História Desde Sempre - Capítulo 32


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Iris, Kentin, Kim, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Peggy, Personagens Originais, Professor Faraize, Professora Delanay, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Castiel, Romance
Exibições 58
Palavras 809
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Divirtam-se lendo :3

Qualquer coisa, comente ! 🌸

Capítulo 32 - Suporte.


Fanfic / Fanfiction Desde Sempre - Capítulo 32 - Suporte.

Eu me viro para ver quem havia falado, e me deparei com o um dos gêmeos; creio que este seja Armin, lembro que Alex é o de cabelos azuis, então acho que estou certa. Eu me viro totalmente para ele e o encaro, e o mesmo ainda assustado, fica mais ainda com minha cara de furiosa; então eu respondo ele.
—Não aconteceu nada de mais Ok? Eu só estou testando a resistência do meu celular não está vendo.—
Ele olha pra mim com uma expressão de raiva, e me responde.
—Calma aí, não precisa descontar em mim também! Não precisa me tratar como um ignorante, ninguém testa resistência e fica com essa carinha aí.—
Eu suspiro fundo e lhe respondo.
—tudo bem, me desculpa tá? Não foi minha intenção subestimar sua inteligência; me desculpa também por descontar em você, afinal você não tem nada a ver com isso.—
Ele desmonta sua expressão de raiva, então me responde.
—Tudo bem, quem nunca fez isso né? Mas enfim, o que aconteceu pra te deixar tão furiosa assim?—
Eu olho para o chão e falo desanimada.
—Problemas com minha tia... Mas não quero que você fique aí perdendo seu tempo, ouvindo meus lamentos.—
Ele sorrir pra mim e fala.
—Não vai ser perda de tempo, afinal sou um de seus amigos de classe, e normalmente amigos ajudam uns aos outros dando suporte, tanto emocional como outros tipos de suporte.—
Eu sorri para ele, então o respondo.
—Eu nunca tive tantos amigos como estou tendo aqui, vocês todos são muitos gentis, nunca tive suporte emocional, só nos jogos mesmo, com aqueles colegas virtuais.—
Ele ri, e então fala.
—Eu também nunca tive tantos amigos na vida real, mas quando entrei aqui todos me receberam como um membro de família, foi muito... Agradável entrar aqui e ter esse outro tipo de suporte, então eu meio que aprendi com eles a ajudar a todos.—
Eu olho para ele e falo.
—Obrigada por isso, é bom estar aqui.—
Ele sorrir e então muda de assunto.
—Enfim, me conte seus problemas que te fizeram ser tão cruel com algo tão bom.—
Eu sento no chão escorada na parede, e ele faz o mesmo, então eu falo.
—Já teve a sensação de que alguém não liga para o que você fala, não se importa com o que você quer, faz o que quiser e não se importa com sua opinião sobre, não se importa com o que você sente?—
Ele rir e me responde.
—Já e como, meu irmão me obriga a comprar roupas, e ainda escolhe todas sem ouvir uma única opinião minha.—
Eu sorrio, olho para ele e o respondo.
—Quem me dera que fosse só isso... Minha tia me tira de colégios, cidades, estados, países e continentes sem ao menos perguntar "você quer ir pra lá?"; Então eu já perdi muitos amigos por não poder nem visita-los, por estar a um continente de distância.—
Ele olha para mim curioso e pergunta.
—Então, o que ela fez agora que te deixou assim?—
Eu suspiro, olho para o chão, então o respondo.
—Bem, ela quer fazer isso de novo, ela quer me tirar daqui, mas agora eu tenho reais motivos para querer continuar ao menos por perto daqui.—
Ele levanta-se de repente, e me pergunta assustado.
—Então ela vai te tirar daqui? Mas você acabou de chegar, e todo mundo aqui te adorou, não queremos que você vá.—
Eu me levanto, ponho a mão em seus ombros e o respondo.
—Eu agradeço a preocupação, é bom saber que eu fiz amigos; mas já estou cuidando disso, por enquanto eu só preciso suportar mesmo...—
Ele abre os braços e fala.
—Um abraço vai te ajudar a suportar mais, quer um?—
Eu sorrio para ele, e falo.
—Claro que sim!—
Eu o abraço e o mesmo retribui, é bom saber que posso contar com ele e todos os outros com quem formei uma amizade, eu queria ficar nessa escola para sempre, mas já que não posso vou tentar ao menos ficar por perto. Então depois de um abraço demorado e caloroso, Armin separa o abraço e fala.
—Então Sanny, está se sentindo melhor agora?—
Eu afirmo com a cabeça que sim, e falo.
—Bem, já está na hora do jantar, que tal irmos para o refeitório jantar com todos.—
Ele olha sem jeito para mim, e me responde.
—Eu estava indo ver a Rosalya, não falei com ela desde que ela chegou, então acho que não posso ir agora.—
Eu olho para ele, e falo.
—A Rosa não vai ficar lá, ela estava se arrumando agora a pouco para ir jantar, acho melhor você encontrar com ela no refeitório mesmo.—
Ele dá de ombros e diz.
—Bom se é assim, então vamos logo para o refeitório.—
Eu acento com a cabeça, e então vamos juntos conversando até o refeitório.


Notas Finais


Espero que tenha gostado ;u;

Até o próximo capítulo o/ 🌸


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...