História DESIRE | Incesto | Jimin [BTS] - Capítulo 25


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Desire, Hentai, Incesto, Jimin, Parkjimin
Visualizações 570
Palavras 1.544
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Famí­lia, Festa, Fluffy, Hentai, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - I always said that you're a prince


Fanfic / Fanfiction DESIRE | Incesto | Jimin [BTS] - Capítulo 25 - I always said that you're a prince

A semana voou, me despedi de meus amigos no último dia de aula. Só eles sabiam de minha partida. Omma e appa estavam com o carro cheio e Elsa no banco de trás na hora de minha saída. Fomos buscar Diana mais cedo que sua saída e ela logo apareceu na porta com a cabeça baixa. Saí para pegar sua mochila e carreguei pro carro. Omma logo deu remédio de enjoo para Daidai ir tranquila no carro.

Ela foi mais da metade do caminho com Elsa no colo e escutando músicas. Paramos algumas vezes para ir ao banheiro.

- Psiu. - Cutuquei o braço dela. - Vem aqui, ruivinha.

Diana veio se encostar em mim e fiquei fazendo carinho em seu braço, depois de um tempo ela dormiu e fiz o mesmo.

Meu pescoço estava doendo e quando percebi, estava com a cabeça apoiada na dela. Abri o olho e ví pela janela que estávamos na frente da casa, Elsa já corria no jardim e estava imunda. A noite estava chegando e meus pais carrengando caixas do caminhão.

- Acordou! - Omma falou baixo ao me ver. - Ficamos com dó de os chamar.

- Quanto tempo dormi?

- Dormiu mais de duas horas, mas chegamos fazem apenas meia hora. O quarto dela já está preparado, pode a colocar na cama?

- Posso, omma. Só um minuto.

- Leve o tempo que precisar.

Ela saiu com uma caixa e estiquei os braços e pescoço antes de carregar Diana pro quarto dela. Aqui não vamos mais ficar no mesmo quarto.

Subi as escadas com ela nos braços e a deitei na cama já feita.

E o fim de semana passou; comecei a minha faculdade, de manhã Diana ia para a escola, eu a buscava e depois de almoçar ia para a faculdade, chegava exausto, então depois de tomar banho e jantar eu ia dormir.

•DIANA ON•

- Dai, seu irmão não é a oitava maravilha do mundo não! É a primeira! - Jihyun, minha nova amiga comentou no recreio.

- Obrigada...

- Por que está sempre mal humorada? - Misook, outra colega, perguntou.

- Eu só não estou feliz. - Resmunguei dando uma mordida em meu sanduíche.

- Nesse frio, meio difícil ser feliz... Mas por que 'tá assim? Pode contar. TPM? - Jihyun perguntou.

- Não. Eu só não queria ter me mudado.

- Ué, mas você é daqui, sua família também... Não foi você que estava toda animada com sua prima pequena? - Misook fez mais pergunta.

- Ela é muito fofa, mas não vai ser uma prima do maternal que vai mudar o que estou sentindo.

- E isso tudo é por quê? - Jihyun perguntou.

- Ou por quem... - Misook pensou alto.

- Eu só estou com saudades dos meus amigos... Agora posso terminar de comer em paz?

- Credo, grossa. - Elas falaram juntas e saíram de perto. Ficaram na grade da quadra gritando pelos meninos que jogavam futebol.

Depois de horas, Jimin veio me buscar. Estava estacionado na porta da escola, entrei no carro e ví as minhas amigas surtando por ele pela janela do veículo.

- Minhas amigas te acham lindo... - Murmurei.

- Mesmo? - Riu encostando a cabeça no apoio do banco.

- Sim. Eu sempre lhe disse que é um príncipe.

- E como foi o dia? - Colocou a mão em meu joelho. Levantei a cabeça devagar para o olhar, seu sorrisinho fraco não estava mudando nada.

- Uma merda.

- Ah, Dai! Precisa se animar. Por que não vamos fazer algo? É sexta feira...

- Tipo?

- O que você quiser.

- Ficar em casa.

- Não. Isso não. - Respondeu-me ríspido.

Chegamos em casa e almoçamos. Pedi licença, fui pro banho e quando saí a casa já estava vazia. Fiquei com Elsa no quarto e acabei dormindo.

[...]

- Preguiçosa, você dormiu de cabelos molhados!

- Aish, Jimin. Estou cagando e andando para a vida.

- Pare de falar essas coisas. Comprei ingressos de cinema para hoje. Vá se arrumar.

- Leva outra pessoa, quero ficar na cama.

- Não! Levanta! - Falou grosso comigo. Na hora virei-me na cama e escondi o rosto. - Desculpa, Daidai. É que não aguento mais te ver assim. Você está depressiva.

- Eu sei!

- Levanta... Por favor! Por mim vai!

Saí das cobertas e fui me vestir, Jimin foi pro banho e assim que terminou foi pro quarto dele.

Vimos o filme, não consegui me divertir e nem fingir que estava feliz para satisfazê-lo. Em casa fui dormir logo depois do jantar.

•JIMIN ON•

Diana está triste. Mal a vejo estudando, vem aviso da escola todos os dias que ela não faz dever e que dorme nas aulas. Ela nem riu do filme de comédia que a levei para ver, mal tocou na lasanha que omma fez e logo depois foi dormir.

- Omma, eu poderia levar Diana em Seoul amanhã? - Perguntei enquanto a ajudava a secar as louças do jantar.

- De carro?

- De trem seria mais rápido e menos enjoativo para ela.

- Ah, filho... Amanhã seus tios vem com os priminhos aqui para o almoço e domingo é nos seus avós.

- Mas ela está tão mal... Vou acabar do mesmo jeito se ficar a vendo assim.

- Você gosta muito dela, não é?

- Eu amo, omma. Mais do que deveria. - Falei de cabeça baixa com medo do julgamento.

- Como assim ama?

- Amo, omma. Eu amo a Diana.

- Eu também amo sua irmã, seu appa a ama... Estamos todos mal em vê-la desse jeito.

- Eu amo diferente, omma.

- Você quer dizer...

- Eu amo a Diana, não a minha irmã.

- Meu Deus! Se seu pai escuta isso, você morre.

- Eu sei... Nós dois já ficamos, omma; mas o fato de sermos da mesma família é o impecilho.

- Ah, meu anjinho. - Ela secou as mãos  no avental e veio me abraçar. - Eu não os proibiria justamente por não terem o mesmo sangue, mas seu pai não aceitaria por serem criados juntos...

- Eu sei... E isso me mata por dentro, omma! Quando eu finalmente a tive para mim, Hyeyeon inventou aquela história toda de filho e eu perdi o coração de Diana pro Jungkook, perdi até mesmo a amizade dele por nosso ciúme.

- Ele sabia de vocês?

- Não. Só contei pro Hoseok e Taehyung...

- Ah, melhor assim. Já falou com ela?

- O coração de Diana está em Seoul. Ela veio brigada com Jungkook e eu só quero a ver feliz...

Fiquei mais tempo conversando com omma. Quando appa chegou, me levantei e fui pro meu quarto dormir.

No sábado, levei Diana e nossos primos pequenos no balanço do quintal, ela não deu um sorriso sequer. Assim como no domingo, passou o dia deitada no sofá com os fones de ouvido e acabou dormindo mesmo com os primos pequenos pulando nela.

Na volta daquele longo dia em nossos avós, vim dirigindo pois nossos pais tinham tomado vinho e eu me responsabilizei em dirigir na volta. Diana ia de fones de ouvido, chegou em casa, tomou banho e nem se preocupou em secar os cabelos para dormir.

- Daidai... - Disse abrindo a porta de seu quarto. - Nossa, que frio está aqui.

- Deixe o ar assim, se eu ficar doente e morrer, é um favor feito à minha vida.

- Pare de falar besteiras! - Disse bravo a agarrando pelos pulsos. - O que é isso? Está se arranhando? Chega!

Arrastei Diana pro banheiro e sequei seus cabelos no secador, os deixei penteados e bonitos como não estavam há duas semanas.

- Eu estou sofrendo muito em te ver assim! Você sabe muito bem que eu te amo! Até omma já soube de nós e nem julgou!

- Você falou? - Arregalou os lindos olhos verdes.

- Falei. Agora vem; vai dormir comigo para eu ter certeza que não vai se matar de noite.

- Jimin, me deixa em paz. Que saco!

- Eu não deixo! Eu te amo demais para deixar que acabe com sua vida por um amor de colegial.

Ela veio chorando, sendo arrastada por mim, tranquei meu quarto e ela foi deitar em minha cama.  Empurrei para a parede e me coloquei nas cobertas junto com ela. Ficamos nos olhando e fiz caretas para ela, mas não obtive nem um sorriso.

- Lembra aquele dia que appa montou a casa na árvore e você ficou com medo de subir porque tinha medo de altura?

- Lembro.

- E eu subi segurando você.

- Sim, a gente era muito pirralho.

- Era. Você ficava muito fofa de marias chiquinhas e vestido de criança. Mais ainda nos invernos com aquelas roupas gordas.

- Eu ainda tenho fotos de quando você foi perseguido por um cachorro no parque e ele rasgou o bumbum de sua calça. Sua cueca do batman era ridícula.

- Aigoo! Nada pior do que aquela fantasia de joaninha que você se achava um máximo usando. Rí.

- Aish! Chato.

- Que isso? Um sorriso?

- Para! - Sorriu tímida.

- É um sorriso! - Fiz cócegas em sua cintura e levei uma joelhada no saco. -Aish!

- Jiminie-ah! Me desculpa! Foi sem querer.

- Tudo bem... Acho que ainda vou conseguir ter filhos um dia.

- Desculpe... - Murmurou colando nossas testas. Eu não me aguentei e beijei Diana.

Ela correspondeu, mas rapidamente me empurrou.

- Boa noite, Jiminie... - Levantou e saiu do quarto.

Aquele beijo serviu para entender que eu nunca terei seu coração novamente.

[...]

Ela tinha acabado de sair para a escola, peguei o celular e a mensagem que enviei de noite havia sido respondida.

-Alô? Taehyung? - ... - Sim, muito obrigado. Então...


Notas Finais


O que será que vai acontecer? Esse foi i ante penúltimo capítulo. Agora vou dornir pq estou exausta♡ Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...