História (Des)compasso - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Menção Jikook, Menção Yoonkook, Namjin, Sobi, Sope, Sugahope, V Sozinho (?), Vhope, Yoonseok
Exibições 28
Palavras 4.714
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Ficção, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Pansexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


De novo, eu estou bipolar a respeito de um capítulo...
Enfim, é necessário ^^
Boa leitura '3'

Capítulo 6 - Why would I say goodbye? I'm completely devoted to you


 

 


"But I'm a creep

Mas eu sou um verme
I'm a weirdo

Eu sou uma aberração
What the hell am I doing here?

Que diabos eu estou fazendo aqui?
I don't belong here

Eu não deveria estar aqui"
 

 

 

 

 

 

 

 

 

Assim que vi a imagem de Hoseok sumir diante da porta, suspirei decepcionado comigo mesmo e voltei para casa.

 

Temendo o que viria a seguir, claro. Ok eu sabia o que viria a seguir. Meu pai faria –e vai fazer –o que quisesse comigo, pois tem um item principal que faz meu jogo virar: Jung Hoseok. Não que eu não ame minha mãe e minha irmã, mas Hoseok... Eu apenas não posso ser responsável pela morte dele. Não suportaria isso entende? Eu já carrego uma culpa tão grande por ter “deixado” que aquilo acontecesse com a Jennie.

 

Com tudo isso –fora as outras coisas –eu me sinto na obrigação de obedecer tudo o que ele me mandar fazer. Não por mim, mas por eles. 

 

 

"My lungs will fill and then deflate

Meus pulmões se encherão, e então se esvaziaram

They fill with fire

Eles se encherão de fogo

Exhale desire

Exalarão desejo

I know it's dire

Eu sei que é horrendo

My time today

Meu tempo hoje"

 

 

 

***

 

 

 

Minha irmã já está dormindo e minha mãe ligou para o hospital falando que não iria trabalhar hoje, sem ser muito especifica em relação ao que aconteceu. Ela é um tipo de pessoa que não gosta de dar motivos para as pessoas falarem de si. Eu puxei essa “virtude” dela.

 

Depois de ficar de “plantão” do sofá para que ninguém entrasse e fizesse alguma coisa, eu consegui dormir, porém acordei com uma chamada.

 

 

 

Meu pai.

 

Porra.

 

 

- O que você quer? –disse áspero.

- Olha como fala comigo garoto ou já sabe. Enfim, quero que se vista adequadamente e saia de sua casa em menos de um minuto. –ele desligou o celular e fiz o que ele mandou.

 

Entrei no meu quarto e vesti uma roupa “adequada”, de acordo como ele havia me pedido, ou melhor, mandado. Eu já sabia o que viria a seguir. Eu teria que me passar por executivo, e para o meu azar ser completo, eu tinha um terno que na verdade fazia parte do cosplay do massacre da serra elétrica. Quem sabe, eu possa incorporar o personagem.

 

Não demorei para me vestir. Saí sem avisar minha mãe e minha irmã, para não preocupá-las.

 

Encontrei meu pai, em ótima postura me esperando, encostado em seu Aid r8. Sempre o invejei por ter o melhor carro. Mas só por causa do carro mesmo.

Quando ele estacionou o carro, olhei para a maleta e senti vontade de hesitar, mas não seria certo. Não agora. Não queria ver ninguém sofrer. Eu prefiro morrer do que ver as pessoas que eu amo morrerem no meu lugar.

Saí do carro batendo a porta com força e ouvi meu pai gritar um palavrão. Dei as costas para ele, caminhei até a mansão em passos pesados, porém firmes. Eu não iria morrer nas mãos de um mafioso qualquer não é? não sei. Meu cu está totalmente trancado (lamento a expressão nada formal, mas é necessário nesse momento).

 

- Esqueci de falar... Ele é meu amigo quando está sóbrio! Quando ele está sobre efeito de alguma droga, ele mata qualquer um que estiver em sua frente. –ok, agora estou com um pouco de medo, mas eu tenho que fazer isso por eles e não por mim. Tenho que ser firme. Tenho que ser forte.

 

Ah porra, por que a minha vida tem que ser tão complicada?

 

 

***

 

 

 

 

 

 

 

“Há sempre uma escolha

Há sempre um caminho

Que as folhas do chão vai me indicar

Que sai dos sonhos

Do simples desejo

Que tive a vida toda de te encontrar

Há sempre um passado

Que com marcas vai traçar

As coisas que vivo, penso e sou

Se deixo de lado o seu amor”

 

 

 

 

 

Já se passaram dois meses desde que comecei a fazer esse tipo de trabalho para o meu pai.

 

Nesses dois meses, o mais velho fez questão de me proibir de ter qualquer tipo de comunicação com Hoseok e até mesmo com a minha mãe e minha irmã. Ou seja, a única pessoa que eu posso ver, é esse filho da puta.

 

Não posso dizer que foi legal, mas também não posso dizer que foi tão ruim. Foi razoável esse período.

 

Não sei o que deu no meu pai, mas alguém lá de cima vez a cabeça dele para que o mesmo me dispensasse e voltasse para casa. 

 

Peguei a minha moto, já que foi a única coisa que deu tempo de pegar antes de sumir.

 

A liguei e segui viagem de volta para casa, ou melhor, para a casa da minha avó, porque ouvi alguns capangas do meu pai falando que ele expulsou a minha irmã e minha mãe de casa. Mas eu não me importo, preciso pegar algumas coisas.

 

Ao longo da viagem, não sei bem o porque, mas lembrei que ainda não havia contado para Hoseok. Faria isso assim que voltasse, estou mais que preparado para receber qualquer tipo de reação. Eu só preciso contar a ele. Não posso mais esconder algo assim dele. Não sei qual será sua reação, mas só há um jeito de descobrir.

 

Permita-me esclarecer o que está acontecendo. Estava eu, em uma bela noite no bar cujo qual, Namjoon sempre me arrastou. Exatamente nessa noite, eu havia brigado com Jungkook porque como é de se esperar, nem todos os relacionamentos são apenas recheados de momentos felizes e carinhosos. Enfim, eu ingeri várias batidas de todos os tipos possíveis. Acabei indo parar na pista de dança e consequentemente, comecei a dançar (obvio), logo atraindo atenção de um completo desconhecido. Até hoje, não faço ideia de quem ele seja, mas eu tive relações com ele. Depois nunca mais nos encontramos e foi ai que eu descobri. O garoto que eu havia tido relações sexuais, tinha HIV. Como eu não havia me protegido, acabei pegando isso para mim.

 

Eu tive todos os sintomas e um dia em que eu estava indo para casa de Namjoon, eu desmaiei. Quando acordei, estava em um hospital. Namjoon estava do meu lado, dando-me apoio.

 

Como é de se esperar, eu fiz exames para saber se eu havia mesmo pego isso para mim e logo fui diagnosticado como soropositivo.

 

Eu sempre serei grato por ter tido alguém como Namjoon.

 

 

 

Flashback on

 

 

- Yoongi! –Nam correu para me abraçar. O mesmo parecia imensamente feliz por me ver.

- Namjoon o que aconteceu? –seu semblante, que antes estava alegra, agora mudara para triste.

- Yoongi, por que você descontou sua raiva tendo relações com uma pessoa qualquer? Você acha que assim melhoraria a situação? –fiquei calado, pois não me lembrava disso. Eu deveria ter bebido muito para não me recordar –Você não se lembra? –neguei com a cabeça e ele suspirou –Você brigou com Jungkook e foi para a boate, bebeu vários tipos de batidas e teve relações com uma pessoa que tem HIV. –fodido. Eu estava fodido. Agora tudo fazia sentido. Que merda! Eu sou um belo de um filho da puta. Além de ter pego uma doença que não tem cura, Jungkook deve me odiar agora e com razão –Para a sua sorte, o médico falou que o seu tipo não se agrava rapidamente, dando-lhe mais tempo de vida. Não há data certa para isso, pode não se agravar contanto que você tome os medicamentos corretamente. E em relação ao Jungkook, ele não está com raiva de você. Ele passou a noite toda ao seu lado. Cara por que você fez isso? –comecei a chorar e falei que não sabia. Eu nem sequer me lembrava disso. A única coisa que eu sei, é que agora sou soropositivo. Isso contorce toda a minha vida.

 

 

Namjoon me abraçou e disse que estaria ao meu lado até o final.

 

 

 

 

Até o final...

 

 

 

 

Flashback off

 

 

Depois disso, fiquei ainda mais alguns dias naquele hospital. Jungkook estava sempre comigo, dando-me apoio e tudo mais. Sou grato a Jungkook por isso também.

 

Mas, houve outro dia em que eu estava frustrado e acabei me metendo em uma briga de propósito. Só para ter o simples prazer de descontar minha raiva em qualquer otário que eu visse pela minha frente.

 

A briga atraiu inúmeras pessoas. O rapaz era mais alto do que eu, porém não saiu tão ileso. Seu rosto ficou completamente inchado devido os meus socos. Porém eu também levei vários socos. Meus olhos estavam roxos e minha visão se tornou nublada e ambos caímos no chão. Totalmente esgotados e machucados.

 

Muito idiota descontar a raiva em alguém que não tem absolutamente nada haver com a porra da minha vida ser tão merda? Demais.

 

Novamente Namjoon –mais conhecido como meu herói –me ajudou, mas sem deixar de me dar uns porras por ser tão trouxa.

 

Porém, não parou por aí.

 

O idiota aqui, chegou ao ponto de usar drogas e até mesmo tentar se matar.

 

Eu via que as drogas me ajudavam a “amenizar” meu sofrimento interno.

 

Houve um período em que eu me encontrava em um momento muito critico da minha vida. Eu levantava, ia á casa do meu fornecedor e passava o dia sob efeito de drogas, tanto injetáveis como drogas comestíveis. Minha preferida sempre fora a lsd e a heroína. Ambas me faziam ir além de tudo. Eu não sabia descrever a você o que era real e o que era imaginário.

 

Pode parecer engraçado, mas isso é bem preocupante e serio. Fico pasmo e decepcionado como algumas pessoas levam esse assunto na brincadeira. Qualquer pessoa que passe por esses tipos de coisas, tem um real motivo para ter procurado esse meio de ‘melhorar’. Muitos por causa de relacionamento, família, vida, preocupações, etc.

 

Eu só parei para ver o que eu estava fazendo, quando Jungkook juntamente com Jin me encontraram jogado na rua, totalmente inconsciente prestes a ter uma overdose.

 

Ambos me levaram as pressas para o hospital. Namjoon me falou que eu tinha priorizado minha doença por partilhar seringas contaminadas com as outras pessoas que iam até a casa do cara lá, para se “divertir” e “esquecer” os problemas.

 

Fiquei alguns dias desacordado. Nesse momento eu tive vários sonhos onde, eu via todos que eu amava ficando de lado. Várias coisas surreais apareciam em meu sonho. Uma hora havia inúmeras armas disparando, sangue para todo lado, o riso sádico do meu pai e a sombra de um menino, não sei decifrar quem era mais ele se quebrava todo, como se fosse de porcelana. Acordei assustado, vi Jungkook conversando com Jin do lado de fora da sala e Namjoon dormindo na cadeira.

 

Depois de eu ter tomado conhecimento que quase tive uma overdose, eu larguei as drogas. Obvio que foi uma coisa difícil de fazer, mas com a ajuda dos meus amigos e um pouco de determinação eu consegui.

 

Agora aqui estou eu, um ex-dependente de drogas, mas sem deixar de ser um monstro com uma doença incurável, que necessita de inúmeros remédios para se manter vivo. Legal não é mesmo?

 

Minha mãe e minha irmã nunca tomaram conhecimento sobre esses dois assuntos delicados da minha vida. E sendo bem sincero, não faço questão de contar a elas. Não quero dar mais motivos, para as duas terem vergonha e nojo de mim.

 

Ah Hoseok, eu não sei explicar meus sentimentos por ele. Sou uma pessoa que demora para falar sobre esse negocio de sentimentos, de admitir para mim mesmo que eu gosto de tal pessoa, por tal motivo e etc. Mas Hoseok... Apareceu tão inesperadamente na minha vida para mudar todos os meus padrões. Não há mais como mentir e não falar sobre isso.

 

Eu gosto tanto desse garoto. Percebi isso estando longe de si. Ter ficado longe ele, eu percebi que essa é a pior tortura que meu pai já fizera comigo.

 

 

 

Hoseok é o sol que faz meu dia radiante.

 

 

 

 

Sem meu sol para iluminar-me, o que resta? Nada.

 

 

 

 

Isso não vai acontecer novamente, não posso permitir ficar longe de si.

 

 

 

 

Hoseok.

 

 

 

 

 

 

 

Esse simples nome, tem tanto poder sobre mim. A verdade é que, eu já havia tornado Hoseok a pessoa mais importante da minha vida, discretamente, antes mesmo de ter noção que o mesmo faria parte da minha mísera vida.

 

 

 

 

 

"Enquanto a chuva, molha meu rosto

Ela esconde a minha lagrima

Que insiste em encontrar o chão

Enquanto o frio toma meu corpo

Eu aprendi sem a gramatica

Que saudade não tem tradução

Eu preciso tanto de você

O seu amor é o que me faz crescer

E conhece como a própria mão

Cada do meu coração

Hoje pensei tanto em nos dois

Que não podia deixar pra depois

E eu vim aqui só te dizer

Que eu sou louco por você"

 

 

 

 

 

 

 

 

***

 

 

 

 

 

 

Dou um ultimo suspiro antes de apertar a campainha da casa da minha avó. Não demora muito até que alguém abre a porta.

 

-YOONGI! –Jennie me abraça tão forte e tão cheia de saudade. A correspondo da mesma forma. É muito bom saber que ela está bem. Eu não sei o que faria se a mesma não estivesse –Por favor não suma de novo, seu idiota! Todos nós sofremos. –ela socou meu ombro e comecei a rir.

- Não vou mais sumir, eu prometo. Agora vem cá! –ela subiu em minhas costas e comecei a correr pela casa com ela atracada em mim, ouvindo a sua risada gostosa atraindo toda a minha atenção. Trazendo-me felicidade de novo.

 

Não demorou muito até que minha mãe e minha avó entrassem na sala para ver o que estava acontecendo. Encontrando-me rindo com a Jennie.

 

-Yoongi! –as duas mulheres falam em perfeita sincronia e caminham em minha direção. Ponho Jennie no chão e abraço as duas. Logo tendo Jennie pulando em cima de mim de novo. Ficamos assim por um tempo. Nós quatro nos abraçando até que minha mãe se afasta, a todos fazemos a mesma coisa.

-O que aconteceu com você meu amor? –minha avó que antes estava sorrindo agora indaga, seria.

- Eu tive que ser o entregador do meu pai. Mas eu não tive que ingerir nenhum tipo de droga não. Eu me virei, estou bem. –poupei minha avó como qualquer outra pessoa sobre o assunto das drogas. Dei de ombros, mas minha atenção foi voltada novamente para a minha avó.

- Que bom meu amor. Seu namorado ficou muito triste com o fato de você não ter sumido sem falar nada a ele. –me assustei com o termo que ela usou para descrever Hoseok. “namorado”... Ri só de pensar de como Hoseok gostaria de ouvir isso. Ele sempre chamava a minha mãe de sogra e a Jennie de cunhada. Ouvir isso vindo da minha avó, ele ficaria se gabando a semana toda. Eu queria muito ver isso.

- Ele não é meu namorado vó. Não se preocupe, vou ligar para ele depois. Agora eu só quero descansar um pouco hm? –todas as mulheres assentiram e minha mãe pediu para que eu fosse tomar banho e dormisse. Quando acordasse, teria um jantar especial.

 

 

Agradeci, em seguida me desculpando novamente por ter proporcionado a elas uma preocupação desnecessária.

 

 

Caminhei até o meu o meu “novo quarto” e...

 

 

Que porra é essa?

 

 

Ele é rosa!

 

 

 

Jennie me acompanhou até o quarto, já sabendo que eu surtaria ao ver a cor do meu quarto. Ela gargalhou ao ver minha reação ao encontrar um quarto rosa com vários ursos de pelúcia espalhados na cama

 

- Foi você não foi?

- Eu não tive nada a ver com isso –ela disse, mas tentando conter o riso. É, foi ela sim.

- Você vai se arrepender por isso. –comecei a fazer cocegas nela, vendo-a contorcer e sua risada preencher todo o quarto. –Você não cansa de brincar com fogo não é mesmo?

 

 

 

 

"Let me go

Deixe-me ir

I don't wanna be your hero

Eu não quero ser seu herói

I don't wanna be a big man

Eu não quero ser um grande homem

Just wanna fight with everyone else

Só quero briga com todo mundo"

 

 

 

 

 

 

 

 

***

 

 

 

 

 

 

 

 

Tomei um banho e mudei todas as minhas coisas para o único quarto que havia no andar de cima da casa da minha avó. Eu adorava esse lugar, pois era assim como aquelas casas americanas. Ficava bem próximo ao teto da casa, no qual tinha uma janela enorme que dava uma bela vista sem contar na luminosidade absurda que rodeava o meu quarto, devido a luz do sol e etc.

 

Vale constar que meu avô gostava de astronomia estrelar. Um amante sem igual pelas estrelas. Desde que era pequeno o mesmo sempre falava das constelações, e o nome de cada estrela que havia no céu. Não é de se surpreender que eu virei, assim como ele, um amante por tal. Quando meu avô morreu, eu fiquei dias trancado em seu quarto. Lendo suas anotações e vendo nossas fotos juntos.

 

Mas isso foi antes. Depois, minha mãe decidiu ir morar com o meu pai, do outro lado da cidade, e foi ai que o inferno da minha vida começou.

 

Agora eu estou de volta no lugar que eu tanto amei, durante a minha infância.

 

É uma honra sem igual estar aqui de novo. Posso até ouvir as explicações do meu avô sobre o quão triste é ver sua estrela preferida estar fraca.

 

Depois de ajeitar todas as minhas coisas, deitei-me na cama, já estava de noite. Desliguei todas as luzes do quarto, porém havia um pouco de luz vindo do poste do outro lado da rua e claro, das estrelas. De manhã, meu quarto é coberto por cores vivas e tons exuberantes enquanto à noite, é coberta de tons escuros e sentimentos melancólicos e uma vista confortante das estrelas.

 

No meio de todas as minhas coisas que eu peguei antes de sumir, havia um foto. Minha e de Hoseok. Essa foto que sempre me dava alegria e força. Eu estava com o braço apoiado sobre seu ombro enquanto nós dois riamos espontaneamente. Aquilo foi um trabalho, no qual nós dois ajudamos Jennie. Ela precisava de uma foto onde mostrasse a felicidade de duas pessoas que tivessem sentimentos uma pela outra. Como sempre, Hoseok não recusou e me puxou para tirar a foto. O mesmo me ajudou até na escolha da roupa, para combinarmos. O incrível foi que a foto ficou tão espontânea que até eu me surpreendi com isso.

 

Peguei a foto e a coloquei para cima, com a pouca luminosidade, ainda dava para ver a foto entre meus dedos, logo sendo preenchida por estrelas.

 

E com essa visão maravilhosa, eu dormi.

 

 

 

 

 

 

"On my knees, I'll ask

De joelhos, eu pedirei

Last chance for one last dance

uma última chance para uma última dança

Cause with you, I'd withstand

Porque com você, eu resistiria

All of hell to hold your hand

A todo o inferno para segurar sua mão

I'd give it all

Eu daria tudo

I'd give for us

Eu daria tudo por nós

Give anything but I won't give up

eu daria qualquer coisa, mas não desistirei"

 

 

 

 

 

***

 

 

 

 

Uma sexta-feira chata e deprimente ao som de The Smiths.

 

 

 

Eu ainda estava cansado e pedi para não ir a escola hoje. Tanto minha mãe como minha avó deixaram e voltei a dormir.

 

 

 

 

 

Acordei com o meu celular vibrando. Peguei-o logo desbloqueando-o. número desconhecido?

 

Atendi e esperei até que a pessoa se manifestasse.

 

- Já que você não vai falar nada seu chato, me encontra no café. Vou ficar bem chateado se você não for. –falou e desligou.

 

Ué, quem poderia ser? Essa voz com certeza não era de Hoseok.

 

Levantei, vesti algo mais adequado para sair do que um simples calção de dormir do Star Wars.

 

 

 

Avisei minha vó que iria sair, porém não iria demorar.

 

- Cuidado meu amor. Não suma de novo.

 

 

 

 

***

 

 

 

 Desde quando fazia tão frio aqui? As ruas estão mais vazias ou é apenas impressão minha? Que seja.

 

 

 

 

Cheguei na cafeteria e adentrei-a, ouvindo o típico sininho tocar quando alguém entra no estabelecimento. Procurei um lugar bom, mas quando meu olhar caiu sobre aquela pessoa, congelei completamente.

 

 

 

 

 

 

Jungkook.

 

 

 

 

Sorri fraco e o mais alto veio até minha direção, em passos tímidos e calmos. Assim que se pôs diante de mim, puxou-me para seus braços.

 

- Senti sua falta hyung. –disse passando as mãos em meus cabelos, logo se afastando-se –Vem eu preciso te contar algumas coisas. 

 

 

 

 

 

"Primavera se foi 
E com ela meu amor 
Quem me dera poder 
Consertar tudo o que eu fiz 
O perfume que andava 
Com o vento pelo ar 
Primavera soprando 
Um caminho 
Mais feliz "

 

 

 

 

 

 

 

 

 

- Eu sinto muito por isso hyung.

- Tudo bem, eu vou dar um jeito nisso. Mas e você me diga como vão as coisas? –eu agradeço muito por Jungkook sempre ser um bom ouvinte, apesar de ser péssimo dando conselhos. Eu estava com muita saudade dele. Porem meus sentimentos por ele não são mais na mesma intensidade que antes. Agora, eu o amo como se fosse um irmão mais novo. Um irmão mais novo que eu peguei. Ri do meu próprio pensamento.

- Do que você está rindo?

- Nada demais –ri da forma em que jungkook formou um bico, uma típica criança birrenta quando não sonegue o que quer. –Eu ainda te amo. –ele se assustou com isso. Até abriu a boca para falar alguma coisa, mas eu o interrompi –Só que, uma amor de irmão... Um irmão que eu já peguei, mas um irmão entende? –agora fora a vez dele rir em alto e bom som. Ficamos assim durante um bom tempo.

-Eu estou bem sabe, já faz dois meses que minha avó teve uma parada cardíaca e não resistiu. –culpado. Eu me senti completamente culpado, por deixa-lo só. Por não ter retornado suas ligações. Eu virei as costas para o mais novo quando ele mais precisou de mim –No começo foi bem difícil, não sabia como proceder. Mas foi aí que conheci Jimin –fiz uma careta e novamente, ele riu de mim. –Você iria gostar dele. Ele vinha comigo, mas teve que ir ajeitar umas coisas na casa da mãe dele.

- Seria um pouco estranho não? Seu atual e seu ex?

- Não, Jimin sabe muito bem meus sentimentos por você. Ele respeita isso. Não é para tanto que o mesmo queria conhecer você. –sorri fraco e Jungkook segurou minha mão –Tenho uma coisa boa para te falar. Eu vou ficar na cidade por um tempo. Acabei de fazer minha matricula para a sua escola. Pelo visto vamos nos ver mais.

- Wow, sério? –não tinha como esconder minha felicidade. Eu estava morrendo de saudades do Jeon, agora ele vai estudar na minha escola? Que legal. Hoseok vai ficar de orelha em pé com isso, mas eu falo com ele depois. Hoseok... suspirei e Jeon perguntou o que eu tinha –Não é nada. Como é de esperar eu não sei decifrar meus sentimentos por ele.

- Sério Yoongi? deixa eu esclarecer para você. –Jeon limpou a garganta e começou –Você me disse que Hoseok se tornou a pessoa mais importante da sua vida e ainda fica se lastimando com a pergunta besta ‘se você gosta dele’? É claro que gosta Yoongi. diria até, que você o ama. Apesar de ser um péssimo momento para se apaixonar, você está apaixonado. –ele sorriu, deixando a mostra seus típicos dentes de coelhos –Você já falou com ele desde que voltou? –neguei e o mais novo ficou indignado –Mas que porra Yoongi, sai daqui agora e vai falar com ele! Seja sincero com ele. Eu sei que é bem difícil para você, mas você precisa falar sobre seus sentimentos para esse garoto.

-Obrigado Jeon. Eu senti sua falta –disse, já em pé, igualmente a ele. O abracei e fui correspondido no mesmo momento.

- Eu também senti hyung.

 

 

 

 

 

 

"Agora está tão longe ver,
A linha do horizonte me distrai
Dos nossos planos é que tenho mais saudade
Quando olhavamos juntos na mesma direção

Aonde está você agora
Além de aqui, 
Dentro de mim?"

 

 

 

 

 

 

***

 

 

 

 

 

Como eu decidir ir andando até a cafeteria, agora eu estou voltando e me arrependendo de não ter trago a moto comigo.

 

Minha cabeça está a mil, tentando organizar meus pensamentos. Todos esses pensamentos vagos e ilógicos. Faz tanto tempo que parei de dar trilha sonora aos meus dias por falta de música que descrevesse como é estar perto do diabo. Usei todas as músicas possíveis, que não me restou mais nada. Somente as melhores, que guardei para  Hoseok.

 

 

 

Ah hoseok...

 

 

Eu não entendo como você fez isso comigo.

 

 

Eu só entendo uma coisa: Hoseok era aquela sombra sendo quebrada no meu sonho.

 

Aquilo fora um tipo de aviso para impedir que isso acontecesse e é isso que eu vou fazer.

 

 

 

 

***

 

 

Cheguei em casa, logo jogando-me na cama. Tendo a minha visão maravilhosa de novo. Não tão maravilhosa como Hoseok, é claro.

 

Por falar nele, ele acabara de me mandar uma mensagem.

 

Desbloqueei a tela para lê-la.

 

 

Hobi-kun:

Eu sinto sua falta

Eu vi você hoje

Vc está abatido

Pensei em ir falar com vc, mas vc estava acompanhado e parecia bem a vontade com ele

Aquilo foi um adeus não foi?

Você mentiu pra mim...

 

Meu coração apertou ao ler a mensagem. Aquilo era verdade, mas ele não sabia o motivo. Eu não queria...

 

Não posso ficar sem fazer nada, peguei o celular e liguei para ele. O mais novo me atendeu, porém não vez questão de falar nada. Eu pude ouvir sua respiração do outro lado da linha. Limpei minha garganta, tomei coragem e falei.

 

- Me desculpa Hoseok, mas ficar longe de você é minha maior tortura. Eu preciso de você, mas não quero que se machuque. Sendo que eu já te machuquei. Eu sei, eu sou um otário mesmo. Pode me chamar de qualquer coisa que eu vou entender, mas tive meus motivos para fazer aquilo. Não pense você que não doeu em mim, como havia dito, foi uma tortura. Não sei lidar como aquilo que chamamos de paixão. Só me apaixonei uma vez. Mas você, você é diferente. Você se tornou o sol da minha vida Hoseok. Nunca pensei que ficar longe de você fosse tão ruim para mim. Eu nunca mais quero que isso aconteça de novo, mas eu não sei o que pode acontecer comigo. Eu só quero dizer que.. –eu hesitei em minha fala, devido as lagrimas que já faziam menção de aparecer para molhar meu rosto. Suspirei, limpado minha garganta e continuando –Se algo acontecer a mim, saiba que eu estou perdidamente apaixonado por você. Sinto muito que escute isso vindo na minha situação atual, mas eu só quero que você saiba e escute isso vindo da minha própria boca. –eu estava ficando puto comigo mesmo pela falta de coragem. Que porra! Eu tenho que ser forte e falar tudo o que eu sinto por ele. Não sei o dia de amanhã. Meu futuro se tornou algo incerto. Algo no qual não sei se terei Hoseok comigo, e isso me assusta muito. Só de pensar naquele sonho que eu tive... Hoseok se quebrando em vários pedaços... O sorriso sádico do meu pai. Isso com certeza esta interligado. E eu, tenho que fazer algo para impedir que isso aconteça. Eu não queria, mas eu criei sentimentos pelo mais novo. Sentimentos cujo qual eu não sei como explicar. Essa era a única forma de me despedir, devidamente de Hoseok. Eu não quero morrer sem antes falar o que eu sinto por ele. Com esse pensamento, engoli a seco e conclui, firme –Nunca mais vou me afastar de você. Nunca mesmo! Eu gosto de você.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

"Don't wanna close my eyes

Não quero fechar meus olhos

I don't wanna fall asleep

Não quero pegar no sono

'Cause I'd miss you, babe

Porque eu sentiria a sua falta, baby

And I don't wanna miss a thing

E eu não quero perder nada

'Cause even when I dream of you

Porque mesmo quando eu sonho com você

The sweetest dream will never do

O sonho mais doce nunca vai ser suficiente

I'd still miss you, babe

Eu ainda sentiria a sua falta, baby

And I don't wanna miss a thing

E eu não quero perder nada"

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Eu amo tanto meu yoonseok sz
Músicas do capítulo: Creep, Radiohead; Car Radio, Twenty One Pilots; Apenas uma canção de amor; Rosa de Saron; Hero, Family Of The Year; Far Away, Nickelback; Vento no Litoral, Legião Urbana;
Como sempre, relevem os erros (se houver)
Qualquer coisa pode me dizer, sou legal juro
Até breve ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...