História Desire - Capítulo 3


Escrita por: ~

Exibições 228
Palavras 2.036
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drabble, Drama (Tragédia), Ecchi, Escolar, Fluffy, Harem, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Suspense, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hallo pessoas, tudo bom com vocês?
Espero que sim.

Queria agradecer pelos favoritos. Mais de 30 favoritos em duas atualizações é incrível. Ah, sem falar nos favoritos de "Toxic" também.

Se você não acompanha minha outra fic (Toxic) e tem curiosidade, deixarei o link nas notas finais.

Enfim, estou com outro projeto de fic que eu achei muito legal. E beeeeeeem fluffy.

É um tema que nunca vi ser abordado por aqui, então achei que seria interessante. Tentarei postar próxima terça e atualizar de semana em semana.


Vocês acompanhariam?


Me respondam nos comentários, se puderem.

Outra coisa: Para aqueles que acompanham Toxic, provavelmente amanhã não poderei atualizar porque minha família vai me arrastar para um aniversário.

Já viu aquelas fotos que é uma pessoa presa em um covil de cobras? É tipo assim.

Não me culpem, não estou exagerando.

Enfim... Acho que já enchi o saco de vocês demais.

Vamos ao Capítulo?

Espero que gostem.

Capítulo 3 - Capítulo II


   Uma semana depois...



- Taehyung?

A voz de Jimin atravessou toda a sala de aula para alcançar o jovem atraente de cabelo castanho que estava sentado, junto ao melhor amigo, na parte de trás. Perdido em seus pensamentos.

Vinte pares de olhos se viraram para seu rosto pálido e longos cílios, seus dedos finos e brancos seguravam uma caneta.

Em seguida, os vinte pares de olhos viraram de volta para o Professor, que ficou perfeitamente imóvel e começou uma carranca.

Uma tosse modesta à sua direita chamou a atenção do jovem. Era Jungkook e tinha olhos preocupados.

Taehyung olhou lentamente para o rapaz, sentado ao lado dele. O amigo sorriu amarelo e jogou os olhos para a frente da sala, para o Professor.

O Kim seguiu o seu olhar lentamente, encarando um par de olhos escuros, que a observavam com raiva.

Engoliu ruidosamente.

- Você se importaria em se juntar a nós? Ou ainda está fora de órbita? - A voz de Jimin era glacial, como seus olhos.

Os demais alunos se moviam em seus lugares e davam olhadas furtivas de um para o outro. Suas expressões, diziam: "O que está acontecendo com Tae hoje? Ele não é assim.", mas eles não disseram nada.

Taehyung abriu a boca e fechou-a minuciosamente, olhando para aqueles olhos negros arregalados, como um gatinho assustado.

- Esqueceu como se fala a sua língua materna? - Jimin zombou. - Posso fazê-lo voltar ao maternal e aprender o coreano. De maneira correta.

Uma jovem de cabelos negros sentada à sua direita tentou sufocar uma gargalhada, tornando-a uma tosse pouco convincente.

Todos os olhares se voltaram para o garoto que ficou vermelho enquanto abaixava a cabeça, finalmente fugindo do olhar do Professor.

- Talvez alguém seja gentil o suficiente para responder à minha pergunta? - perguntou o professor

A garota à sua direita estava muito ansiosa. Esta se virou para ele e sorriu enquanto formulava uma resposta. Jimin a interrompeu.

- Jungkook... nos daria a honra? - perguntou.

Jungkook acenou levemente enquanto respondia a pergunta dele com grande detalhe.

Pouco tempo depois, enquanto o Professor zumbia e falava sobre as fases da geração romântica e as famosas obras e escritores, Jungkook dobrou um pequeno pedaço de papel deixando na cadeira do amigo que estava ao seu lado, Taehyung.

No início, o outro não percebeu, mas uma suave expressão chamou sua atenção para o amigo ao seu lado.

- O desculpe por isso. - começou o mais novo. - O que está acontecendo, Tae? Você não costuma ser assim.

- Perdão, Kookie. - respondeu ao amigo. - Eu só não estou com muita cabeça hoje.

- O que aconteceu? Brigou com o Hobi de novo?

- É tão notável assim?

- De forma alguma. - zombou. - Ele só se sentou lá na frente, do lado da ex namorada dele.

- AISH, pare de me lembrar isso. - pediu o mais velho, tampando os ouvidos.

Jungkook sorriu, deixando o ar simpático se espalhar pela face.

- Algo engraçado Jungkook? Taehyung? - perguntou o professor, na frente da sala.

Jungkook e o amigo encararam a frente da sala. O primeiro piscou os olhos lentamente para o companheiro.

- Não foi nada professor. - começou o Jeon. - Agora, o que o senhor estava dizendo sobre a geração ultrarromantica? - perguntou, de maneira manhosa, vendo um pequeno sorriso surgir nos lábios do seu amado professor.

▪▪▪▪

- Taehyung ficou muito chateado com o modo como falou com ele, hoje mais cedo. - disse Jungkook, enquanto ajeitava a pilha de livros que repousava nos braços fortes do professor.

Faltava cerca de meia hora para o final do almoço e, consequentemente, para a abertura da biblioteca.

As aulas tinham acabado mais cedo, já que um dos professores havia faltado. Depois de uma conversa com a diretora, Jimin e o aluno partiram para a biblioteca afim de organizar tudo antes que os alunos começassem a chegar.

Em relação à aquilo, Jimin não tinha para onde fugir. E, durante aqueles momentos, agradecia por ser um renomado professor de literatura. Assim, poderia desfrutar mais alguns momentos com seu desejado aluno.

- Não me culpe. - começou o Park, acompanhando o garoto enquanto levava os livros nas mãos. - Ele estava muito estranho. Ele está com problemas?

- Que nada, só uma briguinha boba com o Hobi. Nada demais. Tenho certeza que mais tarde já fazem as pazes. - brincou.

- Eles não brigam demais para um casal?

- Eles sempre foram assim, Jimin Hyung. Só conhecê-los um pouco melhor e você perceberá.

- Talvez não seja uma boa ideia. - murmurou. - Eles parecem não gostar de mim.

- Bom, eles adorariam que você não fosse tão rigoroso. Mas eles gostam de você. Acho que é porque você é bonito.

Jimin conteve uma risada.

- Eles gostam de mim pela minha aparência?

- Do que está reclamando? Você já viu os professores daqui. Parece que saíram de livros mitológicos. Devia considerar um elogio.

- Não seja maldoso.

- Não estou sendo. - rebateu o aluno. - Ok, eu gosto deles. Mas não posso dizer que eles são bonitos.

- Eles também gostam de você. - sussurrou o professor. - Todos gostam, na verdade. Não é, menino de ouro?

- Inferno, não sabe como eu odeio quando me chamam assim. - disse Jungkook, revirando os olhos. - Me sinto aqueles filhinhos de papai.

- Mas você é um...

- Eu sou diferente. - rebateu, rapidamente.

Andaram por mais alguns minutos, colocando todos os livros em suas devidas prateleiras.

- A Myoui não gostou quando você ignorou a resposta dela. - disse Jungkook, se sentando em uma das mesas da biblioteca.

- Eu realmente não me importo.

- A diretora chegou a comentar que acha que ela está ficando muito próxima a você.

- Engraçado, é com você que eu estou conversando na hora do meu almoço. - disse o Park, rindo. - Eu deveria está comendo, sabia?

Jungkook corou.

- AISH, porque faz isso?

- Isso o que? - perguntou Jimin.

- Fala desse jeito. Sinto como se não gostasse de ficar perto de mim.

- Mas colocando no papel é estranho, não é? - continuou, erguendo a sobrancelha. - É claro, os outros professores também são bem próximos a você.

- Ser o presidente do Conselho nos dá algumas vantagens. - respondeu.

- Tipo?

- Eu posso ficar mais tempo com algumas pessoas. Como com você. - sussurrou. - Eu gosto...

- Também gosto de ficar com você, Jungkookie. - começou. - Só não quero que começem a achar estranho, entende?

- É claro.

- Você tem razão, é bem diferente dos outros alunos.

- O que em mim é diferente? - perguntou, caminhando até o professor que estava encostado em uma das estantes de livros.

Por longos momentos, Jimin apenas o encarou, e Jungkook se perguntou o que ele tanto pensava.

O seu cheiro o provocava. Um toque de especiarias sem ser forte demais. O perfume de seu professor combinava bem. Complementava seu cheiro natural, enquanto dava um toque másculo tentador, amadeirado e de... sofisticação.

- Pare de me olhar assim - murmurou. - Inferno.

- De que maneira estou te olhando? - perguntou o Jeon, se encostando na mesa.

- Jungkook...

- Do que você tem tanto medo?

- Não tenho medo.

- Então porque fica assim? - continuou. - Eu já percebi, você fica estranho quando está do meu lado.

- Não posso dizer que é fácil ficar aqui com você.

- Porque não? Não estou te mordendo, estou?

Bem que poderia, pensou o mais velho.

- Porque não responde logo? - insistiu, mordendo os lábios.

Malditos lábios.

Que tudo fosse para o inferno. Jimin não se importava, já estava condenado mesmo.

- Que diabo – murmurou.

Foi um som de resignação, como se estivesse cedendo a alguma força desconhecida. Antes que Jungkook pudesse dizer alguma coisa, Jimin o puxou para a frente, de encontro ao seu peito forte.

O aluno entreabriu os lábios surpreso, soltando um pequeno suspiro. Seus lábios estavam próximos aos dele.

De maneira tentadora.

Podia sentir o seu hálito quente, ver o músculo se mexendo em sua têmpora. O maxilar ficou rígido, evidenciando quanto estava se esforçando para se conter. Mas, então, o Park pareceu perder a batalha.

Jimin cobriu os lábios dele com um beijo forte, quente, exigente. Ah, Jungkook adorava aquilo.

A língua dele invadia sua boca com erotismo e sensualidade, entrelaçando-a com a do outro, acariciando-o numa dança delicada.

O Park não estava simplesmente beijando-o. Ele o devorava.

Ele o possuía com apenas um beijo. Qualquer outro garoto que Jungkook tivesse beijado desaparecia na obscuridade.

O Jeon suspirou, permitindo-se derreter completamente no abraço dele. Foi como se seu corpo tivesse entrado em combustão, buscando mais. Mais.

Mais de Jimin.

Do calor dele, de seu toque, daquela boca tentadora como o pecado. Era tudo que ele poderia ter sonhado e mais. Suas fantasias, sua imaginação... não tinham nada a ver com o mundo real.

Quando o Park arrastou os dentes sobre os lábios do outro, mordiscando-os de leve, Jungkook sentiu o corpo ser erguido e, segundos depois, ser jogado com brutalidade sobre uma das estantes.

Passou as pernas pela cintura do mais baixo, que levou as mãos as suas coxas o fazendo ofegar baixinho.

Jungkook conseguia sentir o volume vindo da calça do mais velho. Jimin também via que era recíproco.

O Park, então, abrandou os gestos, passando a língua com sensualidade pelos lábios dele e cobrindo-os com beijos suaves.

- Por Deus, há quanto tempo eu quero fazer isso – disse o Park, numa voz rouca.

Jungkook estava aturdido. Por mais que estivesse imprensado sobre uma estante com um professor gostoso a lhe encoxar - uma cena fodidamente maravilhosa - Ele sentia suas pernas tremerem.

Nada poderia tê-lo preparado para o que acabara de acontecer.

Park Jimin o beijara. Seu desejado professor o beijara e, agora, roçava lentamente seus membros um no outro. Algo que o fazia gemer.

Jungkook sentia os lábios ainda formigarem depois do ataque sensual. Estava nas nuvens.

Jimin era letal para seus sentidos.

- Já disse para parar de me olhar desse jeito. - resmungou ele. - Estou ficando em sérios apuros.

Se eram do tipo delicioso que suspeitava, Jungkook certamente não se importaria em entrar em apuros com ele.

- De que maneira estou olhando para você? – perguntou o mais novo, rouco.

- Como se quisesse que eu rasgasse essa maldita farda e te fodesse aqui mesmo.

O Jeon concluiu que provavelmente era melhor não dizer nada.

Não tinha certeza do que acabara de acontecer ali. Seus sentidos estavam a mil e ainda era difícil lidar com o fato de que Park Jimin o beijara e, então, de maneira maravilhosa e grosseira, estava se insinuando a fazer sexo com ele.

- Se for isso que você quiser - murmurou, o mais novo. - Fique a vontade.

- Não é assim que as coisas funcionam, meu amor. Não quero que seja assim - apontou para o cômodo. - Desse jeito.

- O que está me propondo?

- Vá me ver amanhã, Jungkook. Na minha sala. Assim que acabar o período de aulas.

- Porque? - balbuciou.

Jimin adquiriu uma expressão dura, os olhos brilhando com uma expressão intensa que o Jeon não

pôde interpretar.

- Porque eu estou dizendo.

Jungkook arregalou os olhos, sentindo o professor o colocar no chão. O corpo ainda continuava bem próximo ao seu.

Sua mente estava um turbilhão.

As mãos do mais velho desceram por entre o abdômen, parando no cos da calça e o puxando para frente. Jungkook gemeu.

- Mas, prometo. - murmurou. - Se você for um bom menino, cuidarei desse seu problema amanhã. - terminou, as mãos passando entre as pernas do garoto.

Precisava sair dali ou o violaria em meio aos livros mesmo.

Ajeitou os cabelos e deu as costas para o aluno, deixando-o de pernas bambas. Encostado nas prateleiras.

Jimin soltou um suspiro e encarou a porta, virando para fitar o mais novo com o sorriso mais filha da puta possível.

 - E Kookie - o chamou, com uma voz rouca. Jungkook se segurou para não gemer novamente, somente ao ouvir aquela voz. - É melhor você aparecer...


Notas Finais


Outras Fanfics:

Toxic: https://spiritfanfics.com/historia/toxic-8907640

Desire Wattpad: http://my.w.tt/UiNb/H6N7YAqVmD

Bjs e até a próxima atualização amores. ❤❤❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...