História Desire - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Evans, Henry Cavill, Lily Collins
Personagens Chris Evans, Henry Cavill, Lily Collins, Personagens Originais
Tags Amor, Capitão América, Chris Evans, Família, Henry Cavill, Lily Collins, Romance, Sexo, Superman, Triângulo Amoroso
Visualizações 132
Palavras 1.223
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente, boa noite! As coisas vão começar a esquentar por aqui... Bom, se divirtam e boa leitura!

Capítulo 25 - Nem minha, nem de ninguém


Fanfic / Fanfiction Desire - Capítulo 25 - Nem minha, nem de ninguém

Chris


— Então quer dizer que vocês estão juntos agora?— Derek perguntou.

— Hm, mais ou menos.— respondi.— Estamos nos conhecendo, até ver no que vai dar.

— Sei...— ele sorriu maliciosamente.— Está ficando com outras garotas?

— Eu não sou você, Derek.— resmunguei.— Só não…

— Com licença,— Khloe entrou na sala de Derek como um furacão.— Joone me pediu para te entregar isso.— ela pôs os papéis na mesa sem olhar para ele.— Oi, Chris.

— Olá, Khloe.— sorri educadamente.— Como vai?

— Bem, obrigado.— ela sorriu.— Bom, tenho que voltar ao trabalho, com licença.


Khloe lançou um olhar fuminante para Derek e saiu em seguida. Tenho certeza que se saíssem raios dos olhos dela, ele saberia.


— Ela te odeia.— eu disse rindo.

— Não posso fazer nada em relação a isso.— ele deu de ombros.— Kira disse que chega na semana que vem, e que agora pretende ficar definitivamente aqui.— ele explicou.

— Você fala de mim, quando na verdade está de quatro pela Kira.— me levantei e mostrei o dedo para ele.— Vá se ferrar.

— Também te amo, cara.

                     –

Era tarde e eu estava com Lily em sua casa após sairmos da obra, estávamos vendo algumas planilhas quando a campainha tocou.


— Atende pra mim?— Lily gritou enquanto tentava impedir que Thomas destruísse seu celular.

— Claro.


Me levantei e fui até a porta, quando abri dei de cara com Vera, ela parecia espantada ao me ver alí e me perguntei se Henry não havia comentado nada.


— Chris?— ela fez uma carranca.— O que faz aqui?

— Vera.— dei um sorriso amarelo.— Estou trabalhando. Lily está na cozinha, entre.

— Oh, obrigado.


Quer dizer, eu não estou mentindo, eu e Lily estamos realmente trabalhando e dei graças a Deus por estar de terno. Isso não significa que eu não poderia estar em outros trajes (ou sem nenhum) circulando nessa casa, como ontem à noite.


— Ve-Vera...— Lily deu um sorriso montado.— Aconteceu alguma coisa?

— Eu vim conversar com você sobre o aniversário de Thomas.— ela acenou para o menino que acabara de arremessar o celular de Lily ao chão.— Pelo jeito ele está bem agitado hoje.

— Thomas!— Lily reclamou, o pondo no chão o pegar seu celular.— Hm, sente-se. Aceita um café?

— Oh, sim querida.— Vera respondeu, se sentando em seguida.— Vocês trabalham juntos? Henry nunca mencionou isso...

— É recente.— expliquei.— Não sabia que Lily era casada com Henry na época.— me sentei no outro sofá em frente à ela observando Thomas correr no meio da sala.

— Como anda sua mãe?— Vera perguntou.

— Muito melhor.— respondi, encarando o menino que agora tentava chamar minha atenção, interrompendo as perguntas inconvenientes da avó.

— Thomas...— Lily fez uma careta para ele enquanto entregava o café para Vera.— Por Deus, o que você tem hoje?

— É normal para a idade,— Vera comentou.— não é, querido?

— Vem cá,— peguei ele no colo, jogando para o alto.— vamos procurar as maquiagens da sua mãe pra você quebrar.


Sumi com Thomas no corredor para o quarto de Lily.

Na verdade eu só estava tentando fugir de uma puta saia justa, Vera não tem vergonha em perguntar e eu não tenho paciência para responder.

                     –


Lily


Enquanto Chris e Thomas brincavam no quarto eu fiquei na sala aturando Vera e seus planejamentos exagerados para o aniversário de Thomas.

Ela queria fazer uma festa gigante para comemorar seus dois anos enquanto eu não fazia questão de porra nenhuma, por mim faria um bolo de chocolate com apenas duas velinhas em cima e deixava meu filho comer sozinho, já que ele não vai se lembrar de droga nenhuma depois.


— Bom, eu já vi o buffet e o tema da festa, tudo bem pra você?— ela perguntou.

— Não acha que é um pouco demais?— fiz uma careta.— Ele só vai fazer dois anos…

— Nada nunca é demais para meu primeiro neto. Não se preocupe, estou responsável por tudo.

— Então tá...— dei de ombros.

— Estamos resolvidas.— ela sorriu educadamente.— Hm, Lily… posso fazer uma pergunta?

— Claro.— respondi.

— Vou ser direta.— ela se ajeitou no sofá.— Você e Christopher estão… você sabe.

— Por que a pergunta?


Henry não contou nada à ela? Que estranho…


— Bom, ele parece bem intimo com você e Thomas...— ela murmurou.— Estou errada?

— Achei que seu filho já havia comentado…— cocei a cabeça.— Enfim, estamos nos conhecendo, nada demais.

— Nada demais?— ela riu.— Christopher e Henry se conhecem desde garotos, eles são amigos. Você acha normal manter um relacionamento com o amigo do seu marido?

— Sabe o que eu não acho normal?— estreitei os olhos, a encarando.— Um homem que trai a mulher com a mesma amante duas vezes e ainda a engravida.— eu me levantei ela me segiu até a cozinha.

— Eu estou tão envergonhada quanto você! Não aprovo o comportamento do meu filho.— ela disse.— Também não estou levando a sério essa gravidez, não creio que essa criança seja do Henry. Acho que você se precipitou com o divórcio.

— Eu não tenho nada haver com isso, é a vida que ele escolheu,— joguei as louças na pia.— assunto encerrado.

— Eu vou indo,— ela segiu para a porta.— te ligo para falar sobre o que resolvi do aniversário.

— Até, Vera.


A mulher saiu batendo a porta, Chris apareceu com Thomas no colo alguns segundos depois.


— Você também acha que o bebê não é do Henry?— Chris perguntou.

— Sinceramente?— parei em sua frente e beijei Thomie.— Eu não dou a mínima.

                    –


Henry


Hoje o dia está corrido aqui na empresa, já não bastando as várias reuniões com sócios e fornecedores, tenho de lidar com meu pai me dando sermões sobre meu casamento com Lily.


— Sua mãe está enchendo meu celular de mensagens.— meu pai encarava a tela do celular aborrecido.— Que história é essa de que Chris e Lily estão juntos?!


Ótimo, como Vera descobriu isso?!


— O que eu posso fazer?— dei de ombros.

— Você destrói um relacionamento de 5 anos por causa de uma qualquer e ainda entrega sua mulher de bandeja para o seu melhor amigo? Você não puxou isso de mim.— ele resmungou.

— Pai, ela pediu o divórcio.— murmurei.— O que queria que eu fizesse?!

— O mesmo que fez há três anos atrás quando a traiu com Megan. Beijasse os pés dela até voltar com você.— ele respondeu.— Parece que Lily é inteligente demais para isso…

— Ela é.— afirmei.— O que mais posso fazer? A merda foi feita e agora Megan está grávida. Falando nisso tenho que sair para acompanhá-la em uma ultrassom agora.

— Quando sai o exame de DNA?— ele perguntou.

— Semana que vem, espero que parem de me encher com isso.— respondi.

— Se for seu, não é?

— É pai...— passei a mão pelo rosto.— Hm, como mamãe descobriu sobre Lily e Chris?

— Parece ela foi esta tarde no apartamento de Lily e o encontrou lá.— ele explicou.


Até agora não dá para acreditar o quão filho da puta Chris está sendo comigo. Quer dizer, eu esperava isso de qualquer pessoa, qualquer um mesmo! Mas vir do cara que considerei um dos meus melhores amigos é uma puta facada nas costas. Agora ele está transando com minha mulher… ex mulher… ainda não me acostumei com isso.


— Hm, quer dizer que a coisa ficou séria...— murmurei.

— O que disse?— meu pai fez uma carranca.

— Oh, nada. Pensei alto.


Ah, isso não vai ficar assim, achei que ele havia entendido o recado o soco que dei na cara dele semana passada.

Se Lily não vai ser mais minha, também não vai ser de ninguém.


Notas Finais


Vem bomba por aí, minha gente​!
O que acharam do capítulo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...