tarde e tomei a liberdade de pesquisar as substancias que estavam nas injeções dadas a Magnus. Tudo saíra amanhã. – disse Catarina.

- Muito obrigada, nem sei como lhe agradecer você é uma amiga incrível Catarina. Obrigado pela ajuda a Magnus. – agradeceu Alec abraçando a feiticeira.


Notas Finais


Escrevi esse capitulo escutando essa música caso queira escutar e ver o video aqui está.
https://www.youtube.com/watch?v=3nRt1MpDkhU

Beijokas com purpurina e açucaradas.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...