História Desejo Impossível - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Kushina Uzumaki, Minato "Yondaime" Namikaze, Naruto Uzumaki, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Exibições 531
Palavras 7.710
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Ooi gente eu demorei desculpa.... Minha NET anda horrível, tá um caso sério. Obgada pelos comentários e os favoritos de vcs... P compensar o capítulo é um pouco maior q os demais rsrsrs... Lembrando que esse é o Penúltimo capítulo galerinhaa.... Espero q gostem... 😘😘

Capítulo 14 - Sentimentos ocultos ( a verdadeira Ino )1° parte cap. Final


Fanfic / Fanfiction Desejo Impossível - Capítulo 14 - Sentimentos ocultos ( a verdadeira Ino )1° parte cap. Final

Ino ainda estava zangada, sabia que aquela atitude do Naruto faria hinata ficar ainda pior do que já
estava, não era para ele ter sido tão frio com sua prima, ela o repreendia ao telefone enquanto estava no carro com Sai.

— Não precisava ter sido tão indiferente, agora a hina não quer nem sair do quarto, está lá desde ontem. O casamento é amanhã, e ela ficou muito depressiva eu não queria ela desse jeito.

— Ela ficará bem, olha eu... me assustei quando vi vocês lá! Eu não a via a dois meses e fiquei desconcertado, não soube reagir a presença dela, achei melhor ir embora depressa... — respondeu ele — desculpa Ino, sei que agi muito mal; mas também não podemos arriscar que ela desconfie de nada, você sabe mais do que ninguém que hinata é muito instável, precisamos ter cautela, você deve agir com ela naturalmente, também não
gostei de tê-la magoado — Naruto respondeu com um suspiro longo — Deixe-a ficar onde está, pelo
menos até amanhã!

Ino assentiu concordando e logo perguntou:

— Tem certeza do que pretende fazer? A reação dela não vai ser das melhores! Aliás a reação dela não
vai ser nada segura pra você!

— Estou ciente disso, mas não se preocupe, farei dar certo.

— Ainda acho essa sua idéia muito louca e arriscada! Não sei se tem necessidade disso Naruto! Hinata
pode me odiar quando ela souber que estou envolvida.

— Tenho certeza que isso não vai acontecer!

— ... Ainda assim, estou um pouco receosa, não quer pensar em fazer alguma outra coisa? Tem mesmo
que ser desse jeito?

— Sim, precisa ser desse jeito, nós dois a conhecemos bem, ela é teimosa demais nunca me ouviria,  se eu fizesse de uma maneira mais simples, não adiantaria nada.

— É ... Tem razão!

— Hinata precisa voltar a ser tudo que você me disse que ela já foi um dia. Sei que não é fácil para ela
esquecer tudo que viveu ao lado do Uchiha, mas farei de tudo para que ela consiga; Eu a amo de qualquer jeito, mas quero conhecê-la novamente, quero conhecer esse outro lado da minha Hinata, o
lado que ainda não conheci, o que ela perdeu quando aquele imbecil cruzou seu caminho.

Ino suspirou e respondeu:

— Se... Você tem tanta certeza disso tudo bem, vou ajudar com o que me pediu antes; Só espero não me arrepender disso depois. Mas você lembra das condições que eu impus quanto a esta loucura não
lembra?! é melhor cumprir.

— Você tem minha palavra! Sabe que pode confiar em mim. — Respondeu sincero. — Preciso terminar de preparar algumas coisas.

— bom então a gente se fala depois. Boa sorte amanhã, você vai precisar!. — despediu-se e desligou o celular, enquanto Sai estacionava o carro já em frente ao apartamento de Ino, ele olhou para sua noiva e sorriu pois ela estava roendo as unhas como sempre fazia quando ficava nervosa, e parecia que sua mente estava longe dali.

— Você fica linda assim, parece uma menininha. Mas... A manicure vai brigar com você quando for fazer as unhas para o nosso casamento amanhã, deixe um pouco de unha pra ela também. — brincou, vendo-a rir do comentário.

— Preocupada? — perguntou.

— A hinata não está bem. Está cada dia mais abatida. E o Naruto com essa ideia maluca... —Suspirou profundamente deixando a frase morrer.

— Por que não pede pra ela ir ver um médico?

—Eu já tentei, mas é muito teimosa, diz que o que ela sente nenhum médico pode curar! E também não permitiu que eu ligasse para nenhum ir vê-la. —respondeu. — E quanto ao que Naruto pediu?

— Já cuidei de tudo. Agora o resto é com ele, nós já fizemos nossa parte, quer dizer, Quase; ainda falta o principal, que é com você!

— Desculpe estar sendo chata, é que a hina já sofreu demais. Espero que ele realmente a ame como diz ou vou me arrepender muito disso.

— Não se preocupe tanto, e você não está sendo chata, está fazendo isso porque quer ajudá-la, afinal são como irmãs, também quero que tudo se resolva logo entre eles. E quanto ao naruto, fique tranquila, tenho certeza que ele ama hinata de verdade.

— Como pode ter tanta certeza disso? — Perguntou desconfiada.

Sai sorriu, e devolveu um olhar tão intenso que a fez ficar sem graça.

— Eu tenho certeza porque eu já vi; Naruto fala e a olha pra ela com a mesmo brilho e admiração que
estou olhando pra você agora... — Respondeu acariciando o rosto de Ino enquanto olhava em seus olhos.

— Tenho medo que você se arrependa.

—  De que?

— De se casar comigo... Como você quase nunca fala o que sente, não sei... Fico um pouco perdida. — confessou ela.

— É eu, sei que sou um pouco fechado pra mostrar minhas emoções e pra dizer o que sinto, mas saiba que estou muito feliz, eu não poderia ter escolhido mulher mais linda, e admirável no mundo pra ser minha esposa. E eu jamais vou me arrepender disso, você foi a melhor escolha da minha vida e eu te amo muito — Disse dando um beijo em suas mãos logo em seguida.

Ino sorriu, e abaixou a cabeça corando um pouco o que fez Sai rir  do tom rubro das suas bochechas.

— Não sabia que você corava. — disse divertido.

— Acho que convivi muito tempo com a hinata. — brincou, olhou novamente pra ele dizendo — também não poderia ter escolhido alguém mais perfeito pra me fazer feliz. Amo você!

******★*******★******★****

Podia até parecer confiante e certo do que faria, mas Naruto receava tanto ou até mais do que Ino;
estava deitado em sua cama, enrolado apenas com uma toalha branca na cintura, não conseguia dormir, seus pensamentos estavam quase deixando-o louco; receava ser rejeitado por ela outra vez e se isso acontecesse não saberia mais o que fazer, Hinata sempre acreditara que seus sentimentos por ela nunca havia passado de um mero desejo carnal, e mesmo que ele já tenha dito a ela com todas as letras que a amava ela parecia não acreditar, mesmo que ela tenha superado a barreira do contato físico, ainda parecia ter medo, então aquela não era a única barreira que ele deveria ter quebrado; existem muitas
outras, e o medo era só mais uma delas. Ainda tinha o fato de ela não poder ser mãe; claro que ele não
nega que gostaria de ter filhos um dia e ter uma família, mas não se importaria de viver sem um filho;
Se ela estivesse ao seu lado já se sentiria realizado; Não foi decisão dela não poder engravidar mais,
e como havia dito para Ino, poderiam adotar um bebê se quisessem, não conseguia entendê-la... ; por que raios Hinata pensava que ele seria mais feliz com outra mulher?! Se era ela quem roubava seu sono?, se era ela quem invadia seus pensamentos a cada segundo? Por que raios ele
seria feliz com outra mulher, se era ela quem ele amava?

Tinha certeza que hinata também nutria esse sentimento por ele, porém pensava que o medo dela, deveria ser de aceitar o casamento e Naruto abandoná-la depois  quando quisesse um filho legítimo. Querendo ou não Hinata ainda tinha o pé atrás com os homens, precisava encontrar uma forma de provar a ela que isso jamais aconteceria, de provar que a amava de verdade, e toda essa loucura que armou fora um jeito desesperado e até insano de tentar convencê-la disso, claro que ela ficará zangada e até “perigosa ” de uma certa forma no começo, porém acreditava que a raiva passaria depois, precisava fazê- la enxergar, fazê-la voltar a ser quem foi um dia, sentia falta dela como nunca sentira antes por nenhuma mulher.

Seus pensamentos foram interrompidos pelo barulho da campainha, achou estranho pois não estava esperando por ninguém, muito menos às 01:00 da madrugada. Levantou-se e apenas vestiu o roupão branco, saiu do quarto e foi em direção a porta do apartamento, assim que abriu se amaldiçoou em pensamento por
não ter visto quem era antes!

A mulher a sua frente vestia um vestido preto de alcinhas, era muito curto e bem justo ao corpo, ela tinha um sorriso malicioso nos lábios. Naruto não se surpreendeu, sabia que isso ainda acabaria acontecendo. Respirou fundo e disse sem esconder o desânimo por vê-la.

— Sakura!

— Oi, espero não ter acordado você! — disse em um tom sedutor.

Naruto suspirou novamente e perguntou sem interesse:

— O que você quer?

— Isso não é jeito de tratar uma visita! Não seja mal educado; Não vai nem me convidar para entrar?!

— Uma visita à uma da manhã? Claro, é uma honra receber visitas tão encantadoras a essa hora. —
Respondeu sarcástico.

— Eu me convido então! — ela disse já passando por ele e entrando!

Assim que ela entrou, Naruto a viu sentar no sofá e cruzar as pernas de forma sensual fazendo o vestido subir e ficar ainda mais curto, ela apoiou a cabeça nas mãos e sorriu
chamando-o com o dedo indicador.

— Vai ficar aí parado de pé me olhando? Anda fecha a porta, vem me fazer companhia... — disse
provocativa.

Naruto fechou a porta impaciente e se aproximou da sala, permaneceu afastado dela e continuou de pé,
seu olhar estava sério e não parecia ter se interessado nas insinuações de Sakura, cruzou os braços frente ao corpo e perguntou novamente:

— O que você quer?

— Primeiro eu gostaria de um copo de Uísque ou um vinho, depois a gente vê o que mais eu vou querer...

— Não tenho mais Uísque e nem vinho, eu não bebo mais.

— Desde quando? — perguntou irônica!

— Decidi a poucos dias!

— Logo você?! Uau... que mudança drástica, está querendo impressionar alguém?! Nem parece você falando Naruto. — Respondeu sínica.

— vou perguntar outra vez, o que você quer aqui?

— Nada de mais, só queria te ver, fiquei com saudades, e o que quero não é nada que você também não
queira. — Disse maliciosa enquanto passeava a mão sobre suas pernas para provocá-lo.

— Achei que tinha sido bem claro com você aquela noite, que não temos mais nada. Não quero nada,
nem com você e nem com nenhuma outra mulher que não seja a que eu amo.

Sakura deu uma gargalhada alta e  sarcástica, e continuou:

— A que você ama? Ainda está com aquela história que me contou com aquela... Pobre coitada?

— Cuidado com o que fala! — disse sério.

— Para Naruto, te conheço a vida toda praticamente, você não sabe o que é amar uma mulher, você é
como se fosse um segundo Sasuke da vida, só quer diversão, vale tanto quanto ele valia.

— acha que só por que me divertia com você, vou me divertir também com quem tem valor? Não, você
não me conhece! E outra coisa, não me compare com aquele desgraçado. Ele destruiu a vida da hinata.

— Acho que não era bem isso que saía nos jornais. Aquela coisinha ridícula, que você diz estar apaixonado foi quem deu o golpe do baú no Uchiha, e você está tão cego que não enxerga que ela quer
fazer o mesmo com você.

— Veio mesmo aqui só para insultá-la? Dobre bem a língua antes de falar dela, hinata não é igual a você; é melhor ir embora  antes que se arrependa. — Respondeu em tom mais alterado.

Sakura levantou-se e foi se aproximando dele com um sorrisinho sínico nos lábios, sem se importar com o tom de voz alterado de Naruto.

— É claro que essa garota não pode ser comparada a mim, sou uma mulher de verdade, sou mais bonita, mais gostosa, mais inteligente, sou tudo que aquela lá nunca poderá ser, ela é uma coitada que não conseguiu toda a herança do Sasuke como queria, e agora está tentando ter a sua, ou ser famosa desesperadamente.

— Sakura vai embora, ... Não quero perder a paciência com você! está falando da mulher que eu amo e vai acabar se arrependendo e ouvindo o que não quer!

— Para vai..., eu sei que você não ama essa mulher, não precisa atuar pra mim Naruto, eu te conheço, você só quer um pouquinho de diversão, uma carninha nova e fresca, quer provar de todos os pratos e ela por enquanto é sua refeição favorita!! Mas eu....— ela
tocava o peito dele sobre o roupão com as unhas e as deslizava suavemente.— sou a mais gostosa. Não quer trocar uma mulher como eu por uma qualquer! Mas vamos deixar ela pra lá, estou bem aqui só pra você, e desde que cheguei não parou de brigar comigo... Está tão tenso e tão hostil, sei exatamente do que você precisa. — sussurrou provocante.

Ela fez com que ele descruzasse os braços e colocou as mãos frias e macias por dentro do roupão,
deslizando-as por todo o peitoral forte e bem definido de Naruto, descia uma das mãos atrevidamente até certo ponto do abdômen e subia novamente, levou-as até os ombros e virou-se de frente para suas costas fazendo uma massagem suave.

Naruto sentiu ela encostar a boca em seu ouvido, e dizer em voz baixa:

— O que você quer que eu faça para diminuir essa tensão? Sei que como homem não pode resistir a mim, não dessa vez, não vai me rejeitar novamente, não comigo desse jeito. — ela mordeu a orelha dele suavemente e continuou — Você precisa de uma mulher que possa te dar prazer de verdade, e eu — sorriu — preciso de um homem que saiba me fazer sentir viva como só você faz. O que quer que eu faça pra você? Eu sei o que você quer, te conheço muito bem, mas quero ouvir da sua boca.

— Quer é?! — ele virou-se de frente para Sakura e sorriu safado, a puxou pela cintura e a imprensou contra parede da sala, vendo-a sorrir pressionou seu corpo ainda mais ao dela e deslizou as mãos por toda extensão de sua coxa de forma atrevida, levantando ainda mais o vestido que ela usava, subiu as mãos até o bumbum e apertou forte, ouvindo-a soltar um gemido, Naruto direcionou os lábios para o pescoço de Sakura e deslizou-os suavemente sem deixar a boca encostar totalmente na pele, deixando-a arrepiada apenas ao sentir seu hálito quente sobre seu pescoço, ele desceu as alças do vestido dela com os dentes e sorriu ao ver os seios expostos já com os bicos rijos em excitação antes mesmo de ele tocá-los. Mas ele não os tocou, queria provocá-la como podia, direcionou a boca para os lábios de Sakura e acariciou seu lábio superior com a língua mordendo levemente em seguida, isso a fez suspirar gemer baixinho deixando-a na expectativa de um beijo, Naruto sorriu com satisfação ao perceber através da respiração ofegante e trêmula, que Sakura já estava muito excitada, apenas com o simples toque dele em seu corpo, antes de beijá-la direcionou sua boca até sua orelha dando uma mordida de leve e disse em seu ouvido logo depois com a voz baixa e provocante:

— Então você Sabe o que quero que você faça pra mim hum?

— sei, mas eu quero ouvir você dizer... Faço tudo que você quiser naruto, tudo! — Respondeu cheia de desejo.

— Faz mesmo?

— Qualquer coisa, eu sou louca por você, sabe disso. —Respondeu com a voz trêmula e ofegante.

Sem tirar os lábios do ouvido dela, Naruto pegou as duas alças do vestido e os subiu novamente por
seus braços, logo o tecido preto voltou a cobrir os seios de Sakura, ele sussurrou em voz baixa mas de
forma clara:

— Eu quero que você vá embora agora. E não volte! Faz isso pra mim?!

— O quê? — Perguntou desorientada e totalmente confusa.

Naruto Afastou-se totalmente e disse com um sorriso tão sínico quanto o que ela tinha nos lábios
quando chegou:

— Não escutou?! Vou ter que repetir em voz alta? Muito bem; Eu quero que você vá embora agora
mesmo, e não volte nunca mais.

Ele não se importou com a expressão de ódio em seus olhos, e até imaginou ter visto lágrimas neles.

— Quem você pensa que é pra me humilhar desse jeito? Você não pode... — Começou a dizer com raiva, mas foi interrompida por ele.

— Eu? Não fiz nada! Apenas mostrei o tipo de mulherzinha barata, que você é — sem precisar alterar a voz continuou — mostrei a verdade; você não é irresistível Sakura, é só qualquer uma, e é completamente descartável e substituível... Sabe o que eu senti enquanto tocava em você agora?! Absolutamente nada... sabe por quê não senti nada?! ... Porque meu corpo agora só corresponde ao toque de uma mulher, não
consigo sentir nada com nenhuma outra... e com você Sakura?! ... Sinto menos do que nada. — ele continuava dizendo com desprezo — Está certa, ela não pode ser comparada com você, hinata é como um diamante único valiosíssimo, e você não passa
de...uma réplica de bijuteria barata. Se engana muito se pensa que é mais bonita ou inteligente, se fosse mesmo inteligente não teria vindo até aqui para insultá-la na minha frente; ela não é uma qualquer, mas você é!

— cale-se... — gritou Sakura.

Naruto a ignorou e continuou dizendo:

— Pode até ter dinheiro Sakura, ser uma atriz de sucesso, ter milhões de fãs mas você nunca....nunca chegará aos pés da hinata;  acho que você só tem fãs porque... é uma atriz, nenhum deles te conhecem de verdade, não sabem quem é a verdadeira Haruno Sakura por detrás das câmeras, não
sabem o quanto você é baixa e interesseira, ou o quanto é insignificante como mulher.

— Eu mandei se calar — respondeu ainda mais alterada seus olhos soltavam fagulhas de ódio, junto com as lágrimas.

Assim como da primeira vez Naruto não se importou com os gritos e sorriu continuando a dizer:

— Também está certa quando falou que você é o que ela jamais poderá ser, não é o estilo dela ser uma vagabunda; hinata tem o coração puro, cheio de bondade é linda por fora e por dentro, é uma mulher admirável, não existe possibilidades de ser comparada com você.

— Cala a boca! — Gritou Sakura mais uma vez aos prantos — Já chega, você não vai continuar me humilhando dessa maneira.

— Ah, vai se fazer de vítima agora? Avisei pra ir embora antes, agora não venha me dar uma de garotinha ofendida! — Disse zangado!

— fala tudo isso de mim, mas bem que você gostava... E até me procurava!

— É procurava, mas isso foi antes, e não gostava de você como mulher nunca gostei. Apenas me divertia em momentos de tédio, e sabe.... — ele deu uma pausa e sorriu  — por várias vezes precisei procurar outra porque você não é tudo isso que pensa que é! Como eu disse antes você é uma qualquer completamente substituível.

Sakura sorriu em meio as lágrimas se aproximou bem dele e disse cheia de ódio sem se importar com as palavras e o cinismo:

— Por que você não abre os olhos? Essa deusa que você tanto defende é uma completa interesseira; veja
tudo que ela tentou pra conseguir a herança do Sasuke?! Se casou apenas para ganhar dinheiro no
acordo de divórcio, engravidou e depois veio com a historinha de que perdeu o bebê porque ele a
violentava, ela deve ter ganhado muito dinheiro fazendo essas chantagens baratas a ele, e sempre tem um idiota como você para acreditar e virar uma presa fácil pra...

— Espera um pouco, como você sabe disso? — perguntou sério, interrompendo-a.

— Sei do quê? — Respondeu fazendo-se de desentendida!

— Como sabe do bebê, e dos abusos sexuais que ela sofria?
Sakura enxugou os vestígios das lágrimas e hesitante respondeu inquieta. Havia falado demais.

— Ora, ... Todo mundo sabe, foi divulgado nos jornais. Sobre o bebê e sobre .... As falsas acusações de
estupro. Foi o grande assunto de dois anos atrás.

Naruto a olhou seriamente, e foi caminhando em sua direção, dizia conforme se aproximava:

— Não, isso jamais foi anunciado! É algo íntimo da história dela que apenas a prima dela e eu sabemos,
Hinata nunca denunciou o Sasuke! Ela não gosta de publicidade, duvido muito que iria querer mais um monte de jornalistas atrás dela por causa desse assunto, e o bebê a mesma coisa, ela jamais anunciou a
gravidez a imprensa, e muito menos disse que perdeu por causa dos abusos constantes, o desgraçado morreu como se fosse um santo, sem uma única ficha suja. Como sabia disso? Do que você sabe?

— Eu... Só deduzi, só isso!

— mentira! Diga a verdade.

— Não tenho obrigação de contar nada pra você...

— Mas vai...

— E quem vai me obrigar? — perguntou sínica.
— Eu vou...

Naruto a empurrou rapidamente até a parede e pressionou a mão sobre o pescoço dela com certa força não para enforcá-la, apenas o suficiente para mantê-la presa!

— Está me machucando!

— Não, eu não estou... Ainda não! Só está presa, e só vai sair daqui depois que me contar como sabe
dessa história!

Sakura hesitou um pouco e respondeu:

— Pois bem... Quer saber como sei?! Vou dizer; ... eu era amante do Sasuke na época que ele se casou com aquela idiota, e ele me contava tudo que fazia com ela, eu era a única que ele confiava pra me contar essas coisas, eu era sua amante confidente, ele me disse da gravidez, e quando ela estava grávida ele tinha a empurrado um pouco forte demais enquanto tentava nas palavras dele “ Ter o que era seu por direito de marido” — ela respondia tranquilamente —  a sonsa caiu e escorregou na escada, foi um acidente não foi culpa do Sasuke, nada de mais, depois disso ela fugiu da casa. —
E sabe o que mais Naruto?... Foi eu que sugeri que Sasuke mandasse o
amigo dele Roland Spencer ir para o quarto ficar com ela, eu apenas dei uma sugestão; Sasuke adorou a
ideia e a acatou pra que ela não ficasse sozinha. — Falava com um sorriso maldoso.

— O quê? Você?! — Disse espantado com o que ela dissera, e a raiva foi se tornando cada vez mais forte com cada palavra que continuava a sair da boca de Sakura.

— Eu era a mulher que Hinata viu na cama com ele um dia depois do casamento, . ela não me reconheceu porque eu estava um pouco diferente do que sou hoje e também mal nos olhou; mas me diverti muito com a carinha de cachorrinha abandonada que ela fez, — Sorriu mais ainda, lembrando da cena —  principalmente quando ele disse que ela era uma puritana, e não precisava dela naquele momento
porque já tinha conseguido o que queria. E que era péssima na cama, coitadinha! — Sakura soltou uma
gargalhada que fez Naruto ficar com mais raiva ainda, seu ódio era tão grande que começou a sentir seu corpo tremer, ele forçou a mão contra o pescoço dela fazendo-a parar de rir, enforcando-a.

— Naruto, para está me sufocando... — Disse Sakura com a voz quase inaudível, tentando retirar as mãos
dele de seu pescoço.

— maldita! Você é pior do que eu pensei! — Disse enquanto forçava sua mão cada vez mais contra o
pescoço de Sakura. Naruto precisou ter muito autocontrole para não matá-la ali mesmo, e antes que seu último fio de raciocínio se desfizesse ele a soltou com brusquidão, vendo-a arfar e tossir a procura de ar!

— Seu louco — disse ainda rouca, tossindo em meio a respiração descontrolada — quase me matou!

— Vontade não me faltou, acredite — Respondeu ainda tentando controlar sua raiva. — O que mais você sabe?

— Não sei de mais nada; Depois que ele morreu eu, não soube mais sobre isso; — Depois de um tempo
com a respiração normalizada prosseguiu voltando seu sorrisinho irônico ao rosto — Fiquei surpresa
quando vim aqui em seu apartamento te entregar a chave e a vi, eu disse que não sabia quem ela era; mas claro que eu sabia, como eu poderia esquecer daquela cara de mosca morta?!

— Vai embora, tenha essa decência antes que eu faça coisa pior.— Disse caminhando até a porta e abrindo-a.

Ela se aproximou da porta mas não saiu e sim a fechou novamente, Sakura o olhou com tristeza nos olhos e disse:

— Naruto, eu não sou perfeita, também tenho meus erros! Me escute por favor, sei que você não vai acreditar em mim mas... Preciso tentar, não posso mais esconder isso — Sakura mordeu o lábio inferior e prosseguiu —  sou perdidamente apaixonada por você Naruto...não posso e não quero te perder para aquela mulherzinha! — Lágrimas começaram a cair dos seus olhos verdes — Eu te amo, vim até aqui disposta a revelar o que sinto de verdade, mas você só fala dela. Isso magoa, chateia. Todas aquelas coisas horríveis que você disse agora a pouco pra mim me machucaram demais; — soluçou em meio as lágrimas — Não sou uma qualquer, nem sou descartável, eu sempre te amei sempre quis ficar ao seu lado,
mas você... Nunca quis nada sério comigo;... Eu sonho em me casar, ter uma família, mas você nunca me propôs isso, então tentei te esquecer com outro, mas nunca consegui. — ela abaixou a cabeça e prosseguiu — Pode não parecer mas eu estou sofrendo muito por te amar, sofro por dentro, calada ; Você é o único que consegue fazer eu me sentir realizada e feliz acredite em mim! Por favor me dá essa chance, eu posso fazer você esquecer essa mulher, não quero mais só um caso — Sakura parou e enxugou um pouco das lágrimas que caíam, olhando-o novamente.  — Eu te amo Naruto. —

Naruto ouviu tudo seriamente com uma das mãos segurando o queixo, quando Sakura terminou de falar
ele riu sarcasticamente e bateu palmas pra ela:

— Bravo! parabéns Sakura! Você realmente é uma atriz impressionante, quase me convenceu! Não trabalho com você a algum tempo não é?! Tinha me esquecido de como você é talentosa; mas acho que
você também se esqueceu que temos a mesma profissão. Acha mesmo que vai me enganar com isso? E você ainda diz que me conhece?!...

— Eu estou falando a verdade... Não atuando naruto, eu amo você!

— Claro que ama — sorriu em desdém — o que você mais ama em mim? Meu apartamento? O de
que cidade você gosta mais? ... Ama meu dinheiro,... Imagino o quanto está sofrendo! Acredito em você.

— Não preciso do seu dinheiro, sou muito bem realizada financeiramente, sou tão rica quanto você! Só...

— Eu sei! Mas quanto mais dinheiro melhor pra você, não é? Nunca está satisfeita, sempre foi ambiciosa.
Você acusa a hinata só que você é a interesseira aqui, seu noivinho milionário te largou por uma modelo mais bonita e mais jovem e assim não conseguiu ter o dinheiro que queria, você sim se casaria apenas pra ficar melhor ainda de vida depois do divórcio. Agora pensa que pode conseguir alguma coisa comigo? Achou o quê? Que eu me apaixonaria por você e te pediria em casamento se você viesse fazer esse teatrinho?... Não me faça rir, você só serve pra diversão é o que eu e todos os meus amigos dizem, não existe nenhum deles que nunca tenha te tocado.

Com muito ódio ela enxugou as lágrimas e começou a pesar suas palavras sem pensar:

— Você não acredita em mim, no que sinto por você, mas acha que aquela lá é uma santinha?! Sabe o
que o Sasuke me disse uma vez? — Ela esboçou um sorriso maldoso — Ele me disse que a possuía a
força porque ela gostava, porque ela queria assim, porque ela pedia!...

—cala essa boca! Não diga o que você não sabe — gritou completamente alterado.

— Sabe o que mais?! Eu penso que... Bom sua queridinha é interesseira sim, e ela ganharia muito dinheiro com o acordo do divórcio, mas Acredito que ganharia muito mais se fosse viúva não acha?! E mais ainda
se um médico muito bem pago atestasse a perda do bebê por maus tratos ou violência sexual.

— O que está insinuando? — perguntou com voz muito alterada.

— Ora o óbvio, eu não duvido nada que aquela coisinha, tenha matado o Sasuke forjado o acidente e
abortado o próprio bebê só pra con... — Não pôde terminar a frase pois sentiu sua face esquerda arder e seu corpo cair ao chão com a forte bofetada que Naruto investiu contra ela, completamente tomado pela raiva.  Sakura ainda no chão colocou a mão sobre a face esquerda, e o olhou assustada, estava tremendo e seus olhos lacrimejaram, jamais imaginou que Naruto faria algo assim, por mais nervoso que estivesse.

— Como... como se atreve ...! — Disse com a voz embargada e trêmula.

Naruto tentava com todas as forças se controlar para não fazer nada que se arrependesse depois,
mesmo com a paciência no limite disse com calma estudada:

— Eu nunca levantei a mão para uma mulher, não sou esse tipo de homem e nem seria diferente do
Sasuke se eu fizesse isso, fui muito bem educado pelos meus pais;  Mas você não é uma mulher Sakura,
então não merece ser tratada como uma! Uma cobra venenosa, é isso que você é, e em cobra venenosa a
gente não bate, mata! Portanto é melhor ir embora agora, porque se você abrir essa boca imunda pra
acusar a hinata de uma atrocidade dessas outra vez... Eu juro que vou matar você!

Sakura levantou-se do chão e se aproximou de Naruto com um olhar lacrimejado mas ameaçador, e
antes de sair olhou bem para ele:

— Você vai se arrepender por isso! Vai me pagar muito caro por essa humilhação; No dia em que você se sentir mais feliz e completo eu vou tirar tudo de você Naruto! Vou tirar de você aquilo que você mais ama, e vai ser infeliz pro resto da sua vida! Vou adorar destruir cada pedacinho da sua felicidade...

Sem mais paciência para aturá-la Naruto a puxou com força pelo cabelo.

— Não tenho medo das suas ameaças! — ele abriu a porta novamente e a jogou pra fora do
apartamento fazendo-a cair no corredor.

— Você vai me pagar! Eu juro!

Foi a última coisa que escutou Sakura dizer antes de fechar a porta na cara dela!
Naruto escorou-se e respirou fundo para tentar se acalmar, ninguém nunca o tinha tirado do sério daquela maneira. Se amaldiçoava internamente por um dia ter tido qualquer coisa com aquela mulher.

Com certeza seu pai o repreenderia por ter feito as coisas como fez, mas não teve mais paciência, estava no limite e não conseguiu mais controlar sua raiva; Não restavam dúvidas de que Sakura era uma cobra venenosa, e apesar das ameaças que acreditara serem ameaças vazias, esperava não ter que vê-la nunca mais!

*****★*****★*****★*****★

Sentada em sua cama e com os olhos fixos no espelho hinata olhava seu reflexo, um reflexo que a muito não via, precisava admitir, estava muito bonita naquele vestido azul que fazia o contraste perfeito com a cor de seu cabelo escuro, mesmo com a sandália alta o vestido ainda arrastava um pouco ao chão, seu cabelo estava preso com uma linda tiara de flores prateadas, em um coque elegante, apenas uma mecha da franja descia por um lado de seu rosto e algumas mechas soltas do coque estavam transformados em belos cachos grossos que desciam até a altura dos ombros. fez uma maquiagem leve nos olhos e passou um batom clarinho com pouco gloss.
Passou um perfume suave pois não estava se dando muito bem com cheiros fortes ultimamente. Estava pronta para o dia mais feliz daquela que havia sido sua irmã de coração  durante toda sua vida. Seu coração encheu-se de orgulho e felicidade por ela, Ino merecia toda a felicidade do mundo.
Mesmo sem querer acabou se lembrando com tristeza do dia do seu casamento com Sasuke, e de como havia ficado radiante em alegria, pensava que tinha escolhido o homem dos seus sonhos, que aquele era o príncipe encantado dos contos de fadas que ouvia sua mãe contar quando criança. Como sofreu, ao descobrir que esse príncipe não existia, que os contos de fadas realmente eram apenas “contos”. E descobriu da maneira mais dolorosa possível; sentiu na pele quem realmente era o homem que tinha se casado, viu a verdade que estava escondida atrás daqueles sorrisos e palavras lindas de amor, despertou do sonho e fantasia ilusória que seu ingênuo coração criara, para viver o maior pesadelo de sua vida. O “príncipe” que desgraçou sua existência até mesmo depois de sua morte.

Respirou fundo e enxugou as lágrimas que queriam saltar dos olhos devido as más recordações,
não queria chorar, não naquele dia, não no dia mais especial de sua querida “irmã ”.
De repente seus pensamentos tomaram um outro rumo e ficaram submersos em outro mundo, sua mente vagou por lembranças de uma época bem distante daquela que viveu. O sonho que teve com sua mãe durante a noite fez com que a saudade que sentia dos pais batesse mais forte dentro do peito. Tentava entender o significado do que ela lhe dissera naquele sonho, não fazia muito sentido eram palavras desconexas, parecia ser tão real, tinha ficado tão feliz em vê-la que se desapontou ao acordar e voltar ao seu mundo.
Mesmo sabendo que tinha fotos deles guardadas, parecia que estava se esquecendo dos traços
delicados e gentis do rosto de Nathy e o semblante severo mas ao mesmo tempo acolhedor e carinhoso de Hiashi. Lembrou-se dos pais de Ino e sorriu com a recordação de seu tio Inoichi debochando dela ainda criança por ela ter ficado com medo de descer no escorregador por causa da altura, mas também lhe dando coragem e a ensinando enfrentar aquele medo infantil e inocente. Sorriu quando lhe veio em
mente as travessuras que aprontava com Ino, e como sempre Ino estava a frente de cada uma delas, sua prima sempre fora custosa, hinata nem tanto, mas seguia todas as loucuras que Ino fazia. O pequeno sorriso ainda estava em seus lábios quando ouviu alguém bater na porta do quarto;

Ela se levantou e a abriu ficando encantada ao vê-la:

— Ino,você está ...linda... Maravilhosa!  — Disse ela com um lindo sorriso!

— Estou bem mesmo hina? —Perguntou um pouco sem graça pelo comentário!

— Bem? — hinata a puxou pelo braço até que ela ficasse de frente ao espelho do quarto — olha pra você está... deslumbrante. O Sai vai ficar boquiaberto quando vê-la. Aliás todos os convidados ficarão, está mais do que perfeita.

O longo vestido de noiva não era muito rodado pois Ino dizia que não fazia seu estilo usar um assim, mas
desenhava seu corpo lindamente era no estilo sereia feito com belíssimas pedras na região do busto e bordado em rendas delicadas sobre o tecido branco até os joelhos, dos joelhos para baixo apenas a renda era trabalhada em uma forma de saia mais rodada até arrastar um pouco ao chão, os cabelos longos e loiros estavam  com uma tiara de brilhantes essa segurava o véu que se estendia até a cintura, o buquê de rosas vermelhas era segurado pelas mãos cobertas com as luvas brancas. Os lindos brincos de pequenas pedras vermelhas que ela usava fora um presente que Ino havia ganhado de sua tia Nathy em seu último aniversário que passou com ela, e o colar delicado que usava continha uma única pedrinha de diamantes em forma de coração, que fora presente de Hinata.

— obrigada, você é que está perfeita. Como sempre, está lindíssima!— Disse Ino em um sorriso um pouco triste, o que não passou despercebido por hinata.

— Por que dessa carinha? — Perguntou hinata, puxando Ino para que ela se sentasse.

— Que carinha?

— Essa, que está fazendo! Hoje é o seu dia, o que você sempre sonhou, não está feliz Ino?

— Claro que estou, muito! É só que...

— que...

Ino suspirou e respondeu:

— Eu queria eles aqui hoje hinata!

— eles?

— sim, meus pais, meu tio Hiashi e a tia Nathy. Eles... Me fazem muita falta...e hoje queria que pudessem me ver; ... — ficou em silêncio por alguns segundos e continuou em seguida olhando para Hinata  — Sei que pra muitas pessoas inclusive pra você, muitas vezes pareço alguém confiante e alegre, sempre sorrindo como uma boba ou simplificando as coisas, sempre
feliz! ... Mas a verdade é que por detrás dessa Ino animada, existe uma que só chora, que não consegue superar, que nunca conseguiu superar a perda dos pais e dos tios... A única família que tínhamos! — respondeu ela abaixando a cabeça novamente para tentar disfarçar as lágrimas que começaram a correr por sua face — continuou — Nunca aceitei hinata, jamais aceitei a morte deles! Me recusei a aceitar até agora, mesmo depois de tantos anos; Eu... ainda falava com eles quando estava sozinha, como se nada tivesse acontecido, e só pra mim mesma, porque se alguém ouvisse... pensariam que eu era louca.

— Ino, por que está dizendo isso agora?! — perguntou Hinata triste.

— porque hoje eu serei obrigada a aceitar hina, eles não estarão lá, no meu casamento. Não estarão comigo, no dia mais feliz da minha vida! Não vai dar pra fingir no meio de tanta gente. Sou muito inútil; Minha mãe deve estar decepcionada comigo.

— Ino, por favor para de dizer essas bobagens! Sabe que eles nos amavam muito, e devem ter muito
orgulho de quem se tornou. Não deve pensar isso... Essa não é você! — Respondeu hinata suavemente. Nunca tinha visto Ino daquele jeito, até mesmo depois da morte dos pais, era ela quem tinha sido seu maior apoio, mesmo em um momento triste daqueles apesar das lágrimas ela conseguia sorrir para mostrar forças para hinata  seguir em frente! Aquele comportamento e aquelas palavras, nunca sonharia ouvir da boca de sua prima.

— Não hinata, essa sou eu! A verdadeira Ino; Uma inútil que nunca aceitou a verdade, a que se escondia atrás de um sorriso; sei que você já sofreu muito na sua vida. E eu sou culpada disso...

— ino não...

— Eu vou dizer uma coisa que nunca te disse antes — ela interrompeu Hinata —  sabe que minha mãe ainda sobreviveu dois dias depois do acidente, e antes de ela morrer fui a última com quem ela falou; Sabe o que ela me pediu? — olhou pra ela novamente em meio as lágrimas

— não... O quê?

— me pediu para que eu cuidasse bem de você como uma irmã mais velha, que sempre ficasse ao seu lado! Que te protegesse; Eu prometi a ela que cuidaria, te protegeria ... mas sou tão inútil que nem isso consegui cumprir! Todo o inferno que você passou, eu... Me perdoa hinata, não pude te proteger..

— Para, me escuta ,você não tem que me pedir perdão! Não é e nem nunca foi culpa sua, porque isso
agora?! Claro que esta cumprindo sua promessa; Você sempre foi minha protetora maluquinha — respondeu Hinata com carinho —  sempre cuidou de mim e sempre esteve comigo! O que eu passei, sou eu a única culpada, você nem mesmo sabia do Sasuke. Como pode se sentir culpada por algo que nem sabia que iria acontecer?

— Eu não deveria ter deixado você ir para suíça sozinha! Nem deveria ter viajado a trabalho, eu devia ter
ido com você evitado que se envolvesse com ele. Eu saberia ver a verdade por trás das intenções
dele tenho certeza. Eu poderia ter te protegido e não fiz nada. Permiti que você voltasse pra casa daquele
canalha grávida, não deveria ter deixado, você estaria com seu filho nos braços se eu tivesse impedido; ... tudo minha culpa.

— Nunca mais pense isso! — Respondeu repreendendo-a e sentindo os olhos lacrimejarem também — Você sempre foi pra mim, tudo que eu mais precisei! Você tentou me alertar para que eu não voltasse, pediu pra que eu ficasse aqui, disse que nós trabalharíamos e teríamos condições de criar o bebê sem ajuda do Sasuke! Ino... eu tive culpa, só eu! Não ouvi você, fiquei com medo, e voltei, mesmo com você me repreendendo eu voltei! Dois dias depois que fugi você estava comigo no consultório médico, quando descobri que meu filho já estava morto, você ficou ao meu lado, me deu forças; sempre me deu forças Ino, não sei o que teria sido de mim sem você, então não venha dizer que é culpa sua. Ás vezes precisamos aprender com os erros, e foi isso que aconteceu, eu aprendi com meu erro! Aprendi a não confiar em palavras, ou um sorriso bonito! Aconteceu o que tinha que acontecer, por mais doloroso que tenha sido essa lição!  não se preocupe, minha tia está sim orgulhosa de você! Nunca deixou de cumprir sua palavra! nunca mais repita isso, por favor! Promete?!

Ino respirou profundamente dizendo:

— me desculpe.

— promete Ino?

— Prometo! Obrigada hina... Você é tudo que tenho. Sabe, eu gostaria que ... que meu pai me levasse até o altar hoje e sorrisse pra mim novamente como sempre fazia quando estava orgulhoso, de ouvir a voz dele dizendo que estou parecendo uma princesa, como dizia quando eu vestia um vestido novo... — sorriu com a lembrança em meio as lágrimas — Queria que minha mãe vesse a realização do dia mais importante da minha vida, que estivesse ao meu lado chorando emocionada comigo, com certeza estaríamos competindo, pra ver quem choraria mais. Queria que meu tio Hiashi e minha tia Nathy pudessem estar lá pra me abraçar como sempre faziam toda vez que eu ficava um único dia sem vê-los, queria poder apreciar mais daqueles sorrisos que lançavam em minha direção, que fossem eles os primeiros a jogarem arroz em nós. — completou em meio a um sorriso sofrido!— Mas não verei isso; nunca mais os verei de novo, — O vazio tomou conta do coração de Ino, tirando Hinata, as pessoas que mais amou e amava não estariam com ela naquele dia que seria tão especial, tão importante, e mesmo que Hinata tivesse falado tudo aquilo, e tivesse prometido não mais dizer que se sentia culpada, o peso continuava dentro de si.

— Ei, estarão sim! — Disse hinata baixo.

Ela fez com que Ino levantasse os olhos para fita-la e sorriu também em meio as lágrimas.

— Ino, ela verá... Tenho certeza que minha tia estará ao seu lado como um anjo que ela sempre foi, velando pela união de vocês, e mesmo que você não a veja ela estará vendo você, e estará muito
orgulhosa do homem que você escolheu pra te amar, meu tio Inoichi estará sim te levando para o altar, ele estará segurando a sua mão e estará sorrindo, um sorriso ainda mais bonito do que o que você imagina, orgulhosíssimo de sua princesa. E... meus pais também, eles não jogarão arroz em vocês, mas várias e várias pétalas de rosas brancas, a sua rosa
favorita, e também a da minha mãe e em cada pétala dessa terá um daqueles abraços, e um daqueles
sorrisos; imensamente felizes por você... E eu estarei lá, não apenas como sua prima, mas como sua
irmã e melhor amiga! Eu vou garantir que você veja tudo isso que te falei....

— como... — disse querendo que tudo aquilo fosse verdade.

— quando estiver entrando quero
que feche seus os olhos, e só vai precisar sentir com a alma e com o coração você os verá Ino, saberá
que estarão ao seu lado. Eles sempre vão estar, sempre estiveram. Você não é inútil, é preciso ser muito forte pra conseguir disfarçar uma dor com um sorriso convincente, com uma animação inexistente; Eu só consegui ser forte graças a você! Eu só tenho que te agradecer...

Ino a abraçou fortemente sentindo rosto completamente tomado pelas lágrimas, mas aquelas eram
lágrimas de alegria, não da tristeza ou vazio que estava sentindo antes e sim de contentamento e
emoção por ter ouvido aquelas palavras, sentiu-se consolada e imensamente feliz;

— Obrigada Hina! Obrigada por tudo!

— Agora coloca um sorriso daqueles verdadeiros e lindos que só você tem nesse rosto, e seja muito, muito feliz minha irmãzinha.

— Obrigada! — disse com um sorriso, limpando o rosto molhado pelas lágrimas com um lenço.

Um sentimento de culpa tomou um pouco do coração de Ino por não poder contar a Hinata sobre o que
estava prestes a acontecer, mas para o bem e felicidade dela precisaria ficar calada, claro que ela ficará chateada com ela depois, mas tinha fé que tudo se resolveria.

Depois de um tempo em silêncio disse:

— Hinata, quanto ao que aconteceu aquele dia que encontramos o Narut...

— Não Ino, não quero falar nele... Por favor! — interrompeu com a voz suave e triste.

— Está com tanta raiva dele assim?

— Não! Não é raiva, eu só... Olha, não quero estragar seu dia ficando deprimida, quero poder ficar feliz,
quero poder sorrir por você! ... Então, vamos deixar esse assunto de lado tá bom?! — riu ao olhar para o espelho e completou brincando, para mudar de assunto — olha só pra gente, vamos ter que refazer a maquiagem, somos duas choronas!

Ino riu também com o comentário; Enquanto hinata arrumava sua maquiagem ficou tentada e quase
falou pra ela sobre os planos de Naruto, mas seu coração dizia que não deveria, pois algo bom poderia
surgir disso, mesmo que fosse uma maluquice e ela própria o estava ajudando, então permaneceu
calada; Mas de uma coisa Ino tinha certeza, Naruto não iria conseguir convencer hinata tão fácil;

Agradeceu internamente por estar longe quando ela fosse querer matá-lo, ou acabaria morrendo
também, hinata não reagiria nada bem!

Continua...


Notas Finais


Bom essa foi a primeira parte o próximo será realmente o último capitulo e ele vem com muitas emoções .... Perdoem o capítulo giganteee.. Kkkkkk
haha! Espero que tenham gostado mesmo assim... e desculpem a autora-san aqui pela demora.... Até o próximo e o último... 😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...