História Desire - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Chris Evans, Henry Cavill, Lily Collins
Personagens Chris Evans, Henry Cavill, Lily Collins, Personagens Originais
Tags Amor, Capitão América, Chris Evans, Família, Henry Cavill, Lily Collins, Romance, Sexo, Superman, Triângulo Amoroso
Visualizações 119
Palavras 1.927
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi gente, boa tarde. Quando eu escrevi esse capítulo, não tive muita certeza se deveria postar, mas achei necessário. Enfim, boa leitura... Nos vemos lá em baixo!

Capítulo 26 - Qual é o seu problema?!


Fanfic / Fanfiction Desire - Capítulo 26 - Qual é o seu problema?!

CHRIS


— Por que não?— Lily fez uma careta pra mim.— Thomas gosta de você.

— O problema não é Thomas...— murmurei.— Vera fez o favor de espalhar para a cidade inteira sobre nós, com que cara quer que eu apareça na casa dos Cavill?

— Pensando assim...— ela se ajeitou em cima de mim.— é, seria bem esquisito.— ela concordou.

— Provavelmente Henry me colocaria para fora de lá a base de pontapés.— eu ri.— Bom, eu tenho que ir agora…

— Ah, não...— ela prendeu as pernas em minha cintura e os braços em volta do meu pescoço.— não vai não… fica.

— Já são 16:20, lindinha.— beijei sua bochecha.— tenho um compromisso, lembra?

— Seu compromisso tinha que ser quando estou sozinha em casa.— ela revirou os olhos e se jogou na cama.— Hoje é sexta feira, que tipo de compromisso você tem? Vai ver alguma outra garota?

— Mais ou menos...— cocei a cabeça e me levantei.— Hoje é aniversário da Taylor e Eve quer sair pra dançar e bom, tenho que ficar de olho.

— Na Eve ou na Taylor?— ela perguntou.

— Em ambas.— expliquei enquanto terminava de me vestir.— Elas são um pouco descontroladas quando se trata de álcool. Quer ir connosco?

— Elas não gostam de mim, Christopher.— ela se levantou, me ajudando a fechar os botões da camisa.— Isso não vai acontecer, esqueça.

                           –

LILY


Hoje é sábado e estou terminando de me vestir para ir comemorar o aniversário de Thomas na casa dos Cavill. Eu sei que é aniversário do meu filho, mas eu estou contando os segundos para que essa noite acabe e eu não tenha mais que aturar as cobras daquela casa.


— Está pronta?— Nina entrou no quarto com Thomas no colo.

— Sim...— encarei os pés de Thomie e vi que faltava um sapato.— cadê o outro pé do sapato?— perguntei rindo.

— Ele tirou de novo?— ela encarou o garoto um pouco zangada.— Qual o problema dele com sapatos?! Eu já pus de volta umas 5 vezes!

— Ele odeia sapatos.— eu disse, estendendo os braços para o menino sorridente.— Bom, depois que acharmos o sapato, podemos ir.

                           –

Pela quantidade de carros que haviam na porta dos Cavill me perguntei se isso realmente era um aniversário de uma criança de dois anos, provavelmente só vão ter velhas fofoqueiras e crianças com as quais meus filho nunca brincou na vida.


—Querido!— Vera veio sorridente até a criança assustada no meu colo.— Vem para a vovó.


Thomas negou com a cabeça e enterrou o rosto em meus cabelos, isso foi constrangedor… e engraçado.


— Deixe que Lily cuida disso, mamãe.— Henry apareceu retirando meu cabelo do rosto de Thomas, o que fez o menino sorrir.— Oi, garotão do papai.— ele sussurrou.


Henry estava bonito como sempre, cabelos penteados para trás com um ar fresco no rosto. Eu ainda tenho problemas sérios com esse homem perto de mim.

Tinham muitas pessoas e nem metade delas eram crianças, o pior de tudo foi ter que ficar ao lado de Henry a festa inteira, bancando a família feliz. Graças aos céus meus pais decidiram vir, Kira que acaba de chegar de viagem e Nina que trouxe Nicholas, um pouco de rostos amigáveis, pra variar.


— Ele não tira os olhos de você.— Kira disse sinalizando para Henry.

— E Megan não tira os olhos dele, não sei como essa criatura tem coragem de estar aqui...— Nina rosnou.


Isso é verdade, não sei que caralhos Megan veio fazer aqui, está visível o incômodo dos Cavill, principalmente Vera.


— Eu só quero que essa noite acabe.— revirei os olhos.

                         –


“Mamãe!”


Thomas chorou incessantemente quando Vera o entregava a uma mulher estranha que tentava tirar uma foto com meu menino no colo.


— Thomas!— Vera resmungou.

— Ele não quer.— murmurei.

— Lily, por favor.— Vera resmungou.— Deixe-me​ tentar educar esta criança pelo menos uma vez, eu…

— O que está querendo dizer?!— meu tom de voz mudou.

— Que seu filho é mal educado,— Megan resmungou.— e ele é.

— Garota, não se meta.— rosnei.— Venha, Thomie.— ele estendeu os braços para mim e me afastei delas.— Mãe, eu vou embora.

— Lily, espere, querida!


Coloquei Thomas no carro e quando dei por mim já estava em casa. De jeito nenhum eu iria ficar ouvindo desaforos de Vera e Megan tentando me ensinar a criar meu filho. Foda-se aquela festa, não conhecemos ninguém mesmo.

Vinte minutos depois alguém tocou minha campainha.


— O que você quer?— encarei Henry que entrou em meu apartamento sem minha permissão, ele cheirava a Uísque e isso não é bom.

— Qual é o seu problema?!— ele parecia alterado.— Você acha que pode simplesmente levar o menino embora? Você deixou Vera aos prantos e sumiu com meu filho sem nem avisar!

— Eu não sumi, eu vim pra casa, como pode ver.— murmurei.— E fale baixo, Thomas está dormindo, idiota.

— Vera está devastada, ela fez tudo com muito carinho e você simplesmente dá um chilique e leva o menino?! Não seja tão imatura, Lily.

— Ah, então quer dizer que sou obrigada a ouvir pela sua mãe e pela sua vadia prenha que meu filho é mal educado e ficar fazendo cara de paisagem?!— gritei.— Mas não fico mesmo! Por favor, vá embora!— passei por ele, que me puxou pelo braço até seu corpo.

— Está com ciúmes de Megan?— ele riu, seu hálito quente pesou em meu pescoço.

— Com ciúmes de Megan?!— eu gargalhei.— Ciúmes de você?! Não mesmo, querido.

— Vai dizer que não sente mais nada por mim?— ele murmurou.


Como posso tentar mentir descaradamente para uma pessoa que conviveu comigo por cinco anos e parecer verdadeira?


— Eu… Henry, me solte...— eu tentei o empurrar e ele o puxou mais perto.— Você está me apertando, pare!— choraminguei.

— Eu quero ouvir​ você dizer que não sente mais nada por mim,— ele rosnou.— aí vou saber que está mentindo.

— Henry, pare!


Bati em seu rosto, o que fez com que ele me soltasse e eu corresse para o meu quarto, mas não consegui fechar a porta antes que ele entrasse e me prendesse em seus braços novamente, sem meu consentimento.


— Eu sinto tanto a sua falta, sei que também sente a minha.— ele disse, afundando o rosto em meu pescoço e mordiscando minha pele. Meus braços estavam presos em seu peito então eu não pude fazer nada além de aturar o ardor de suas mordidas.

— Henry, por favor.— implorei.— Ei, o que pensa que está fazendo?!


Antes que eu pudesse impedir, ele esticou a barra do meu vestido e enfiou a mão em minha saia, apertando meu traseiro e indo até minha intimidade. Mesmo com minha total recusa, meu corpo foi jogado contra a cama e agora ele estava em cima de mim, suas mãos prendiam meus pulsos contra a cama e com os joelhos ele subia a barra do meu vestido, mesmo com o meu choro ele não pensou em parar, seus olhos estavam escuros, não o reconheci.


— Eu sei que você quer, não seja rebelde.— ele murmurou.

— Pare, Henry… Eu não quero! Está me machucando, por favor…


Minha voz estava fraca e meu corpo desistia de lutar pelo cansaço. Com uma das mãos ele segurou meus dois pulsos, a outra subiu o resto da minha saia e entrou em minha calcinha, enquanto seus joelhos lutavam para abrir minhas pernas.


— Não! Por favor, não! Henry… se você me ama, não faça isso! Eu não quero… por favor… isso não…


De repente seu olhar pareceu voltar ao normal e o silêncio foi preenchido com o choro de Thomas. Henry imediatamente se levantou de mim e eu me encolhi na cama, chorando.


— Lily, meu Deus… eu não, eu não ia… me perdoe…— ele murmurou.

— Só vá embora, por favor…

                      –


— Lily, está aí? A porta estava aberta, eu… Jesus, o que houve?!— Kira entrou no quarto desesperada ao me ver chorando no chão.— O que aconteceu com você?!

— Faça uma coisa pra mim… leve Thomas para mamãe, não consigo cuidar dele agora.— murmurei.

— Quem fez isso com vo…

— Só faça isso, por favor.— implorei.— E não conte sobre mim, eu estou bem.— menti.

                        –


CHRIS


As garotas voltaram para casa mais cedo, apesar da insistência de Taylor para que continuássemos no restaurante, apesar de já termos saído ontem. Mandei uma mensagem para Lily e ela não me respondeu, deve estar ocupada com a festa de Thomie uma hora dessas. Antes de entrar com meu carro na garagem de casa meu celular tocou, era uma ligação de Kira, o que ela poderia querer comigo?

                             –

– Kira?

— Oi, Chris?

— Sim, mas não estou com Derek, se é isso que quer saber.

– Eu preciso que vá para o apartamento de Lily agora, eu não sei mais para quem ligar, tive de deixá-la sozinha…

— O que aconteceu?!

— Eu não sei! Quando eu cheguei no apartamento ela estava chorando, desesperada… Thomas estava chorando também, ela me mandou trazê-lo para a casa dos meus pais mas o trânsito está horrível, vou demorar… ela não pode ficar sozinha daquele jeito…

– Estou indo pra lá.

— OK, tem uma chave debaixo do tapete, ela não vai atender ninguém…

– Pode deixar comigo.

                          –


— Lily?


Quando entrei em seu apartamento tive a impressão de não ter ninguém, fui direto ao seu quarto como Kira havia me ordenado e lá estava ela. Lily estava encolhida ao num canto da parede com as alças do vestido rasgadas, seu cabelo estava desgrenhado e seu rosto cheio de pavor.


— Mas o que… Lily, o que aconteceu aqui?

— Chris?— ela se encolheu mais um pouco ao me ver, chorando intensamente.— E-Eu, você não…

— O que aconteceu aqui?— me aproximei dela e pus a mão em seus joelhos.— Fizeram alguma coisa com você?


Ela não respondeu, apenas concordou com a cabeça e meu estômago embrulhou ao pensar no que pode ter acontecido aqui. Me aproximei devagar até chegar perto o bastante para abraçá-la, seu corpo se encolheu contra o meu e suas mãos seguravam minha camisa com força. Enquanto tentava acalmá-la, reparei marcas estranhas em seu pulso e me perguntei quem poderia ter feito isso. Será que aconteceu o que eu estou pensando?!

  

Depois de algum tempo tentando acalmá-la, a ajudei a tomar um banho e vestir um pijama, quando a coloquei na cama suas pernas ainda tremiam e ela mal conseguia andar.


— Espere aqui, vou preparar algo pra você comer.— murmurei.

— Não!— ela agarrou minha camisa.— Não me deixe aqui sozinha, por favor…

— OK, mas fique calma.— respondi.

— Só… não me deixa sozinha.— ela murmurou.

— Não vou deixar.

                           –

Passou um tempo desde que cheguei aqui, estava sentado na cama com Lily deitada sobre o meu peito em silêncio, então eu resolvi perguntar.


— Lily…

— Hm.

— Quer me contar o que aconteceu aqui?— perguntei.— Eu vou enlouquecer se ficar mais um segundo vendo você assim, sem saber o que está acontecendo.


Ela se sentou, agora com o corpo virado para mim de lado, sua cabeça encostou um pouco abaixo do meu pescoço e senti que ela queria ser abraçada, então eu o fiz.


— Eu fui embora da casa dos Cavill porque acabei brigando com Vera e Megan, então eu vim pra casa.

— Hm, continue.— murmurei.

— E-Então… meia hora depois Henry apareceu aqui e me disse um monte de insultos, ele estava bêbado...— ela se encolheu mais um pouco.— eu, eu...— as lágrimas voltaram a escorrer em seu rosto e eu tive vontade de vomitar ao tentar imaginar o que ela queria me dizer.

— Lily,— segurei seu rosto.— ele não… você não vai me dizer que Henry…

— Eu tentei correr para o quarto mais antes que eu pudesse fechar a porta, ele já tinha entrado… ele me agarrou e me beijou à força.— ela choramingou.— Ele me jogou na cama e...— ela encarou os pulsos agora roxos.— ele tentou abusar de mim, Christopher.


Notas Finais


Tenso... O que acharam do capítulo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...