História Deseo inexplicable - Capítulo 13


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sergio Ramos
Personagens Personagens Originais, Sergio Ramos
Tags Amizade, Amor, Marcelo Vieira, Real Madrid, Sergio Ramos
Visualizações 99
Palavras 1.784
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello meus amores 💕

Olha, quem resolveu aparecer rapidinho?
My 😘

Meninas, obrigada a cada uma de vocês.
É muito gratificante ler os comentários 😍


Eu a cada capítulo que posto, fico mais ansiosa.



Espero que tenham uma boa leitura 💕

Capítulo 13 - O sentimento


Fanfic / Fanfiction Deseo inexplicable - Capítulo 13 - O sentimento

 

 

Mariane Castilho


 

Assim que me despeço de Sergio, recebo uma mensagem da minha madrinha pedindo que eu fosse ajudá-la.

Encontro em casa, troco de roupa visto um vestido longo de alças finas da cor azul bebê, e calço uma rasteirinha. Prendo meus cabelo em um rabo de cavalo.

 

-- Pensa que vestindo roupas assim irá conquistar o jogador ? - Reviro os olhos, ao escutar a voz de Bárbara.

-- Não estou me vestindo pra ele. Estou indo ajudar a minha madrinha - dou um ênfase  ao falar a primeira frase.

-- Você deveria abaixar o tom ao falar comigo, a sua felicidade não vai durar muito - Ela fala em um tom desafiador.

Decido não ficar perdendo tempo com ela. Pego meu celular é a chave de casa, saindo.


 

* * *


 

Ao adentrar no restaurante, o movimento realmente está agitado. O horário já diz tudo 19:30, às pessoas que saem do trabalho e já vão aos restaurantes para jantar.

-- Oooii, sua ajuda será bem vinda - Pedro fala e nós abraçamos, não contenho o riso.

-- Ooii Pedrito - respondo animada.

-- Essa sua voz, não diga que a gata encontrou o boy jogador? - Ele fala em um tom que me faz rir, e me entrega o bloquinho de pedidos.

-- Sim, agora vamos ao trabalho, rapaz - respondi, fico sem graça.

Me aproximo dos cliente que acabam de entrar em anoto seus pedidos. Ao deixar o pedido, sorri para a minha madrinha. O olhar dela sobre mim é diferente, não sei explicar.


 

Entre um pedido é outro, recebi alguns olhares de Pedro. O engraçado de atender as pessoas é que eles sempre perguntam qual prato eu recomendo.

 

Ao ver o movimento diminuir, limpo todas as mesas, enquanto Pedro varre o chão.

 

-- Como foi o passeio com ele? - Vejo minha madrinha se aproximar de mim.

-- Foi maravilhoso, conheci os jogadores do Real - falo, e o momento volta a minha cabeça.

-- Mari, então, você limpou suas vistas - Ela fala em um tom engraçado, que até Pedro dá risada.

-- Val, posso dar uma saidinha rápida? - Ele pergunta, ao voltar de guardar o rodo.

-- Pode, só não demore. - Minha madrinha responde.

-- Vou levar a Mari comigo. - Pedro entrelaça nossos braços.

-- Tomem cuidado - Ela fala em um tom preocupado.


 

-- Vamos, me conte mais sobre seu passeio com o boy jogador - Pedro fala em um tom autoritário.

-- Ele me levou ao CT do Real - Ele não me deixa terminar de falar.

-- Mari, você estava perto de várias beldades como não teve um treco menina? -  Ele fala em um tom que me faz rir. As pessoas devem pensar que ele é um doido.

-- Pedro, não fui para ver a beleza deles, fui ver o treino - respondo, séria.

-- Você só fala isso porque está começando a criar sentimentos pelo seu boy jogador - Pedro diz em um tom que me faz pensar em suas palavras.

-- Não, somos amigos. - respondo, pensativa. Ele me olha, e balança o rosto dizendo que não é só isso.


 

Entramos no mercado, o acompanho até o corredor dos salgadinhos, Pedro compra um Doritos.

 

Ao sair do mercado, o interessante daqui é que o céu fica claro por mais tempo.

 

-- Pedro, porque você acha que estou gostando dele? - pergunto ao vê-lo comendo, o mesmo me oferece e eu recuso.

-- Mari, a maneira que você fala dele,  te entrega. Depois da sua mensagem, isso está claro. Você está começando a gostar dele. E se essa sua prima idiota fizer algo, quebro a cara dela, ninguém pode atrapalhar o casal que está se formando. - Ele fala sério.

-- Pedrito - o abraço. - Não seremos um casal - falo e vejo ele me olhar bravo

-- Pode parar de frescuras. Vocês serão o casal do ano, a brasileira conquistou o coração do boy jogador - Ele não cansa de fazer gracinha.

-- Não exagera. Pedro, eu nunca ... - não consigo terminar a frase, por falta de coragem.

-- Mariane, você nunca namorou? - Pedro me olha e fica parado, assim que concordo que sim com a cabeça. - Isso não pode empatar vocês. Antes de qualquer coisa, diga isso ao boy. - Ele fala me abraçando, com esse ato dele, me sinto mais confiante.

-- Obrigada pelas palavras, Pedro - digo,já tenho uma grande consideração por ele. -- Preciso te contar uma outra coisa - falo e vejo ele me olhar sério.

-- Não me esconda nada. - Ele fala passando a mão no meu ombro, enquanto voltamos ao restaurante.

-- Sergio vai pedir para o meu padrinho se posso ir a praia com ele e os rapazes - digo e ele fica surpreso.

-- Gata, o boy está interessado em você. Vá e aproveite! - Ele fala e me lança um olhar diferente.

-- Pedro, você não existe - falo e bato no ombro dele.

-- Menina, agarra o boy. Mostre a ele o poder das brasileiras! - Ele fala em um tom que me faz rir.   

 

Ele começa a correr na minha frente, seguro a barra do vestido para não cair e tento ó acompanhar, não consigo, porque não paro de rir.

Vejo ele entrar no restaurante. Corro até a porta, ao entrar levo as mãos ao meu peito,respiro fundo. Olho para Pedro que me olha diferente. Ao olhar para o lado, vejo Sergio, Marcelo, Casemiro, Benzema, Isco e Carvajal.

Solto o meu vestido e tento agir normalmente.

-- Melhor amiga - Ouço Benzema falar.

Crio coragem e vou até a mesa. Recebo o olhar de todos.

-- Benzema. - falo e abro um sorriso. - Olá pessoas - digo, sinto meu corpo esquentar ao receber o olhar  Sergio me olhando de cima a baixo.

-- Vejo que você apareceu - Meu padrinho fala me abraçando.

-- Dei uma saidinha com o Pedro - falo e noto Sergio fechar o semblante.

 

-- Mari, preciso da sua ajuda - Pedro me chama. Agradeço mentalmente.

-- Eu não sei como agir - falo, ao me aproximar dele. - O Sergio está me olhando diferente - sussuro.

-- Acalma esse coração, aja naturalmente na frente do boy. O olhar dele sobre você é de puro desejo - Sinto minhas bochechas queimarem de vergonha.

-- Pedro - o repreendo, e dou um tapa em seu braço.

-- Você tem que ter calma, nem cumprimentou o boy com um beijinho - Ele fala em um tom de brincadeira. - Me ajuda com os pedidos deles - com uma mão pego uma bandeira e com a outra faço o mesmo.

 

-- Preciso ter uma palavra com o senhor depois - Ouço Sergio falar ao nos aproximarmos.

-- Estou a sua disposição - Meu padrinho responde em um tom animado.

-- Marcelo parece que não come faz dois dias - Casemiro fala, assim que coloco os pratos na mesa.

-- Isso se chama saudade de comida brasileira - Marcelo responde, não contenho o riso.

 

Ao me aproximar de Sergio, sinto uma das mãos dele em minha cintura, juro que quase derrubei o prato dele.

 

-- Tenham um bom apetite - falo, e me afasto de Sergio.


 

-- Senta aí, gata - Pedro fala, percebendo o meu estado. - Você vai matar o boy desse jeito - Ele não está ajudando.

-- Pedro - falo, brava.

-- Mari, por mais que eu seja, você sabe. Você é uma ruiva muito bonita.  Sabe como atrair um homem - Ele fala sério.

-- Meu conselheiro, obrigada - falo e, ainda sentada  o abraço.

 

-- O moreno de barba tem que disfarçar as olhadas para você, seu boy não vai gostar - ele sussura enquanto estamos abraçados.

Ao me virar devagar, olho para a mesa, e percebo o olhar de Isco.

-- Vou ao banheiro, me acompanha até lá - peço e o vejo sorrir.

-- O que eu não faço pela amiga - Ele levanta, faço o mesmo.

 

Ao chegar no banheiro, o agradeço.


 

Abro a porta e me olho no espelho por alguns segundos. Meu cabelo tem alguns fios bagunçados, solto, já que não vou mais atender ninguém. Ajeito o vestido, agora que reparei ele marca as curvas que tenho. Olho meu rosto, o seco com a toalhinha de mão.

-- Também te amo, Mariane - Pedro fala, assim que volto.

-- O que eu fiz? - pergunto.

-- Nada. Sua vez, leve a sobremesa - Ele fala me entregando a bandeja. - Seu boy não morde, eu acho - O tom dele me fez querer rir, mais de nervosismo.

Levo a sobremesa.

 

-- A Mari parece gostar de adrenalina - Benzema fala assim que coloco a sobremesa.

-- Deixe a Mari fora das suas idéias malucas, francês - Marcelo fala.

-- Come, que você fica melhor calado - Sergio fala em um tom autoritário.


 

Nesse instante, eu até eu fico séria.



 

-- O francês parece ser o mais maluco deles - Pedro fala rindo.

-- Benzema é uma boa pessoa, acho que é maluco nas horas vagas - falo, rindo.

 

-- Mari, venha até aqui - Meu padrinho me chama, ao me virar vejo ele e Sergio na porta do restaurante.

 

Me aproximo e recebo olhar dos dois. Sergio abre um sorriso que me faz sorrir.

 

-- Sergio, me contou sobre a praia, você quer ir ? - Ele pergunta em um tom sério.

-- Sim, claro se o senhor e a madrinha permitirem - falo, o olhando.

-- Você pode ir - ao escutar isso, abro um sorriso. - Sergio, cuida dela. - Ele dá dois tapas no ombro dele.

-- Cuidarei dela - ele responde, sorrindo. Meu padrinho nos deixa sozinhos, Sergio me puxa pra fora do restaurante.

 

Ficamos frente a frente, Sergio segura uma das minhas mãos e a outra sinto ele passará na lateral do meu corpo.

 

-- A partir de hoje, azul, será minha cor preferida - Ele sussura, me puxando para um abraço. -- Serei fiel a nossa promessa de cuidar de você,  niña hermosa  - a maneira que ele fala, soa em um tom  diferente.

-- Obrigada - respondo, e sorri ao sentir ele deixar seu rosto em meu pescoço.  

 

Ao sentir o vento, me aconchego ainda mais no abraço. Ele ao perceber o meu ato, ri.

--  Farei desse o seu melhor fim de semana - sinto um frio em minha barriga ao escutar ele sussurra isso próximo ao meu ouvido, não posso deixar de sentir a mão quente dele apertar a minha cintura.


 

É incrível, como desde do almoço, toda vez que me aproximo dele,um sentimento, uma sensação diferente toma conta de mim. 

 

 

 

 


Notas Finais


Obrigada pela atenção 💖

O que vocês acharam do capítulo?
Se gostaram, deixem aquele comentario para fortalecer a amizade 😎

Bjnhos de luz 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...