História Descobrindo o amor- Dramione - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Visualizações 129
Palavras 2.787
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 8 - Capítulo 8


DRACO

Acordo suando frio. Minha marca está queimando e mais visível do que nunca. Não consigo respirar e acho que vou vomitar.

Por favor que não signifique nada.

Levanto da cama mais caio. Estou enxergando tudo embaçado.

Consigo com muito custo e demora sair do quarto, tropeço em um degrau e caio no chão. Bato com o canto de minha bochecha justo na ponta do corrimão e sinto o sangue escorrer. Merda!

Hermione sai do quarto ou para ir em algum lugar ou porque escutou o som do baque, não sei bem e vê meu estado. Ela se preocupada e corre para me ajudar:

– Draco, você está bem?

Não falo nada apenas consigo levantar e saio correndo, caindo toda hora, para o banheiro. Vomito muito e encosto minha testa no piso gelado.

Hermione entra e se agacha ao meu lado. Coloca sua pequena mão em minha testa e diz:

– Você está ardendo de febre. Vou lhe ajudar a ir na enfermaria.

– Não... eu n-não quero...

– Draco...

Ela está se preocupando comigo? De verdade?

Respiro fundo algumas vezes e a marca ainda queima, porém mais de leve agora. Consigo me sentar ereto e olho para a castanha em minha frente:

– Só passei mal. Não há necessidade para isso.

– Deixe-me levá-lo então para Madame Pomfrey cuidar de seu rosto. Está inchando e sangrando...

– Não quero ir para lá se você ainda não percebeu.

– Calma ok? Só estou tentando ajudar.

– Não preciso de sua ajuda.

– Mentira. Deixa seu orgulho de lado, então deixe-me lhe ajudar. Posso pelo menos fechar o machucado e passar uma pomada para machucados que tenho.

– Tudo bem...

Hermione sai do banheiro e volta alguns instantes depois com sua varinha e um tubo branco e esquisito na mão. Ela agacha em minha frente e seu cheiro me invade mais uma vez.

Primeiro ela lança um feitiço que fecha meu machucado e depois pega a pomada:
– O que é isso? – pergunto duvidoso.

– É uma pomada trouxa.

– Jura?

– Olha Draco sei que não gosta de coisas trouxas, mas ela ajudará a melhorar os machucados. Amanhã não estará mais nada em seu rosto ou estará bem de leve. Não sei fazer milagres como a Madame Pomfrey.

– Eu nunca disse que não gostava de trouxas.

– Tudo bem Draco dizer que nos odeia.

– Quando conheci você e de vez em quando ouvia você falando sobre esses objetos trouxas e ficava curioso. Uma vez fui perguntar ao meu pai se não podia me levar ao seu outro mundo. Não consegui fazer nada naquele dia. Ele me bateu e jogou uma maldição em mim. depois disso fui ensinado a odiá-los e xingar.

Vejo a cara de surpresa e tristeza de Hermione. Vejo que seus olhos se encheram de lágrimas e fico surpreso por ver que ela ficou triste por mim. depois de tudo que fiz a ela, ainda consegue ficar triste por mim.

Hermione faz algo que me surpreende ainda mais e deixa meu peito com algo que não sei o que é. Ela me abraça e depois me dá um beijo suave e demorado no rosto.

– Sinto muito Draco. Não imaginava.

– Não precisa sentir pena de mim como se fosse um cachorro abandonado.

– Bem você não é. Não estou sentindo pena, eu só entendo você.

Deixo Hermione fazer seu serviço.  O jeito como ela passa a pomada em mim, de um jeito delicado, cuidadoso e carinhoso. A única pessoa que já me tratou dessa maneira foi minha mãe.

Sem me controlar, puxo-a para meu colo. Suas pernas ficam de cada lado do meu quadril e a beijo. Sim eu a beijo e não ligo em admitir que estava querendo beijá-la de novo. Desde o nome primeiro beijo, não esqueci seu sabor e queria de novo. Quero de novo.

Na mesma hora já pessoa passagem com a língua e Hermione libera imediatamente. Está no ar que ambos sentimos atração um pelo outro.

É apenas atração. Boa Draco.

Hermione passa suas mãos pelo meu cabelo e deixa-as em volta de meu pescoço. Eu aprofundo o beijo e sinto-me ficando mais excitado. Começo beijar seu pescoço e a descer as mãos, mas Hermione para de me beijar e se levanta.

– Você melhorou bem rapidinho hein.

– Tive uma ajuda gostosa.

– Espero que seja um elogio.

– É inacreditável, mas é sim. Até que você é bonitinha.

– Nossa ganhei minha noite. Fui elogiada por Draco Malfoy. – Hermione finge que comemora.

Me levanto e seguimos para nossos quartos. Hermione se vira para mim e vejo que está envergonhada, mas me dá um selinho.

– Boa noite doninha. – diz rebolando de propósito para seu quarto. Fecha a porta e nem espera minha resposta.

– Gostosa sabe tudo.

Volto a me deitar e esquecendo o que aconteceu minutos atrás, durmo rapidamente e tranquilamente.

Não sei o que eu e Hermione temos, não sei o que chamar quando duas pessoas sentem atração uma pela outra, mas até que estou gostando.

Draco você irá só dar mais algumas provações nela e parte para outra.

Durmo como um bebê essa noite.

HERMIONE

Merlin por que não consigo tirar o beijo de Draco da minha cabeça? Claro confesso que ele é bonito, olhos que me deixam vidrada, bonito, tem um belo corpo, e bonito, e que tem um beijo sensacional e bonito. Já falei bonito? Quando ele diz que todas o querem, agora sei por quê. Quando se chama de incrível confesso que não está mentindo.

Mas é claro que nunca vou admitir isso. NUNCA.

Quando o vi mais cedo beijando e quase transando com aquela menina, não sei dá onde que veio aquele vontade de socá-la. Com certeza não estou normal.

Depois que os vi engolindo um ao outro, decido ir ao apartamento de Gina e Pansy. Agora que somos amigas, preciso desabafar e uma opinião a mais pode ajudar.

Bato a porta e sou pela minha surpresa Ast também está presente.

– Mi íamos te chamar agora. Que bom que está aqui. Estamos tendo a noite das garotas. – Pans diz.

– Espero não atrapalhar.

– De modo algum Mione. – Ast diz me puxando para sentar ao seu lado.

– E ai como foi o castigo? – Gina me conhece bem e sabe que estou escondendo algo. Decido não mentir, se descobrirem sobre isso é perigoso eu ser encontrada morta e espancada no dia seguinte.

– Prometem não surtarem? – pergunto já imaginando as reações.

– Merlin o que aconteceu? – Pans grita histérica.

– Pode desabafar já! – Gina diz mandona. Mostro a língua de brincadeira e ela faz o mesmo.

– Mi estou curiosíssima! – Ast diz fazendo carinho em meus braços.

– Eu... eu...

– Mulher desenrola! – Gina diz sem paciência.

– Se você não me cortar eu falo. EueDraconosbeijamos – falo rapidamente e ninguém entende.

– Você pode falar mais devagar? – Pans pede sem paciência. Merlin ela e Gina são gêmeas e não estou sabendo.

– Eu e Draco nos beijamos. – pronto falei. Joguei a bomba.

– Não acredito! – Gina diz quase tendo um troço.

– Sabia que isso aconteceria! Finalmente! – Pansy dança comemorando. E claro como 24 horas do meu dia, estou vermelha de vergonha.

– Que fofos MI. – Ast é a mais delicada de todas. Agradeço-a por não ser escandalosa como as outras que continuam comemorando.

– Gente parem com isso, por favor. Foi só um beijo de curiosidade e não passou disso. E antes de vim para cá vi ele transando no sofá do apartamento com uma garota da Corvinal.

– Alguém aqui está com ciúmes? – Gina me pergunta.

– Claro que não. Mas não precisava ver aquela cena traumatizante.

– Mione o Draco é assim mesmo. Mas aposto que ele ainda vai rastejar nos seus pés. – Pans diz convicta. Por que todas querem que eu o namore? Fico enjoada só de pensar eu namorando aquela doninha insuportável e bipolar. Beijos? Sim. Namoro? Nunca em partes de ambos. É tudo atração. Um homem bonito e só.

– Não estou bem do jeito que está. Bem meninas vou indo estou morta de canseira. Boa noite a todas.

– Boa noite. – dizem todas em uníssimo.

– Mi espere que vou com você. Também estou indo. – Ast diz.

Nos despedimos e Ast me puxa:

– Mi não queria falar perto das meninas porque sei que gosta de privacidade e é vergonhosa como eu. Mas não ligue para essas atitudes de Draco. Nós que convivemos com ele o conhecemos melhor que você por enquanto. Ele as vezes não sabe lidar com uma situação ou com algum sentimento então faz merda.

– Tudo bem Ast. Obrigada por avisar.

– Ele é como um irmão para mim. Só peço a você para ter paciência, está bem? fique tranquila que ele vai se abrindo aos poucos e dele ter transado com essa garota sem nada e nem menos depois do beijo de vocês tem alguma explicação.

– Obrigada pela dica Ast, mas eu e Draco não vamos passar disso.

– Duvido muito. Está na sua cara que gosta dele.

– Eu não gosto dele. Só se for como amigo. E do mesmo jeito se gostasse ele não gosta de mim. nosso sangue dificulta muito as coisas.

– Como falei, tenha paciência. E se precisar de qualquer coisa pode desabafar comigo.

– Obrigada. Você também.

– Boa noite Mi.

– Boa noite Ast.

Vou para meu quarto pensando em tudo que Astória me diz. Duvido que Draco gostará de alguém um dia. Ele apenas usa as mulheres e depois do sexo as descarta. Assim julga sua fama. E estou com medo de ser mais uma em sua lista.

É para não ser falada e nem enganada, é isso que quero dizer.

...

Estava lendo em meu quarto e escuto algo caindo. Corro e vejo Draco com o roso sangrando no chão e ele não está bem. Está tremendo e vejo o suor escorrendo em sua camisa de longe corro para ajudá-lo e depois de muita teimosia consigo ajudar.

Quando ele acaba de se abrir comigo, primeiramente fico surpresa por esse ato e depois corta meu coração de imaginar ele apanhando de seu pai. Que monstro que faz isso com seu próprio filho? Agora sei por que Draco foi assim comigo todos esses anos e agora o entendo.

Sem saber mais o que fazer lhe dou um beijo leve e demorado na face, como um sinal de compreensão e sem nos controlarmos nos entregamos mais uma vez no beijo.

Quando fomos para nossos quartos, faço algo que nunca pensei que teria coragem de fazer. E claro que fiquei escarlate antes. Lhe dei um selinho e disse:

– Boa noite doninha.

Não espero por sua resposta e entro toda envergonhada no quarto.

Ele realmente é uma caixinha de surpresas e como nunca me arrisquei nessas situações na vida, decido deixar levar pelo momento.

Como é só atração mesmo o que alguns beijos a mais pode acontecer?

Durmo pensando no que Ast me disse e pensando também que encontrei uma amiga confidencial. Quem imaginaria que essas coisas malucas aconteceria comigo?

Pela segunda vez aqui no castelo durmo em paz e sem interrupções.

...

Acordo mais tarde um pouco hoje e quando desço vejo Draco me esperando. E como todos os dias ele está lindo.

Pronto falei. Ou melhor pensei.

–Até que enfim acordou hein.

– Tive uma boa noite de sono.

– Aposto que sonhou comigo.

– Estava te socando, então foi um belo de sonho.

– Estou ainda traumatizado.

– Desde quando você me espera.

– Pensei que hoje você e a sua amiguinha Weasley quisessem tomar café em nossa mesa hoje.

– Você é realmente Draco Malfoy?

– Estou melhorando. E não se acostume com essas gentilezas.

– Claro. É caridade não é? – digo brincando. Lhe dou um sorriso e uma piscadela.

– Me cantando, senhorita Granger?

– Nem pensar senhor Malfoy. Vamos logo que estou morrendo de fome.

– Só não comente isso de ontem à noite com ninguém. Sobre eu passar mal.

– Seu segredo está a salvo comigo.

– Obrigado.

– Agora estou preocupada com você. Agradecendo? Quem é você?

– Não seja boba. Posso ser educado quando eu quero.

– Difícil de acreditar.

Fomos para a mesa e fiz um aceno de cabeça para Gina se sentar conosco. A mesma veio tão empolgada que pensei que teria um ataque de coração. Só estou pedindo com todas as minhas forças a Merlin que nenhuma delas, nem Pansy e nem Gina, digam nada ou façam nenhuma gracinha sobre o que havia contado na noite passada.

– Finalmente as mais gatas se sentam conosco. – Nott diz bricalhão e nos dá uma piscadela.

– E quanto a nós? – Pansy finge ofensa.

– Estou falando de carne fresca meu bem.

– Cala a boca Nott. – Draco diz revirando os olhos.

– Calma ainda tenho a Gina. Deixo Hermione toda para você.

Draco engasga com seu suco e começo a rir, mas sempre ficando vermelha de vergonha. Será que os garotos sabem sobre o beijo também? O que garotos falam enquanto estão sozinhos? Aposto que é sobre sexo, mulheres e mais sexo.

– Tá vendo! – Nott diz apontando para nós dois.

– Pode ficar com ela, já fico quase 24 horas com ela.

– Hermione e ai, está de pé?

– Não obrigada.

– Olha que fofo ela querendo ficar só para o Draco – Pansy dá corda. Vou matar esses sonserinos.

– Viu que fiel que ela é Malfoy? – Gina pisca para ele e o mesmo fica sem graça assim como eu. Acho que nunca vi Draco ficar com vergonha.

– Não foi isso que eu quis dizer. Estou bem eu sozinha no meu canto. – digo encerrando o assunto.

Começamos a conversar coisas amenas, e nem vimos que todos foram para a aula e ficamos só nós na mesa. E o mais esquisito é que nenhum professor veio nos chamar. Estamos sozinhos no salão e ninguém e nem eu fizemos menção de nos levantar.

Primeira vez que mato aula em minha vida. E até que gostei.

– Para tudo, Mione matando aula! – Gina fala o que acabei de pensar.

– Acho que ela está convivendo muito com sonserinos. – Pansy pisca para mim.

– E ai sabe tudo? Como está se sentindo? – Draco pergunta, e está rindo da minha cara fingida de desapontada por isso.

– Na verdade estou me sentindo muito bem.

– Por que não damos uma festa hoje? Digo só nós? – Gina pergunta.

– Tem certeza que está na casa certa, ruiva? Não é da Sonserina? – Blás pergunta.

– Estou na certa. Só penso como uma sonserina – Gina pisca para Blás.

– Ótima ideia.

– Por mim fazemos no meu apartamento mesmo. – Draco diz.

Todos nós concordamos. Sim eu também concordei.

Gina deu a ideia de fazermos um jogo trouxa, verdade ou desafio, todos parecem inseguros e quando explico como se joga todo mundo animou na mesma hora. Estou até com medo de jogar com eles.

Draco começa a me encarar sério e quando olho para ele a vejo novamente atrás dele. Meu nariz sangra exageradamente novamente e caio no chão.

Draco logo está ao meu lado e pergunta:

– Você está bem? – ele pega um pano para limpar meu nariz. Fico calada quando ele mesmo limpa meu nariz e com a outra mão segura meu queixo.

Todos observam em pleno silêncio e fico constrangida e incomodada com esses olhares. Olho para Ast e ela faz que sim com a cabeça me entendendo. Blás também. Claro que os outros ou estão sorrindo ou fazendo cara de safados com a cena.

Muito obrigada amigos, eu aqui sangrando e vocês com essa cara só porque Draco foi o único que me ajudou.

Afasto-me de Draco.

– Obrigada Draco.

– Não há de que.

– Mione você está bem? – agora você preocupa Gina?

– Sim. É o calor que faz isso com meu nariz.

– Isso não é do seu costume. Nunca vi você assim quando morava lá em casa e nenhum dia do ano passado.

Draco olha para mim com um olhar enigmático, mas permanece sem dizer nada.

– Aconteceu esse ano. Mas não precisam se preocupar.

Depois de muito esforço a mudar de assunto, fomos para o restante das aulas, e mais uma vez estranho pelos professores não dizerem nada.

Draco pega minha mão no meio da aula para mostrar o que escreveu em um pedaço de pergaminho:

Vai me contar o que acontece com você?

Escrevo uma resposta:

Quem sabe um dia? Você não confia em mim, por que deveria confiar em você?

Ele escreve rapidamente e me joga o pergaminho:

Essa doeu. Não disse que não confiava...

Fico olhando para essa resposta. Olho para Draco e o mesmo está me olhando neutralmente. Digo: MAIS TARDE sem som e volto minha atenção à aula.

Nesse tempo, Draco encosta seu dedo mindinho de leve na minha perna, propositalmente. Finjo não me importar com esse simples tocar, mas a verdade que está queimando onde seu dedo me toca e não consigo mais me concentrar na aula.

Depois do jantar, foi chegando aos poucos nossos amigos; sim ainda estranho dizer que agora eu e Draco temos os mesmos amigos; e nos preparamos para jogar.

Só peço a Merlin que não caia para mim desafios difíceis ou que meus amigos me zoem.

Claro que pedir não adianta nada.


Notas Finais


E ai o que acharam de Draco se abrindo? coitado né gente
Agora já era não param mais de beijar kkkk
Que fofa a Ast né (adoro ela e imagino minha melhor amiga haha) amo Gina mas adorei ela e a Mione como amigas confidenciais
Draco cada vez mais sendo fofo haha
Será o que vai acontecer nesse jogo hein haha
Boa leitura e até a próxima <3 bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...