História Desejo Proibido - Capítulo 34


Escrita por: ~

Exibições 98
Palavras 2.526
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Mistério, Musical (Songfic), Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello Pessoas, voltei
Mais um capítulo açucarado para vocês
Música: Hands To Myself - Selena Gomez
Espero que Gostem
Boa Leitura

Capítulo 34 - Hands To Myself


Fanfic / Fanfiction Desejo Proibido - Capítulo 34 - Hands To Myself

Isabella Pov’s

 

Meu corpo todo se ascendeu, o simples encontro dos lábios de Rob com os meus, fizeram algo dentro de mim ficar de um jeito que não ficava a tempos, mistura de saudades, amor, paixão e desejo fez uma eletricidade atravessar nossos corpos, sei disso pois sinto sua pele da nuca arrepiada com meus toques. Meu coração parece que vai sair pela boca de tão acelerado, estou perdendo o fôlego mas não ligo, sinto meu corpo ser deitado no colchão, mas ele não faz nada além de me beijar e acariciar minha cintura, paramos o beijo por falta de ar, deixamos nossas testas coladas, continuo com os olhos fechados apenas absorvendo esse momento que não quero que acabe, abro meus me deparando com os dele, ficamos olhando nos olhos um do outro alguns instantes, azuis nos verdes, ele não diz uma palavra sequer assim como eu, nossos olhares dizem tudo, sentimos falta um do outro:

 

Isa... - o interrompo com um beijo, não quero discutir, e se começarmos a conversar, temo uma nova discussão, ele corresponde imediatamente, puxo o cabelo dele que morde o meu lábio inferior

 

Paramos o beijo e voltamos a nos encarar:

Você fica tão sexy de barba - digo acariciando o rosto dele, ele apenas ri de minhas palavras e continua me encarando

 

Senti sua falta - diz calmo

Eu também - respondo e ele beija minha testa

 

Ele sai de cima de mim e se deita ao meu lado, me aconchego em seu peito, acabo adormecendo ao seu lado.

 

 

Acordo sozinha na cama, admito estar surpresa por não termos feito nada além de beijos, olho o quarto todo sem sinal de Robert, me levanto e vou ver se o encontro na varando. Bingo. Ele está lá ainda de roupão observando a chuva continuar a cair forte, ele vê a minha aproximação e sorri:

 

Bom dia – o cumprimento sonolenta

Bom dia, bela adormecida – sorrio com o apelido

 

Ficamos em silêncio alguns instantes olhando a chuva cair, até ele se virar para mim:

 

Me desculpa por tudo, agora é sério, eu agi como um idiota - diz segurando minhas mãos enquanto me olha nos olhos

Só você? Eu também agi errado. Estávamos irritados e magoados, e só pioramos tudo - respondo também o olhando, ele assente calmo

 

Voltamos a olhar a chuva cair e cada um fica preso em seus próprios pensamentos:

 

Liguei para o reboque, em algumas horas eles estarão aqui, devido à chuva houveram vários outros incidentes, então eles vão demorar um pouco... Ah e nossas roupas já estão prontas - me avisa sobre as " novidades"

Ótimo - respondo

Está com fome? -  pergunta

Um pouco, por que? – pergunto curiosa

A dona, a Frau Bergenthal nos chamou para ir tomar o café da manhã, quer ir comigo? - pergunta um tanto receoso

Claro, só vou tomar um banho antes - digo me dirigindo ao banheiro

 

Tomo um banho rápido e já me visto no banheiro, ao sair encontro Robert já vestido e me esperando, ao sair do quarto finalmente reparamos em como o local é bonito e tem um ar caseiro, chegamos a um salão com várias mesas, e fico impressionada em como está quase lotado o local, a chuva de ontem deve ter feito várias pessoas buscarem abrigo ali, Frau Bergenthal nos guia até uma mesa ao lado de algumas senhoras e perto da janela, temos uma ótima vista do tempo lá fora.

Ficamos em silêncio por um tempo após fazermos nossos pedidos, o clima está estranho e isso me faz ficar totalmente confusa, supus que o que ouve ontem faria as coisas voltarem ao normal, ou talvez só não saibamos como agir depois de tanto tempo. A tensão que eu sentia se desfaz no momento em que Robert segura minha mão em baixo da mesa e começa a acaricia-la, e mais um frio gostoso na minha barriga é causado quando o mesmo beija minha mão na frente de todos, gesto um tanto louco, rio nervosa, provavelmente estou vermelha:

 

Você é louco? - pergunto em um sussurro tentando segurar o riso

Ultimamente sim - responde começando a distribuir beijos por meu rosto, me fazendo rir

Vocês fazem um belo casal - diz uma senhora sentada ao lado de nossa mesa

Nós? - perguntamos juntos, sinto minhas bochechas esquentarem ainda mais, percebo o rosto de Robert também ficar vermelho

É tão bonito ver um jovem casal tão apaixonado - outra senhora completa, e acaba me arrancando um sorriso

Eu realmente a amo - ouço ele falar atrás de mim, o olho e sorrio

Eu também te amo - respondo sentindo isso em meu coração

 

Acho que esse é o melhor café da manhã que tomamos a tempos, conversamos amenidades um com o outro, enquanto trocamos caricias, as vezes conversamos com as senhoras e sem nenhuma preocupação, aqui ninguém deve nos conhecer, então não somos uma mulher casada e seu amante, somos apenas Isabella e Robert, um casal e estamos felizes com isso.

Após terminarmos, saímos e damos uma volta pela pousada, é um belo lugar, estamos voltando ao nosso quarto, até Robert me imprensar contra a parede e me beijar intensamente, retribuo e o puxo para mais perto de mim, sinto suas mãos deslizando por meu corpo:

 

Robert, alguém vai nos ver – digo interrompendo o beijo

E daí? – pergunta ofegante, rio e ele volta a beijar – Não consigo e nem quero tirar as mãos de você

Então não tire – digo com dificuldade

 

Tenho que admitir, o risco de alguém nos ver deixa tudo mais excitante, ele me ergue, me fazendo envolver sua cintura com minhas pernas, mas sem interrompermos o contato, não sei como, mas ele conseguiu abrir a porta de nosso quarto e me carregou para dentro, só ouvi a porta fechar enquanto ele me deita na cama:

 

Isso é insano - diz contra os meus lábios

Totalmente – respondo ofegante

As vezes um pouco de loucura é bom – rebate sorrindo malicioso

 

Apenas sorrio com suas palavras e me deixo levar, tiro sua camisa e ele tira minha blusa, os toques e caricias dele vão me deixando cada vez mais excitada, sinto sua ereção por sob a calça social, ele distribui beijos e mordidas em meu pescoço me causando arrepios.

Viro ficando por cima dele, arranho seu abdômen e vejo sua reação, ele se arrepia todo, começo a rebolar em seu colo, enquanto distribuo chupões e beijos por seu pescoço, e mandíbula, o ouço gemer e apertar fortemente minhas coxas durante o ato, paro e vejo que lhe deixei uma marca, desço e começo a beijar seu abdômen.

Tiro sua calça e aperto seu membro por cima da boxer, lhe fazendo gemer e rir malicioso, dessa vez ele nos vira, ficando sob mim, a essa altura já estou completamente molhada de excitação. Rapidamente ele se livra de meu sutiã e coloca minhas mãos acima de minha cabeça, começa a trabalhar em meus seios, me arrancando gemido e alguns espasmos, com a outra mão, passa a estimular minha intimidade, acabo gemendo mais alto do que deveria.

Após um tempo nisso ele para e nos livramos de nossas últimas roupas, ele fica por cima de mim se esfregando, estou com tanta saudade e tesão, mas não sei por que diabos, e nem de onde o pensamento de Alicia veio em minha mente:

 

Espera Robert - o interrompo

O que foi? - pergunta ofegante

Você tem camisinha? - pergunto ofegante e nervosa, não estou afim de passar pelo mesmo susto de antes

Espera, acho que tem uma na minha carteira - sai de cima de mim, e logo volta vestido - Imagina que lindo, você engravida de mim ainda casada com o Cristiano - dou um tapa seu braço, após ele dizer isso de forma sarcástica

Não fala isso nem de brincadeira - rebato rindo, ele me acompanha

 

Morde meu lábio e emenda um beijo quente, enquanto me penetra lentamente, logo ele vai aumentando os movimentos e nossos gemido também, o abraço o trazendo para mais perto de mim, quero senti-lo perto de mim, minhas mãos arranham suas costas sem pudor, acho que tiro um pouco de sangue.

 Nossos corpos já estão suados e grudentos, ele vai diminuindo um pouco a velocidade, me beija enquanto inverte as posições, me deixando por cima, suas mãos saem da minha cintura e da minha coxa subindo indo até meus seios os apertando, gemo alto com isso, rebolo em seu colo enquanto o continua me estocando, ele se senta me trazendo para mais perto, o abraço enquanto o beijo, começo a arranhar sua nuca, enquanto o mesmo acaricia minhas costas e corpo, dá uma estocada mais forte nos fazendo gemer durante o beijo e encravo minhas unhas em seus ombros, desliza suas mãos até minha bunda a apertando e me dando mais impulso sobre ele, com dificuldade tentamos conter nossos gemidos, continuo cavalgando sobre ele com sua ajuda, até chegarmos ao nosso ápice, para contermos nossos gemidos, Robert mordeu meu ombro, enquanto eu mordia o seu, provavelmente ficamos marcados, mas nem ligo.

Nos recuperamos ainda abraçados, ele sai de mim e vai até o banheiro, logo volta e se deita comigo na cama, nos cobrimos com uma coberta e ficamos descansando em silêncio, apesar de eu achar que ele adormeceu sob as caricias que estou fazendo em seus cabelos:

 

Isso é bom - diz com a voz baixa e sonolenta

Pensei que estivesse dormindo - digo sorrindo

Quase - responde baixo - Poderia ficar aqui para sempre

Sim, aqui é um ótimo lugar, ainda mais com você - respondo

 

Ele ia falar mais alguma coisa, mas é interrompido por batidas na porta, ele vai atender, assim que levanta, vejo o estrago que causei nele, as costas estão vermelhas e cheias de arranhões, ele tem um chupão e uma mordida, dou uma risada, ele tenta melhorar o seu estado no espelho, parece que ele dormiu num celeiro de tão bagunçado que está, veste o roupão e vai atender a porta, enquanto eu vou tomar banho.

Alguns minutos depois, ele aparece meio sério:

 

O reboque chegou... - disse suspirando

Hora de voltar a realidade - respondo fazendo bico, ele morde meus lábios - Ai

 

Ele apenas ri e me dá outra mordida. Tomamos banho e nos arrumamos em silêncio. Quando estamos saindo do quarto, Robert me imprensa contra a parede e me dá um último beijo, diferente de todos os outros, e que eu não sei dizer o que significa, ele se afasta e me dá um selinho:

 

Vamos - diz me estendendo sua mão, assinto e a seguro, o seguindo em seguida

 

Após pagarmos nossa estadia, acompanhamos o motorista do reboque até o carro de Robert, que no mínimo terá de ficar um bom tempo no concerto. Entramos no caminhão e rumamos em direção de Munique, pego meu celular e para minha surpresa, ele está apenas com a bateria fraca, ótimo, pelo pouco que consegui mexer nele, vi que tem várias ligações e mensagens perdidas de Cristiano, péssimo. Resolvi encara-lo apenas quando chegar em casa, o de Robert também descarregou e ele também tem várias ligações e mensagens perdidas, o que o deixou inquieto e preocupado:

 

Calma, eles só devem estar preocupados com você - tento acalma-lo

Não, sei esse monte de ligações, me deixou preocupado, mas deve ser coisa da minha cabeça - responde parecendo nervoso

 

Ficamos o resto da viagem sem conversarmos direito, muito por causa do motorista e do nervosismo de Robert, mas agora que chegamos em Munique, ele aparenta estar mais calmo. Resolvemos pegar taxis diferentes para nossas casas, para não levantar suspeitas:

 

Que desculpa vai inventar para a fera? - pergunta sorrindo malicioso

Vou pensar em algo, sou boa em inventar histórias, faço isso desde criança - minha declaração o faz cerrar os olhos e ao mesmo tempo abrir ainda mais o sorriso malicioso

Danadinha - comenta me olhando, pisco em resposta

Agora tenho que ir, tchau - digo o abraçando antes de entrarmos nos taxis

Tchau - retribui me apertando

Você é meu melhor segredo - sussurro em seu ouvido antes de ir embora, e vejo o sorriso se abrir em seu rosto

 

Robert Pov's

 

Estou tão nervoso, mesmo depois do dia ótimo que tive, assim que peguei meu celular, vi que tinha outra mensagem anônima:

 

"EU TE AVISEI"

 

Gelei assim que vi a mensagem e ter vários telefonemas e mensagens perdidas não ajudou em nada, e mais maravilhoso ainda, a mensagem sumiu como se nunca estivesse estado lá, como isso é possível?

Rezo mentalmente para que sejam apenas meus amigos preocupados comigo, e nada tenha acontecido. Chego em meu prédio e vou direto para meu apartamento, assim que chego, sou atacado por Maddie que me abraça forte:

 

Meu Deus Robert, onde você estava? Estávamos preocupados. - diz parecendo aliviada e aflita ao mesmo tempo, Marco me olha atrás dela do mesmo jeito

Meu carro quebrou e tive que dormir em uma pousada a beira estrada, calma estou inteiro, meu carro não - respondo rindo, mas não foi engraçado, nem para mim, nem para eles

Estávamos preocupados, achamos que tivesse acontecido algo com você também - Marco diz após me abraçar apertado

Como assim, também? - pergunto ficando nervoso. Não, de novo, não

Calma Robert - Maddie pede tentando me tranquilizar

Gente, o que aconteceu? - pergunto preocupado - Ann e Mario, foi com eles?

Não Robert, foi com o Mats... - diz Marco tentando conter as lágrimas - Ele sofreu um acidente...

 

 

 

 

Não consigo não encostar

Não importa o quanto eu estou tentando

Eu quero você todo pra mim

Você é um gin e um suco metafórico

Então vamos lá, me deixe experimentar o gosto

Do que é estar perto de você

Não vou deixar uma gota ir pro lixo

Você é um gin e um suco metafórico

 

Porque todas as dúvidas e as explosões

Continuam mantendo nosso amor

E eu estou tentando, tentando, estou tentando, tentando

Todas as dúvidas e as explosões

Continuam mantendo nosso amor

E eu estou tentando, tentando, estou tentando, mas eu

 

Não consigo não encostar

Não encostar

Não consigo não encostar

Não encostar

 

Meu médico diz que você não é bom

Mas as pessoas dizem o que elas querem dizer

E você deve saber que se eu pudesse

Eu respiraria você todos os dias

 

Todas as dúvidas e as explosões

Continuam mantendo nosso amor

E eu estou tentando, tentando, estou tentando, tentando

Todas as dúvidas e as explosões

Continuam mantendo nosso amor

E eu estou tentando, tentando, estou tentando, mas eu

 

Não consigo não encostar

Não encostar

Não consigo não encostar

Não encostar

 

Não consigo não encostar

Eu quero isso tudo, não, nada mais que isso

Não consigo não encostar

Eu quero você todo, nada mais

Oh, eu, eu quero tudo

Eu quero tudo, eu quero tudo

Não consigo não encostar

Quer dizer, eu poderia, mas por que eu iria querer?

 

Não consigo não encostar

Eu quero isso tudo, não, nada mais que isso

Não consigo não encostar

Eu quero isso tudo, não, nada mais que isso

Eu quero isso tudo, não, nada mais que isso

Não consigo não encostar

Eu quero você todo, nada mais

Não consigo não encostar – Selena Gomez – Hands To Myself


Notas Finais


Gostaram? Críticas? Sugesões?
Querem que eu mude algo? Ou acrescente?
Gostariam de sugerir alguma coisa ou música?
Música:https://www.youtube.com/watch?v=FMlcn-_jpWY
No próximo capítulo (Spoiler) teremos treta
Obrigado por Lerem
Beijos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...