História Descendentes - Capítulo 13


Escrita por: ~

Visualizações 88
Palavras 5.771
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Escolar, Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Luta, Magia, Misticismo, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Visual Novel
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Salve leitores.... Cap dedicado aos personagens de Bakukan! Dei uma olhada nas notas finais tá muito legal, Boa leitura... E como sempre desculpa qualquer erro.

Capítulo 13 - No badala (Do Meio Dia)


Fanfic / Fanfiction Descendentes - Capítulo 13 - No badala (Do Meio Dia)

           Antes de ir para o primeiro dia de aula do novo ano letivo de Konoha Magic High School, Runo Goodfairy se mantinha ansiosa para receber um certo presente de sua mão, vinha esperando essa presente dês que completou seus quinze anos, essa era a idade oficial que uma fada madrinha começava a se preparar para ganhar além de um par de assas, o bem mais precioso que uma fada madrinha poderia ganhar, sua varinha mágica. 

 

        E agora que ela tinha seus dezessete anos estava pronta para receber sua varinha, quando completou dezesseis anos Runo ganhou suas assas, mais o que realmente lhe interessava era a varinha, só com ela em mãos que a jovem fada poderia usar magia, sua ansiedade para poder sentir a sensação de usar magia para ajudar as pessoas só não superava o seu nervosismo e medo de acabar fazendo algo errado, já pensou se em vez dela transformar uma abobora em carruagem ela acabe fazendo a abobora se metamórfica em uma mula teimosa.

 

      Ser fada madrinha era uma responsabilidade muito grande, ela tinha que ter consciência que só poderia ajudar as pessoas que realmente valessem apena, nada de ficar distribuído desejos para todo mundo, ela era uma fada não uma gênia, deveria também respeita as regras das fadas madrinhas, nunca usar a magia para o mau, sempre avisa sobre o detalhe da hora e acima de tudo evita usar a magia para o benefício próprio.

 

- Estou preparada, estou preparada – Repetia Runo que andava de um lado para o outro dentro de seu quarto –

 

- Alô! É aqui quem tem futura fada madrinha – A mãe de Runo, adentrou no quarto da filha com sua costumeira alegria que tanto lhe fazia fama no conto da Cinderela –

 

- Mãe! – Runo abriu um grande sorriso - É aqui sim! –

 

- Preparada para ganhar sua varinha mágica – Disse a mãe de Runo enquanto observava a filha com um sorriso cheio de orgulho –

 

- Preparadíssima! – Exclamou Runo atenta a cada movimento de sua mãe, e com singelo movimento a mais velha revelou a caixa de cor branca brilhante que escondia atrás de sua pessoa –

 

- Aqui estar minha pequena fada madrinha – Runo recebeu a caixa com olhos brilhando, abriu a mesma e lá estava o que ela sempre quis sua varinha mágica –

 

- É linda – Disse a garota sem desviar atenção do objeto –

 

- Lembre-se querida essa varinha trará uma grande responsabilidade – Advertiu a Fada mais experiente –

 

- Não se preocupe mamãe eu prometo usar essa varinha somente para ajudar as pessoas – Afirmou Runo convicta no que falava –

 

(.....)

 

             Até então Runo não havia quebrado há promessa que fez a mãe, só usava varinha para ajudar seus amigos, mesmo que as vezes fosse para escapar de um castigo, esse foi caso de Sasuke e Sakura, o importante era que ela jamais usou a varinha para atingir qualquer aluno do colégio, era extremamente perigoso usar a magia como arma, poderia haver grandes consequências caso ela fizesse isso.

 

                 Diferente da magia de livre espontânea vontade, feita com todo prazer de uma fada madrinha em ajudar alguém, a magia bruta e violenta disparada por uma fada furiosa ou irritada não se acabaria ao badala da meia noite ou do meio dia, para desfazer a mesma meditas mais complicadas seriam necessárias, mais isso não incomodava Runo, afinal ela nunca pensou em usar sua varinha como uma arma para atingir alguém, a única coisa que pensava agora era no que levar para casa.

 

              O final de semana havia chegado e com isso alunos eram liberados para irem para casa, pelo menos os que moravam na cidade de Konoha ou nos reinos próximos, no caso de Runo ela morava em Konoha, sua mãe era dona da conhecida loja “Bibit Bobit Bum” especializada em criar as maquiagens perfeitas para realça a beleza das garotas com uma pitada de magia.

 

- Pronto –

 

               Com um suspiro Runo terminou de colocar último livro que iria precisa para estudar em casa, não podia crer que já teria um teste de Química da Magia, mais já era de se espera afinal o professor Orochimaro adorava passa teste para fazer os alunos tirarem notas baixas e deixá-los em recuperação, mais Runo não daria o gostinho de ficar em recuperação iria estudar bastante.

 

- Runo obrigada de novo por me deixa ficar na sua casa - 

 

         A voz doce de uma das companheiras de quarto de Runo a fez se virá para observar a colega, uma linda princesa de corpo bem feito e delicado, pele clara, cabelos loiros bronze, olhos cor de avelã, trajava a blusa do colégio com um singelo blasé de lã de cor branca, uma saia diz, o par de botas cano longo de salto também brancas, um detalhe interessante nessa princesa era a tiara de ouro contornada em diamantes que decorava suas madeixas.

 

- Não precisa agradecer Alice....  –

 

         Alice Romanova era filha da princesa Anastásia e do ex trapaceiro Dimitri, esse casal se casou e agora governavam o reino Romanov, dessa linda união nasceu Alice uma jovem doce e gentil e muito paciente com todos, ela é uma princesa feliz com seu legado de ser a futura rainha de Romanov, diferente de muitas família reais a família Romanova não se importa com a linhagem sanguínea, deixando Alice livre para se apaixonar por qualquer um, seja da realeza, ou não.

 

- Vai ser legal ter você na minha casa – Continuou Runo sorridente – Podemos ir até a casa de Chá Do País Das Maravilhas - 

 

- Sempre ouvir fala que o chá de lá e muito bom – Disse Alice animada –

 

- Julie disse a mesma coisa – Comentou Runo pensativa, ela se perguntou aonde estaria sua outra colega de quarto –

 

- Ouvi meu nome…. – Em luzes brilhantes Julie surgiu sentada em cima da pequena mesa que as garotas usavam para estudar –

 

- Aonde você estava Julie? – Perguntou Alice –

 

- Tirando um cochilo de gato – Respondeu Julie dando de ombros –

 

- Então o convite da gente ver um filme e depois ir a Casa de Chá Do País Das Maravilhas ainda estar de pé –

 

            Runo as vezes se questionava o motivo de ter feito amizade com Julie, ela era um enigma, sempre com um sorriso travesso no rosto escondendo suas emoções, sabia que isso era normal para a filha do Gato de Cheshire, mais queria muito que Julie fosse menos misteriosa, entretanto não tinha do que reclamar ela tinha sido uma ótima colega de quarto como Alice também era, as três conversavam normalmente e até marcaram um programa para esse final de semana.

 

- É claro que estar! – Confirmou Julie saltado de cima da mesa –

 

- Esse final de semana vai ser incrível – Disse Runo animada –

 

(.....)

 

          Hinata também arrumava uma mochila de roupas, ela foi convidada para passa o final de semana na casa de Bouquet, gostou desse convite sempre quis conhecer a casa de chá e especiarias do país das maravilhas, também tinha o fato dela conhecer melhor Konoha e evita ir para sua casa, tudo que menos queria era ver sua mãe, passa dois dias com Bouquet e seu pai seria o melhor remédio para esquecer de tudo e apenas rir bastante.

 

                   Já Sakura que também foi convidada estava menos animada que Hinata, ela adorava ficar com as amigas mas não era muito fã de cidades, tudo que mais queria era volta para sua casa dentro da floresta e rever sua família, mata a saudades de seus amigos de quatro patas, nadar no rio, sentir o vento em seu rosto enquanto corria na floresta, mais isso era um sonho distante, tudo que ela podia fazer era tenta se divertir com as amigas.

 

- Esse final de semana vai ser Chapelastico! – Exclamou Bouquet enquanto colocava um buli de chá dentro de sua mochila –

 

- Tem certeza que não vai incomodar seu pai Bouquet? – Perguntou Hinata –

 

- É claro que não vai bobinha – Respondeu Bouquet – Ele adora visitas... Vai até fazer o famoso chá de chocolate com amendoim –

 

- Parecer bem delicioso – Comentou Hinata imaginando o sabor desse chá –

 

- Ei Sakura! Você não precisa ir se não quiser – Disse Bouquet sorrindo para sua amiga de capuz vermelho –

 

- Ah não! Bouquet eu quero ir sim –

 

               Sakura deixou de lado sua saudade de casa e tentou focar na diversão desse final de semana. Afinal foi difícil para ela, Runo e Sasuke convencerem o direto Madara que já tinha sido castigo suficiente eles limparem o Magiquitorio sobre os olhares intimidadores de Kushina, felizmente eles conseguiram se livra de ficar no colégio no final de semana, então não seria correto ela deixa sua saudade atrapalha o primeiro final de semana com as amigas.

 

- Então vamos lá! Segue-me os bons! – Bouquet tomou afrente enquanto Sakura e Hinata a seguiam –

 

(.....)

 

            A entrada do colégio logo ficou repleta de limusines de vários modelos, todas esperavam os príncipes e princesas, os Royals estavam animados com final de semana, Sasuke, Shikamaru, Gray e Naruto combinaram um programa só pra garotos para esse final de semana, as princesas também tiveram a mesma ideia, Temari, Tenten, Mimi, Asuka, Kushina, Mavis, Lucy e até mesmo Erza teriam dois dias dedicados a compras e salões de beleza.

 

             Já os estudantes Rebels tinham diferentes planos, aqueles que moravam na cidade de Konoha ou próximo iriam para casa curti suas famílias, era caso de Neji, Gaara, Drew e Kankuro, já aqueles que moravam longe como Suigestsu, Karin e Natsu ficaria no colégio e aproveitariam que os portões do mesmo estariam abertos esses dois dias para conhecer a cidade melhor.

 

        Mais para Runo o dia estava todo planejado, primeiro ela iria para casa aonde conversaria com pais sobre o castigo do colégio, seria difícil mas tinha certeza que conseguiria convencer os seus pais que ela só quis ajudar Sasuke e Sakura, depois ela iria dá uma volta pela cidade com Alice, daria uma passadinha no shopping, ajudaria Temari a escolher mais um par de sapatos, logo após iria se encontrar com Julie pra ver um filme e no finalzinho da tarde ela Alice e Julie iriam tomar um chá na casa de chás e especiarias do pais das maravilhas.

 

- Um final de semana perfeito – Suspirou Runo já dentro da limusine de sua família, ela fitou Alice que também estava animada, a jovem fada estava certa que nada estragaria seu final de semana –

 

///////////////  

 

           Enquanto Runo seguia com a certeza de um final de semana perfeito, um certo rapaz se encontrava no grande portão de entrada do colégio, ele esperava um amigo para juntos eles darem uma volta pela cidade, não podia volta para sua casa já que mesma era muito longe, então resolveu explorar Konoha, mesmo já conhecendo razoavelmente a cidade.

 

           O rapaz tinha cabelos castanhos despenteados, seus olhos tinham uma cor inusitada, vermelho maça, tinha pele clara, um corpo alto e forte típico de seu povo, trajava a blusa do colégio desabotoada revelando parte de seu abdômen, uma jaqueta vermelha de mangas longas estava amarada em sua cintura, na parte de baixo usava uma calça diz surrada com dois rasgões na parte dos joelhos, um par de tênis brancos, um detalhe muito chamativo nesse rapaz era o cinto grosso, com uma fivela no formato de uma face de um urso bravo e a tatuagem no seu tórax de um arco armado.

 

          Esse jovem que transmitia coragem tinha o nome de Daniel Valiant mais era conhecido como Dan entre os estudantes, Dan é filho da valente princesa Mérida conhecida por ser extremamente orgulhosa e é obvio corajosa, apesar de não ter herdado a aparência da mãe, esse valente príncipe herdou toda a coragem e orgulho da mesma, Dan nunca volta atrás na sua palavra, as vezes é um tanto convencido, estar sempre pensando em vencer, perder nunca é uma opção para ele.

 

              Seu destino é simples ser o futuro rei do reino de Fergus, diferente do conto de sua mãe Dan não vai precisa se preocupar com detalhe de se casar para assumir o trono, na verdade essa regra foi mudada quando Mérida assumiu o trono, a princesa conseguiu encontrar seu amor verdadeiro, mais mesmo assim ela não acha certo força alguém a se casar para assumir um trono, então Dan se tornará rei quando mostrar o seu valor, por essa razão ele vem acumulando vitorias em todos os tipos de jogos, ele acha que assim mostrara o seu valor para seu povo.

 

- Arhhh.... Mais que droga – Resmungou Dan impaciente ele odiava espera, quando estava prestes a volta para colégio avistou seu grande amigo –

 

             Um rapaz com mesmo porte físico de Dan, mais tinha cabelos negros longos preço em rabo de cavalo froixo, olhos castanhos claros bem chamativos, por cima da blusa do colégio ele usava uma pequena jaqueta sem magas verde, vestia uma calça preta, um par de tênis pretos, haviam muitos acessórios nesse rapaz, dois colares, um com um pingente da lua e outro com o do sol, também usava um brinco de ouro na orelha esquerda, na sua sobrancelha direita tinha um piercing de bronze, nas suas mãos haviam diferentes anéis de prata, o detalhe interessante desse rapaz além dos seus acessórios, era o lenço amarrado em sua cintura, o tecido de cor vermelha era decorado com desenhos que lembravam as runas do deserto.

 

- Cara! Você demorou – Disse Dan fitando seu amigo –

 

- Huh.... –

 

        Deu de ombros o rapaz de nome Shun Lamp, filho do Aladdin e da Jasmine, Shun é um príncipe bem reservado, não curte muito fala, foi eleito o segundo príncipe sexy perdendo somente para Sasuke, como Dan ele também estar destinado a governar um reino, mais especificamente o reino de Agrabah, mais não tem muito entusiasmos para isso, tem a plena certeza que não nasceu para governa um reino no meio de um deserto, na verdade Shun não saber ao certo o que quer da vida, estar perdido e cheio de dúvidas, guardando tudo para ele, não é muito comum um príncipe que não gosta de ser príncipe.

 

- Graça ao seu atraso aposto que o fliperama já deve estar cheio – Comentou Dan –

 

- Vamos de uma vez seu mané – Disse Shun já impaciente –

 

- Mané é aquele macaquinho que seu pai carregar para todo lado –

 

        Rebateu Dan já caminhado ao lado de Shun, os dois príncipes seguiram para o fliperama aonde jogaria o conhecido jogo magico chamado Bakukan, um game de feras magicas desenvolvido somente para os valentes, pelo menos era isso que o comercial do game dizia, foi jogando esse game online que Dan e Shun se conheceram, ficaram amigos virtuais mais logo eles entraram K.M.H.S e se tornaram grandes amigos.

 

- Esse final de semana vai ser o bicho! – Afirmou Dan certo que nada estragaria seu final de semana –

 

(.....)

 

- Não acredito nisso –

 

               Runo acabava de repensa seu final de semana perfeito, isso tudo se dava graças ao seu irmãozinho de dez anos chamando Marucho, o mesmo estava em um acampamento de verão mais tinha chegado a dois dias e agora era obrigação de Runo cuidar do mesmo.

 

            Marucho não tinha intenção de estragar o final de semana da irmã, pelo contrário adorava a mesma e só queria passa um tempo com ela, e de qualquer forma Runa não tinha escolha, sua mãe lhe disse que passa esse final de semana com irmão era uma maneira dela recompensar por ter recebido um castigo no colégio.

 

- Desculpa se estraguem seu final de semana –

 

          Falou Marucho, um garotinho baixinho, de cabelos loiros, olhos azuis decorados com um par de óculos, pele clara, vestia uma camisa de capuz branca, um short diz preto, calçava tênis brancos e tinha em mãos um pequeno aparelho que Runo desconhecia.

 

- Esquece baixinho – Disse Runo sorrindo para o irmão, ela Alice e Marucho estavam preste a ir no lugar favorito de seu irmão, o fliperama –

 

- Marucho que aparelho é esse? – Perguntou Alice observando o aparelho nas mãos do menino, se assemelhava a um Magic-Fone mais era usado de forma horizontal, a tela subiam para cima revelando um teclado colorido –

 

- Isso aqui é um Magic-Kan – Respondeu Marucho – Com ele posso acessar tudo relacionado ao meu Bakukan –

 

- Já ouvir falar desse jogo – Comentou Alice – Foi criado pela Mirror-Game –

 

- Sim! Eles mandaram muito bem criando esse jogo – Disse Marucho com olhos brilhando –

 

- Um jogo bobo com feras estranhas lutando.... – Comentou Runo sem muito interesse, não era uma fã de Bakukan – Parecer tão empolgante –

 

- Garotas não entenderiam a importância de Bakukan – Disse Marucho enquanto firmava seus óculos no rosto –

 

- Eu só quero chegar no fliperama logo... Assim você jogar, depois vamos a casa de chá do pai da Bouquet – Disse Runo impaciente – O filme com a Julie já era –

 

- Ela não ficar chateada? – Questionou Alice –

 

- Mandem uma mensagem para ela – Disse Runo observando seu Magic-fone – Ela vai nos encontrar no fliperama –

 

- Chegamos! – Exclamou Marucho correndo em direção ao lugar com uma placa grande colorida, aonde dois dragões feitos de pó magico voavam entorno do telhado –

 

- Nossa que legal – Admirou-se Alice –

 

- Alice a gente não vai demorar muito aqui.... –

 

          Afirmou Runo enquanto entrava no fliperama certa que seu irmão jogaria uns quinze minutos e depois seria uma tarde de chá, entretanto sua certeza sumiu quando observou todos aqueles garotos jogando como se não houvesse amanhã.

 

- Nunca vim tanto menino junto – Comentou Alice –

 

- Argh... Vai demorar horas! –

 

             Exclamou Runo tentando encontrar um game desocupado para colocar seu irmão para jogar, por sorte ela avistou um desocupado tratava-se de um jogo de dança aonde uma tela grande mostrava uma princesa dançando.

 

- Ei Marucho porque você não jogar aquele – Com a maior animação Runo apontou para game de dança - 

 

- Pricess-Dance 5 – Disse Marucho fitando sua irmão com expressão de confuso – Tá maluca ou o que! Eu vim aqui pra jogar Bakukan –

 

- A fila tá enorme pra esse Bakukan – Diz Alice notando que maioria dos rapazes estavam apenas ali para jogar o famoso Bakukan –

 

- Porque não tem mais filme? – As atenções se voltaram para Julie que surgiu ao lado de Alice com uma expressão emburrada - 

 

- Por culpa desse jogo ridículo chamado Bakukan! – Exclamou Runo alto atraído atenção de certo rapaz para ela –

 

- Ei garota! Como assim Bakukan é ridículo – Dan se virou para encarar a autora de uma frase tão absurda, quando seus olhos miraram em Runo ele piscou alguns minutos antes de fala algo – Runo Goodfairy –

 

- Daniel Valiant – Runo sentiu uma sensação que agora de fato seu final de semana já era, de tantas pessoas para encontrar pela cidade tinha que ser logo ele – O que faz aqui? –

 

- Não é obvio... Vim jogar Bakukan – Dan se aproximou de Runo com sorriso divertido fazia tempo que ele não falava com ela –

 

- Vocês se conhecem? – Perguntou Alice a Runo –

 

- Infelizmente sim – Respondeu Runo sem muito animo –

 

- Eu e a Runo nós conhecemos no acampamento Royal....  – Comentou Dan sorridente sua mente viajou para seus dez anos – Bons tempos –

 

- Bons tempos! – Exclamou Runo revoltada – Você grudou chiclete no meu cabelo, colocou um sapo dentro do meu saco de dormir, sem fala que por sua culpa aquele javali perseguiu o grupo de caminhada –

 

- Quanto drama....  – Disse Dan colocando seus braços atrás da cabeça – O lance do chiclete foi um acidente, e o sapo era o Lee, e como iria imaginar que o javali não gostava da dança do siri –

 

- Dan essa fila tá enorme – Comentou Shun se aproximando de Dan, olhos do príncipe miraram certa gatinha que observava tudo com um olhar de tedio –

 

- É tudo sua culpa Shun – Disse Dan – Eu disse pra gente chega bem cedo –

 

- Escuta Marucho a gente não pode volta amanhã? – Runo usou seu olhar de irmã santa para tenta convencer o irmão –

 

- Mais as novas atualização para os Bakukas do elemento agua saem hoje, amanhã já vai ser ultrapassado – Disse o menino –

 

- Eu não tenho ideia do que isso significa – Disse Runo impaciente – Eu só quero tomar um bom chá de chocolate com amendoim –

 

- Runo como pode pensa em chá quando as melhores cartas de habilidades saem todas hoje – Disse Dan com grande animação –

 

- Ouvir dizer que tem uma carta que triplica a força de seu Bakukan – Disse Marucho fitando Dan com a mesma animação –

 

- Fala sério! Isso é demais – Exclamou Dan -

 

             Dan e Marucho começaram um diálogo sobre Bakukan, enquanto Alice observava com um sorriso, Julie observava suas unhas, Shun encarava discretamente Julie já Runo observava Dan e desejava que um raio caíssem em cima do rapaz que mais detestava na vida. 

 

///////////////

 

- Então a Runo saiu correndo de dentro da barraca com o Lee logo atrás gritando para ela beija ele.... –

 

            Contava Dan um dos momentos constrangedores de Runo para todos ouvirem, mau ele sabia que o olhar assassino de Runo indicava uma irá medonha, para a fada havia partes ruins e boas naquele momento, a parte boa era que seu irmão resolveu dá um tempo de Bakukan, todos agora estavam em uma sorveteria que ficava ao lado do fliperama, aproveitando um saboroso sorvete, a parte ruim era que Dan estava também contando todos os acontecimentos do acampamento que Runo queria esquecer. 

 

- Deve ter sido hilário – Disse Marucho depois de cessar sua risada – Dan você é muito legal queria ter irmão como você - 

 

- Que! –

 

            Sussurrou Runo revoltada, como seu irmão podia insinuar que Dan era muito mais legal que ela, sempre foi uma garota calma e centrada mais quando se tratava de Daniel Valiant as coisas mudavam de figura, uma raiva fora do comum tomar conta de Runo, essa forte emoção era tão grande que se manifestou em forma de magia na varinha de Runo que começava a brilha dentro de sua bolça estrela.

 

- Ahã – Runo sem ter noção do perigo, retirou sua varinha da bolça, como todos estavam distraído ouvindo Dan não notaram Runo com sua varinha em mãos –

 

- Ah Runo foi a primeira a correr quando o javali saiu perseguindo agente, da ir ela tropeçou e caiu com a cara dentro de um buraco de um tronco velho, um esquilo mordeu o nariz dela e..... –

 

           Olhar de Runo desviou da varinha para Dan, e por um momento ela desejou que Dan fosse um esquilo para ela poder pega-lo e enfia-lo num tronco velho e nunca mais ver cara de sem noção do rapaz, esse desejo secreto de Runo se manifestou em uma luz forte, antes dela poder fazer algo a varinha disparou.

 

- Essa não! – Exclamou Runo observando a magia rodando dentro da sorveteria criando uma grande confusão –

 

- Runo que você estar fazendo? – Perguntou Dan se abaixando para não ser atingido pela magia –

 

- Eu não sei... Não posso controla – Runo observou sua magia bater contra uma bandeja de prata de uma das garçonete e volta na direção de seus amigos – Cuidado! –

 

       O aviso de Runo foi tarde a magia acertou um alvo, a pobre Alice foi tomada por uma luz brilhante, sentiu seu corpo encolher e ficar peludo, sua cabeça ficou pesada, sua visão ficou escura, depois sua consciência sumiu tudo que ela sentia agora era um extinto de sobrevivência animal.

 

- Alice! – Gritou Runo fitando o chão, sua amiga agora era um esquilo peludo e a assustado –

 

- Olha o que você fez Runo! – Exclamou Dan fitando o esquilo assustado no chão –

 

- A culpa não foi minha – Disse Runo fitando Dan – A culpa é sua! –

 

- Minha? – O príncipe fez sua melhor cara de confuso –

 

- Sim! Sua Daniel Valiant – Afirmou Runo – Se você não tivesse me irritado eu não teria perdido o controle da minha varinha –

 

- Não me culpe por você ser uma péssima fada – Disse Dan calmamente –

 

- Enquanto vocês dois discutem Alice acabou de sair correndo pela a porta de saída da sorveteria – Comentou Marucho –

 

- Alice! – Runo correu para fora da sorveteria e o resto dos jovens foram atrás dela, olhou para um lado depois para outro e nem sinal de sua amiga –

 

- Não poder fazer o lance do Bibit, Bobit, Bum e trazer Alice de volta? – Perguntou Julie já ao lado de Runo –

 

- Não é tão simples.... – A mente de Runo já formulava o tamanho do problema – A minha varinha disparou por conta própria, por culpa das minhas emoções, é bem diferente de usar magia livre e espontânea –

 

- Maninha isso quer dizer que quando relógio bater meio dia.... –

 

- Alice vai ser esquilo para sempre – Completou Runo aflita –

 

- Achei que fosse meia noite – Disse Dan –

 

- Meia noite, meio dia, o quer vier primeiro – Disse Runo impaciente, era sua obrigação encontrar uma maneira de ajudar sua amiga, felizmente ela pensou em algo rápido – A varinha da minha mãe –

 

- A varinha da mamãe estar no museu das lendas – Disse Marucho –

 

- Isso! Agente pode entrar lá agora, pegar a varinha, encontrar Alice e trazê-la de volta antes do meio dia – Animou-se Runo –

 

- Temos uma hora pra fazer isso tudo – Se manifestou Shun observando a posição do sol no céu –

 

- Tá legal! Shun Julie e Marucho vocês vão atrás da Alice eu e a Runo vamos até o museu –

 

            Dan nunca havia visto tanta aflição na face de Runo, nem mesmo quando o esquilo mordeu o nariz da garota, ele não podia deixa Runo sozinha nessa, iria ajuda-la como um verdadeiro príncipe valente. Runo observou Dan ali disposta ajuda-la por breves segundos ela sorriu e esqueceu do grande problema que ela havia se metido.

 

- Então guerreiros Bakukan vamos lá! – Exclamou Marucho –

 

- Não se empolga pirralho – Disse Julie arrastando Marucho pelo capuz de sua camisa –

 

///////////////////

 

- Runo sua mãe não vai ficar brava se souber que você pegou a varinha dela para ajudar uma princesa esquilo – Questionou Dan enquanto seguia com Runo para o museu –

 

- Ela não precisa saber –

 

           Runo ficou meio sem graça de fala aquilo, nunca foi o tipo de garota que age pelas costas dos pais, mais não tinha escolha, se resolvesse fala com sua mãe tinha certeza que a mesma iria tomar sua varinha, isso seria humilhante demais para ela.

 

- Ei Runo vai dá tudo certo –

 

           Sorriu Dan abertamente para Runo, ele podia imaginar que Runo estava se sentido culpada por tudo, mais parte da culpa era sua, não deveria irrita tanto a garota mais não podia evita, irrita Runo Goodfairy era muito viciante.

 

///////////////////

 

- Esse lugar é perfeito para um esquilo – Afirmou Marucho observando o parque verde da cidade, com muitas arvores, um lago entre outras coisas – Vamos a caça –

 

- Esse garoto é muito animado pro meu gosto – Comentou Julie tediosamente, seus olhos fitaram o príncipe ao seu lado – Hum... Você tem olhos lindos sabia –

 

- Huh... – Shun abriu um mínimo sorriso enquanto observava Julie de canto de olho, ele nunca tinha visto garotas com roupas tão provocantes –

 

- Ei vocês dois! Temos uma princesa esquilo pra procurar – Chamou Marucho que já se encontrava em cima de uma arvore –

 

/////////////////

 

- Esse lugar é muito maneiro! – Dan observava o grande museu das lendas, uma estrutura medonha em um design estilo grego –

 

- Você nunca tinha vindo aqui antes – Runo não se surpreendia de Dan acha o museu incrível deveria ser a primeira vez que ele entrava num lugar como aquele –

 

- Museus não são pra mim – Disse Dan calmamente enquanto subia a escada de mármore com Runo ao seu lado –

 

- A essa hora o museu não tá muito movimentado – Comentou Runo adentrando no grande museu das lendas – A varinha da minha mãe estar na ala de cima –

 

- Aquilo é esqueleto de dragão – Dan já estava preste a correr para o esqueleto de dragão mais Runo o segurou –

 

- Não toque em nada só me segue –

 

            Runo arrastou Dan até o segundo anda, caminharam por um grande corredor com diferentes quadros de princesas, por fim chegaram na sala dedica aos objetos magico, não só a varinha da fada madrinha estava lá, como também a lâmpada do Aladdin, um dos feijões do João até mesmo a roca de fiar do conto da bela adormecida.

 

- A segurança desse lugar é horrível – Comentou Dan –

 

- Idiota... Se alguém ousar sair do museu com qualquer coisa daqui sem permissão um alarme dispara... E Bum! Você estar em sela no reformatório da floresta negra – Diz Runo –

 

- Então como vamos fazer para.... –

 

- Eu tenho um plano –

 

           Interrompeu Runo Dan, ela se aproximou da brilhante proteção de vidro, que protegia a varinha branca contornada com fios de diamantes, com cautela ela aproximou sua varinha da caixa de vidro, tinha que se concentra nem um tipo de distração, muito foco, tinha que fica centrada.

 

- Runo o que vai fazer! – Perguntou Dan bem alto, fazendo Runo dá pulo para trás –

 

- Seu idiota! Não estar vendo que estou tentando me concentrar – Exclamou Runo aponto de enfiar sua varinha na garganta de Dan –

 

- Tá sua mal humorada – Disse Dan encostando seu braço em uma das caixas de vidro foi suficiente para o alarme do museu disparar – Ops... Foi mal –

 

- Argh! – Rosnou Runo, movida por seus extintos ela literalmente enfiou sua mão através do vidro pegou a varinha de sua mãe e colocou a sua no lugar – Pronto! –

 

- Mais nós nunca vamos sair daqui – Afirmou Dan –

 

- O alarme foi disparado aqui – Soaram vozes vindo na direção dos dois jovens, sem muito escolha Runo agarrou a mão de Dan sacudiu a varinha de sua mãe e falou –

 

- Bibit, Bobit, Bum! – Um vento cintilante arrastou Dan e Runo do museu –

 

- Não tem ninguém aqui....  – Disse o primeiro segurança a chega na sala –

 

- E parecer que nada sumiu – Disse outro segurança olhando envolta –

 

- Deve ter sido um erro no sistema – Afirmou o segurança mais acomodado –

 

(.....)

 

- Miau! Esse parque é enorme – Reclamou Julie se encostando em uma arvore – É impossível achamos um esquilo –

 

- Huh... Tenho um ideia – Calmamente Shun desamarrou seu lenço da cintura, o colocou no chão, o lenço foi esticando até ficar do tamanho de um tapete árabe, tapete esse que levantou do chão e ficou flutuando no ar –

 

- Um tapete magico – Disse Marucho com muita animação –

 

- Essa gata aqui adorar voar – Julie foi a primeira a salta em cima do tapete –

 

- Marucho o tapete só caber duas pessoas – Disse Shun sem graça – Você não se importa de ficar aqui –

 

- Fazer o que neh – Suspirou Marucho –

 

- Tapete vamos lá – Com a ordem de Shun o tapete levantou voou e começou a percorrer o parque em uma distância razoavelmente alta –

 

- Eu gossssssto disso – Sussurrou Julie fechando os olhos –

 

“Se controle” – Pensou Shun sentindo uma estranha excitação em estar tão próximo de Julie – Você já viu o esquilo? –

 

- Ahã? Ah sim Alice – Julie estreitou seu olhar de gata em direção as arvores mais nem sinal do esquilo princesa – Nada, nem sinal da Alice –

 

- Isso não é bom pela posição do sol falta apenas vinte minutos para o meio dia – Diz Shun fitando o céu –

 

- Miau... Isso é tão chato – Murmurou Julie se jogando nos braços de Shun –

 

“Pelos camelos do meu avó” – Pensou o príncipe sem saber o que fazer diante daquela situação –

 

///////////////////////

 

- Ai minha cabeça! –

 

           Dan abriu seus olhos sentindo um forte peço em cima de seu corpo, foi então que viu a face de Runo a centímetros dá dele, a boca da fada estava parcialmente aberta, seus olhos se abriam lentamente, era uma cena tão singela que não conseguiu evitar o sorriso. Aos poucos ele foi aproximando sua boca da de Runo, nem sabia porque estava fazendo aquilo só queria saber o sabor dos lábios da jovem fada.

 

           Com grande cautela ele tocou os lábios de Runo, sentiu um formigamento estranho nos lábios, como se um monte de formigas caminhasse por sua boca, mais gostou tanto que prosseguiu com o beijo. Já a garota que recebia o beijo estava sem ação, Runo não sentia os membros de seu corpo, seus olhos estava vidrados, ela estava mesmo caída em cima do corpo de Dan enquanto ele a beijava.

 

- Chapelastico! – A voz de Bouquet se fez presente chamando atenção do casal que se levantaram em um salto com suas faces rubras –

 

- Runo? De onde você venho? –

 

           Perguntou Sakura confusa em um minuto ela ajudava a limpa o chão da casa de chás de Bouquet, e no outro Runo despencou dos céus junto com um garoto que ela desconhecia e até um beijo rolou.

 

- Sakura? –

 

              Runo olhou envolta meio desconcertada, viu Sakura, Bouquet e Hinata com esfregões em mãos, logo se deu conta que estava na casa de chá do Chapeleiro Maluco, agradeceu aos céus pela a mesma estar vazia apenas as meninas se encontravam limpando o lugar.

 

- Podem repetir o beijo pra mim tirar uma foto – Pediu Bouquet animada, quem diria que os minutos que ela fechou a casa de chás para limpeza iria acontecer algo tão Chapelastico pensava ela –

 

- Alice! – Runo se recordou de sua amiga olhou a varinha em sua mão depois fitou o relógio da casa de chá, havia vários e todos marcavam a hora errada – Que horas são –

 

- Hora do chá – Respondeu Bouquet animada –

 

- Quinze para meio dia – Disse Hinata observando hora em seu Magic-Fone –

 

- Não vai da tempo – Se desesperou Runo –

 

- Calma a gente vai dá um gente – Mais uma vez movido por algo que desconhecia Dan evolveu Runo em um abraço –

 

- O que estar havendo agente pode ajudar? – Perguntou Hinata prestativa –

 

- É isso! – Exclamou Runo saindo dos braços de Dan, acabava de ter uma nova ideia – Hinata preciso da sua ajuda –

 

////////////////

 

- Pronta? – Perguntou Runo segurando firme a varinha de sua mãe –

 

- Acho que sim – Meio receosa Hinata também segurou a varinha da mãe de Runo, não tinha ideia do que fazer mais segundo Runo só com sua ajuda ela conseguiria ajudar sua amiga –

 

- Juntas! – Runo levantou a varinha junto com Hinata respirou fundo e fez um sinal positivo com a cabeça para Hinata –

 

- Bibit....  – Disse Hinata usando sua magia –

 

- Bobit... – Continuou Runo usando a sua magia –

 

- Bum! – Exclamaram as duas juntas, uma onda de magia branca revestida na cor violeta percorrer a cidade inteira em show de luzes magnifico –

 

//////////////////

 

- Esse arco tava precisando ser polido – Dizia Gaara que limpava seu arco em baixo de uma arvore do parque –

 

- Ahhhhhhhhhh.... – Despencou Alice da arvore que antes estava, caindo bem em cima do colo de Gaara –

 

- Caramba! – Foi tudo que o rapaz ruivo disse enquanto observava a face angelical de Alice ali próxima da sua –

 

- Oi! – Disse a princesa completamente sem graça –

 

..................

 

 

 


Notas Finais


- Olá eu sou Mavis Lockes e trago pra vocês as notícias do próximo capitulo de descendentes –
- No próximo capitulo nós vamos conhecer um grupo de garotos misteriosos que fazem sucesso na Magic-net, Ino e Sakura vão dá uma de entregadoras de pizza, eu e as meninas Royals vamos apronta todas no shopping... É muita coisa gente! Então cometem para o Jay postar o mais rápido possível –
- Eu sou Mavis Lockes e esse foi o Cachinhos da Fofoca! -


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...