História Descendentes Diferente - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Descendentes
Personagens Carlos de Vil, Evie, Jane, Jay, Lorrie, Personagens Originais, Princesa Audrey, Príncipe Ben
Visualizações 151
Palavras 2.512
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Eu meio que editei a ultima frase do capitulo anterior. Desculpa.

Capítulo 2 - Capitulo 2


- Benny-boo,  o que você está fazendo?

     - Eu e o Mal estamos brincado.

     - Mal. – Audrey falou desanimada e Mal acenou para ela. Ben parecia nem prestar atenção só olhava para os dois mesmo que ele olhasse mais para Mal do que para Audrey.

     - Benny-boo, vamos para a piscina.

     - O que? – Ben perguntou.

     - Você esqueceu você falou para o Chad que nos dois iriamos para a piscina na casa dele.

     - Ok. Quer ir na piscina Mal? – Ben pergunta. Audrey olhou com desdém para Mal que olhava nos olhos de Audrey e ele falou:

     - Não. Eu vou ir ver a Evie para saber como ela está. Tchau.

     - Tchau. – Audrey disse e depois que Mal saiu falou entre dentes - Não volte nunca mais.

     - Ei olha a boca! Ele é uma pessoa legal.

     - Benny você é uma pessoa muito ingênua, não consegue ver que ele é igual a mãe. E se ele me fazer dormi eternamente e te prender no quarto ou num lugar misterioso para sempre até a sua morte ou até que você escape e me beije.

     - Audrey, você não é a sua mãe e muito menos ele é a mãe dele, eu não sou meu pai e muito menos o Philipe.

     - Mais isso pode acontecer!

     - Não! Desculpa, porem eu tenho quase certeza que não.

     Audrey fez uma careta e depois começou a chorar forçadamente e saiu correndo do quarto. Ben olhou para a janela de seu quarto se sentando no parapeito sem se incomodar da porta está aberta e viu Mal sentado com Evie conversando. Os dois pareciam felizes por estar conversando sem ninguém interromper, eles estavam sentados num banco meio distante das outras pessoas que pareciam estar tentando sair de lá o mais rápido possível.

     Ben quando viu Mal dar um de seus meios sorrisos e sentiu uma vontade de sorrir também (mesmo que não seja igual o Mal), nem ele sabia o porque parecia que a felicidade de dele era a sua própria felicidade, isso só aconteceu uma vez antes mas era melhor ele nem se lembrar disso. Após um tempo ele ouviu seu iphone (de ultima geração) tocar e ele atendeu:

     Ben - Quem é?

     ??? - Sou eu. – Ben reconheceu a voz de seu pai.

     Ben - Pai porque está ligando?

     Fera - Para te mandar pedir desculpa para a Princesa Audrey.

     Ben - Pai eu não fiz nada de errado só falei a realidade para ela.

     Fera - Não importa o que você fez só peça desculpa.

     Ben - Ela te ligou? – Após um segundos Ben percebeu que estava fazendo uma pergunta idiota que é obvio a resposta (que seria sim).

     Fera- Sim, para reclama de sua grosseria e que você não sabe controlar os nervos. – Audrey sabia exatamente o que falar e fazer para conseguir o que queria isso é algo que Ben sempre soube. Essa e a primeira vez que ele realmente não ficou quieto vendo o que a “namora” fazia, então ela não sabe de uma coisa que ele puxou da mãe: a teimosia.

     Ben - Eu falei calmamente, e só amostrei a realidade que ela se recusa a ver, por achar que tudo se resumi a nobreza, a historia da mãe e do pai dela e a aparência, a realidade é não existe só ela ou essa história no mundo, existem outras pessoas, outras historias e outros lados de uma mesma historia.

     Fera - Peça desculpa Benjamim! – Ele quase gritou não se importando com o que Benjamim falou.

     Ben - Não pedirei. Eu não estou errado, fale para Audrey se caso ela ligue novamente para você que eu me recusei a pedir desculpas por algo que fiz correto e fale para ela também que não quero vê-la nem pintada de ouro. Tchau pai.

     Fera – Benjamim... - Ben desligou bem na “cara” de seu pai.

     Ben e Audrey nunca foram um casal de verdade, pelo menos da parte dele, seus pais queriam uma boa esposa, uma boa rainha e alguém que conseguia o tirar do quarto (nisso eles não conseguiram muito bem já que ele só saia do quarto se os amigos estivessem envolvidos ou algo que tem a ver com o Auradon prep), eles viram cada uma das pretendentes e a melhor (na opinião deles sem nem consultarem o Ben) foi a doce princesa Audrey bonita, gentil e ingênua (novamente na opinião da Bela e a Fera).

     Por causa da historia da mãe os avos a mimaram como não puderem fazer com a filha ou até mais. Aurora após o parto de Audrey ficou muito doente, mau pode se levantar da cama muito menos cuidar da filha, e Philip ficou encarregado de Auroria (nome do lugar do reino deles (ele é meio que o prefeito ou governador já que quem controla tudo é o rei Fera)) e da frágil saúde de sua esposa não pode cuidar de sua filha.

     Em outras palavras Audrey tem uma historia de dar pena a qualquer um e a maior parte das pessoas veem ela como uma pobre coitadinha e ingênua que sofre muito, porem aqueles que convivem com ela a mais tempo (tirando a família dela que parecem até surdos, mudos e cegos com relação as acusações contra Audrey ou os atos da mesma) sabem a verdade ela é mimada, só liga para status sociais, só liga para a aparência física, mentirosa, controladora e tirano (pessoa injusta, o feminino tem outro significado pelo que eu vi no dicionário).

     Audrey é sim meio ingênua e delicada, porem já passou da hora de alguém a repreender por seus atos e Ben sabia que a pessoa a certa para fazer isso não era ele.

     Ben sempre foi uma pessoa que ver o mundo como ele é, desde de criança ele é assim, ele via a injustiça de manter crianças inocentes pagando por somente terem nascido tendo aqueles pais cruéis, ele via a injustiça de punirem pessoas só por não terem nascido na realeza como por exemplo quando Lonnie tinha uns doze anos ela trouxe para Auradon preparatório um cachorrinho ainda um filhote a diretora fez questão de mandar ele para um canil e ainda mandou Lonnie para duas detenções (depois que voltasse da suspensão) e a mandou ela três dias de suspensão fazendo ela perder duas provas fazendo a mesma quase repetir de ano.

     Já quando Audrey que tinha uns quatorze anos trouxe um cachorrinho ainda filhotinho para Auradon preparatório o cachorro virou o mascote a diretora ainda por cima deu uma medalha de honra para ela (a qual Audrey amava amostra para quem quiser ou não ver).

     A única diferença entre as duas era a idade e por uma ser da realeza e a outra não.

     Para as pessoas em Auradon, quando gente normal (sem nem um pingo de sangue de alguma família real) faz algo errado tem que ser logo mandado para a ilha dos perdidos, mas se um membro de alguma família real for acusado todos viam como um simples acidente ou desventura, igual ao caso da rainha má que demorou alguns meses (Evie já tinha mais ou menos 2 anos quando foi para a ilha) até o concelho decidir mandar a Rainha má para a ilha e decidiram mandar as filhas dela (Rosa Vermelha e Evie) também (mesmo que Branca de Neve não aceitasse que sua irmãzinha mais nova fosse para a ilha dos perdidos e que Rosa Vermelha fosse para lá também).

     Em outras palavras uma injustiça sem tamanho. Não importa quem fez todos devem ser punidos da mesma maneira e da mesma rapidez foi isso que ele aprendeu desde pequeno, porém aparentemente todos esquecem.

     Ben então escutou a porta ser fechada e se virou e viu Mal colocar uma mala e uma mochila (que estavam jogadas no chão) encima da cama, depois de uns minutos de um silencio desconfortável Mal falou tentado quebrar esse silencio:

     - Vou desarrumar a mala! – Ben então perguntou:

     - Quer ajuda desarrumar a mala?

     - Sim. Aqui pega essa e coloca as coisas que tem dentro dela na mesa a outra deixa comigo. – Ele pega uma mochila que estava encima da cama e praticamente jogou para Ben.

     Ben observou Mal abrir a mala e ele abriu a mochila sem notar Mal o observa também. Ben tirou de lá dois livros, o primeiro dos dois livros tinha um dragão que parecia ser feito de ouro na capa era feito com couro aparentemente e o outro parecia extremamente com um caderno encapado com couro também. Ele perguntou:

     - O que são esses livros?

     - Um é o ... meu diário e o outro é um vamos dizer presente da minha mãe. – Mal murmurou sem dá muita importância e depois disse. – Só coloca em cima da mesa depois eu vejo um lugar certinho para guarda-los.

     - Ok! Sua mãe te dá muitos presentes?

     - Não. Ela só me deu quando eu já ia vim para Auradon. Ela me deu esse livro e esse cordão. – Mal apontou a pequena correntinha com uma pedra verde, o cordão era unissex e era feito do que parecia ser ouro.

     De repente Ben ficou extremamente quieto e colocou os livros encima da mesa. E pegou algumas outras coisas que tinha lá (simplesmente uma caneta velha que parecia quase não ter tinta, vários Spray (algo que Ben sabia que teria que convencer Mal de largar) e uma simples boneca sem cabelo, com olhos azuis e uma roupinha rosa meio rasgada).

     Mal percebendo que Ben observava a boneca falou:

     - Era da... minha irmã. – Ben o olhou de relance para Mal que estava dobrando uma calça e ele continuou. – Ela me deu para nunca me esquecer dela e saber que ela sempre estaria lá para mim.

     - Acho que já disse hoje isso, porem ela parece realmente te amar muito.

     - Por que está no quarto não devia estar com sua namorada e seus amigos? – Mal falou tentando mudar de assunto.

     - A verdade é que eu acho que agente deu um tempo no namoro, vamos dizer assim.

     - Compreendo é difícil dar um tempo no namoro.

     - Você já passou por isso? – Quando Ben perguntou isso ele sentiu um mau estar e estava com uma vontade absurda de socar uma parede até todos os seus dedos quebrarem.

     -... Sim.      

     Nesse momento Ben ficou calado talvez tentando se controlar e não fazer uma loucura, ele estava pensando em puxar o cabelo da pessoa até o chão ou fazer a pessoa se sentar no fogo, e tirou um ultimo item um livro com a capa feita de couro (o mesmo couro que foi feito o diário do Mal e o livro com o dragão). E ele perguntou:

     - Esse é o que?

     - Um livro onde ... a minha irmã desenhava ela pediu para mim trazer para me lembrar dela.

     - Elas realmente te amam.

     - Eu sei. – Mal sussurrou quase que para ele mesmo sem nem perceber que Ben o ouviu.

     Ben olhou para a janela e viu que estava de noite e olhou para o relógio e disse:

      - Está na hora do jantar. Vamos!

     Ben saiu com Mal atrás dele após uns segundos ambos estavam lado á lado com suas mãos quase se encostando. Eles pararam e bateram na porta que era do quarto de Jay e Carlos. Quando Jay abriu a porta ele perguntou:

     - O que querem?

     - Nada demais só viemos acompanha-los para o jantar, já que vocês não sabem onde é o refeitório.

     - Já vamos. Não é necessário principezinho nos acompanhar, não somos princesinhas indefesas, não é Mal?

     - Sim, Ben não leva mau mais não precisamos de ajuda. Obrigada por tudo até agora, porem como o Jay disse não precisamos de guia ou ajuda.

     - Ok, Mal. Vai ficar com eles?

     - Sim, eu vou ficar com eles. Ainda mais que você tem que falar com os seus amigos e pedir desculpa por não ter ido para a piscina.

     Ben ficou quieto e olhava para nos olhos de Mal como se procurasse uma afirmação de que ele ficaria bem e depois saiu indo em direção ao refeitório.

     Ben reparou na antiga mesa onde sentava antes de começou a “namorar” Audrey, ele viu Jane que tentava inutilmente prestar atenção no dever de casa com todo o barulho que acontecia em volta e em Doug (um amigo de infância que ele quase não fala mais) que lia um livro de química aparentemente.

     Na mesa onde Ben geralmente senta (após começar a “namorar” Audrey) estava Chad, Audrey (que parecia emburrada sobre alguma coisa), os jogadores da escola e as lideres de torcida. Chad acenou para Ben se sentar com eles, e Ben ficou sem graça em recusar por isso aceitou.

     Ao se sentar viu Audrey pegar um espelhinho (que estava dentro da bolsinha que quase sempre estava com ela) para retocar o batom (que estava ainda lá), Ben quase fez uma careta para esse ato quem em sã consciência fica passando batom na hora que vai comer numa escola que você praticamente mora lá, se fosse numa festa ou em um restaurante tudo bem é aceitável.

      Ele então ouviu Chad falar:

     - Porque você não veio?

     - Verdade Benny-boo porque não veio? – Audrey disse entrando na conversa já parando de repassar o batom e guardando o mini espelhinho e o batom na bolsa.

     - Você sabe muito o porque Audrey. – Ben respirou fundo e falou - vamos nos dois nos retirarmos da mesa e conversar sozinhos, por favor.

     - O que tem a dizer pode dizer na frente de todos. – Audrey  praticamente gritou pensado que ele fosse se desculpar pela maneira que falou.

     - Se você que desse jeito, tudo bem. Eu quero terminar tudo.

     - Tudo o que? – Audrey perguntou se fazendo de desentendida, coisa que ela não era.

     - Nosso relacionamento. Não é justo com você nem comigo estar preso nesse relacionamento de compromisso.

     Quando Ben disse isso ele sentiu os olhos de todos encima dele alguns incrédulos alguns outros com raiva e as pessoas que conheciam Audrey muito bem (que eram muito poucas pessoa) o olhavam com compreensão. Audrey então ficou em choque e após uns minutos começou a chorar copiosamente. Ben pela primeira vez na vida sentiu o olhar de ódio sobre si.

     Ao mesmo tempo entrou Lonnie carregando Evie que parecia estar revoltada, após a entrada delas quem entrou foi Mal, Jay e Carlos. Mal estava na frente dos dois primeiros parecendo que os comandava.

     Ben não tirava os olhos dos descendentes que se sentaram junto de Lonnie numa mesa separada das outras chamando a atenção de todos sem querer tirando a atenção indesejada dele, Ben se levantou de sua mesa sem se incomodar com as outras pessoas que estavam o olhando novamente. E quando chegou perto da mesa deles e perguntou:

     - Posso me sentar com vocês?

     - Claro que sim cara. – Jay respondeu por todos da mesa que acenaram em concordância. E Ben se sentou na mesa se tornando oficialmente o príncipe rebelde como a maioria dos alunos de Auradon prep começaram a apelida-lo.


Notas Finais


Eu quero fazer uma votação com vocês sobre alguns casais:
1-Para ficar com o Jay quem:
(a) Lonnie
(b) Audrey
(c) Carlos

2- Para ficar com Carlos quem:
(a) Jane
(b) Jay

3- Para ficar com Evie:
(a) Doug
(b) Personagem original.

A outra pergunta vocês querem ler o diário do Mal para se aprofundar na historia e descobrir algumas vamos dizer curiosidades?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...