História Desejo - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bishounen, Ecchi, Fluffy, J-hope, Jikook, Jimin, Jin, Jungkook, Namjin, Rap Monster, Shonen-ai, Shounen, Slash, Suga, V-hope, Yaoi, Yoonmin
Exibições 22
Palavras 2.413
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shounen, Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hi, amores!
Pra começar, como vocês estão depois desse comeback? EU TÔ NO CHÃO, MEU POVO! ESQUECI ATÉ COMO RESPIRA!
Enfim, espero que gostem do capítulo!
Boa leitura!

Capítulo 3 - "Eu Prometo"


Visão Min Yoongi

-Já te falei que vou te pagar! 

-Está demorando demais, Yoongi! Preciso desse dinheiro!

-Me dê uma semana, Jungkook.

-Melhor me arrumar esse dinheiro em uma semana! Eu não tenho tanto tempo!

Desliguei o celular e o joguei em algum lugar do sofá. Como vou arrumar todo esse dinheiro até o fim da semana, Jungkook? Pense pelo meu lado também, idiota! Caminhei em direção à varanda e encostei as costas na parede, escorregando até meu corpo se encontrar com o chão. O vento estava frio e me recordava o de Busan. Quando estava frio, você costumava me abraçar debaixo das cobertas. E eu fui idiota o suficiente para ir embora. Te deixei sem deixar nenhuma explicação...mas, foi por uma boa causa. Eu prometo que te explico tudo quando nos vermos de novo. Parei por um momento e uma cena passou por minha mente.

-Eu te amo, Park Jimin. Nunca te deixarei sozinho. Quando nos conhecemos você me contou sobre seu desejo; ser feliz. Eu vou te fazer feliz. -O abracei por trás, sentindo seu cheiro doce.

-Promete? -Ele virou e me observou com aqueles olhinhos quase fechados.

-Eu prometo. 

Um selo rápido terminou aquela conversa. Me separei de Jimin e fui até o banheiro. Lavei minhas mãos e fui até o banheiro, com uma olhada rápida no espelho pude ver o Jungkook atrás de mim. Me virei rapidamente sem entender nada do que acontecia.

-O que quer aqui?

-Está na hora de ir embora.

-Ir embora?

Ele assentiu e logo após recebi um soco no rosto. Uma dor quase insuportável se centralizou nas maçãs do meu rosto. Com toda a força meu corpo se chocou com o chão, vi o sorriso cínico de Jungkook surgir e logo após a imagem turva se tornou uma repleta escuridão. Eu havia apagado. 

Abri meus olhos em um lugar desconhecido por mim. Era uma casa. Eu estava deitado no sofá e Jungkook me observava em pé sem dizer uma palavra sequer. Sentei-me e só depois de alguns segundos me dei conta de uma coisa: Jimin! Levantei rápido e senti minha cabeça girar, meu corpo ficou fraco e caí no sofá, sentado.

- ONDE ESTÁ PARK JIMIN?

- A pergunta certa seria "Onde estou?", mas tudo bem. -Jungkook disse com sua voz cínica de sempre.

- ME RESPONDA AGORA! -Levantei e mesmo com a cabeça girando me aproximei dele e pus o dedo próximo ao seu rosto.

- Ele está em Busan! Á quilômetros de distância, Yoongi.

- QUILÔMETROS?! ONDE ESTAMOS?

-Em Seul.

- Não, não, não... -Abaixei o dedo e me virei, ficando de costas para Jungkook.

- Achei que ia me agradecer. 

- Agradecer?! -Fechei minhas mãos com tamanha força que as palmas ficaram brancas. Se acalme, Yoongi. Você prometeu para Jimin que não ia mais brigar. Respirei fundo e relaxei meu corpo. Virei-me para Jungkook e tentei conter a raiva que tinha no momento- Você acha mesmo que eu vou te agradecer?! Você acabou de tirar de mim a felicidade que ainda tinha e acha que vou ficar contente por isso?  Eu vou te pagar. Mas, não precisava ter tirado Jimin da minha vida! 

- Não exagere. É só um garoto! 

- Ele é o meu garoto! Seu idiota! 

- Olhe bem como fala, Min Yoongi! Você terá que pagar essa dívida nem que seja até o último dia de sua vida!

- Você já me tirou quem eu amava, do que adianta eu me importar com essa dívida agora?

- Adianta... -Jungkook se aproximou de mim e apertou meu pulso esquerdo. Ai, caralho. Tirou essa força do cu agora?!- Que seu pai lhe deixou essa dívida. E se você não pagar...sobrará para o seu amorzinho.

- NÃO FAÇA NADA COM ELE! JIMIN NÃO TEM NADA A VER COM ISSO!

- Jura? Você entrou na vida desse garoto e sabia que teria problemas. Então...por que continuou interferindo? Hã? -Aquela pergunta me atingiu como uma flecha. Eu não soube responder. Engoli seco e puxei meu braço- Não sabe responder, Yoongi? Isso não é normal. 

- O que eu terei que fazer aqui? Eu não conheço Seul.

- Você quer que eu faça tudo pra você agora? Já te dei uma casa de graça numa parte calma de Seul para não chamar atenção e ainda quer que eu te ajude mais? -Jungkook caminhou até a porta e abriu a mesma- A partir de agora é com você, Yoongi. -Ele saiu e me deixou sozinho. 

- O que eu faço agora? Meu celular! -Pus a mão nos bolsos e não achei nada, apenas um papel. O peguei e desdobrei.

Sabia que você iria procurar pelo seu amado celular. Mas, ele não está com você, não é? Eu fiz isso justamente para você não falar com ninguém. Você vai ganhar um novo, não se preocupe. Mas eu pedi a um amigo para configurar ele pra você. Você não vai poder falar com ninguém, apenas comigo.


Tchauzinho, Yoongi.

- SEU IDIOTA! VOCÊ ARRUINOU A MINHA VIDA! EU TE ODEIO JEON JUNGKOOK! -Me aproximei da porta e lhe disparei um murro. Encostei minha cabeça na porta e deixei duas lágrimas escorrerem por meu rosto- Não se preocupe, Jimin. Eu vou pagar essa dívida e voltarei para você. Eu prometo.

- Apenas mais uma de várias promessas que eu nunca vou cumprir... -O celular tocou indicando que era hora de começar o meu "trabalho". Voltei para a sala, peguei minha bandana preta e saí de casa. Tranquei a porta e fui para o apartamento ao lado. Apertei a campainha e aguardei que a porta abrisse- Está na hora, Tae.

- Eu não aguento mais, Yoongi.

- Temos que aguentar, TaeTae. Pelo menos, até  que tudo acabe.

- Tenho saudades do Hope. Eu queria ter falado uma última vez com ele... -Vi lágrimas surgirem nos olhos de Tae. Eu não gosto de ver seu rosto triste. Enxuguei suas lágrimas e dei um abraço rápido- Se lembra? Nada de lembrar das nossas vidas antes do serviço. Não podemos nos desfocar.

- Tudo bem. -Ele suspirou- Vamos logo, o nosso cliente passa daqui à poucos minutos.

Colocamos as máscaras cobrindo metade do rosto e pegamos o elevador. Eram duas da manhã, ninguém mais aparecia no prédio naquele horário, não havia chance nenhuma de alguém nos ver. Saímos do elevador e seguimos pelas ruas vazias de Seul, entrando num beco escuro e vazio, Tae limpava sua arma com um lenço que Hope havia dado para ele, enquanto eu observava meu reflexo pela faca. No exato momento esperado o garoto passou pelo beco. Ele ficou assustado e tentou mudar o roteiro de sua caminhada. Eles sempre fazem isso.

- Por que já está indo? Acabou de chegar. -Tae disse ficando na frente do garoto que tinha andado para o lado- Calminha.

- E-eu não tenho dinheiro.

- Mentir é algo bem feio. -Fiquei ao lado do garoto que mesmo com a luz baixa pude ver que suava frio- Você tem bastante dinheiro. Seu pai é um empresário bem renomado aqui em Seul.

- Eu não tenho nada! Meus pais morreram fazem cinco anos.

- Escuta aqui, você vai trazer 21269,40 Wons¹ pra gente amanhã. -Tae se aproximou do garoto, que deu um passo para trás.

- Mas, eu não tenho dinheiro algum. 

- Por que eles insistem em negar? -Coloquei minha faca no pescoço do garoto e Tae apontou a arma em sua cabeça- Você vai trazer esse dinheiro para nós amanhã, entendeu? E se não aparecer...nós vamos atrás de você. -Tirei a faca de seu pescoço, puxei seu pulso e fiz um "J", deixando as gotas de sangue caírem no chão- Vá embora e não conte sobre nós pra ninguém. -O garoto assentiu e saiu correndo daquele lugar, sem olhar pra trás e sem dizer nenhuma palavra- Aish. Eu sinto muito, garoto.

- Isso vai acabar logo, Yoongi. Eu promet...

- Já te disse que não gosto de promessas.

- Tudo bem. Vamos logo embora. Temos outras pessoas pra intimidar.

- Tem razão. Vamos.

[...]

Sete da manhã. Esse era o horário que eu sempre chegava. Depois de uma madrugada inteira fazendo o que odiava a manhã era o melhor momento do meu dia. Tae e eu estávamos no elevador esperando que o nosso andar chegasse. Parecia sempre mais demorado quando queríamos chegar em nossa casa. 15...16...17..18! Finalmente, nosso andar. A porta se abriu separando o meu destino do de  Tae. Com um sorriso bobo Tae entrou em seu apartamento. Fiz o mesmo e me joguei no sofá. O celular tocou e eu revirei meus olhos. Esse é o pior som que eu já ouvi! Olhei no visor e era o meu pesadelo. 

- O que quer?

- Que maneira mais fria de tratar alguém que gosta.

- "Que gosta"? -Soltei um riso sarcástico- O que você quer, Jungkook?
 

- Quero te encontrar no café próximo de onde você mora.

- Reunião de trabalho no meu tempo livre...

- Não disse que o assunto era trabalho.

- Então o que é?

- Eu só quero ver você, Yoongi.

- Já falou com Tae?

- Você é burro ou faz curso? Eu quero ver você, Yoongi. VOCÊ.

- Então é tipo um encontro?

- Eu não quis dizer isso!

- Demorei muito tempo pra perceber, mas eu sei distinguir o nervosismo na sua fala. 

- Cale essa boca, pigmeu. Quero você lá em uma hora.

- Tão cedo?! Acabei de chegar, preciso dormir.

- Por que acha que marquei para tão cedo? Eu sei que você não gosta quando interferem no seu sono. -Ele soltou aquela risada horrível para mim- Melhor se adiantar. 

- Seu filho da p... -Jeon desligou antes que eu pudesse xingá-lo até não ter mais voz- Tá... que roupa eu uso? Estou parecendo o Jimin. Ele era tão fofo quando indeciso... Aigoo, pare Suga! -Sorri pequeno- Você me deu esse apelido, ChimChim. Você ainda me chama assim? AIGOO! PARE DE PENSAR NISSO, YOONGI.

Fui para meu quarto e abri o armário. Uma vez por mês Jungkook fazia compras para mim e Tae, roupas novas era o que não nos faltava. Puxei uma skynni preta dos cabides e uma camisa branca. Tirei de debaixo da cama meu Converse preto. Deixei tudo em cima da cama e segui para o banheiro. Me despi e entrei no box, abri o chuveiro e deixei que a água caísse por meu corpo, tirando as lembranças da madrugada atordoante de minha mente. 

[...]

- O que quer, Jungkook?

- Já é a segunda vez hoje que você me trata mal. Estou ficando triste.

- Desde quando você tem coração pra ficar triste? - Me debrucei sobre a mesa e ele fez o mesmo.

- Desde que conheci você, pigmeu.

- Jura? Não pareceu.

- Eu sei. Não costumo demonstrar meus sentimentos.

- Você não tem sentimentos. -Jungkook revirou os olhos e se encostou na cadeira.

- Eu ia te dar um presente...

- Hã? Deu o cu nessa madrugada e resolveu depositar a felicidade em mim? 

- Idiota! Você já conseguiu me pagar metade da sua dívida.

- E?

- Eu vou deixar você falar com o seu amorzinho. -Arregalei meus olhos e por poucos segundos não consegui respirar. Meu coração parecia uma bolinha de ping pong, parecia querer sair de minha caixa torácica. Eu não sabia como estava minha reação, mas aposto que estava com uma cara idiota! Pela primeira vez eu fiquei contente por ver o sorriso de Jungkook- O que disse mesmo? "Você não tem sentimentos".

- Levanta, Jungkook.

- Hã?

- Se levanta logo, idiota. -Jungkook fez o que pedi e eu fiz o mesmo. Caminhei em sua direção, fiquei em sua frente e o puxei para um abraço. De primeiro instante ele não entendeu, afinal, seu corpo nunca havia entrado em contato com o meu, mas, logo seus braços contornaram meu corpo- Obrigado, Jungkook. 

- Eu tenho sentimentos. Não esqueça, Yoongi. -Ele se separou de mim e soltou um sorriso- Você me abraçou por livre e espontânea vontade, devia ter gravado. -Tava perfeito demais,Jeon Jungkook voltou a ser Jeon Jungkook. Revirei os olhos e me sentei.

- Quando vou falar com ele?

- No final desse mês.

- O QUÊ? MAS VAI DEMORAR MUITO!

- Você já está sem falar com ele à três anos. Alguns dias não farão diferença.

- MAS É CLARO QUE FARÃO! EU TEN... -Jungkook colocou sua mão em minha boca e arqueou as sobrancelhas.

- Dá pra parar de gritar? Tá todo mundo olhando.

- Tá. Eu tenho que falar logo com ele, Jungkook.

- Por que você sempre pede mais pra mim? Eu já vou deixar você falar com ele e ainda quer que seja agora? Não dá, Yoongi. E é melhor não contar pro meu pai que tô fazendo isso por você. Ok?

- Ok. Eu posso esperar...

- Que bom! Bem, tenho que ir agora. Pode dormir em paz quando chegar em casa. Eu já paguei nossos cappuccino's. 

Jungkook se levantou e foi embora. Voltei para meu prédio e entrei no elevador. Ele ficou 6 minutos parado no 26º andar. Tem alguém transando aí, na moral! 8, 9, 12 minutos se passaram e só então o elevador começou a descer. Quando chegou no térreo um casal saiu.

- Bom dia.

- Bom dia. -Entrei no elevador e fechei a porta- Seu batom tá borrado, amiga. Melhor concertar isso logo.

Finalmente o meu andar chegou. Bati na porta de Tae e ele abriu. Entrei sem que ele me convidasse e deitei no sofá. Eu sorria como nunca, o que deixou ele confuso.

- Cê tá bem, Yoongi?

- Eu nunca estive tão bem, TaeTae! Vem cá, deita aqui. -Fiquei próximo à beira do sofá, abrindo espaço para Tae. Mesmo sem entender ele deitou ao meu lado. Pus meu braço em volta do seu pescoço e o puxei para um abraço.

- Tá! O que você fez com o meu amigo?! A terra não tem nada de especial, invada outros planetas, Alien!

- Larga de ser besta, Tae! Eu tenho uma ótima notícia!

- Você vai sair desse lugar?

- Não. Eu vou conseguir falar com o Jimin!

- Não brinca! Que ótimo, Yoongi! Eu tô muito feliz por você!

- O Jungkook me deu esse "presente" por ter pagado metade da dívida.

- Yoongi, será que ele vai fazer isso comigo também? Eu sinto tanta saudade do Hope.

- Eu não sei, Tae. Mas como diria o Hoseok, "Vamos ter esperança!"

- Vamos. Sempre.


Notas Finais


¹ Equivale à R$ 60.000

Pois é, parece que o Suguinha não foi embora por querer! O Jimin devia ser empático. Sabe? Pensar no que podia ter ocorrido com o amor da sua vida.

Enfim, é isso!
Espero que tenham gostado!
Kisses ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...