História Descobrindo o prazer - Gucilia - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carinha de Anjo
Personagens Cecilia Santos de Larios "Irmã Cecília", Dulce María Larios Valle, Estefanía Larios de Gamboa "Tía Pelucas", Luciano Larios Rocha, Padre Gabriel Larios Rocha, Personagens Originais
Tags Gucilia, Romance
Visualizações 126
Palavras 2.101
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Hehehhe amores da minha vida.. Trago um capítulo quente quente, mas será que é só por causa do sol? Vamos ver hehe..
Boa leitura

Capítulo 11 - Praia quente em todos os sentidos


Logo cedo fomos acordados por Estefânia batendo na porta para nos prepararmos para a praia, acordei animado, esse dia prometia, após a noite maravilhosa de ontem, poder ter dado um orgasmo para Cecília, me deixou muito contente e orgulhoso, ela era uma mulher muito especial, e apesar de sua inexperiência, eu pude perceber sua vontade de descobrir as coisas e se deixar levar pelas sensações. Não quis continuar o que começamos ontem após Estefânia ir embora, pois não queria acelerar nada.

- Bom dia meu amor, dormiu bem? - perguntei dando um beijo em sua cabeça carinhoso.

- Dormi maravilhosamente bem. - sorriu lindamente.

- Eu também, há tempos não dormia tão bem assim, ter você em meus braços foi maravilhoso, só não sei se vou conseguir dormir as próximas noites sem você aqui. - fiz uma carinha de triste, sabia que isso a desarma.

- Ai Gustavo, não faz essa cara. - disse com carinha de pena.

- Tá bom, depois a gente conversa sobre isso então, vamos levantar pra arrumar as coisas antes que a Estefânia volte aqui. - Disse me levantando.


 Deixei que ela fosse tomar banho, apesar de que teríamos que passar em sua casa para ela trocar de roupa e pegar um biquíni, que por sinal mal podia esperar por essa parte, ver seu corpo em um biquíni. Tomei meu banho no quarto de hóspedes rapidamente e voltei para o meu quarto só de toalha, confesso que queria provocá-la um pouquinho, ela precisava se acostumar com o meu corpo.

 Quando cheguei, Cecília  já estava trocada com a roupa do dia anterior me esperando. Vi que arregalou os olhos quando me viu entrando no quarto e instintivamente sua língua passou por seu lábio. Sorri em sua direção.

- Vê algo que gosta minha linda? - perguntei inocentemente. Ela ficou por um momento me olhando sem responder, até que pareceu tomar coragem e respirando fundo respondeu com um sorriso:

- Na verdade sim, seu corpo é lindo Gustavo. - disse docemente.

 Meu membro se contorceu nesse momento, sua voz doce elogiando meu corpo foi o suficiente para despertá-lo.

- Eu deixaria você explorá-lo todinho, mas infelizmente não temos tempo. - dei uma piscadinha. - Mas se você quiser, a noite podemos resolver isso. - finalizei esperando que ela aceitasse.

 Um rubor tomou conta de todo seu rosto e ela deu um sorrisinho tímido e um aceno com a cabeça mais tímido ainda. Eu quis dar um soco no ar e comemorar, mas me controlei, minha mulher estava desabrochando e eu iria aproveitar ao máximo essa sua sede por conhecimento. Abri um enorme sorriso em sua direção.

- Você vai me matar minha linda, mas morrerei feliz. Agora deixa eu ir me vestir antes que eu me esqueça que temos que sair. - dei risada e segui para pegar minhas roupas.

- Gustavo, eu vou descendo, te espero lá embaixo. - disse sorrindo, imagino que para me dar privacidade para me trocar.

- Tudo bem meu amor, já vou descer. Te amo. - dei um selinho e ela se foi.

 Após colocar  minha sunga, bermuda, regata e pegar meu óculos de sol, desci para  encontrar o pessoal.

-Bom dia família, disse descendo animado.

-Bom dia. - responderam todos ao mesmo tempo. - Nossa papi como você demorou. Porque a titia perucas não me deixou entrar no seu quarto? - perguntou com a mão na cintura. - E onde a Cecília dormiu? - continuou.

- Porque eu estava muito cansado minha filha, e a Cecília dormiu no quarto de  hóspedes onde  mais? - menti e continuei antes que ela pudesse questionar mais. - E então? Vamos?.

- Sim primo, vamos descendo, ah eu convidei a Rosana e os filhos dela também não tem problema né? - perguntou ela.

- Claro que não prima, eles são quase da nossa família também. E o Gabriel irá também? - disse enquanto já íamos em direção ao elevador.

- Ah sim, ele foi até a  casa da Rosana para apressá-los, você sabe como ela é doidinha e enrolada. - disse  rindo.

- E o Gabriel vai usar sunga? - perguntou Vitor rindo.

- Boa pergunta, vamos ver… Será que ele vai ficar de terno e óculos escuros na praia tipo homens de  preto? - continuei rindo junto com Vitor.

- Cecília não repara, quando esses  homens se juntam só sai besteiras. - disse Estefânia condescendente.

- Não tem problema, eu adoro ver como a família de vocês é animada. - sorriu timidamente.

- Nossa família, agora  você é parte dela. - a abracei e beijei sua cabeça.


 Seguimos até o estacionamento e encontramos Rosana, Juju e Emílio junto com Gabriel, todos prontos para ir. Nos dividimos nos carros e Gabriel acabou indo no carro da Rosana enquanto Estefânia e Vitor vinham comigo, Cecília e Dulce Maria. Passamos rapidamente na casa de Fátima para que Cecília trocasse de roupa e pegasse algumas para levar.


 O caminho até a praia foi muito animado, todos cantando junto com o rádio, rindo, contando piadas. Um clima maravilhoso. O dia também estava maravilhoso e ensolarado, perfeito para um dia na praia.


 Duas horas  depois chegamos à casa de praia e todos foram deixar as coisas em seus respectivos quartos, apesar de querer que  Cecília ficasse em meu quarto, não quis forçar nada e a coloquei em um quarto de hóspedes em frente ao meu.

-Meu amor, vamos descer para a praia? - disse a abraçando.

- Aí Gustavo, estou muito sem graça de ficar só de biquíni. - disse  ela com um olhar preocupado.

 - Meu anjo, estamos em família, ninguém vai ser inconveniente com você e tenho certeza que do seu corpo você não precisa se envergonhar. - dei uma piscadinha.

- Tudo bem, você venceu. - sorriu e me deu um selinho.

- Então anda, vamos chamar a Dulce e vamos tomar banho de mar porque está  muito calor. - disse e saímos do quarto.  

- Onde está minha filha linda? - falei alto descendo as escadas da casa de mãos dadas com Cecília.

- Aqui papi, eu e o Emílio podemos fazer um castelo de areia? - perguntou sorrindo.

- Claro minha linda, vamos indo para a praia vem. E você Rosana já vai também? - perguntei.

- Ah sim, só vou esperar a  Juju descer do quarto e já vamos. - sorriu enquanto se sentava  no sofá. 

- Oba Gustavo, vamos logo, não posso molhar minha peruca, mas não vejo a hora  de entrar  nesse mar maravilhoso. - disse  Estefânia ao lado de Vitor.

- Vamos sim, mas é o Gabriel onde  está? - perguntei curioso para  ver sua roupa.

- Ainda  está lá em cima arrumando as coisas dele, logo ele vem. - finalizamos o assunto e seguimos em direção à praia. No meio do caminho Rosana alcançou a gente, ansiosa por ir a praia, decidiu não esperar Juju, obviamente ela não se perderia e adolescentes sempre demoram mais pra se arrumar. 


 Encontramos um bom lugar para colocar o guarda sol e as esteiras para  as crianças, distribuímos os brinquedos e todos começamos a nos preparar para ir para a água. Incentivei com o olhar Cecília a tirar o vestido que usava sobre a roupa de banho.

 Pareceu uma cena em câmera lenta, quando ela começou a levantar a barra do vestido para tirar e seu corpo foi sendo revelado, suas coxas bem torneadas, sua bundinha arredondada, sua barriga lisa e seus seios maravilhosos que preenchiam perfeitamente o biquíni e com certeza caberiam perfeitamente em minhas mãos. Ela usava um biquíni vermelho, calcinha quase fio dental. Dei graças a Deus por não ter tirado a bermuda ainda, porque agora eu estava com uma enorme ereção, tentei respirar fundo, e não demonstrar meu estado.

-Cecília que lindo ficou esse biquíni, eu te disse que ficaria ótimo. - comentou normalmente Estefânia, tentando deixar Cecília mais relaxada.

- É mesmo Ceci, ficou lindo. - concordou Dulce Maria. E continuou - Anda papi , tira logo o short pra ir pra água. - me apressou.

 Respirei mais fundo, por sorte já tinha melhorado meu estado, fiquei pensando em filhotinhos de cachorro fofinhos e em vovós para ver se me distraia.

 Terminei de tirar minha roupa e fiquei só de sunga, vi que Cecília me olhou apreciativamente, puxei Dulce  e ela pela mão e as levei em direção ao mar, precisava  urgentemente de uma água fria.

  Nos divertimos muito brincando com Dulce Maria e Emílio, esses dois eram um furacão juntos, logo se juntaram Rosana, Vitor e Estefânia. 

  Meia hora depois enfim cansados da água resolveram sair para fazer um castelo na areia, todos resolveram sair também. Só ficamos Cecília e eu na água. 

-Ainda não te disse como você está gostosa nesse biquíni. - resolvi ser mais ousado, para ela ir se acostumando.

- Aí Gustavo. - riu sem graça.

- Mas é verdade, você nem sabe o que eu gostaria  de fazer com você quando eu te vi nesse biquíninho, tive que pensar em vovós e cachorrinhos para não mostrar uma ereção na minha sunga, sua malvada. - disse com um sorriso irônico.

 Cecília gargalhou com o que eu disse e me abraçou pelo pescoço colando seu corpo no meu, fazendo com que houvesse maior atrito quando as ondas  vinham até nós. Comecei a beijá-la e fui nos levando para  mais fundo no mar, longe dos olhos curiosos. Nos beijamos intensamente, abraçados com a água batendo quase  no pescoço de Cecília e em meu peito.

-Está sentindo como me deixa? - apertei minha ereção em sua barriga.

- Si...sim.- respondeu em um sussurro.

 Peguei uma de suas mãos, e como ontem a noite a coloquei em meu membro, que se  contorceu com seu toque. Sua mão ao meu redor era quase demais para  aguentar, ontem enquanto estávamos conhecendo o corpo um do outro quase gozei na cueca como um adolescente, mas agora, eu queria mais.

 Ousadamente tirei meu membro para  fora da sunga e coloquei sua mão ao redor, ambos gememos alto com a ação, Cecília arregalou os olhos assustada, mas sorri a encorajando com um olhar de prazer, ela também sorriu e começou a fazer os movimentos como eu tinha ensinado ontem a noite, sua mão macia, para  cima e para  baixo, lentamente, mas firme,  estava me deixando louco.

-É macio Gustavo, ainda que duro é muito gostoso de sentir. - suas palavras inocentes quase me levaram ao orgasmo.

- Sim, assim como sua entradinha é molhada e macia. - disse e enfiei a mão dentro do biquíni dela, passando o dedo em seu clitóris. - Você gosta dos meus dedos em você Cecília? - perguntei em seu ouvido enquanto fazia movimentos mais firmes contra sua mão, como se tivesse investindo em seu sexo.

- Eu ado..adoro - disse entre um gemido, enquanto ofegava, já que eu tinha aumentado meus movimentos. Senti que ela me apertou mais em resposta e meu orgasmo estava próximo.

- Pois você vai gostar ainda mais da minha língua, você quer que eu te mostre como eu posso te dar prazer com a língua essa noite Cecília? - questionei em seu ouvido.

 Ela me olhava com as pupilas dilatadas, sentia seu sexo completamente ensopado de excitação, sei que estava perto.

-Quero. - respondeu finalmente com um fio de voz. 

 E então comecei um movimento mais rápido em seu clitóris, que foi espelhado por ela em meu membro. Ambos começamos a arfar e gemer alto enquanto nossos orgasmos se aproximavam. A beijei com todo meu desejo e quando ela me apertou mais uma vez, explodi em sua mão, aumentando a intensidade dos movimentos circulares em seu clitóris e a senti tremer em meus braços enquanto seu próprio orgasmo atravessava seu corpo. Nos abraçamos até q os tremores passassem, e só então relaxamos.

-Isso foi maravilhoso meu amor, não te machuquei né? - perguntei preocupado por ter sido muito brusco.

- Não Gustavo, foi realmente maravilhoso. - sorriu timidamente. - Mas meu Deus, estamos loucos fazendo isso em plena luz do dia, qualquer um podia ver. - disse horrorizada.

- Calma minha linda. Ninguém viu nada, estamos muito longe e a água está praticamente nos cobrindo, não se  preocupe. Mas acho que devemos voltar pra lá logo antes que alguém venha atrás de  nós. - sorri e dei um beijinho de leve em seus lábios. - Linda. Eu te amo!

- Eu também te amo Gustavo, muito. Obrigada por ter paciência comigo e por me ensinar essas coisas. - sorriu timidamente.

- Não se preocupe, vou te  ensinar muito mais ainda. - ri e me ajeitei para podermos voltar para a areia.

  Se o dia tinha começado assim, mal podia esperar para  saber como ia acabar.




Notas Finais


Eiiitaaaa... Kkkk vô nem dizer nada, deixo pra vocês os comentários rs...

Beijinhos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...