História Desejo fora da lei (Imagine hot - Jungkook) - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais
Tags Bts, Hentai, Imagine, Jeongguk, Jungkook, Jungkook X Você, Policial, Shortfic, Shortimagine, Você, Xbaby
Visualizações 2.102
Palavras 1.594
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Helloooooo
Como estão???

Demorei? Talvez um pouquinho.
Mas enfim, dei o ar da graça kkkkkkk

Eu acabei de responder os comentários do capítulo anterior, porém, meu app está bugando. Então, caso eu não tenha respondido alguém, peço que me avisem e eu responderei!!!!!

Sem enrolação, vamos ao capítulo hahaha
Boa leitura e me desculpem por qualquer erro!!

Capítulo 5 - Prisão ou fuga?


Fanfic / Fanfiction Desejo fora da lei (Imagine hot - Jungkook) - Capítulo 5 - Prisão ou fuga?

— Eu preciso de um banho. — Jeon se levantou lentamente e caminhou até o banheiro.

— Eu também preciso. — exclamei, o ouvindo rir baixinho em deboche.

— Problema seu. — falou indiferente, me fazendo desejar ter uma arma em mãos.

— Desgraçado. — murmurei baixinho para que ele não escutasse.

Não demorou muito para que eu escutasse o barulho do chuveiro sendo ligado, essa era a minha chance de fugir daqui sem que ele percebesse. Olhei em volta, em busca de algo que me ajudasse a escapar, quando avistei a chave da algema jogada ao chão, perto da calça do moreno. Mas não importava o quanto eu me esticasse, eu não a alcançava de jeito nenhum e essa minha “luta” já estava durando a tanto tempo, que estava quase me fazendo chorar de frustração.

— Desista logo. — Jeon estava encostado no batente da porta, com uma toalha amarrada no quadril, me fitando de maneira divertida enquanto eu me matava para pegar a bendita chave.

— Eu não sou mulher de desistir fácil. — voltei a me sentar sobre a cama normalmente, olhando para ele com um sorriso convencido.

— Pude perceber, dado a sua teimosia.

Ele se vestiu rapidamente, sem ao menos tirar os olhos de mim. Provavelmente esteja com receio de que eu aprontasse alguma coisa, vai saber. Pegou a chave do chão e se aproximou de mim hesitantemente, retirando a algema da cabeceira da cama com agilidade, mas sem tirá-la do meu pulso, e depois se afastou, guardando discretamente a chave da algema no bolso da frente. Talvez pensasse que eu não estaria vendo ou talvez fosse mais uma de suas armadilhas.

— Se vista. — jogou as peças de roupas para mim e apontou sua arma em minha direção.

— Não quer me ajudar com isso? Meus pulsos doem. — pronunciei manhosa, tentando esconder a ironia na frase.

— Se não quiser ir para a delegacia pelada, acho melhor fazer o que eu mandei.

— Como quiser, papai. — eu o obedeci sem vontade, mas a última coisa que eu quero agora, é ser presa completamente nua. 

— Boa garota. Agora prende sua outra mão. — gesticulou com a arma e eu o obedeci novamente, mas prendendo-a de modo frouxo para que eu conseguisse me soltar sem dificuldade.

Deixamos o quarto e seguimos até a saído do hotel. Jeon se mantinha atrás de mim, segurando com firmeza em meu ombro e encostando o cano do revólver nas minhas costas, de maneira que eu não tinha como fugir. Todos a nossa volta nos olhavam abismados e cochichando baixinho, mas devo dizer que suas expressões de surpresa e medo eram muito hilariantes.

Fomos até o estacionamento, onde pegamos seu carro e ele fez questão de me ajudar a entrar, tento a certeza que a trava de segurança não me permitiria abrir a porta do lado de dentro. Eu parecia até uma criança, mas pelo menos, o moreno permitiu que eu ficasse no banco da frente. Ele deu a volta no carro e adentrou o mesmo me olhando com um grande sorriso vitorioso, perfeitamente esculpido em seus lábios.

— Chegaremos na delegacia em 20 minutos. — anunciou o maior, sem esconder sua alegria.

“Vamos S/n, pense rápido. Qual a melhor maneira de se enganar um homem?… Com sexo, claro!

"Sutilmente, levei minhas mãos até o botão de sua calça, mas antes que pudesse abri-la, fui impedida por Jeon, que me olhava de relance.

— O que pensa que está fazendo?

— Sabe, eu sempre quis fazer sexo oral num carro em movimento. — mordi meu lábio inferior antes de prosseguir. — E além do mais, eu nem pude fazer isso mais cedo.

— Para de graça. — voltou sua atenção para a estrada.

— Estou falando sério. Você poderia pelo menos me conceder esse último desejo já que vai me prender. — esperei ansiosa por sua resposta, porém, não havia recebido nenhuma.

Ele não aceitou, mas também não negou, ponto para mim.

Voltei a pousar minhas mãos sobre sua calça, abrindo o botão lentamente, esperando algum tipo de impedimento do maior, mas nada obtive. Invadi os tecidos de suas roupas, sentindo seu membro se enrijecer em minha mão. Olhei para Jeon e apertei seu membro, vendo o moreno deixar escapar um arfar entre dentes.

Abaixei sua cueca o suficiente para livrar seu membro de todos aqueles tecidos. Agarrei seu pênis e comecei a masturba-lo com maestria, sentindo-o endurecer cada vez mais em minha mão. Levei minha língua até sua glande inchada, fazendo movimentos giratórios e depois a chupando como se fosse um pirulito de morango.

Ao ouvir os gemidos roucos do moreno, voltei minha atenção para sua face, vendo-o morder os lábios com força e com sua mão livre, afrouxar sua gravata. E essa foi minha deixa para abocanhar seu membro por completo, deslizando meus lábios com facilidade por toda sua extensão.

Ele agarrou meus cabelos e pressionou minha cabeça contra seu pau, o fazendo tocar fundo em minha garganta. Era desconfortável no começo, mas logo me acostumei. Retirei minha boca de seu membro e a levei até suas bolas, dando uma atenção especial para aquela área, enquanto continuava o masturbando. Mas devo admitir que aquela algema dificultava muito o meu trabalho ali.

Quando ouvi os gemidos do maior se intensificando, voltei a chupa-lo, tentando ao máximo manter uma velocidade rápida. Eu já podia sentir o sutil gosto azedo do seu pré gozo em minha boca e também, suas veias saltadas deslizando por minha língua. Eu tentava engolir a maior parte de seu membro, colocando em prática a famosa garganta profunda, que pelo visto, estava deixando Jeon louco de prazer.

Não demorou muito para que eu ouvisse o urro do moreno, seguido por um jato quente e viscoso em minha boca. O qual eu tratei de beber tudinho, afinal, eu não queria sujar meu futuro carro. Aproveitei que ele estava distraído tendo seu orgasmo e discretamente, peguei a arma que estava ao lado de seu quadril, apontando para sua cabeça no mesmo instante.

— Para o carro. — ditei, o vendo me olhar com os olhos arregalados.

— Você só pode estar de brincadeira. — pronunciou com rispidez, socando o volante com brutalidade.

— Para o carro. — aumentei meu tom de voz, tentando passar autoridade e parece ter funcionado, já que ele me obedeceu. — Bom garoto. Agora desce.

— Não. — riu ironicamente e eu engatilhei a arma. — Você não teria coragem.

— Quer mesmo apostar? Nunca ouviu falar que pessoas fazem loucuras quando estão desesperadas?

Mesmo hesitante, Jeon desceu do carro. Mandei que ele se afastasse do mesmo e assim o fez. Eu pulei para o banco do motorista e girei a chave, ligando-o novamente.

— Sabe, a noite poderia ter terminado diferente se você não decidisse me prender. — balancei a cabeça em negação, ainda apontando a arma para ele. — É uma pena.

— É realmente uma pena. Eu iria cuidar pessoalmente de você na prisão e de todas as suas necessidades pessoais. — ergueu sua sobrancelha, rindo de modo sedutor. Ele está estranhamente calmo com toda essa situação. — Ainda dá tempo para mudar de idéia.

— Obrigada, mas eu dispenso. — sua expressão serena me intrigava, era como se ele esperasse que isso fosse acontecer, ou desejasse isso. — Você não iria me prender de verdade, não é?

Ele pensou por alguns segundos antes de me responder. — Iria sim. E acho bom você se cuidar, porque eu também não desisto fácil.

— Então acho que esse não é um adeus.

— Até logo, (S/n). — pronunciou simplista, esboçando um sorriso ladino.

Dei partida no carro e segui estrada afora, vendo o moreno acenar através do retrovisor. Não consegui controlar meu enorme sorriso ao lembrar de tudo que passamos juntos. Quem diria que em apenas duas noites e um dia, eu poderia viver tantas aventuras por conta de um único homem. Era engraçado pensar que talvez, só talvez, eu estivesse começando a cultivar sentimentos por ele. Mas de duas coisa eu tenho certeza, a primeira é que eu não o esquecerei tão cedo e a segunda, é que nosso desejo é fora da lei.

“Até logo, Jeongguk.”


POV JUNGKOOK


Avistei (s/n) indo embora com o meu precioso carro, e meu único arrependimento, foi não tê-lo colocado no seguro antes disso acontecer. Agora estou no meio da estrada, sem carro, celular ou dinheiro. Eu sei, eu sei, eu devo estar enlouquecendo por tê-la deixado fugir assim, sem ao menos ter tentado a impedir. Mas se eu o fizesse, teria que prendê-la ou justificar o motivo de não agir de tal maneira.

Minha vida nunca foi divertida ou surpreendente. Comecei cedo minha carreira de policial e até então, eu vivia somente para isso. Mas após conhecer essa mulher cheia de si e vivenciar os muitos problemas que ela me causou, percebi que eu precisava dela para dar uma “balançada” na minha vida.

Sempre serei grato a essa estrangeira por ter me permitido viver alguma aventura, mesmo que mínima. Só de lembrar na confusão que ela me causou em apenas duas noites e um dia, me fazia pensar em como seria se eu a tivesse ao meu lado por bons e longos anos. Mesmo que eu não tenha admitido, eu não seria capaz de prendê-la. Ela foi o mais perto de uma “paixão” que eu já tive e isso é muito preocupante, dado ao fato de que eu não a conheço nem a 48 horas.

Bom, agora que eu já perdi o emprego e a garota, preciso pensar em algo para me ocupar. Quem sabe virar um ladrão, talvez assim a minha sorte de encontrá-la novamente, se torne maior. Chega a ser engraçado pensar que eu estivesse gostando da mulher que eu deveria prender, mas é aquele ditado, nós não mandamos no coração.


Notas Finais


E entãaao? O que acharam do último capítulo dessa shortfic fic???
Espero do fundo do meu coração que tenham gostado e que eu não tenha decepcionado ninguém!!!!

Queria agradecer imensamente por todo carinho que essa fanfic e eu recebemos.
Eu fiquei muito feliz por saber que vocês gostaram dela e também me alegrei ao responder cada comentário!!!!
MUITO MUITO OBRIGADAAAAAA!!!!!!
EU AMO CADA UM DE VOCÊS!!!!!!
VOCÊS FIZERAM UMA ESCRITORA MUITO FELIZ ❤❤❤

LEIAM TAMBÉM::::
https://spiritfanfics.com/historia/game-over-imagine-hot--suga-9823285
https://spiritfanfics.com/historia/make-me-your-imagine-hot--jin-9713868

Não se esqueçam de seguir meu perfil para não perderem as futuras atualizações @xBaby

XOXO 💋❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...