História Desert - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 3
Palavras 2.504
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Mistério, Romance e Novela, Suspense
Avisos: Adultério, Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiiii, tudo bem com vocês?
Meu nome é Dyulhie(Julie) mas podem me chamar de Dyu. Escrevi está fic por que tive essa super idéia, ela significa que as vezes vezes a gente se apaixona por alguém pensando que a pessoa é de um jeito e ela é totalmente o contrário, dando uma impressão de uma dupla personalidade. Espero que gostem.


Bjs bjs

Capítulo 1 - Rico e egocêntrico


Fanfic / Fanfiction Desert - Capítulo 1 - Rico e egocêntrico

Dia 15 
Helena se arrumava em frente ao grande espelho, enrolou seu cabelo em um coque alto, passou uma leve maquiagem, colocou uma roupa formal composta de uma saia social cinza que ia até os joelhos uma blusa rosa-claro de botão, também social e um sapato alto nude, pegou uns trocados para o taxi, deu uma leve olhada para a chave de sua moto sobre a comoda, mas pensou que não seria muito ético ela aparecer em uma moto com uma roupa social ainda mais de saia, andou uma quadra até avistar um taxi livre, ao entrar disse.


-Para Avenida Drew Play por favor, prédio L&H construtor.


 Estava apreensiva havia conseguido uma entrevista de emprego em uma das melhores e mais famosas construtoras de Atlanta, era um simples cargo de secretária mas era o bastante pra ela naquele momento, o dinheiro estava no fim, suas economias estavam super apertadas e como depois que se formou na faculdade ainda não havia sido chamada para uma entrevista em seu verdadeiro cargo que era engenheira civil, não se deu ao luxo de escolher muito. Pensou que estando dentro de uma construtura mostraria tudo o que sabia e logo seria reconhecida. Com os pensamentos altos olhou a cidade que tanto amava passar ante aos seus olhos e sorriu, estava conseguindo o que tanto almejava. 
Depois de acertar as contas com o motorista do taxi, encaminhou-se para dentro do prédio de mais de quarenta andares. A primeira coisa que viu ao entrar foi um saguão enorme e branco com apenas uma bancada no meio e várias recepcionistas trabalhando, chegou perto e com um sorriso tímido perguntou onde era a sala 406 do Senhor Liam Payne, com gentileza uma recepcionista ruiva a atendeu, e lhe indicou o elevador que devia tomar, ela agradeceu com cordialidade e pegou o elevador que tinha apenas um botão que a levaria até o último andar, achou aquilo trivial e pensou que era ridículo ter um elevador para apenas uma sala. Porém estava enganada, chegou em mais um saguão, onde viu várias moças sentadas lendo alguns papeis, de primeiro ela se assustou, não parecia ser uma entrevista de emprego e sim um desfile, as moças eram uma mais linda que a outra, engoliu a seco, se fosse por aparência nunca que aquele emprego seria seu. se direcionou ao balcão, e uma mulher morena a atendendeu.


-Nome, por favor. - Falou a mulher a sua frente olhando para a tela de seu computador


- Helena -falou com a voz fraca, então pigarreou e repetiu com mais firmesa- Helena 


A mulher escreveu algo em seu computador e então sorriu e disse.


-Senhorita Dantan, pegue esse formulário e termos e leia-o, após fazer isso devolva-o assinado, e logo a chamaram para entrevista. 


Helena pegou o formulário de duas páginas achou um banco vaziu e se sentou rubra por ser o patinho feio da área. Ignorou o sentimento e começou a ler o papel. Nele continha uma breve história da empresa, como foi formada e o por que, havia também o que se esperava de uma empregada da empresa e o comportamento dela. "Parece um maniaco por controle ditando regras" pensou. logo que terminou assinalou algumas perguntas triviais no papel e assinou, logo após levando-o para o balcão e a entregando para a mesma mulher que a atendera. Voltou a sentar-se e encarou uma grande porta a sua frente, era lá que o homem podia dizer sim ou não para ela. Imaginou como ele seria, um velho de uns cinquenta anos carrancudo e irritado com o mundo. Logo o primeiro nome foi chamado e uma mulher morena de olhos azuis entrou tropeçando em seus pés, três minutos depois saiu desolada, cabisbaixa olhou apenas para o chão e não disse nada a ninguém, pegando o elevador e descendo ainda triste para o saguão. Com a segunda aconteceu a mesma coisa, com a terceira... Decima, nem uma ficava nem cinco minutos na sala e já saia com um olhar vazio e sem expectativas. Helena tremeu por dentro mas manteve-se séria em consentrada, faltando apenas três contado com ela para entrar na sala seu nome foi foi chamado.


-Helena Dantan. - Uma voz grave anunciou dentro da sala 


Helena engoliu a seco e se direcionou a sala a passos largos e decididos, a porta se abriu para ela entrar e assim que ela entrou se fechou atrás de si por um segurança. ela podia ver a cidade toda pela grande vidraça da sala, quase se destraiu, mas assim que olhou para a frente viu uma grande mesa a uns três metros de onde estava, a sala era composta pela mesa, uma cadeira que estava virada escondendo a pessoa que estava sentada nela, duas poltronas brancas em sua frente, uma grande estante cheia de livros, um sofá branco, uma mesa de centro e vários armários o qual provavelmente continham documentos. 

-Sente-se - Falou a voz de traz da mesa, nem se dignou a virar e olha-la -Helena,certo?

-Sim.- Respondeu simplesmente ao se sentar em uma das poltronas 

-Aqui diz que é formada em engenharia Helena, é verdade?- Perguntou a voz 

- Sim é verdade.- "Se está escrito ai provavelmente é verdade" pensou óbvia levantando uma sobrancelha

- E por que uma engenheira formada quer um cargo de uma simples secretária?

-Ainda não fui chamada para nem um cargo a ver com a minha formatura senhor. -Falou simples

-Talvez não tenha talento pra isso.- O homem a insultou 

-Me esforcei ao maximo em minha faculdade para tal. Acho que sim, tenho talento!- Devolveu em altura

- Acha que tem? Isso não é o batante para minha empresa -Riu o homem - Esta dispensada.

Helena entendeu o porque nem uma mulher ficou tempo suficiente naquela sala, ele apenas a tratou com aminima falta de atenção e decoro. Helena respirou fundo e não mediu as palavras.

-Se o senhor tivesse a mianima bondade e decoro de se virar e me olhar em quanto coversamos aposto que chegariamos a um consenço!- Falou e logo em seguida se arrependeu. O Homem a sua frente virou a cadeira vagarosamente, tão de vagar que Helena ouviu o compasso de seu próprio coração, e em sua frente o homem se revelou. Era lindo! Estava vestido com um terno muito bonito todo alinhado não tinha nem trinta anos, e estava lá naquele posto, ela sentiu que estava ficando rubra. Mas o homem também pareceu surpreso ao vê-la.


-Isobel?- Perguntou intrigado.


-Desculpe, o que? Meu nome é Helena como consta em meu currículo.- Falou aconfusa.
Ele pareceu contraído, forçou seu maxilar e suavizou sua expressão e disse apenas.


- O que dizia?
Helena respirou fundo e continuou a falar.

- Não estou aqui para o emprego de engenheira estou aqui para o de secretária. Fiz vários cursos ao qual me encaixaria perfeitamente em sua vaga, coloquei apenas que havia me formado por que no currilo estava escrito que era obrigatório. - Disse tudo muito rapidamente e gesticulando

-Certo. -Falou simples voltando a analisar os papéis - E trabalhou de que antes?

-Vendedora em uma loja de artigos esportivos.

-Por que foi demitida?

-A loja estava passando por uma faze difícil e eles cortaram metade de seu pessoal e como havia pessoas que precisavam mais que eu do dinheiro, pedi para sair.


-Então sair de lá foi uma opção sua?- Pareceu avalia-la

- Sim. Havia acabo de me formar e pensei que não seria tão difícil encontrar um emprego em minha área.

-Não pareceu prudente, estava despreparada.

-Estava. Mas agora não estou, me esforcei muito em minha faculdade como já o falei, apenas acreditei que seria facíl mas me deparei com o mundo real, agora estou preparada para ele. -Falou ela de relance ele a olhou de forma mais intensa

-Não fez nem um estágio enquanto fazia faculdade?

-Eu poderia escolher entre fazer o estágio mas o salário seria mínimo, e eu estava pagando minha faculdade e cuidando de minha casa, não teria dinheiro o suficiente para os dois.

- Se você se formou em engenharia, e se eu te desse esse emprego de secretária, você acabaria largando esse emprego para qualquer outra oportunidade que lhe aparecesse em engenharaia. Estou certo? Aqui senhorita Helena precisamos de uma pessoa que tenha compromisso com a empresa e comigo também.- Falou intensamente

-Eu sei de tudo isso senhor Payne, ao contrário não teria me candidatado a vaga, fiz uma escolha, avaliei todos os prós e os contras, sei que entrando aqui terei um emprego sério ao qual não deverei larga-lo para buscar outro.

-Pensou em que então? Que estando aqui, veriamos seu trabalho como engenheira e no fim a colocariamos em tal cargo?- Pareceu um deboche o qual ela recebeu como uma facada no estômago 

-Pensei em mostrar o meu melhor aqui dentro, quando eu fizer isso quando te mostrar  ao que vim e o porquê, Sr.Payne entenderá. Não irei mentir, almejo sim algo melhor do que um emprego de secretária, mas entendo que isso irá demorar e não será do dia para a noite, como disse senhor estou preparada.- Falou ela firme, com uma firmesa ao qual aparecia só em extremos e aquilo era um extremo.

O Homem a olhou ainda intrigado, pegou seu telefone e disse.

-Resolvido o problema Harry, peça a Amanda que dispense as restantes.- Agora foi a vez de Helena o olhar com dúvida 

-Venha amanhã as nove. Não se atrase! Veremos se está mesmo preparada. - Falou virando a cadeira novamente. -Dispensada.

Helena fez uma careta com o comportamento hostil do homem, mas por dentro estava soltando foguetes, consegiu passar na entrevista.

-Obrigada- falou séria  e saiu sem ouvir a resposta.

Saiu a passos largos de sua sala deixando o barulho de seu salto.

-Parabéns.- Falou a mulher morena que a tinha atendido- Boa sorte, até amanhã.
Helena sorriu tímida para ela e olhou suas "concorrente" todas com a mes expressão de desolamento. Helena sentiu-se responsavel e falou simples para elas.

-Boa sorte para vocês também.- E logo pegou o elevador radiante descendo ao terreo.


Ao chegar em casa depois de ir andando mesmo quatro quilômetros e meio com aquele salto, sentou-se no sofá satisfeita e vitoriosa, logo levantou e se foi para seu quarto onde arrumou sua roupa para o dia seguinte. 

°*°*°*° Em quanto isso °*°*°*°

Logo após terminar a entrevista Liam foi direto para uma reunião,ficou muito pensativo, ele conhecia aquele rosto, aqueles olhos, mas estavam diferentes menos inoportunos talvez. mexeu em seu bolço e logo encontrou seu celular o qual manteve-o abaixado para que os outros acionistas não o vissem com ele. Lá estava o número de uma mulher chamada Isobel. " Mas em seu currículo estava um numero difente" pensou olhando em seu celular " E o nome também, será que não se lembra de mim?" pensou ainda mais intrigado "Impossivel não se lembrar depois de tudo aquilo... Toda aquela noite". E com um sorriso descarado desligou o celular "Deve ser outra pessoa"


*Uma semana antes*

Liam arrumava-se para ir a balada mais chique e cara de Atlanta, estava muito carregado com o trabalho, sua secretária tinha acabado de ser mandada embora por ele por seder arquivos com projetos para uma empresa concorrente. Acabara de perder seu braço direito. Depois de se arrumar com uma roupa despojada ( O que para ele era muito raro) Pegou a chave de seu carro esportivo e se foi para seu destino. Ao chegar foi ultrapassando a fila que era enorme, e assim que o segurança o viu retirou a fita para que ele pudesse passar era já conhecido no local, afinal era um jovem emprensario bem sucedido e  muito rico, era amigo intimo do dono da casa. Ao entrar foi diretamente para o bar, sentou-se na bancada e logo um garsom veio atende-lo, ele pediu um conhaque caro e virou-se para a pista de dança.

A Balada também continha um palco o qual várias dançarinas rebolavam lá em cima, quase todas demonstravam cansaço e desânimo se poupando em cada movimento, com um sorriso falso nos lábios. Menos uma. Ela dançava animadamente, mexendo os quadris de um lado para o outro mantendo suas mãos acima da cabeça, era loira, estava com uma mascara tampando o rosto, a cada movimento os homens a baixo do palco gritavam a cantando ou fazendo comentários futeis e descarados. Liam a olhou de longe e parece que ela sentiu seu corpo ser queimado por tal olhar que o avistou no bar bebendo seu conhaque. Sorriu ela sensual, a musica trocou para uma mais lenta, usava uma saia apertadissima preta e uma miniblusinha azul, ela então olhando para Liam, mexeu ainda mais seu corpo com movimentos sex e sensuais, liam sorria maliciosamente do outro lado da boate. assim que a musica acabou ele se levantou e foi ao seu encontro parando em sua frente no pauco. Ela abaixou e disse:

-Saio apenas de manhã.- Ia volta a dançar mas Liam a seguroau pelo pulso disse:
-O dono que por um acaso é seu chefe é um amigo de longa data meu, acho que ele não vai se incomodar se você sair dai por alguns minutos.

A mulher dirigiu seus olhos azuis para o outro lado da boate novamente até o bar deparando-se com o olhar intenso de seu chefe, que apenas acenou um leve sim com a cabeça, ela sorriu e desceu do pauco segurando em suas mãos, foram para a pista de dança, começou a tocar mais uma musica David Guetta Bang my head, enquanto dançavam perto de mais conversavam:

-Pode tirar por um momento essa mascara?-perguntou ele


Ela tirou, e ele teve o vislumbre de seu rosto, seus olhos, seu sorriso o formato de seu rosto, como ela era linda.

-Seu nome é?- Perguntou ele desviando seu olhos dos dela

-Isobel.-Disse sorrindo

-Lyam Payne, sou dono da empresa...

-Sei quem você é... É popular por aqui senhor Payne- Falou com um duplo sentido, ele de fato era conhecido, mas era conhecido muito mais pelas dançarinas que regularmente eram seus alvos .

-Minha fama me precede...

-Sim, de cafajeste.

Lyam se surpreendeu com sua ousadia.

-Sou livre e desimpedido, rico e bonito. Tenho dotes que qualquer mulher gostaria.- Ela riu divertida e disse.

-Não sou qualquer mulher.

-Aposto que não é. Adoraria ver suas diferenças.

Ela sorriu para ele, um sorriso enigmático

-Talvez eu não queira.-Falou parecendo um desafio para Liam, que sorriu maliciosamente

-Vamos tomar alguma coisa.- Falou já a puxando

- Não posso beber, estou trabalhando.- Falou ela apreensiva

-Como eu disse o seu chefe não vai se importar- Falou ele sorrindo para ela que aceitou um copo com uma bebida forte 

Depois de vários copos e conversa ao  qual ela revelou ser nova na cidade e ter o sonho de ser dançarina proficional. ele tão pouco falou, ela parecia saber o suficiente de sua vida. Logo voltaram a dançar e logo a dança virou um beijo muito caloroso ao qual terminou em um quarto de um Hotel caro de Atlanta com direito a banheira de hidromassagem e uma garrafa de vinho tinto.
 


Notas Finais


O que acharam?
Me sai bem para o primeiro Cap?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...