História Desejo Proibido - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Barbara Palvin, Justin Bieber
Tags Drama, Obsessão, Suspense, Terror
Exibições 312
Palavras 1.057
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olá leitoresss :D como estão? eu estou bem e espero que vocês estejam também, então eu estava de boa e pensei que dia lindo para postar o novo capítulo da fanfic né? bom deixa eu lembrar vocês o que aconteceu no episódio anterior, a Victória estava numa festa e bebeu muito e fumou muito também, aí ficou muito tarde e o namorado dela apareceu se oferecendo para levar ela para casa mas ela recusou então ela foi sozinha enquanto cambaleava, ela caiu de cara no chão e o alguém a sequestrou. Bom agora vamos ver o que vai acontecer nesse, espero que gostem e obrigada pelos comentários no capítulo anterior, beijinhos e boa leitura.

Capítulo 6 - Eu tenho um desejo ardente por você, baby


Fanfic / Fanfiction Desejo Proibido - Capítulo 6 - Eu tenho um desejo ardente por você, baby

Parece que eu me desperto por você, baby, tenho um desejo ardente por você baby, Vou até o limite porque simplesmente não me importo. Tenho um desejo ardente por você, baby, tenho de me tocar para fingir que você está lá, suas mãos estão nos meus quadris, seu nome está nos meus lábios, repetidamente, como minha única oração.

Burning Desire, Lana Del Rey

P.O.V Justin Bieber

FlashBack On:

Meu pai desferiu um soco em minha mãe a fazendo cair de cara no chão de tão forte que o soco foi, ela segurava sua barriga como se quisesse proteger seu bebê de algo maligno e esse algo maligno era ninguém menos que o meu pai eu a olhava com os olhos cheios de lágrimas,  ela se levantou lentamente olhando para meu pai com os olhos arregalados, a boca de minha mãe sangrava não muito mas sangrava. 

— Tá tudo bem Justin a gente só está brincando, não leve nada a sério o papai tá só brincando com a mamãe — ela me olhou dando um sorrisinho secando as lágrimas que caiam em seu rosto. 

— Que isso hein? que jeito é esse de falar comigo? "Vou sim e não importa o que você diga eu o quero e vou tê-lo, ninguém vai tira-ló de mim" — disse meu pai imitando o som de voz da minha mãe enquanto fazia o sinal de aspas com as mãos — Retire a porra dessa criança Patrícia Malette se não eu serei obrigado a tomar decisões drásticas e eu juro que não vai gostar — ele estava vermelho de raiva, seus punhos estavam fechados em forma de soco

— Não fale assim na frente do Justin, não quero que use palavrões na frente dele dessa forma — ela o olhava com os olhos arregalados os olhos dela estavam possuidos pelo medo, ela desviou os olhos dela para mim transformando o olhar de medo em olhar de calmaria — Justin não ligue para o que o papai está dizendo ok? ele só está com medo da criança que estou carregando em minha barriguinha, ele só está confuso com a decisão de ser pai novamente, não tenha medo, o papai está com medo e pessoas com medo agem de forma complicada as vezes. — Ela era ótima com as palavras e isso me confortava.

Meu pai olhou da cabeça aos pés para minha mãe com um olhar carregado de desprezo.

— O viadinho do Justin já tem 8 anos ele tem que aprender a ser homem, já viu como as pessoas o chamam na escola, Patrícia? — ela fez que não com a cabeça — chamam ele de Justin Biba, ele nem se defende ele nem tenta honrar a droga da nossa família, eu não quero outro filho Patrícia. Imagina se o nosso outro filho for que nem o Justin? hein como vai ser? ser outro viadinho como o Justin,  hoje de manhã vi ele colhendo flores na casa da vizinha, FLORES Patrícia, flores que filho homem caça flores me diz?

— Justin é um menino sensível, Jeremy. Eu gosto dele assim, deixa ele — disse na maior calmaria.

— NÃO, filho meu tem que ser homem, homão, machão. — disse meu pai praticamente aos berros. — Então qual vai ser sua decisão vai tirar ou não a criança?

— Não, eu quero essa criança não importa o que você acha.

— Tudo bem, tudo bem, vamos ter a criança — disse meu pai dando um sorriso largo sem mostrar os dentes, minha mãe deu um belo sorriso, não foi um sorriso foi o sorriso ela deu um sorriso tão largo e esse sorriso demonstrava felicidade e não pouca mas não muita e sim multíssima felicidade.

Flashback Off:

— Conseguimos, conseguimos — disse Cameron praticamente aos berros de tanta felicidade.

— È Cameron conseguimos agora dá o fora daqui, quero ficar a sós com a minha garota — disse enquanto encarava Vick que estava deitada inconsciente no colchão, olhei para trás e vi que Cameron havia ido embora assim como eu mandei.

O lugar que eu havia instalado Vick não era dos melhores mas foi o melhor que Ryan meu parceiro conseguiu, era apenas uma casa velha e na casa há um porão e é aonde Vick está agora é um espaço bem legal para eu poder passar com a minha amada, ela estava deitada no colchão dormindo  de frente  parecia um anjinho dormindo pena que ela acordada é pior que o capeta ninguém a segura, era a moça mais bela que eu já havia visto, mais bela que Virgínia. Foi muito fácil resgatar Victória, ela estava bêbada e doidona e mal conseguia andar, ela é leve como uma pluma o que facilitou muito para mim, meu amigo Ryan bolou um clorofórmio dos bons e Cameron me ajudou aplicando a substância nela, acorrentei os braços de Victória e amarrei a corrente na janela para ela não fugir, tirei sua saia  a deixando apenas de calcinha e de blusa. 

 Não vejo a hora de Vick acordar logo  quero falar com ela, não aguento mais só olha-lá já fiz isso diversas vezes em diversos lugares que ela já foi, quero senti-lá dentro de mim, quero que ela me encha de prazer enquanto eu faço o mesmo com ela. Me aproximei dela e me sentei de joelhos perto do colchão a vendo dormir profundamente, peguei a blusa de Vick e subi lentamente a mesma, passei meu braço nas costas dela a levantando enquanto com a outra mão eu desabotoava seu sutiã, assim que o desabotoei o joguei no chão, a deitei na cama e vi  seus seios expostos, que coisa maravilhosa, subi lentamente em cima da mesma e comecei a mamar em seus seios enquanto massageava o outro levemente, sugava o seus seios em forma de círculo sentindo o meu corpo todo se arrepiar de prazer, coloquei minha mão esquerda dentro da calcinha dela a acariciando lá embaixo levemente enquanto lambia seus seios, um fogo se acendeu dentro de mim, um desejo ardente se acendia aquilo me excita oh se me excitava sua pele é tão delicadinha tão macia como a pele de um bebê, lambia os seus seios pensando o quão maravilhoso será quando ela estiver consciente.

— O que você está fazendo? — levantei minha cabeça lentamente vendo Victória me olhando com cara de espantada.


Notas Finais


Gostaram?? esse capítulo foi meio curto sabe, bom quero agradecer a todos que tem paciência comigo e a todos que estão curtindo a fanfic e deixando suas opiniões nos comentários isso deixa o meu coraçãozinhoo muitooooo feliz, nos próximos capítulos haverá mais desses flashbacks, até o próximo capítulo beijos no core.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...