História Der Geist - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Bullying, Drama, Homofobia, Jikook, Namjin, Romance, Vhope
Exibições 166
Palavras 685
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Escolar, Lemon, Romance e Novela, Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Outro capítulo curtinho. Representa a conversa que ele e Hoseok tiveram.

Capítulo 16 - Exposed


Capítulo 16: Exposed

 - Eu só queria saber, Tae, se eu sou um namorado tão ruim assim. Porque claramente você não queria me contar a verdade. Eu queria saber como você imaginava qual seria a reação que eu teria ao ver o seu cadáver no chão. Você quase morreu, Tae. E quase me levou junto. - Hoseok desabafou. 

- Não, Hobi. Você não é um namorado ruim. A culpa é minha, toda minha. Por isso eu não queria que você se aproximasse ou se apaixonasse por mim. Eu sou uma bomba relógio, além de mentiroso. Eu não queria que você sofresse com as minhas mentiras nem quando eu resolvesse partir. - Taehyung respondeu, abalado. 

- Eu queria tanto que você não se odiasse, Tae. Você é tão especial. Eu queria que você se amasse mais do que eu te amo. Que você não precisasse se entupir de remédios e fingir que tudo está bem quando não está. Você tentou esconder os seus problemas e olha no que deu. - Hoseok respondeu ríspido. 

- Espera, como você sabe dos calmantes? - indagou Taehyung. - E não é como se eu estivesse feliz de estar nessa situação, Hobi. Eu só queria acabar com o sofrimento, mas acabei envolvendo todo mundo nessa merda. 

- O Namjoon contou. Por favor, não fique irritado com ele, ele só contou porque estava preocupado com você. Tae, foi a coisa mais dolorosa ouvir a sua voz desesperada dizendo que não queria morrer. TaeTae, eu achei que tinha falhado quando eu te vi no chão. Eu nunca me perdoaria se você... - Hoseok começou a chorar.

 - Shh, eu estou aqui. Eu estou vivo e prometo lutar contra tudo e até fazer esse maldito tratamento. Mas eu quero que você prometa uma coisa. Quero que você prometa que não vai deixar de amar mesmo que tenha acontecido uma coisa horrível e só agora contasse a verdade. Você promete? 

- Eu me pergunto o que seria tão ruim para você esconder. 

- Você promete? - Taehyung repetiu rispidamente. 

- Prometo, Tae. 

- Desculpa, Hobi. Desculpa mesmo.  Desculpa por tudo - Taehyung repetia incontrolávelmente.

 - Com licença. - Chamou uma enfermeira. - O doutor Hwang gostaria de conversar com o senhor Kim e os seus pais. O senhor poderia se retirar? - Ela perguntou de um modo gentil. 

- Sim, claro. - Hoseok respondeu envergonhado. - Depois eu volto a falar com você, Tae. Fique bem. 

- Hoseok se despediu beijando a testa de Taehyung. Depois eu e os meninos voltaremos para te visitar. 

Taehyung queria que Hoseok ficasse um pouco mais. Ele sabia que a visita do doutor não significava a volta pra casa, mas a estadia em uma prisão. Ele não estava disposto a contar a verdade para alguém desconhecido, que no mesmo instante o julgaria e o chamaria de louco. Mas os seus pais e até Hoseok acham que era uma boa ideia. Ele não queria magoar mais ninguém. Ele sabia o que era se sentir magoado, o sentimento o rondava há muito tempo. 

Taehyung só havia percebido naquele momento os cortes expostos. Ele notou os seus pais entrando e a figura alta do médico se aproximando.

 - Oi, Taehyung. - o médico começou. - Eu e a equipe médica avaliamos a sua condição e decidimos que você receberá alta da unidade emergencial. Você será transferido agora mesmo para a ala psiquiátrica, e daqui a duas horas você terá uma consulta com a psiquiatra do hospital. Alguma objeção?

 - Nenhuma, doutor Hwang. - Taehyung sorriu seco. - Eu só gostaria de pedir um favor antes de ir. 

- Claro, sinta-se a vontade. 

Taehyung se sentiu impuro. O branco do hospital, o cheiro de limpeza impregnado nas suas narinas, a conversa com Hoseok, os olhares tristes estampados nos rostos dos seus pais, a resignação da sua irmã. O impacto da ação desesperada o cercavam em uma névoa de culpa. Tudo o fazia lembrar daquela noite, da sua impureza. Ele precisava ficar limpo, limpo que nem o hospital, que nem o belo doutor, que nem Hoseok. 

- Eu gostaria de tomar um longo banho. 


Notas Finais


Sim, os meninos vão voltar a aparecer, não se preocupem. Eles vão ter um impacto muito grande nessa jornada de recuperação do Tae. Desculpa pelo capítulo minúsculo, eu não sou consistente em relação ao tamanho, desculpa. Obrigada pelos comentários e pelos faves, é gratificante saber que vocês estão gostando da história tanto quanto eu.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...