História Derek Hale : O Primeiro teen wolf - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters, Teen Wolf
Personagens Chris Argent, Derek Hale, Kate Argent, Personagens Originais, Peter Hale
Tags Teen Wolf Derek Hale Deris Shadowhunters
Exibições 30
Palavras 3.266
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Fantasia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


oiii gente, voltei kkkkk passei uns meses bloqueado, mas aqui um novo capitulo com muito amorrr

Capítulo 16 - O melhor aniversário


Estava escuro. A lua estava tão vermelha que era difícil de enxergar alguém a metros de distância, a neve caia lentamente até o chão, seria uma visão bonita, se não tivesse havendo uma guerra no meio da floresta. Julian Hale, era uns dos primeiros lobisomens havia se instalado em Beacon Hills, mas ali não estava só ele, mas como outros lobisomens também é lutando contra eles havia os caçadores das sombras, dizia a lenda que esses caçadores apareciam apenas nas luas sangrentas e isso acontecia a cada 10 anos, era a lua que os lobisomens mais temiam, porque além de ficarem fracos, havia caçadores cincos vezes mais fortes que os caçadores humanos. Os caçadores das sombras não eram caçadores mortais, eram tão difícil de matar quando um outro ser sobrenatural, mas Julian já havia matado vários, mas estava cada vez mais fraco e sem forças, até que uma pancada da sua cabeça p fez cair no chão e de repetente tudo ficou escuro.

******

-Então, meu pai também lutou contra esses caçadores?

-Sim, meu querido Derek. - Respondeu o velho homem que já havia parecido algumas vezes no sonho de Derek. Nicolau, era seu nome.

-E ele morreu?

-ah, muitos dizem que não, outros dizem que sim, mas ninguém sabe ao certo. Nunca encontram o corpo e você só tinha 5 anos quando tudo isso aconteceu, sua mãe já havia falado dele pra você?

-Sim, que ele havia morrido, mas não sabia como.

-Ah. - Derek e Nicolau estavam sentando em um banco feito de tronco dentro da nemeton. Parecia bem diferente de quando Derek entrou a primeira vez e teve aquelas visões.

Derek nunca teve muitas informações sobre seu pai, sua mãe nunca tocou muito no assunto, apenas de dizia que ele tinha morrido, mas não como e nem quando ele morreu.

-Eu queria muito entender como você conseguiu penetrar nos meus sonhos?

O velho deu um pequena risada antes de responder Derek, para ele não era uma pergunta engraçada.

-Ah, pequeno lobo, somos seres sobrenaturais, podemos fazer coisas que você nem imagina, ou você acha que você está aqui mesmo?

-Sim, eu estou. Eu consigo tocar você, sentir o cheiro do tronco, o barulho do vento lá fora, como isso não pode ser real.

-Ah, querido Derek, somos seres sobrenaturais, sempre fazendo coisas sobrenaturais. - O garoto nada disse, então Nicolau continuo a falar. - Estou aqui para te ajudar, são tempos difíceis, querido Derek. A longa noite está preta e com ela o terror, mas isso só será possível na sua próxima visita.

-Como assim?

-Você tem aula agora, meu pequeno. - E dando um toque na testa do pequeno lobo. O garoto se viu dentro do seu quarto, olhando para o teto como se tivesse acabado de acordar. Todo esse tempo eles estava sonhando, mas seria que era um sonho mesmo? Derek não sabia responder, quando olhou para o relógio e viu que estava atrasado deu apenas um pulo da cama em direção ao banheiro, achou estranho sua mãe não ter o acordado, mas não deu muita importância pois sua mãe devia estar ocupado com algo lá embaixo.

Tomou seu banho, trocou de roupa, pegou sua mochila e foi em direção à porta. Não havia barulho algum quando Derek abriu a porta, mas isso era incomum em uma casa onde havia sua Irma Cora, a garota de manhã era muito barulhenta e não maioria das vezes estava chorando. O garoto estranhou todo aquele silêncio dentro da sua casa. Desceu as escadas e nem sinal de sua mãe, irmãs e seu tio Peter, parecia que o garoto estava só em casa, tudo estava no seu lugar, a mesa estava vazia, como se sua mãe, Talia, não tivesse feito a mesa naquela manhã. Deu um grito da cozinha ''MÃÃE'' mas não houve resposta momento algum.

O pequeno começou a ficar nervoso, subiu as escadas novamente e foi de quarto em quarto atrás de algum rosto, mas nada, apenas as camas arrumadas como se ninguém tivesse dormido na casa, apenas Derek.

O garoto jogou sua mochila no chão e pulou do segundo andar até o chão, esqueceu completamente as escadas. Passou tantas coisas pela cabeça do garoto, havia caçadores nas redondezas de sua casa e a qualquer momento poderia ter pegado sua família, mas porque eles pegariam todos, exceto ele? Era um dúvida que o garoto tinha, mas tudo isso passou da sua cabeça quando abriu a porta de sua casa e viu vários balões no alto, uma mesa cheia de coisas e um bolo no centro escrito ''Feliz Aniversário'' e uma vela de 16 anos.

-SURPRESA. - Gritou a mãe de Derek e suas irmãs. Peter estava a continuar calado e apenas observando com uma feição de que estava ali obrigado.

O coração de Derek estava cada vez mais batendo mais lento, ele o sentia batendo em várias partes do seu corpo, como se ele tivesse corrido do Norte ao sul da Califórnia.

Passou tantas coisas pela cabeça do garoto, como ele conseguiria viver sem sua família? Se todos se fossem como ele ficaria pra enfrentar tantos inimigos, mas era apenas seu aniversário. No começo o garoto estava se sentindo um pouco irritado com a surpresa, mas eles não tinham feito por mal. O próprio garoto não tinha se tocado que era seu aniversário e que agora já tinha 16 anos e poderia tirar sua licença para dirigir.

-Vocês são louco? Quase tenho um infarto procurando vocês dentro de casa?

-É.. Eu vi você gritando. - Riu a mãe do garoto. - Sente aqui. - Talia apontou para a cadeira da ponta da mesa onde estava o bolo. O garoto sentou agora todo feliz, era só apenas ele e sua família, para ele aquilo tudo estava perfeito, as pessoas que ele mais amava sã e salvas comemorando seu aniversário, estava feliz até mesmo com Peter que estava ali com a cara fechada, mas sentou à mesa com todos.

-Bom, você agora tem 16 anos e eu sei o que você queria nessa idade. Tome. - A mãe de Derek estava com um envelope na mão, lacrado. O garoto já suspeitava o que seria, sempre enjoou a mãe sobre o que queria com 16 anos. Sua licença pra fazer aulas de carro.

O garoto abriu o envelope e viu seu nome completo e todos seus outros dados ali. A primeira coisa que o garoto fez foi pular no pescoço de sua mãe e agradecer.

-Obrigado, mãe. A senhora é dez.

-Ok, ok. Assim você me mata, querido. E suas aulas já começam amanhã.

-Sério? Aí carambas. - O garoto voltou para seu lugar e agora estava mais feliz que antes, já estava ansioso pra começar as aulas e também poder andar sozinho no carro da mãe que um dia ela poderia dar pra ele ou para sua irmã.

-Agora faça o pedido. - O fogo na vela ainda brilhava, mesmo com o frio que fazia lá fora a vela continua firme e forte em cima dos números.

-Ok. - O garoto fechou os olhos e pensou em várias coisas, nele e em Chris, seria legal se ele pudesse voltar com Chris? Sim, ele ainda gostava do ex namorado, mas não era isso o que ele mais desejava. O garoto pensou muito e então falou em pensamento.

-''Que eu esteja sempre com minha família e isso se repita muitas e muitas vezes'‘. - Então soprou a vela. Um vento forte e frio bateu, as árvores balançaram e por um momento tudo ficou calmo, mas se ouviram os cantos dos pássaros e todos na mesa começaram a comer, os garotos ainda tinham que ir pra escola, mesmo sendo aniversário do garoto, Talia nunca deixava os filhos faltaram na escola.

****

Derek não sabia como, mas todos na escola sabiam seu aniversário, era incrível como agora todos sabiam os passos de Derek Hale, isso era meio perturbador para o garoto, ele não tinha certeza se queria toda essa fama, por um lado ele pensou que seria legal, mas agora parece invasor demais para ele, mas ele gostava de jogar basquete e não pararia de jogar, então deveria se conformar com as consequências de ser um bom jogador.

-Ah, olha aí o aniversariante do dia. - Sid estava abraçando o amigo. - Parabéns, onde vamos comemorar hoje?

-Na minha cama dormindo. - Derek estava abrindo seu armário, pelo incrível que parece Sid tinha o salvado das multidões de parabéns que estava recebendo hoje. O garoto nunca tinha dito tanto ''Obrigado'' em apenas um dia. Sua boca já estava dormente de tanto sorrir.

-Ué, porque?

-Amanhã eu começo minhas aulas de direção. - garoto virou para o amigo e mostrou sua ficha.

-O que? Caracas!! Já disse que amo sua mãe.

-Eu também a amo. - Disse o pequeno lobo rindo. - Tenho que dormir cedo pra está descansado pra amanhã.

-Ah nada a ver. Você pode voltar cedo pra casa. Para com isso.

-Não sei.

-Derek, é teu aniversário. Como assim não vai comemorar?

Era a primeira vez que alguém convida Derek para comemorar o seu aniversário e se sentiria muito ruim em recusar. Poderia ser legal se ele saísse, mas voltaria cedo.

-Tá bom, eu irei, mas fique sabendo que voltarei cedo, não posso perder meu primeiro dia de aula de direção.

- Relaxa, você não perderá. Agora aproveite o seu dia, tenho que ir para a aula de história, tenho uma prova hoje. Feliz aniversário, meu amigo. - Sid deu um abraço no amigo e saiu em direção a multidão. Derek tinha certeza que Sid estava apressado para conseguir um lugar no fundo da sala e assim poder colar, o garoto sempre fazia isso.

Os felizes continuaram, até mesmo no intervalo, foi mais intenso. O pequeno lobo quase não conseguiu aproveitar seu lanche porque tinha que agradecer a cada feliz aniversário que o desejavam.

-Agora vocês podem dar licença para eu poder parabenizar meu amigo? - Derek nunca tinha ficado tão feliz em ouvir a voz de Kate.

-Kate. - O garoto abraçou a amiga e fez ela sentar do seu lado.

-Parabéns, onde vamos comemorar hoje? . - Kate estava como todos os dias impecável com seus cabelos brilhosos e longos, sempre bem vestida, diferente de todas as outras garotas da escola.

-Bom, sid. está querendo ir comemorar, mas eu não sei aonde é ainda, acho que ele me levará no lugar, mas aposto que seja algum bar ou casa.

-Ah, então falarei com ele, vai que é surpresa ao lugar. - A garota riu.

-Oi. - Derek virou o rosto, era Chris, irmão de Kate, tão lindo quanto a irmã, com seus cabelos loiros, os olhos claros e também Denise estava do seu lado, segurando a mão do ex namorado de Derek.

-ah, oi. - Disse Derek com um sorriso no rosto

-Oi maninho. - Disse Kate com um sorriso, mas fechou a cara minutos depois.

-Só queria te desejar parabéns e tudo de bom. - Disse Chris olhando fixamente nos olhos de Derek.

-Ah, eu também, Derek. Parabéns e tudo de bom. - Disse a garota pegando no ombro do garoto.

-Obrigada gente.

-De nada. - Disso os dois.

-Bom, vamos deixar vocês. - Disse Denise

Os dois saíram.

-Bom, voltando ao que estávamos falando, eu vou falar com o Sid e ver para onde vamos.

-Tudo bem, mas eu não posso demorar. Tenho aula de direção amanhã.

-ah, tudo bem. Bom eu vou indo, até mais pequeno lobo. - A garota beijou o rosto do amigo. Derek sentiu o doce cheiro do perfume da garota.

-Até mais. - O garoto ficou observando a amiga sumindo da sua visão, mas outra pessoa estava aparecendo no seu campo de visão que Derek andava fugindo, Gustavo. O garoto com quem Derek foi ao cinema para segurar vela.

O pequeno lobo pegou sua mochila e saiu no caminho oposto que o garoto estava vindo, ele ouviu um "Derek", mas fingiu que não havia ouvido nada.

Até o término da aula Derek não parou de ouvir parabéns e também não havia se encontrado com seus amigos pelo corredor. O garoto então resolveu ir para casa, sua irmã deveria estar conversando com as amigas e o garoto não iria esperar tendo que ficar dizendo mais trilhões de obrigado.

O sol era uma coisa bem rara de ser vista quando o inverno chegava em Beacon Hills, o dia as nuvens tapava qualquer sinal do sol, mas a noite a céu ficava tão limpo para mostrar a beleza da lua e como ela brilhava. As ruas estavam todas cobertas de neve, as árvores estavam todas brancas, era um clima lindo, Derek achava, mas nada comparado ao outono, Derek amava o outono, mas esse último só aconteceu coisas que não aconteceram no último, Derek viveu muitas emoções e não esperava viver outras nesse inverno, mas o garoto sentia que iria sentir, andava cada vez mais preocupado com os sonhos que estava tendo, eles pareciam tão reais que isso fazia com o pequeno lobo ficasse com medo e temia por sua família.

     Mas uma buzina vindo atrás da costa de Derek o tirou do seu pensamento longe. O garoto reconhecia aquele carro de longe.

-Quer uma carona? . - Era Chris Argent, quando Derek pensava que o tinha esquecido totalmente, seu coração acelera tão forte, suas mãos gelam e ele não conseguiria recusar a carona, apenas balançou com a cabeça entrou no carro.

   O silêncio tomou conta total do ambiente, Derek não sabia o que falar estava esperando Chris puxar algum assunto, aliás foi ele quem ofereceu a carona, mas nada disse Chris por um longo tempo.

-Quer escutar alguma música?.- Disse o caçador

-É.. pode ser .- Chris foi passando as estações da rádio até que tocasse alguma música legal. Ele e Derek sempre tiverem um gosto musical parecido, então Chris sabia muito bem que música Derek gostava. O garoto parou na estação que estava tocando Sex on fire da banda King of Leons, era uma música que Chris e Derek sempre escutam muitos juntos, era como se fosse a trilha sonora deles. O coração de Derek quase pulou quando ouviu a música. O que queria Chris com aquela música? Seja lá o que ele esteja planejando estava dando certo.

-Então, onde você vai comemorar seu aniversário? .- Chris quebrou o gelo que estava no momento.

-Bom, o Sid me chamou para sair com ele hoje a noite, mas não sei muito bem para iremos.

-E você vai fazer o que essa noite?

-Não sei, acho que ficarei em casa mesmo

-E como está você e Denise?

-ah, tudo bem, ela é uma garota muito incrível, gosto muito dela.

-ah, sim.- Derek sentiu uma pontada no coração quando ouviu aquilo saindo da boca de Chris, como ele ainda sentia algo pelo Argent? Ele não entendia, pensou que tudo que ele viveu com Chris já estava no passado, mas parece que não. Todo o sentimento ainda era feroz.

  O pequeno lobo agradeceu por ter chegado em sua casa e poder sair logo daquele carro.

-Bom, chegamos

-Obrigado .- Derek abriu a porta do carro, mas Chris seu braço

-Espera Derek .- Disse Chris. O pequeno lobo olhou para o garoto e por um momento achou que chris iria o beijar. – Parabéns.

-Eu só queria saber uma coisa, Chirs

-Seu puder responder.

- Eu nunca entendi o porque de você terminado comigo, eu acho que é isso que não está me deixando seguir em frente, essa dúvida na minha cabeça. Você mudou tão de repente. De um dia você estava me amando e outro não te quero mais.

-Não quero falar disso Derek, é uma coisa que não posso responder, não podíamos ficar juntos e acho que não ficaremos, mas não pense que eu não te amo, sim, eu te amo e muito. – Derek nunca tinha visto Chris chorar, era a primeira vez, o pequeno lobo também não aguentou e caiu em lágrimas. – Mas as vezes as coisas não podem ser como queremos, mas eu continuo te amando e não acho que amarei outra pessoa como te amo.- Derek não se aguentou e pulou em direção a Chris, os dois se beijaram. O beijo mais intenso que Derek já havia na sua vida, era um beijo com muitas saudades e muito desejo, mas os dois não conseguiram ficar só nos beijos e pularam para o banco de trás do carro de Chris e lá mesmo fizeram sexo, foi tão incrível como da primeira vez.

-Eu também te amo muito e não acho que amarei outra pessoa como te amo.

Os dois ficaram um bom tempo agarrados no banco de trás do carro, aquela rodovia não era tão movimentada e isso foi melhor para eles, mas aquilo tinha que acabar e acabou. Peter estava se aproximando do carro quando Derek ouviu o batimento do seu coração de longe e os dois se vestiram o mais rápido possível antes que o tio do garoto os pegassem nus. Derek saiu do carro antes que Peter chegasse mais perto.

-O que você estar fazendo com ele?

-Ele me ofereceu um carona.

-hm.- Peter ficou com uma cara de quem não tinha acreditado nada daquilo.

-Até mais Derek.

-Até e obrigado pela carona.- Chris apenas riu e saiu em direção a cidade.

 Derek nem deu muita atenção para Chris e saiu na frente em direção ao seu quarto não trocou nem uma palavra com tio, esperou sua mãe trancado em seu quarto para informa-la que iria sair com Sid, assim que ela chegou o garoto falou com a mãe e a mãe o liberou a ir. Não demorou muito para se arrumar e Sid ir busca-lo em sua casa.

-sim, eai vamos aonde?

-A uma pequena festinha.

Não demorou muita pra chegar na festa, era próximo a casa de Derek, bem no meio da floresta, havia muita gente, estava bem enfeitado, as luzes nas árvores, banco feitos de madeira e a música era muito boa.

-Você fez isso tudo sozinho? . - Derek estava surpreso e não acreditava que o amigo tinha feito aquilo tudo sozinho.

-Kate me ajudou com algumas coisas.

-algumas coisas não, tudo. - A garota estava radiante como todos os dias.

-Você merece amigo.

-Obrigado gente, vocês são incríveis.

-Pois é, agora vamos se divertir.

A festa estava incrível, Derek adorou tudo. Esse tinha sido sim o melhor aniversário do garoto, não tinha como negar. Felizmente Derek achou que Sid tinha esquecido de convidar Gustavo, pois o pequeno lobo não o viu em lugar nem um da festa. Derek estava fugindo dele há tempo e continuaria enquanto pudesse.

-Sid

-Oi. - O amigo estava dançando com uma garota quando Derek o chamou.

-Eu tenho que ir agora

-Mas já?

-Sim. Esqueceu que tenho aula de manhã cedo?

-Ok. Nós vemos por ai

O pequeno lobo procurou Kate pra se despedir, mas não a achou então foi em direção da sua casa, conhecia um outro caminho que o levava o mais rápido para casa. Não demorou muita para ele chegar até ela, mas tinha algo estranho ali, estava tudo escuro, tanto as luzes de fora como as de dentro estavam apagadas. Derek saiu correndo em direção a casa, chegou mais perto e viu que a porta estava meio aberta. Gritou a sua mãe, mas nada resposta foi em todos os quartos e não havia ninguém, a casa estava vazia, foi em cada cômodo e nem sinal de sua família. Havia apenas uma carta em cima da mesinha do seu quarto.

“SURPRESA. VEM BUSCAR O SEU PRESENTE, ESTAREMOS ESPERANDO VOCÊ NO LUGAR QUE VOCÊ CONHECE BEM”.

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...