História Desconhecidos - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fhelipe Gomes, Giovanna Chaves, João Guilherme Ávila, Larissa Manoela, Pretty Little Liars, Thomaz Costa
Personagens Fhelipe Gomes, Giovanna Chaves, João Guilherme Ávila, Larissa Manoela, Personagens Originais, Thomaz Costa
Tags Ação, Colégio, Fanfic, Fhelipe Gomes, Giovanna Chaves, João Guilherme Avilla, Larissa Manoela, Luckas Moura, Mistério, Pretty Litlle Liars, Romace, Suspense, Thomaz Costa
Exibições 43
Palavras 1.886
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Hentai, Mistério, Policial, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Bom, eu já tinha postado um versão dessa Fanfic ( Muito podre ), mas depois eu parei de escrever no capitulo 5, então esses dias resolvi que escreveria tudo de novo e faria modificações, muitas modificações na historia. Se você não leu a primeira versão nem se dê ao trabalho, porquê não precisa, se você já leu, vai perceber coisas diferentes, mas não se preocupe. Então é isso, divirtam-se lendo.

Capítulo 1 - Bem vindo á MountVille João, espero que não fique cego!


Fanfic / Fanfiction Desconhecidos - Capítulo 1 - Bem vindo á MountVille João, espero que não fique cego!

João Guilherme chegou a sua nova escola atrasado, pelas contas do garoto o sinal já havia tocado á uns dez minutos. Desastrado como era, João quase caiu ao dar um beijo rápido na sua mãe e correr em direção a grande porta do MountVille High School. Os corredores estavam vazios e o garoto carregava um grande papel com um mapa da escola, e sua cabeça ia de um lado a outro tentando encontrar a sala do Sr. Hudson, Biologia, e pelo que João sabia sobre nomes, Hudson com certeza pertencia a um homem de 50 anos gordo e careca no meio da cabeça.

 

O garoto girou em direção ao corredor a esquerda do principal: Informática… Deve ser esse… Humm Laboratório de biologia. João respirou fundo, ele podia ouvir os burburinhos dentro da sala. Ele bateu a porta: Toc, Toc, Toc! O frio invadiu o estômago dele, o novo estava chegando.

 

Ao contrário do que João pensara sobre o senhor Hudson, ele não tinha nada de velho. Sr. Hudson era particularmente branco, tinha um cabelo não muito castanho e usava óculos, numa estimativa, o homem tinha uns 27 anos, e escondia dentro da camisa social cinza um corpo musculoso.

 

- Ahnnn, com licença. Essa é a sala do Sr. Hudson? - O garoto falou timidamente.

 

- Sim, sou eu! E você provavelmente é o Sr… - Sr. Hudson olhou uma pasta que estava na sua mão - O Sr. Ávila, certo?

 

- Sim, sou eu - João sentiu suas bochechas corarem.

 

- Está atrasado!

 

- Me desculpe, eu…

 

- Entre!

 

- Ahnn…

 

- Eu o seu primeiro dia, é o meu primeiro dia também, só que como professor - O Sr. Hudson riu, mostrando dentes brancos e vivos - Sorte sua que o inspetor não fez a ronda ainda. Vamos - Sr. Hudson fez um movimento rápido com a cabeça.

 

João sentiu-se aliviado, pelo menos não vou pra diretoria no primeiro dia e arruinar minha reputação, pensou. Ele já estava a caminho da única mesa livre, no fundo da sala, quando o Sr. Hudson o chamou.

 

- Sr. Avilla! - João virou-se para frente - Aqui na frente.

 

Enquanto caminhava ao encontro do professor, o garoto podia ouvir algumas risadas

 

- Como um pequeno castigo por seu atraso Sr. Ávila, O senhor terá que se apresentar para toda a turma - O professor deu ênfase no “toda”.

 

- Mas…

 

O Homem apontou o dedo para o chão.

 

- Vire-se - O garoto virou-se para a turma e respirou fundo, ele poderia se esconder em um buraco de tanta vergonha.

 

- E- ahnn - João ouviu risadas vindas do fundo da sala - Eu… Eu me chamo João. - O garoto olhou para o professor.

 

- Só isso - Sr. Hudson o estava pressionando.

 

- Eu me chamo João e eu vim da… do… do Branil! Não! Não. - Mais risadas - Eu vim do Brasil! - O garoto queria morrer ali mesmo.

 

A respiração do garoto ficou ofegante por instantes

 

- Pode ir Sr. Ávila. Espero que não se atrase amanhã.

 

Enquanto caminhava em direção a sua mesa, João podia ouvir mais risadas á suas costas, e quando se sentou ele pode ver que o Sr. Hudson também estava rindo, mas discretamente. O garoto sentiu a raiva tomar o lugar da vergonha, “Professor idiota! “, exclamou para si.

 

- Bom pessoal, como eu já expliquei, mas não para todos, eu sou o Sr. Hudson, mas podem me chamar de Professor Ben, porque digamos que eu não goste muito do meu sobrenome. - Sr. Hudson caminhou em direção a sua mesa e se sentou - Eu até tinha planejado uma primeira aula bem legal pra vocês, com estruturas e esqueletos… - Ele tentou dar um ar mais animado a sua fala - Mas, esse material que eu pedi ainda não chegou, então vamos ficar com os bons e velhos livros - Ele terminou a frase com uma cara triste.

 

***

 

A aula ia muito bem e animada, o modo como o professor Ben explicava a matéria agradara João, mas ele queria o quanto antes sair dali, ele não tinha simpatizado muito com o seu professor, ele não precisava ter feito aquilo tudo só porque eu me atrasei, João estava bufando por dentro, não foi nem culpa minha. Merda de fuso horário. João tinha chegado a Mountville a duas semanas, e ainda não havia se acostumado com o fuso horário diferente.

 

E falando em horários, João pegou o seu Samsung no fundo da mochila e o ligou enquanto o Professor Ben escrevia no quadro branco. O garoto olhou a hora, faltavam dez minutos para o fim da aula. Sr. Hudson ainda estava escrevendo e como João não dividia a mesa com ninguém ele resolveu ligar o seu 4g e verificar as mensagens de seus amigos brasileiros, Péssima ideia! Ele nunca tinha feito aquilo durante uma aula, aliás, ele sempre foi o certinho da turma, mas algo rebelde tomou conta de si. O garoto não se lembrou de que o volume estava no máximo, e assim que suas notificações começaram a chegar, o celular começou a apitar freneticamente.

 

De repente todos os olhares naquela sala naquela sala foram desviados para João e a sua buzina em forma de smartphone. Ele tentou esconder o celular na mochila, mas o Professor Ben já tinha largado o pincel na mesa e estava caminhando em direção a ele.

 

- Sr. Ávila… - Sr. Hudson estava bem em frente a João - Chegar atrasado já não era o bastante? Agora o senhor está mexendo no celular durante a aula? - João ouvia mais e mais risadas.

 

- Foi sem querer, eu…. Por favor, não me mande pra diretoria!

 

- Na sua situação, você não tem direito de pedir nada. Mas eu não vou te mandar para a diretoria não, mas você irá me dar esse celular. - O Sr. Hudson pressionava seus olhos castanhos nos de João. Enquanto isso, o garoto se sentia completamente amedrontado.

 

- Senhor, eu… - João não queria em hipótese alguma que qualquer pessoas pegasse seu celular, as coisas que eles escondia poderia arruinar qualquer chance de entrar em uma boa faculdade.

 

- O celular! - O professor Ben estava começando a ficar irritado.

 

Com relutância, o garoto entregou o smartphone enquanto os olhos famintos por intriga o olhavam. Professor Ben voltou a sua mesa e colocou o celular em sua gaveta. Pelo menos ele não vai olhar, João tinha ficado seguro, portanto, que o Sr. Hudson não olhasse em Hipótese alguma a sua galeria.

 

Em pouco tempo o barulhento sinal do colégio tocou dando fim à primeira aula do ano. João andou em direção a porta tentando não olhar para seu professor de biologia, e assim não despertar a raiva que João estava sentindo daquele Homem.

 

- Sr. Ávila? - O temido homem chamou o garoto da sua mesa.

 

- Sim, Sr. Hudson? - O garoto havia se virado e encarado o rosto pálido do professor.

 

- Sr. Ávila eu quero conversar com você um minuto.

 

- Tudo bem - Lutando com seu corpo, João foi em direção a mesa.

 

- Eu só quero que saiba que tudo que eu o fiz fazer hoje no início da aula, não foi com o objetivo de humilhar você, esse é apenas o meu jeito de ensinar. Mas eu não irei devolver o seu celular.

 

- Tudo bem - João assentia a cada palavra dita.

 

O garoto já estava a caminho se sair quando foi surpreendido mais uma vez.

 

- Ah, João!

 

- Sim?

 

- Parabéns! Você tem notas muito boas.

 

- Obrigado - João ficou corado mais uma vez. Todo esse papo fez o garoto questionar qual era verdadeiramente a personalidade do professor, e isso o deixou curioso, muito.

 

***

 

- Socorro! Socorro! Socorro! Por favor, chamem uma ambulância! Agora!

 

Da sala da sua última aula, João ouviu os gritos desesperados vindos do corredor acompanhados de passos pesados do que eram provavelmente muitas pessoas correndo. João juntamente com todas as outras pessoas da sala se levantou desesperadamente para ver o que estava acontecendo. Ao saírem para o corredor, todos se depararam com uma multidão de alunos curiosos correndo atrás dos gritos.

 

De repente os aparelhos de som instalados nas salas e nos corredores deram um pequeno zumbido.

 

-Por favor, peço encarecidamente que todos voltem às suas salas agora! - Uma voz rouca e forte fala das grandes caixas.

 

- Vocês ouviram não é? Entrem agora. - A Srta. Fish falou a todos.

 

- Mas o que está acontecendo?! - Uma garota loira perguntou.

 

- Eu não sei! Por favor, entrem!

 

Do mesmo que saíram todos entraram e voltaram a seus lugares. E mais uma vez os alto-falantes zumbiram.

 

- Atenção alunos, tivemos um incidente gravíssimo no laboratório de química, e por esses motivos hoje vocês irão ser liberados mais cedo e todas as atividades extracurriculares juntamente com os clubes serão cancelados hoje.

 

“O que!?” “Logo no primeiro dia? “ “Não!” “Yes!” “ Ah que maravilha!” “ E o jogo?!” . E entre murmúrios e comemorações os alunos foram esvaziando as salas e lotando os corredores. Com isso, todas as preocupações de João voltaram a sua cabeça: Seu celular nunca teve senha, até porque ninguém na sua casa mexia no seu celular, muito menos nenhum dos seus antigos amigos. E se ele ver os vídeos? As fotos! Ele pode muito bem mostrar aos meus pais! Pior! Ele pode mostrar aos outros professores! Não, não ele não faria isso, ele é um professor! Desde o fim do último verão, João vinha tirando fotos suas pelado e se masturbando, e também gravando vídeos. Será que ele vai querer ver o que eu estava fazendo? Ah, João se controla, por favor!

 

Ao chegar ao laboratório de biologia o garoto respirou fundo e antes de bater pensou que talvez o Professor Ben não estivesse na sala, por causa de toda a confusão. João então decidiu não bater e apenas abrir a porta devagar mas ela estava trancada. Droga! E agora? Não João você não pode deixar seu celular aqui a perigo. Ele falou que eu poderia pegar depois da aula. Mas como? O zelador do colégio passou a passos  largos por João. Isso! Zeladores sempre tem a chave das salas!

 

- Com licença - João abordou o Homem velho - Eu esqueci meu livro dentro do laboratório, o senhor não poderia abrir a sala pra mim?

 

- Anh? Tudo bem! Adolescente sempre esquecendo as coisas não é mesmo? - O zelador riu e pegou uma chave em seu grande chaveiro que estava no bolso - Está aqui! Laboratório de biologia não é?

 

- É sim, muito obrigado, eu já devolvo!

 

- Hunf! Eu sou estou emprestando porque eu vejo um bagunceiro quando vejo um e você com certeza não é um! Não é mesmo?

 

- Sim, sim, claro, obrigado!

 

João colocou a chave no na fechadura e a torceu pra direita. Ele olhou para trás e se certificou que o zelador não estava olhando, o velho não podia descobrir que ele não estava atrás de um livro. Ao abrir a porta João se deparou com uma cena que ele jamais pode imaginar: O Sr. Hudes estava numa cadeira bem ao fundo da sala, com as calças na metade da coxa, mão direita em seu pênis, se masturbando.

 


Notas Finais


E ai gostaram? Se sim, podem favoritar se não, bom... tô nem ai. E não se esqueçam de comentar o que quiserem!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...