História Desastre Perfeito - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Tags Drama, Narusaku, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku
Visualizações 31
Palavras 1.909
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ecchi, Hentai, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hello! Estou ressuscitando dos mortos, porque dos vivos não tem como mesmo, pois é.
Seja bem vindo à história, espero que goste ;)

Perdoe a capa, era para certa senhoria Nil ter feito uma pra minha pessoa HÁ DÉCADAS, mas... (toma essa direta :P); e aproveitando os pedidos de perdão, desculpem-me qualquer erro ou algo do tipo. Meus dedos estão enferrujados haha.

Essa fic é um presente pra Patty, que tá com saudades de um Sasuke sofredor e apaixonado pela Sakura ahsuhsuah (Calma leidy, a tua tá guardada HEUHEUHE). Não, tia, a fic ainda não está terminada, mas com a força dos deuses eu a terminarei ;).

Capítulo 1 - Can I Be Him


Desastre Perfeito

 

Can I Be Him – Capítulo 1

Existe algo em Naruto que seu melhor amigo, Sasuke Uchiha, sempre admirou. Por onde o rapaz loiro, alto e forte passa, esse “algo” é visto facilmente em suas expressões. Esse quê tão evidente no Uzumaki não é a sua felicidade natural, que por si só é uma das outras grandes qualidades do mesmo. A admiração de Sasuke vem da força de Naruto, porém não trata-se da força exterior expressa em seu rosto bem emoldurado, tampouco das estruturas atléticas de seu corpo. Não, não mesmo. Trata-se única e exclusivamente da força interior que ele carrega, de seu espirito sem igual. É visto por todos, é admirado por todos e todos querem um pouco dessa força.

Sasuke é um homem tão bem formado quanto o amigo, os rasgos de sua face são mais quadrados que os do Uzumaki, a pele mais clara e os cabelos de uma negatividade tão oposta a iluminação do loiro. É pouquíssimos centímetros mais alto, cerca de 3cm a mais que os 1,82M de Naruto. E não existe algo tão admirador no Uchiha quanto no Uzumaki, exceto que ele é o superior do melhor amigo e definitivamente alguém de quem não se sabe muito sobre a vida particular.

Naruto e Sasuke sendo pessoas tão opostas criam questionamentos na 8ª corporação de bombeiros em que trabalham. Como tornaram-se amigos, os melhores parceiros de trabalho com ideias, julgavam, tão diferentes? Como formam a melhor dupla de trabalho quando enviados a sós em missões? Aos dois pouco importa o que falam de suas vidas ou da maneira como lidam com o dia a dia que partilham. A eles o mais importante está em outras pessoas além de si mesmos.

A vida.

A vida de todos que precisam da força interior de Naruto e do talento de Sasuke para serem salvas. As vidas que eles carregam em mãos agora, cada um com uma, a tentar abandonar uma casa em chamas.

Destroços começam a cair e eles precisam cuidadosamente desviar-se deles e das chamas mais fortes. O traje de ambos os protegem das labaredas mais fortes, no entanto não poupam as duas últimas crianças que carregam.

O menino nos braços de Sasuke começa a tossir fortemente. Neste momento o Uchiha sabe que a intoxicação pode tornar-se perigosa, senão fatal. Então, procura por um caminho, uma saída mais próxima da casa. A visão do ambiente é difícil, muita fumaça e o laranja das chamas infernais a encobrir o caminho. Sasuke também pode escutar Naruto a gritar de algum canto, clamando por ajuda. Neste instante ele não sabe o que fazer, ou como agir ou sequer o que falar. Suas pernas travam junto com sua mente indecisa entre ir e voltar. Se escolher ir salvará uma vida, se voltar poderá perder três ou até quatro com a sua própria.

A lógica grita que ele deve ir e salvar a vida da criança em seus braços, mas o coração de quem já foi salvo pelo amigo diz que deve ajuda-lo. Contudo, ele é Sasuke Uchiha e não Naruto Uzumaki. Ele não tem as qualidades do amigo, ele não tem a força interior do mesmo. Força essa que, em outro ambiente daquela casa em chamas, faz com que Naruto ressurja como uma fênix tão furiosa quanto aquele fogo, a retirar um caibro em chamas de sua perna, agora ferida.

Naruto respira e inspira fundo dentro de seu traje, a notar que logo o oxigênio do mesmo acabará. A criança que carregava está deitada ao lado, desacordada e com sangue a escorrer pela face. Com dificuldades o loiro arrasta-se até a menina, a encaixa em seu colo e levanta do solo tendo-a em seus braços.

Por conta do uniforme Naruto não consegue constatar se a garotinha está viva. A fumaça tampouco o deixa concentrar-se no movimento do abdômen da menina, a fim de saber se a mesma ainda respira. Mas, ele confia. Confia na vida e na vontade que toda criança tem de viver, ainda mais aquela que ele carrega nos braços.

“ — Qual o seu nome? – Naruto questiona uma pequena garotinha, chorosa no canto de um quarto em chamas. — Eu vou te salvar, não se preocupe. — Sorri.

A menina vê os dentes brancos alinhando-se vagarosamente e move tão veloz quanto positivamente a cabeça. A paz instantânea a abraça quando os braços dele circulam o seu corpo e a pequena menina firma seus braços em torno do pescoço dele.

— Clara.  — Ela grita em lágrimas, questionando a si mesma internamente se ter um pai é assim, algo tão aconchegante e calmo.

— Eu vou te salvar, Clara. Prometo! Nem que custe a minha própria vida eu farei isso.

E se ele também daria a vida por ela, como aquele estranho de dentes branquinhos.”

Ele havia dado a sua palavra e não falharia com ela. Conta também que Sasuke tenha feito a sua parte ao não correr para salva-lo, espera ao menos isso do Uchiha.

Naruto não o julga por isso, sabe que o trabalho deles é salvar a vida dos civis primeiro, ou seja, somente após isso Sasuke poderia pensar em seus colegas.

Com dificuldades e tendo a perna queimada, ele arrasta-se para o feixe de luz.

“Vamos lá. Só mais um pouco, você não pode falhar... Você não vai falhar”. Pensa consigo mesmo para cada passo dado. Quando a luz alcança os olhos dele em toda sua plenitude, Naruto sorri outra vez. Sem a permissão do loiro, suas pernas falham e ele cai de joelhos na calçada. Colegas vão por ele, assim como paramédicos para a menina que é retirada de seus braços.

— Sasuke ainda está lá dentro.

O choque percorre todo o corpo de Naruto ao ouvir a voz de Kakashi, o Capitão deles. Instantaneamente ele ergue-se do chão e empurra os amigos, a correr de volta para o fogo.

— Volte Naruto, já é tarde!

— Para o inferno! — o loiro gritou.

Por Deuses, se é que existem, Naruto não sabe como seu corpo é capaz de mover-se tão veloz e indolor neste momento. Talvez a carga de adrenalina o tenha dopado de tal maneira que nada sentia, exceto desespero por não encontrar o amigo em meio a chamas e destroços.

— Sasuke!

Grita. Grita mais uma centena de vezes. E, em nenhuma delas há respostas.

As lágrimas começam a escorrer dos olhos azuis. Naruto gira de um lado para o outro com as mãos na cabeça, perdido. Um apito percorre os ouvidos dele, logo o mesmo sabe que seu traje não dará mais a ele o oxigênio necessário para respirar.

Soluços começam a escapar e furioso ele arranca o capacete, a expor seus pulmões a fumaça escura.

— Maldito, maldito! – grita, chutando o ar. — Não era pra você tentar me salvar, infern...

Ele interrompe suas maldições ao chutar o que claramente é o corpo do amigo, ao chão.

— Sasuke! — abaixa-se, a retirar o capacete do moreno. Naruto expõe também as próprias mãos ao calor, a tocar o pescoço do Uchiha à procura de batimentos. — Merda, seu bastardo! Ainda está vivo!

Sorriu, secando as lágrimas que brincaram de mal gosto há poucos instantes. Logo, tratou de levantar o amigo. Mas, não havia mais forças para tanto, assim contentou-se em arrasta-lo entre destroços, chutando o que conseguia para limpar o percurso. Em algum instante tropeçou no caminho, a cair em algo macio.

Chocou-se ao constatar ser uma criança, desacordada. Imediatamente Naruto verificou o pulso da mesma, identificando o óbito.

Lágrimas tornaram a divertir-se da tristeza dele, que sem tempo para mais deixou o menino para trás, a carregar apenas o amigo. Quando ele alcançou a luz novamente, tentou não pensar em como as coisas seriam dali em diante. Naquele momento ele só queria salvar Sasuke.

— Afastem-se todos! — gritou.

Estava cansado, tão fisicamente quanto interna. Suas mãos pairavam sobre a cintura enquanto médicos chegavam para levar o moreno ao hospital. Naruto assistiu todo o processo dos profissionais, mas manteve-se à distância quando os mesmos o colocaram numa maca e o levaram à ambulância.

— Kakashi...

O homem grisalho escutou ser chamado pelo jovem loiro enquanto preenchia a prancheta dada pelos enfermeiros, com as informações de Sasuke. Ao terminar, encaminhou-se para próximo de Naruto com a constatação de que o loiro merecia definitivamente estar ao mesmo nível do melhor amigo, como 2º sargento do Corpo de Bombeiros.

— Bom trabalho hoje! — Kakashi cumprimentou, a pousar as mãos no ombro do Uzumaki.

De uma maneira estranha para o Capitão, Naruto não sorriu ou mostrou-se feliz pelo cumprimento. Alguém como ele no mínimo agradeceria o elogio, no entanto o loiro mantinha a cabeça baixa e parecia pensativo, julgou o Hatake.  

— Você está merecendo uma nova insígnia¹, Naruto.

O loiro levantou a cabeça para o céu, olhos semicerrados mirando o mesmo azul que preenchia seu globo ocular. Respirou fundo e fechou os olhos.

“Uma nova insígnia...”. Ele sorriu. Tudo o que sempre quis, sonhou e almejou ali, dito por seu superior, o que já fazia dele agora um 2º sargento, alguém da altura e competência do melhor amigo. Amigo que deixara uma vida se perder para salvar a de Naruto, este tinha certeza.

Não, por mais que sonhasse com aquilo ele não se sentia merecedor. Uma vida importante se fora por um erro seu, um erro crucial de pedir ajuda. E sabe-se lá o que passou na cabeça de Sasuke para escolher a ele e não a uma criança.

“ — Eu v... vou retribuir. Cof... — Sasuke tossia, água ainda jorrava para fora dele enquanto Naruto mantinha a cabeça do moreno sobre o colo.

Estavam à deriva em um barco de madeira no meio do nada no mar, ao aguardo de um helicóptero de resgate.

— Eu... n-não vou deixar você morrer, Naruto.

O loiro sorriu, chamando o amigo de bastardo.

— Salvar você não faz parte de um saldo para ser quitado, bastardo. — socou-lhe levemente o peito.

O Uchiha sorriu levemente, fraco e tão branco quanto já é.

— Não me importa. — Sasuke respirou fundo, fitando as nuvens nubladas a trazer uma nova tempestade.”

— Eu quero me afastar da corporação por tempo indeterminado.

Naruto declarou tão determinado quanto seus olhos claros vibraram ao fitar Kakashi. Os orbes escuros deste saltitaram de forma surpresa à declaração inesperada do subordinado. Por alguns instantes o Sargento superior não encontrou o que dizer, ficara até constrangido. Contudo, Kakashi sabe que a corporação não pode ficar sem um homem como Naruto.

— Pedido negado, Sargento! — exclamou calmamente. — Está dispensando por hoje.

Kakashi aguarda Naruto bater continência a ele, no entanto o loiro sequer move a posição de seu corpo. A determinação ainda brilha firme nos olhos de Naruto, entretanto o mesmo não espera que o Capitão apenas mude de ideia. Como desafio não faz o seu dever, sabendo que deve ser punido com afastamento pelo ato de desrespeito.

— Infantilidade não resolve as coisas, Uzumaki. — o capitão respirou, a retirar a boina com todas as suas insígnias de poder. — Porém, você está dispensando por este final de semana. Precisa passar no hospital e dar uma olhada nesse ferimento em sua perna. Sasuke também precisará de você, de qualquer forma. Dito isso, retiro-me.

Naruto enfim entende, logo faz o seu dever como Sargento e despede-se do capitão a bater continência às costas do mesmo.

Exausto ele se vai, ao lado de outros colegas que o parabenizam, elogiam e o paparicam desnecessariamente sem pensar no quão ruim psicologicamente ele se encontra. Afinal, por trás de toda sua força interior existe também alguém tão frágil quanto um recém-nascido após a chegada ao mundo.  


Notas Finais


Thank you people ;) Espero atualizar o quanto antes ;)
Kisses :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...