História Desconhecido T2 - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Block B
Visualizações 8
Palavras 1.013
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 14 - Cócegas


Fanfic / Fanfiction Desconhecido T2 - Capítulo 14 - Cócegas

Mary on

 

Jaehyo encarou-me com uma expressão estranha, os seus olhos estavam semicerrados enquanto ele pensava em algo muito seriamente.

-Que vamos fazer em relação a isto Mary? Não podes continuar a vida toda a fugir do Zico.

-Vamos acabar com os negócios deles…eu meio que tenho um plano, confia em mim Jae.- disse enquanto lhe piscava o olho.

Ele passou a língua pelos dentes antes de responder.

-Isso não vai resolver o facto de ele ser obsessivo por ti.

-Que queres que eu faça… o Jiho é uma pessoa bastante persistente.- ele encarou-me com uma expressão confusa, provavelmente por eu ter tratado o Zico pelo nome verdadeiro.- O Zico…é o verdadeiro nome dele.- expliquei.

-Então conta-me o teu plano de vingança.- disse ele com um sorriso nos lábios.- Excita-me o facto de quereres tomar conta desta situação…parece que arranjamos alguém para o lugar do Pyo…talvez tenhamos uma nova líder.

Aproximei-me do seu ouvido para sussurrar.

-Eu conto quando estivermos em ‘’casa’’…quero que todos oiçam.

Não deixei que ele respondesse, agarrei a sua mão e puxei-o para fora da discoteca.

Assim que passámos pela porta ele pegou-me ao colo e começou á roda.

-JAEHYO AINDA ME VOU VOMITAR…

Ele pousou-me no chão com um enorme sorriso que lhe rasgava a face.

-Não sabes como é bom ter-te ao meu lado…o Zico foi muito parvo em trair-te…és uma criatura magnifica.

Revirei e ruborizei enquanto ele se aproximava mais de mim, agarrou nos meus ombro e puxou-me contra ele com força, assim que os nossos corpos embateram soltei um pequeno gemido.

Os seus lábios uniram-se á minha testa de uma maneira carinhosa, derrepente algo mudou, ele pegou-me de novo ao colo mas desta vez colocou-me no seu ombro esquerdo…como se estivesse a carregar um saco de batatas.

-JAEEEEE.

Ele correu na direcção do carro em grande velocidade.

Apesar de estar com medo de cair estava a divertir-me bastante, ele faz-me sentir muito bem, proporciona-me paz e coragem para continuar a viver. Na verdade acho que ele é o único motivo de eu respirar, não tenho mais ninguém que me prenda á vida, pelo menos não tanto como ele.

 

Mary off

 

Kyung on

 

Caminhei lentamente até ao quarto de B-bomb, ele estava de costas portanto tentei não fazer muito barulho enquanto andava, agarrei a sua cintura e puxei-o conta o meu peito de uma forma carinhosa. A princípio ele assustou-se mas logo de seguida soltou um riso abafado e virou-se para me encarar.

-Kyung…que estás a fazer?

-A abraçar o meu namorado…ou não posso?- perguntei eu mordendo o lábio logo de seguida.

-Claro que podes…podes fazer o que quiseres comigo.- ele riu-se antes de continuar a falar.- Onde estão os outros?.

-Bem o Taeil foi sair com a Yujin, o Jaehyo e a Mary foram não sei onde e o Ukwon volta amanha talvez…ou seja estamos sozinhos.

Derrepente alguém abre a porta do quarto.

-Não estão não.- Jae e Mary olhavam para nós com um sorriso trocista enquanto eu semicerrava os olhos na direcção deles. B-bomb apenas conseguiu corar.

-Então Kyung…não controlas a hormonas?-perguntou Mary.

-É assim saiam daqui, que chatos. Pensava que tinham ido para algum hotel ou assim, já que o Jaehyo não se consegue controlar.

-Olha quem fala Park Kyung…vamos Mary ninguém nos quer aqui…eles vão-se divertir.

-Se quiserem juntar-se podemos divertir-nos juntos.

-Okay Kyung pára…imaginei coisas que não devia.-disse Mary enquanto fazia uma cara de enjoada.- Oh meu deus Jae vamos embora antes que eles nos violem.

-A única pessoa violada aqui serias tu Mary…somos 3 contra uma.- disse eu.

Jaehyo sorriu de forma perversa e Mary olhou para ele á espera que ele a defendesse de alguma forma, mas isso não aconteceu.

-Eu fui…-disse Mary tentando sair do quarto.

Corri até ela e puxei-a para dentro, enquanto Jaehyo trancava a porta e guardava a chave no bolso.

-O que é que pensam que estão a fazer?-perguntou ela enquanto arregalava os olhos.- Deixem-me sair seus cretinos.

Caminhei até ela e empurrei-a para cima da cama, ela tentou levantar-se mas B-bomb prendeu-lhe os braços com força. Jaehyo sentou-se em cima dela nunca parando de sorrir, deu-lhe um beijo no pescoço e mordeu aquela área logo de seguida.

-Jae…tu não queres fazer isso.-disse ela enquanto se tentava soltar, mas sem sucesso.

Ele não respondeu, enquanto isso subi para a cama também e pus a mão no seu queixo enquanto me aproximava dos seus lábios para fingir que a ia beijar.

-AAAAAAAAAAAA…SOCORRO.- ela gritou bastante alto.-LARGUEM-ME…DEPOIS DISTO EU VOU CAÇAR-VOS UM POR UM E VINGAR-ME.

-Tens uns bons pulmões Mary, pergunto-me se tens mais coisas boas.-disse b-bomb.

-Estás preparada para nós Mary?- perguntei eu.

-Não estou preparada para merda nenhuma, larguem imbecis. Jaehyo ajuda-me. Porfavor.

-3,2,1- contou Jaehyo.

Depois do 1 começamos os três a fazer-lhe cócegas, ela ria-se incontrolavelmente, e ao mesmo tempo tentava bater-nos, acabou por dar uma joelhada a Jaehyo nas partes baixas, este caiu no chão enquanto fazia uma cara de dor. Eu e B-bomb parámos de torturar a Mary para nos rir-mos do estado lastimável em que Jaehyo tinha ficado.

-Isto é por seres o pior namorado de sempre.- disse ela enquanto se levantava e tirava a chave do bolso dele.

-Ei Jae, pelo menos já sabes que ela nunca vai ser violada…a miúda tem força.- disse B-bomb.

-Eu reparei.-disse ele enquanto se levantava devagar.- Mary se eu nunca te poder dar filhos já sabes porque foi.

-Não se aproximem de mim nas próximas décadas…estão avisados. Otários.

 

Kyung off

 

Mary on

 

Ainda não estava a acreditar que eles me fizeram isto, que parvos. Caminhei até á sala enquanto amanhava as roupas, estas tinham ficado todas amarroadas graças aos senhores violadores.

Como estava a olhar para o chão acabei por chocar com alguém…como não o reconheci assustei-me.

-AAAAAAAA. –gritei enquanto lhe dava um murro no braço.

-Ai porra.- Ukwon virou-se enquanto fazia cara de ofendido.- Que merda Mary.

Ele levou outra chapada de Ann que vinha atrás dele.

-Não digas palavrões.

-PÁREM DE ME BATER.- gritou ele.

-NÃO GRITES KIM.-gritou ela ainda mais alto.

-CALEM-SE OS DOIS PELO AMOR DE DEUS.

 

 


Notas Finais


Desculpem qualquer erro :p


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...