História Desejada - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Inuyasha, Inuyasha Kanketsu-hen
Tags Rin, Sesshy, Sesshy Vilão, Sesshyxrin
Exibições 100
Palavras 1.334
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Cross-dresser, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura

Capítulo 2 - 2


Fanfic / Fanfiction Desejada - Capítulo 2 - 2

Chego em casa e corro para meu closet preciso urgente de um vestido, escolho um preto soltinho super casual e sexy, pego um scarpin preto e deixo ao pé da cama.

Depois de um banho relaxante me visto e faço uma maquiagem leve com batom vermelho, olho para o relógio e vejo que já são 19:20 a qualquer momento ele chega. Logo ouço o interfone tocar avisando que ele havia chegado, pego minha bolsinha de lado e desço.

- Boa noite. -  Ele estava fora do carro esperando para abrir a porta para mim.

-Boa noite, você esta muito bonita. - Olhei para dentro do carro e percebi que estava sem a esposa, não poderia perder a oportunidade de provocar.

-Vejo que esta sem a esposa, ela foi com outro? - Ri de lado e para minha surpresa ele sorriu, aquilo era assustador.

-Preferiu ficar em casa ao invés de ver eu flertando com você. - Entrei no carro e ele fechou a porta, arrodeou e entrou.

- Não estamos flertando, apenas aceitei uma carona e só. -  Ele não disse nada, mas aquele silêncio significava mais que mil palavras.

 Chegamos no club e todos os olhares eram para a gente, bom não teria como não ser, eu sou lindíssima e meu acompanhante não fica muito atrás (Não me acho, querida, eu sou! hahaha).

Avistamos Inu-yasha logo nossos olhares se cruzaram, ele estava acompanhado de uma morena muito linda, ele a deixou de lado e seguiu em nossa direção.

-Boa noite, Rin você esta muito linda, concede uma música ? - Sesshoumaru mandou um olhar mortal que foi retribuído com um sorriso amarelo.

- Sinto muito bastardo mas eu a chamei primeiro, deveria dar atenção a Kagome já que Kikyo está vindo ali. Boa sorte bastardo. - Saiu sorrindo de lado.

- Sesshoumaru maldito, você a chamou, você me paga!!!! - Berrava Inu-yasha por ter as duas namoradas na mesma festa.

- Não lembro de você ter me pedido para dançar e muito menos eu ter aceitado .

- Um homem como eu não preciso chamar para dançar, as mulheres já se atiram de imediato.

- Desculpe senhor mas não faço parte de suas estatísticas e muito menos tenho a intensão de esconder minha beleza sendo a amante, se me da licença.

Livrei-me dos braços possessivos dele e seguir para o bar, pedi uma dose dupla e fiquei em meus pensamentos.

-" Ele fez mal para tanta gente fez mal para minha família tem um dinheiro sujo, não deixa de ser perversamente lindo e inteligente, mas continua sendo perverso".

-Rin, oiii. - Virei já sabendo de quem era aquela voz inconfundível.

-  Olá, quanto tempo. - Era Bankotsu, um pegue-te da faculdade que usei para tirar informações sobre Sesshoumaru e seu passado sujo e repugnante.

- Posso sentar ao seu lado? Você sumiu e hoje esta aqui na festa da pessoa que você menos gosta no mundo.

- Verdade, a vida da voltas... Muitas voltas. - Virei meu copo de saquê.

- Sabe descobrir algo novo sobre ele e sua família sobre a visita no orfanato não foi coincidência, ele sempre ia lá saber sobre você e tinha algumas pessoas que te vigiava. - Virei o rosto para Bankotsu e ele prosseguiu. - Ele tem um interesse muito rande sobre você, como se você fosse a chave de algo, sei lá. Enfim, irei investigar mais! Fique de olhos abertos e bastante cautela. - Ban deu um beijo no meu rosto bem próximo a minha boca, quem visse por um ângulo errado pensaria bobagem.

-Rin, venha. - Sentir uma mão forte segurar meu braço com muita força.

- Ai esta doendo. - Ele afrouxou mais o aperto e seguimos para fora da festa.

- Você some e eu te encontro ao lado daquele marginal? Que espécie de moça você é? - O olhei de sobrancelha levantada e com muita raiva, puxei meu braço com tudo.

- Uma moça solteira que não deve satisfação a um homem casado e estranho, exijo que me respeite senhor. Aliás não precisa me levar em casa vou de táxi.

- Ele me agarrou pela cintura e me jogou por cima dos ombros me levou para perto do seu carro e me jogou lá dentro, travando as portas para eu não sair.

-Idiota, me solte seu maldito, o que pensa que esta fazendo???

-Rin você me pertence assim como sua mãe me pertencia.

-" O que esse maldito quer dizer com isso?"

- O que você quer dizer com isso maldito? O que sabe sobre minha mãe. - Meus olhos raivosos logo ficaram marejados. - Fale maldito, fale logo, você a matou? - Ele me olhou e sorriu.

- Ela procurou a morte ao me trocar por um maldito humano seboso, pelo menos fizeram um bom trabalho você é muito melhor que ela.

"Então toda essa atração e toda essa preocupação por mim era por causa da minha mãe por ele ter a amado e ela não retribuiu".

- Provavelmente a morte é melhor do que está o resto da vida ao lado de um louco, possessivo, feito você, incapaz de amar ou se preocupar com alguém, odeio você, nunca te amarei. - Ele agarrou meu pescoço com força, comecei a sentir falta de ar, seus olhos estavam vermelhos, levei minha mãos ao meu pescoço e quando sentir que iria desfalecer levei minha mão direita ao rosto dele e deslizei suavemente sobre seu rosto alvo e fechei os olhos desmaiando.

Ele saiu daquele transe percebendo o que tinha feito.

-Maldição, Rin, acorde. - Fechou os olhos para sentir meus batimentos e os sentiu normais. -  Só desmaio, irei te mostrar o quanto você vai odiar me amar minha garota tão desejada. 

 

Sesshoumaru seguiu por uma rodovia e já estava amanhecendo, ele deixou a empresa nas mãos de Inu-yasha e Miroku, estava chegando em um templo. Rin dormia desde a última discussão, ronronava tranquila.

Chegando no templo Sesshoumaru entrei com ela no colo e a levou para seus aposentos. A despiu vendo sua linda peça íntima, aquele cheiro adocicado de virgem o embriagava, seus pensamentos corriam longe, seu corpo esquentava, ele a deixou de peças íntimas e seguiu m direção ao banheiro precisava de um banho gelado, seu corpo estava quente demais.

Fez suas higienes e logo saiu do banheiro com a toalha enrolada em sua cintura, deixando maior parte daquele corpo amostra.

Rin acordava e abria os olhos devagar, notava aquele ambiente estranho.

- Onde estou? - Sentou na cama e ouviu o registro do chuveiro sendo desligado. Fixou seus olhos na porta, seus olhos se cruzaram com aqueles olhos âmbares ficou perdida por alguns seguidos na profundidade daquele olhar.

- Seja bem vinda ao seu novo lar querida Rin. - Corei por ele esta quase nu, virei o rosto e murmurei.

- Bah, logo me livrarei de você maldito demônio. - Ele sorriu com aquilo, ela não conseguia ser má, aquela voz, aquele cheiro, tudo nela era bom, até mesmo o seu tentar ser mal.

- Poderia tentar de um jeito mais eficaz se aproximou de mim em curtos passos, a cada passo meu coração comprimia, era como se meus pulmões ficassem cheios demais.

Ele me puxou para perto de si e com o impacto caiu a toalha.

- A meu Kami-sama, você esta pelado e encostado em mim, sai sai sai sai - Ele começou a gargalhar com a inocência da garota.

- Não se preocupe logo você se acostuma. -Seguiu até aquele pescoço alvo e beijou dando leves chupões e mordiscadas.

- Por favor, não faça nada comigo, não estou pronta para isso. -  Ele sessou os beijos a olhando nos olhos. 

-Certo, vá tomar um banho e vista-se com um vestido amarelo que estará na sua cama assim que sair do banho. Espero que me obedeça e terá suas vontades realizadas.

-Até mesmo da de eu querer ir embora? - Ele sorriu convencido e falou.

- No final você não vai desejar sair do lado deste Sesshoumaru


Notas Finais


Semprevisão para o próximo beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...