História DESIRE | Incesto | Jimin [BTS] - Capítulo 24


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Desire, Hentai, Incesto, Jimin, Parkjimin
Visualizações 581
Palavras 1.595
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor



Capítulo 24 - Bad News


Fanfic / Fanfiction DESIRE | Incesto | Jimin [BTS] - Capítulo 24 - Bad News

Depois que todos foram embora, ela veio em minha direção e me abraçou.

- Minie, Jungkook começou a discussão por causa de um Toddynho! Eu chamei ele de infantil, depois ele ficou bravo e a gente ficou discutindo feito dois idiotas no aeroporto, ele nem quis carona... - Fez um pausa deixando o choro sair de novo. Acariciei seus cabelos com o coração apertado. - Eu só lembro da carinha dele e seus olhos enquanto queria chorar. Eu chorei na frente de todos.

- Diana, logo vocês voltam. Foi por causa de um toddynho mesmo?

- Uhum. Acho que depois dessa a gente não volta.

- Você o ama, não é?

- Sim, muito.

Não era bem o que eu queria escutar. Que eu amo Diana, a desejo e quero só  para mim é fato, mas nunca seria algo aceito pela nossa família e seria tão estranho ter os mesmos pais que a garota que gostaria de esposar.

Eu queria poder dar um murro na cara de Jungkook por a fazer chorar, queria aproveitar a brecha e fazer Daidai ser só minha; mas eu ao mesmo tempo a quero feliz, quero trazer Jungkook para cá só para vê-la sorrindo.

Omma e appa sairam cedo para a casa de nossos avós de Busan e devem chegar tarde da noite, o que me resta é cuidar de minha irmã.

- Dai? Quer que eu faça aqueles bolinhos que você gosta?

- Cupcakes?

- Esses mesmo!

- Quero.

- Se veste então para a gente ir no mercadinho. Se é para fazer cupcake, vai ser no capricho.

Ela foi correndo pro quarto e a segui, afinal, estou vestido com pijama de cachorro até agora. Ela já foi na rua com essa fantasia maluca, usando até mesmo o capuz, mas eu só uso para dormir.

- Jiminie! Estou trocando de roupas.

- Aish, pare de frescura que já ví tudo aí.

- 'Tá, mas agora é diferente. Vire.

Virei de costas, que frescura. Peguei minhas roupas no armário e um casaco, me vesti no banheiro e quando saí ela estava no sofá.

- Você vai assim? - Falei a olhando.

- Qual o problema?

- O problema é que você não vai ficar se vestindo mal só porque está triste. Pode ir colocar tuas roupas normais, Diana. Agora!  - Ela estava praticamente de pijama.

- Não, esta roupa está ótima e eu estou com frio.

- Eu também estou com frio e não estou vestido assim. Vai ir trocar essa roupa por bem ou por mal? - Ela simplesmente cruzou os braços e virou a cara. - Ok.

Fui em sua direção e a coloquei sobre o ombro, ela ia batendo em minhas costas e sacodindo as pernas. Tranquei a porta do quarto e coloquei a chave na cueca. A sentei em sua cama e fui catar o armário.

- Me deixa sair! - Foi até a porta.

- Senta aí! Nem se atreva a procurar a chave, está bem guardada.

- Onde estão as chaves? - Olhei para baixo e ela entendeu. - Ah! Que nojo!

- Já passou por você, cale a boca. - Peguei uma blusa cinza de mangas, um casaco de zíper e calças jeans. - Pode vestir.

- Não. Eu vou de moletom.

- Veste!

- Não visto.

- Ótimo.

Arranquei sua calça e depois o casaco, ela ia me chutando e empurrando com as mãos, nem adiantava tentar pois sou mais forte. Tirei a camiseta que ela estava e ela ficou só de lingerie, meu fraco.

- Jimin, que saco! - Reclamou puxando o travesseiro para se cobrir. Me debrucei nela e ficamos cara a cara.

- Eu não vou permitir que fique fazendo essas coisas, eu e todos nos preocupamos com você e já dissemos que logo Jungkook fala com você.

Ela virou a cara e comecei a passar a camisa por sua cabeça, na hora se tocou e se vestiu bufando. Fomos pro mercado e compramos os ingredientes.

Já em casa, fomos para a cozinha.

- Quer me ajudar? - Perguntei a vendo encarar o celular sobre a mesa.

- Hum? Ah, sim.

- Vem aqui. - Estiquei o braço e ela se aproximou, a abracei pelos ombros e dei um beijo em sua têmpora. - Quebra os ovos que eu vou dosar o leite.

- Ok.

Quando estava guardando a farinha, a ví batendo a massa devagar e triste.

- Acho que os bolinhos vão ficar ruins. - Falei me aproximando.

- Por que?

- Você está triste, os bolinhos vão fivar murchos. - Assoprei farinha nela.

- Ah! Jimin! - Berrou e veio me bater.

Corri rindo e ela vinha atrás, peguei-na e derrubei no chão, mas ela me fez cair junto. Ficamos rindo, passei a mão em seu rosto e ela levantou.

- Acho que vou procurar as formas para colocar no forno. - Avisou e foi andando para a cozinha.

Depois de colocar a massa no forno, Diana foi pro banho. Omma e appa chegaram e vieram me abraçar.

- Por que está suado e sujo de farinha, Jimin? - Appa perguntou colocando um envelope sobre a mesa.

- Estava fazendo cupcakes com Diana, ela tava triste e joguei farinha nela, mas não saí impune.

- Vocês dois... Vai ter para a gente também? - Omma perguntou me dando um beijo na testa.

- Sim, rendeu bastante. Só preciso de um banho.

- Falou com ela? - Appa perguntou preocupado.

- Achei melhor não, ela estava muito triste e mais isso seria demais.

- Bem, de qualquer forma, ela vai ter que saber. Vamos conversar mais tarde.

- Tudo bem, omma. Mas não espere que eu vá contar, não quero que ela fique brava comigo.

- Tudo bem.

[...]

Estávamos no sofá vendo filmes juntos e comendo os bolinhos, Diana continuava quieta e grudada em Omma. Ela ainda é um bebê.

- Ficaram ótimos os bolinhos e a cobertura. Parabéns. - Appa disse com a boca cheia.

Assim que o filme terminou, desliguei a televisão e Diana levantou, puxei-a pelo pulso e ela caiu em minhas pernas.

- Omma! - Olhou para nossa mãe.

- Filha, lembra que Jimin estava inscrito numa faculdade de dança em Busan?

- Sim, omma. O que tem?

- Gostaram dos vídeos dele e ele foi aceito. O que significa que vamos voltar para Busan.

- No fim do ano?

- Não, meu amor... Essa semana mesmo estamos voltando.

- O que? Jimin! Você sabia disso?

- Soube ontem... - Respondi cabisbaixo.

- Eu não acredito! Eu tenho novos amigos e Jungkookie aqui.

- Faz parte da vida, meu anjo. Seu irmão também está deixando os amigos para trás e sabe-se lá se tem alguma menina que ele goste. - Appa falou sério, o que sempre incomodou minha pequena.

- Eu não posso ficar com a vovó?

- Não, Diana. Engole esse choro! - Appa mandou.

- Calma! - Omma pediu à ele.

- Olha, Daidai... Pode ser triste, mas vamos morar na antiga casa, você vai voltar para a escola que estudamos lá, terá novos amigos e eu sempre vou estar com você. - Tentei acalmar a apertando mais em meu abraço.

- Façam o que quiserem. Minha vida já foi estragada mesmo. - Ela soltou minhas mãos de sua barriga e foi para dentro.

- Omma... Ela não pode mesmo ficar com a vovó?

- Não, Jimin. Sua irmã émvai conosco, os pais dela e você. Esta facukdade é dificílima de conseguir vaga e se você não estiver lá semana que vem, perdeseu lugar. É isso que quer? - Appa perguntou.

- Não, senhor.

- Bom. Agora vá dormir, amanhã tem aula.

Fui para o quarto, a porta estava encostada e Dai estava jogada na cama, chorando agarrada no travesseiro dela.

Fui devagar e sentei na ponta do colchão, passei a mão em suas costas e logo ela me olhou de rosto molhado de lágrimas.

- Não quero voltar, Jiminie. Quero ficar aqui com meus poucos amigos, onde tem o parque, os restaurantes que gosto e shows!

- Eu também estou triste em não terninar os dois últimos meses com meus amigos, mais ainda por não estar na formatura com eles. Mas é meu futuro em jogo, estaremos naquela casa onde morávamos. Lembra?

- Sim.

- Então! Vamos poder pegar sol no jardim, brincar com Elsa lá, ainda tem o balanço naquela árvore para eu te empurrar bem alto e quem sabe a casa na árvore ainda esteja montada.

Se não montamos outra.

- Era realmente bom, mas a gente era pequeno. Agora tudo que quero é minha escola, meus amigos... Mdu Jungkook.

- Vocês não vão deixar de se falar. Pode chamar seus amigos lá para casa nos finais de semana, feriados, férias... Com o celular a gente fala com todo mundo de qualquer lugar. - Ela ficou me olhando com aquele olhar triste, o que só me apertava mais ainda o coração. - Vamos dormir, huh? Amanhã tem aula e deve aproveitar essa última semana com seus amigos.

Levantei para ir deitar em minha cama, mas ela segurou minha mão.

- Oppa... Fica aqui comigo?

- Diana...

- Por favor. - Murmurou manhosa.

- Aish, fico. Chega pra lá. - Empurrei a cama para a parede preocupado com ela cair durante a noite e me deitei na ponta.

Daidai se aconchegou em meu peito e depois de um tempo caiu no sono.

[...]

- Ah, que fofos. - Omma exclamou e acabei acordando. - Hora de levantar, pimpolhos.

- Já? - Murmurei.

- Dormiram juntos, foi?

- Ela estava muito triste... Ainda está. Eu vou colocar a cama no lugar.

- Depois faz isso. Preocupado com ela cair? - Assenti. - Fico feliz que cuide tão bem de sua irmã, Jimin. Agora vai pro chuveiro, vou chamar ela.

Fui tomar banho e me vestir, omma ficou no quarto com Diana e assim que fui pra cozinha, tinha nosso café na mesa. Fiquei com dó de ver Diana chorando, mas feliz em tê-la em meus braços essa noite.

O que piora a situação, é que ela ama e pensa em Jungkook.


Notas Finais


Eu acho que ela gosta de provocar o Jimin. Pediu para dormir com elaaaahh!!

Muitos falando do final Daikook e muitos de Daimin. Será que pode ser os dois? Omgggg!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...