História Deseo inexplicable - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sergio Ramos
Personagens Personagens Originais, Sergio Ramos
Tags Real Madrid, Sergio Ramos
Visualizações 99
Palavras 2.105
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Cross-dresser, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hello minhas lindas 💗💙

Olha quem resolveu aparecer rapidinho \o/


Aqui vai mais um capítulo para vocês 😎

Meninas, espero vocês nas notas finais preciso falar uma coisinha pra vocês 😉


Boa leitura 😘

Capítulo 9 - O jogo contra o Apoel


Fanfic / Fanfiction Deseo inexplicable - Capítulo 9 - O jogo contra o Apoel


 

 Abro a janela do quarto, e o sol se faz presente no quarto. Termino de dobrar o lençol e deixo arrumado ao lado do travesseiro.

 Hoje, eu estou melhor do que ontem. O motivo pode ser que terá jogo do Real pela Champions contra o Apoel.

Pego uma roupa para vestir depois do banho, antes de chegar na porta. Vejo meu padrinho entrar com um sorriso no rosto.

 

-- Tenho uma surpresa para você - Ele fala.

--  Bença, padrinho. O senhor já está me deixando curiosa - digo e estendo a mão para ele.

-- Deus lhe abençoe, minha menina - Ele diz e ponho um ingresso em minha mão.

-- Padrinho, isso é sério? - pergunto, não acreditando ao olhar o ingresso. É para o jogo de hoje.

-- Sim, você me acompanhará ao Santiago Bernabeu - Ele fala animado.

-- Isso é magnífico. Estou sem palavras - respondo e abraço ele.

-- Daqui a pouco, te chamo para irmos - Ao sair do abraço ele diz e sai do quarto.


 

Olho novamente o ingresso, ainda não acreditando. Eu vou ao grandioso Estádio do Real Madrid.  Me considero uma pessoa sortuda em ter os padrinhos que tenho.

Procuro uma roupa e vejo que não tenho muitas, pois ficaram no Brasil.

 

-- Mari, vista esse body branco que comprei pra você - minha madrinha entra no quarto e deixa o body na cama. - Te vejo, já - Ela deixa um beijo na minha testa.

Procuro uma calça jeans de cós alto clara, deixo sobre a cama.

Vou ao banheiro e tomo um banho rápido, não molhando o meu cabelo. Saio do banheiro com uma toalha enrolada no meu corpo.

Visto a calcinha, e logo após o body, para finalizar a calça. Ao meu olhar no espelho percebo que o body ficou bem vestido no meu corpo,o mais bonito é que as mangas curtas são caídas no ombro e tem um babado lindo.

Arrumo meu cabelo, deixo solto é jogo para o lado esquerdo. Vou até a minha necesserie,  passo base e pó. Finalizo com o batom vermelho matte.  Calço as alpargatas da cor branca e não esqueço do perfume.

Guardo o celular no bolso de trás da calça e deixo o quarto.




 

[...]


 

Depois que meu padrinho deixou a madrinha no restaurante,seguimos para o Santiago Bernabeu. Ao percebemos que estamos nos aproximando do Estádio, começo a sentir a emoção tomar conta de mim.

Desço do carro, por opção meu padrinho escolheu deixar o carro um pouco afastado, porém não muito longe.

Ao caminhar até a entrada, ao olhar a estrutura fico sem palavras, estou diante do magnífico Estádio do Real Madrid. Não perco a oportunidade e tiro uma foto, peço para meu padrinho tirar uma minha. Antes de entramos ele compra dois cachecóis do Real branco, me entrega um e outro ele não perde muito tempo e noto que coloca no pescoço.



 

Ao chegar no nossos lugares, paro e olho todo o estádio, lotado. Atrás das cadeiras que estamos sentados, fica os camarotes. Levo as mãos a boca, ao olhar o maravilhoso mosaico que se faz presente do outro lado, gravo um vídeo. A sensação de estar no meio dessa torcida me faz feliz. A alegria que sinto no momento é semelhante a que senti em Cardiff. Hoje, é ainda mais especial, estou no Bernabeu.

Assim que os jogadores entram no campo, uma eufória toma conta de mim.

O hino da Champions toca, aqueles segundos me fez olhar para os jogadores do Real Madrid.

 

O juíz dá o apito inicial:  Já nos três minutos, Marcelo cruza na área, Cristiano Ronaldo desvia de cabeça e o goleiro dá rebote. Um jogador do Apoel se choca com o Casemiro e os dois são atendidos.

Sinto um alívio ao ver que não foi nada de mais.

A partida é reiniciada, Carvajal tenta o cruzamento pela direita e consegue um escanteio. Modric bate escanteio pela direita e a defesa corta de cabeça.

Me levanto e vejo meu padrinho xingar algo que me fez rir.

Um jogador do Apoel arrisca chutar de longe, mais Navas joga para escanteio.

Aos doze minutos GOOOOOOOOOL DO REAL MADRID!

CRISTIANO RONALDO ABRE O PLACAR!

 

Me levanto e abraço meu padrinho. Pulo de alegria, os jogadores se abraçam e voltam aos seus lugares.

Outro jogador do Real recebendo atendimento médico Kovavic cai no gramado.

Alteração no time merengue entra Kroos no lugar do Kovavic.

Aos vinte e sete minutos De Camargo recebe de costas no meio campo e Sergio Ramos comete a falta.

Kroos bate escanteio pela esquerda e Rueda corta de cabeça.

Aos trinta e três minutos Bale cruza rasteiro pela esquerda e Cristiano Ronaldo por pouco não faz o gol. Muitas tentativas de gols pelo lado do time merengue.  

E o primeiro tempo termina aos quarenta e oito. Domínio total do Real Madrid.

Me levanto e olho sorridente para o meu padrinho.

 

-- Torcedora de primeira - Meu padrinho fala e me levanto olhando os jogadores saírem de campo. A distância é grande até o gramado, mais noto o sorriso de um certo  brasileiro de cabelo cacheado, que pula ao me ver. Sorri para ele que acena com a mão.

-- Mari, vou ter que ir. Val, precisa de ajuda, a casa está cheia - Ele fala guardando o celular.

-- Eu vou com você - falo.

-- Não, fique e aproveite o segundo tempo. Na hora de ir embora pegue um táxi e vá para o restaurante. - Ele fala, me fazendo ficar sem saber o que dizer. - A moça saberá se cuidar? - abro um sorriso ao escutar a voz engraçada que ele faz ao perguntar.

-- Vou me cuidar. Assim que acabar o jogo, voltarei para o restaurante - digo e ele ri.

-- Até mais. Bom jogo - Nós abraçamos e ele saí em meio a multidão.

 

Desbloqueio a tela do celular e abro a câmera, ajeito o cachecol em meu pescoço e tiro uma seflie. Guardo em meu bolso ao ver que os jogadores voltam a campo.


 

E o segundo tempo se inicia, a bola volta a rolar. O time do Real já volta atacando.  E a primeira tentativa bate na trave. Carvajal cruza na área, Cristiano Ronaldo que  chapa pro gol, a bola toca no travessão.

 

Aos quatro minutos PÊNALTI PARA O REAL MADRID! Bale cruza na área, a bola bate no ombro do jogador Lago e o juiz marca penalidade máxima.

 

Quem vai bater é Cristiano, que bate forte no canto direito e guarda mais um GOOOOL!!

Cartão amarelo para Carvajal. E para um jogador do  Apoel.

Cristiano recebe e o juíz marca impedimento.

Aos dezesseis minutos: Sergio Ramos desarma no campo de defesa e passa pra Marcelo.O mesmo avança e cruza para Bale na segunda trave, ele escora de cabeça pro meio e Sergio Ramos acerta uma bicicleta.  GOOOOLL!!

MAIS QUE GOLAÇO DO CAPITÃO MERENGUE.

 

Me levanto e vibro  de alegria  com o belo gol que ele faz.  Vou a loucura com a torcida. Na comemoração do gol, olho diretamente pra ele, nossos olhares se encontram e ele dá uma piscada, percebo um sorriso formado no rosto dele, retribuo o  sorriso.

Os jogadores não se contentam com o placar e arriscam muitas jogadas no gol.

Aos trinta e nove minutos: Cristiano Ronaldo marca o terceiro gol, mais o juíz marca impedimento.

Modric levanta a bola na área, Casemiro tenta Cristiano Ronaldo no meio da área e o gol pega a bola.

O moço que fica na beirada do campo levanta a plaquinha de acréscimos, três minutos.

Já aos quarenta e sete minutos: Borja Mayoral faz o quarto gol do Real Madrid, mas Cristiano Ronaldo estava em posição irregular na hora do passe.

Levanto, assim que o juíz finaliza o jogo.



 

 

Sergio Ramos



 

Ao término do primeiro tempo,saio do campo, caminho até o  vestiário. Vejo Marcelo entrar sorrindo.

-- Uma pessoa veio te prestigiar hoje - ele fala em um tom que me deixou curioso.

-- Marcelo, sem brincadeiras - respondo sério, paro em frente ao meu armário.

-- Mariane está na arquibancada - Ele fala e eu não consigo disfarçar que fiquei feliz ao  abrir um sorriso.

-- A brasileira está aqui no Bernabeu? - pergunto e recebo um tapa na cabeça de Marcelo.

-- Sim,seu tonto. A brasileira que fez o Serjão ficar sem jeito - Ele fala fazendo graça.

-- O que deixou o capitão merengue estranho? - Cristiano fala em um tom de deboche, se aproximando.

-- Foi um … - eu não sabia o que dizer.

-- Estava falando sobre uns lugares que ele precisa conhecer quando for ao Brasil - Marcelo fala dando um tapa no meu ombro.

 

O Cristiano é um grande amigo, porém, quando se trata de mulheres, ele sempre cai em cima.  Não perdoa ninguém. Nem quero imaginar ver ele dando em cima da Mari.


 

Logo voltamos a campo, para o segundo tempo.  O nosso time já inicia tentando fazer gols. Um pênalti convertido em gol pelo Cristiano.

 

Ao passar do jogo, faço um desarme passo para Marcelo, corro e vejo ele mandar para Bale que tenta fazer o gol e não consegue, me posiciono na área e sem pensar duas vezes tento dar uma bicicleta e faço o gol. Saio correndo para comemorar, olho para arquibancada de longe no meio de muitos torcedores vejo Mariane em pé, mesmo de longe pude perceber o quanto a ruiva está bonita, abro um sorriso para ela.




 

[...]



 

Depois de tomar um banho e me trocar, pego meu celular e guardo. Vejo os caras conversando, olho para Marcelo, que entende  o meu olhar e saio do vestiário. Preciso ver se encontro ela.

Caminho a passos rápidos pelos corredores do Bernabeu. Em poucos segundos andando avisto uma silhueta que por mais que tenha visto poucas vezes, eu conheci. Mariane, parecia estar nervosa.

Me aproximo dela, sem fazer barulho, entrelaço uma das mãos a  dela, é ela se vira.

-- Sérgio - Mariane fala e vejo um sorriso tímido parecer em seu rosto.

-- Brasileira - falo e vejo que as bochechas dela, apesar de estar com maquiagem, percebo que as bochechas ficam vermelhas. - Pelo visto você está procurando a saída, estou certo? - pergunto.

-- Completamente certo - vejo ela responder eu sorrir em seguida.

-- Eu irei te acompanhar até a saída -  aperto a mão dela.

Caminho ao lado dela e percebo que ela está tensa. Ao sairmos do Bernabeu, Mariane abre um sorriso.

-- Não posso ir sem dar meus parabéns pelo gol fantástico que você fez - Ela fala, e vejo a mesma se aproximar e me abraçar.  Devolvo o gesto, aproveito para sentir o corpo dela colado ao meu. Passo uma das mãos pelas costas dela, coloco o cabelo dela pra trás,  percebendo que ela se arrepia ao meu toque.

-- Gracias - falo e ela se afasta de mim e nós olhamos. Desço meu olhar sobre o corpo dela, incrível como ela é a ruiva muito bonita. A roupa que ela está deixa o corpo bem marcado, valorizando as curvas que ela tem. - Você vai voltar sozinha? - pergunto, saindo dos meus pensamentos.

--  Sim, vou pegar um táxi e vou para o restaurante dos meus padrinhos - escuto ela falar. Nãoo posso deixá-la andar sozinha pelas ruas de Madri a noite.

-- Eu te levo - falo e vejo ela me olhar surpresa.

-- Não precisa se incomodar, Sergio - ela fala tentando recusar.

-- Vamos, Mari. Eu fiz uma promessa que cuidaria e vou cuidar de você, enquanto estiver aqui - falo e ela me olha parecendo analisar algo em meu rosto.

-- Está certo, capitão - dou risada com a brincadeira.

 

Ligo o carro, assim que entramos.

 

-- O que você achou do jogo? - Pergunto, com o olhar na rua.

-- Gostei, emocionante. É incrível a vontade de fazer mais e mais gols que o Real tem - a maneira como ela fala me impressiona.

-- Não pensei que a ruiva gostasse tanto de futebol. - falo e por um instante olho pra ela, o farol fica vermelho.

-- Gostar de futebol é uma coisa que me faz feliz - É possível ver a alegria no olhar dela ao dizer essas palavras.

-- Isso é incrível - digo e olho para o semáforo, que fica verde.

-- Confesso que hoje estava esperando um gol de cabeçada mística - ela fala em um tom que me faz rir.

--  Nos próximos jogos quando você vier ao Bernabeu faço um da famosa cabeçada mística especialmente pra você, Mari - digo e ponho uma das mãos no cocha dela.



 


Notas Finais


Obrigada a todas que leram até aqui 💕

Gostaria de saber a opinião de vocês sobre o capítulo.

📍 Meninas, estou querendo iniciar uma Fanfic com o Paulo Dybala, posso contar com vocês como leitora dessa outra fanfic? 😉 Obrigada, desde já 💝

Bjnhos de luz 💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...