História Desequilibrada - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno
Tags Sakura, Sexo
Exibições 166
Palavras 2.674
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai
Avisos: Álcool, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E ai minna...

Esse é uma one, eu já tinha ela faz um tempo, mas só agora decidi postá-la, espero realmente que gostem.

Não esqueçam de deixarem seus comentários ^.^

Boa leitura!!

Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Desequilibrada - Capítulo 1 - Capítulo Único

 

 

Desiquilibrada

Capitulo Único

Escrito por Yelly

 

 

Nesse mundo, há apenas duas tragédias: uma a de não satisfazermos os nossos desejos, e a outra a de os satisfazermos.

Foi isso que eu li um dia, e quer sabe? Se for para ter tragédia que seja com meus desejos realizados.

 

---

 

O som na boate estava estrondando, corpos suados e com pouca roupa, todos dançavam como se fosse o ultimo dia no mundo.

O barbem me servia a terceira dose de vodca, mas isso ainda não era o suficiente para me deixar alterada, eu estava acostumada com tudo isso, eu amava sair à noite e dançar.

Mas essa noite não foi para isso que eu vim, foi para uma coisa bem mais divertida e excitante.

Do outro lado da boate, sentado com seus amigos a leio a minhas olhadas, estava ele, o homem mais sex que conheci, o motivo dos meus mais loucos e depravados sonhos.

Seu cabelo rebeldes e negros combinava perfeitamente com sua pele branca, as calças jeans que usava juntamente com o fato dele está sentado com as pernas abertas mostrava todo o volume no meio de suas pernas, o palito foi retirado e vestia somente um colete preto por cima de uma camisa branca, que está com as manda dobrada, os primeiro três botem estavam aberto revelando o peitoral definido, seu pescoço coado reluzia a luz, eu queria ser essa luz para me deliciar em seu corpo. 

A temperatura está subindo, oh... moreno estou tão afim de você.

Eu sei que ele tem uma reputação ruim, mais a verdade é que não me importo pois é uma tentação.

Assim que meus olhos subiram para seu rosto, encontrei os dele me olhando com um sorriso simples e completamente sex nos lábios, provando que não estava tão alheio assim aos meus olhares.

- Sakura, você deveria desistir dele, isso não vai dar certo – Ino falava ao meu lado. – é só olhar para ele que dá para saber que ele é encrenca.

Desvie meu olhar da maravilha de homem e voltei minha atenção para minhas quatro amigas, que me acompanharam nessa noite de sexta.  

Mas talvez não tivesse sido minha melhor ideia, já que elas não largavam do meu pé.

Acenei para o barmen, pedindo mais uma bebida, ele encheu meu copo, mas antes que ele se retirasse, segurei seu braço – deixa a garrafa.

- Você que manda princesa – disse ele, se curvando-se por cima do balcão alcançando meu ouvido – vou estar livre em 30 minutos, que tal repetimos o que fizermos no outro dia.

Realmente tinha sido esplendido o sexo no estoque com esse homem, mas....

- Desculpe, essa noite tenho outros planos, quem sabe na próxima – disse e me afastei, virando a bebida e enchendo meu copo mais uma vez, ele apenas deu uma piscadela e saiu.

- Ela está certa Sakura, não me parece que ele é homem para você – disse Hinata.

- Cruzes... vocês falam como se eu estivesse atrás de um marido – voltei a ficar de frente para a pista de dança, mas meu olhar me levou novamente a bela visão do moreno sex, que estava novamente conversando com seus amigos – não se preocupem eu vou dançar mais um pouco e irei para casa.

Eu não me importo com o que elas dizem, eu gosto de me diverti, não é sempre que tenho tempo para isso, então, tenho que aproveitar as oportunidades.

- Nós já estamos indo Saky – disse Temari.

- Tenha juízo – disse Tenten

Bati continência como um soldado faz quando recebe ordens de seu superior e caminhei para a pista, continuei ando até que estivesse no campo de visão dele, eu queria realmente dançar, mas poderia aproveitar para chamar sua atenção.

E como se para me incentivar começou a tocar a minha música preferida, eu fechei os olhos e aproveitei cada batida da música. Meu corpo se movia sozinho no ritmo da música.

Como gosto de dançar, posse ser pequena, mas adora essa sensação de liberdade quando danço, não me importo com mais nada, apenas em relaxar.

Quando abri meus olhos o vi olhando na direção da bancada, do bar, onde eu não estava antes, ele procurou mais um pouco até que me achou.

Eu sorri para ele, e mordi o lábio enquanto descia minha mão do pescoço por todo meu corpo, ele acompanhou cada movimento meu, parando em minhas coxas, ou no meio delas, já que eu estava com um belo e curto vestido vermelho.

 Continuei dançando por mais alguns breves minutos, o suficiente para a música acabar e para ele abrir mais botões de sua camisa, mostrando então, todo seu peitoral e abdômen malhado.  

Te vendo ali parado, com seu corpo... quero ficar perto, mais perto não é suficiente, não ate ultrapassarmos os limites...

Ele pode escolher o jogo, que eu jogarei os dados.

Eu parei de dança e fui em tomar mais uma dose da minha bebida, olhei por cima do ombro e ele continuava olhando. Virei o copo de uma vez e fui em direção a saída da boate.

Peguei minhas chaves com o manobrista, e continuei caminhando entre os veículos, parando em frente à minha moto, desprendendo os dois capacetes sobre ela.

Ouvi passos atrás de mim e olhei, vendo o moreno encostado sobre um dos carros me olhando, coloquei o capacete e subi na moto.

- Cedo para ir embora não acha? – Sua voz era do jeito que imaginada, potente, levemente rouca e máscula.

- Estava esperando você aparecer – disse e estendi o outro capacete para ele.

Ele deu um sorri maior que o de antes, mas ainda sim sex, ele pegou o outro capacete e se ajeitou atrás de mim. Fazendo questão que sentisse se membro.

- Espero que não tenha medo de velocidade – disse o olhando por cima do ombro

- Pelo contrário, acho até excitante – disse com a voz ainda mais rouca.

- Otimo – disse e dei partida na moto.

 

O velocímetro marcava a velocidade máxima, os prédios e estabelecimento não passavam de borrões, como eu amava velocidade, sentir da adrenalina era revigorante. Em uma curva ou outra ele se encostava ainda mais em mim.

Senti sua mão em uma de minha coxa, ele a escorregou para dentro passando seu dedo na lateral da minha calcinha. Ele estava me instigando, meu corpo todo se arrepiou, e para nossa segurança tive que diminuir a velocidade.

Ele ainda não chegou a passar do limite da calcinha, mais ainda assim, minha cavidade se contraia com a expectativa do que estava por vim. Minha mão segurava mais firme o guidom da moto.

 

Assim que estacionei a moto e descemos.

- Praia? – Sua voz rompeu o silencia da noite.

- Não gosta? – Olhei e ele apenas deu de ombros.

Seguimos caminhando pela praia, os pês já estavam descalços sendo refrescado pelas águas frias da noite, nenhuma palavra foi dita, nomes, idades, nada, apenas trocas de olhares nada inocentes, tanto da minha parte quando da do moreno sex.

A poucos passo havia umas grandes pedras, eu as contornei, indo para longe do alcance de possíveis olhares curiosos. Subi em uma delas e me sentei, voltando a ficar de frente para ele.

- Aqui está é um bom lugar – sorri e mordi o lábio olhando todo aquele homem, a luz da lua se refletia sobre seu rosto e peitoral, que ainda estava a mostra, deixando-o ainda mais belo, era uma imagem digna de uma pintura. Oh sim... 

Ele caminhou lentamente em minha direção, deixou o palito sobre uma das pedras, e colocou-se entre minhas pernas – Perfeito.

Suas mãos grandes e quentes apertaram minhas coxas, subiu pela minha cintura, uma ficou ali e a outra foi para minha nuca, agarrou meus cabelos e os puxou deixando meu rosto inclinado, ele fitou minha boca por alguns segundos, ates de sela-los em um beijo e que beijo.

Ele tinha um perfume delicioso.

O beijo continuou voluptuoso, entrelacei minha língua com a dele numa cadência erótica.

Com a ponta dos dedos, ele contornou a beirada da minha calcinha de maneira provocante. Primeiro mais junto à coxa e, então, para meu prazer, avançou, chegando ao cento da minha feminilidade, com movimentos circulares e lentos, e quando ele encontrou o ponto mais sensível, soltei um gemido abafado pelo beijo. Seu toque era perfeito. A medida certa de delicadeza e pressão.

Precisava de mais, tinha que o sentir. Deixei-lhe os abios por um momento e estendi a mão, descendo sua camisa por seus ombros, afaguei o peitoral dele devagar, sentindo o contorno de seus músculos, desci minhas mãos ao longo do abdômen musculoso dele. 

Nós beijávamos faminto, como se precisássemos devorar ao outro. Não era preciso palavra, apenas toques e mais toques.

Troquei de posição deixando-o encostado sobre a pedra, enquanto desabotoava suas calças abaixando-a até os joelhos, a visão de seu membro pulsante e firme me fez deseja-lo ainda mais. Assim que minha mão segurou seu membro e passou a língua por toda sua extensão, foi como disparar um gatinho. O corpo todo dele se retesou, a respiração ficou ainda mais ofegante.

Eu podia apostar que esse moreno era quase insaciável uma vez que o fogo do desejo se alastrava e era isso que eu queria, aproveitaria tudo que ele poderia me oferecer.

Eu sei que isso vai me dar problemas, pois esta noite estou fazendo um trato com o diabo. Mas essa noite, eu sou sua e moreno você é meu...

Oh.. eu estava em brasa. Ter seu membro em meus lábios, era delicioso. O fitei e ele me olhava com um sorriso no rosto, e quando o coloquei por completo e minha boca, ele tombou sua cabeça para trás, comecei com movimentos lentos e fui intensificando, ora o outra ficando só na cabecinha e outra forçando o máximo para dentro.

Ele grunhiu e gozou. Ele voltou seu olhar para mim, ofegante, mais não parecia nem um pouco satisfeito, mais rápido do que consegui acompanhar ele me levantou, trocando mais uma vez nossas posições.

Ele abriu minhas pernas, beijando a parte interna de minhas coxas, passando a língua pela lateral da minha intimidade, para enfim me chupar, deliciosamente, meu corpo todo estava arrepiado.

Minha cabeça pendeu para trás, eu estava a mercê dele, ele controlava a intensidade do meu prazer, que aumentava mais e mais. Oh, sim, mais prazer. Mais

Ele deslizou um e, depois dois dedos, escorregando habilmente por meu calor úmido. Eu ondulei meu quadril, arqueando-me, em busca de mais contado.

- Oh sim..... – gemi

Ofegante, com a mente rodopiando, fechei os olhos, concentrando-me todo o meu ser no toque experiente do moreno sex.

O cheiro másculo e sutil dele se misturou com o fresco do oceano, fazendo com que tudo parecesse surreal.

Me excitando ainda mais.

O nervosismo, a preocupação com a possibilidade de alguém ir naquela direção acrescentou uma nova dimensão. A noção do perigo deixou-me eufórica, me fazendo sentir-me ainda mais ousada.

Nuca fui exibicionista, evitava ao máximo demonstração exagerada de carinho em público.... Mais essa sensação de que alguém pudesse flagra-me tão próxima de um orgasmo.... Deus do céu...

Mais uma vez corria as mãos por seu ombros e braços musculosos, arranhado lentamente. Era um corpo incrível. Uma obra de arte.

Queria toca-lo ainda mais. Mas recostada naquela rocha, não tinha forças para se mover, não enquanto ele estava me dando tanto prazer com seus dedos experiente.

Os dedos se moveram ainda mais depressa por meu calor úmido e escorregadio, penetrando, massageando o clitóris, eu achei que iria desfalecer de tanto prazer. Eu não aquentava mais o clímax me arrebatou de forma tão intensa que não pude conter um grito extasiado.

Estava tão concentrada que quase não ouvi o som de um invólucro sendo aberto enquanto ele se preparava, minhas pernas se abriram ainda mais, como se tivessem vontade própria, estava pronta para recebe-lo.

Em vez disso, me surpreendendo quando ele me segurou, erguendo-me da pedra e virando-se ao mesmo tempo, de maneira que ele se recostar-se na rocha. Com sua mão grande e fortes ele segurou-me pelas nádegas, posicionando-me.

A ponta quente de sua masculinidade tocou-me, me fazendo ansiar pelo avanço.

- Pronta para um pouco de calor? – perguntou rouco.

- Com certeza – eu o abracei pelo pescoço – porque até agora tudo foi brando demais.

Ele soltou uma risada descontraída, para em seguida me penetrar lenta e firmemente, sem quebrar o contato visual. Nada poderia ter feito me sentir melhor.

Nenhuma parte do meu corpo existia, além da parte que se ligava a dele, se concentrando no deleite que suas longas arremetidas proporcionavam.

Ele se movia devagar, apenas ondulando o corpo, a mão segurava firme minhas nádegas, enquanto as pontas dos dedos roçavam na pele sensível na parte mais interna.

Movimentos deliciosos.

- Goze para mim, doçura – disse ele numa voz intensa.

Oh... como se eu tivesse recebido um ordem, fui arrebatada por um clímax intenso instantaneamente. Entreguei-me ao prazer tão absoluto que não ouve lugar para mais nada.

Deixei a cabeça pender para trás, recebendo beijos molhado por todo meu pescoço.

- Segure-se firme, ainda não acabei... te darei mais um orgasmo...

Duvidava. Não acreditava que poderia me dar mais um tão cedo.

Sem deixar de me segurar firme, inclinou a cabeça alcançando um de meu mamilo, sugando-o com vontade. Gemidos escapou pelos meus lábios, enquanto ele aumentava ritmos das investidas.

Não havia dúvida, aqui estava um homem que gostava de um desafiou, me prometeu mais um orgasmo e desfrutaria de bom grado.

Ele mordiscou um mamilo e depois o outro, deixei mais uma vez, a cabeça pender para trás era como se flutuasse no ar. As sensações espalhavam-se dali até as partes mais sensível de seu corpo. Ele estava dando todas as cartas, mas eu não era do tipo passiva, e tinha mais próprias cartas nas mangas.

Queria que ele sentisse o mesmo prazer que me proporcionava. Queria enlouquece-lo, leva-lo ao ponto de não conseguir recuperar o controle.

Queria sabe que o deixava tão louco por mim quanto estava por ele nesse momento. Mas na atual posição, se tentasse movesse ou se inclinasse para tentar usar as mãos ou os lábios, poderia acabar caindo.

Só restava os quadris.... Recorrendo aos exercícios de Pilates, que fazia três vezes por semana, contrair os músculos internos e flexionei os glúteos para poder segura-lo com firmeza enquanto deslizava dentro.  

Ele pareceu surpreso, mais uma agradável surpresa acompanhado que um grunhido satisfeito, sua arremetida seguinte foi forte e profunda. Então deu um gemido abafado e não pode mais manter o controle.

Eu abri um sorriso malicioso, e voltei a contrair os músculos em torno dele, dessa vez ondulando o quadril,

- Porra – disse ele.

Eu me entreguei a mais um orgasmo e foi o quanto bastou para que o moreno também se entregasse com abandono ao próprio êxtase.

Deu arremetidas rápidas e frenéticas. Um prazer intenso nos dominou. Longos espasmos percorreram seu corpo em onda após onda de deleite.

Deixei minha cabeça desabar no ombro dele, os músculos de minhas pernas estavam trêmulos, deixei-as cair tocando o chão, sentindo a areia fria entre meus dedos. Parecia que eu tinha corrido uma maratona, e o moreno delicioso na minha frente não estava diferente.

Totalmente incrível....

Ele ainda tinha os braços envolta de minha cintura. Levantei o olhar o vendo me observar.

- Parece que cumpriu o que prometeu – disse e ele sorriu

- Acho que nos dois cumprimos que prometemos um ao outro – disse num tom manso.

Ele me solto de seus braços, me dando espaço para me recompor.

Depois disso ele ergueu a mão traçando o contorno do meu lábio inferior com o polegar, uma caricia gentil, seguida de um beijo igualmente gentil.

 

 

O deixei em um ponto de taxis e segui rumo ao meu lar, não sabia se o veria novamente, talvez, se eu voltasse aquela boate, mas não tinha intensão de ter outro momento desse com ele, e a julgar pelo fato dele não ter perguntado meu nome significava que compartilhávamos do mesmo pensamento.

Mesmo que tenha sido uma noite inesquecível...

Oh sim... essa foi uma noite e tanto.

É moreno... você me deixou desequilibrada.


Notas Finais


Então, o que acharam?

Espero realmente que tenham gostado

Até o próximo encontro

Beijos ^.^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...